O tabagismo e a saúde do homem

21/08/17 às 00:00 Mauro Scharf, Saúde Unimed Laboratório

Desde 2012, o mês de agosto é dedicado, no estado do Paraná, à realização de ações para incentivar a prevenção e a promoção da Saúde do Homem (Lei n°17.099, de 28 de março de 2012). O objetivo é motivar uma mudança cultural para que homens procurem atendimento médico e verifiquem sua condição de saúde com mais frequência, antes que doenças se manifestem de forma mais grave. 
Exames simples como testes para diabetes, hipertensão, HIV e hepatite podem identificar enfermidades ainda em estágios iniciais. Estar em dia com os exames é fundamental e é essa mudança cultural que nós da área da saúde buscamos. Homens, cuidem mais da sua saúde!
Neste ano, a campanha Agosto Azul chama a atenção para os malefícios do uso do tabaco, que constituem uma epidemia global, com quase 6 milhões de mortes por ano, de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Desse total, mais de 600 mil são não fumantes, mas vítimas do fumo passivo. De acordo com o instituto, sem alterações de cenário, estão previstas mais de 8 milhões de mortes por ano a partir de 2030. 
O tabagismo é uma das principais causas de morte no mundo, junto com a hipertensão. O uso do tabaco causa desde câncer de pulmão, mama e intestino até doenças cardiovasculares, além de outras patologias.
Hoje existem muitas opções de tratamento para quem deseja parar de fumar. São programas oferecidos pela Unidade Básica de Saúde, por planos de saúde e outros. O tratamento é realizado por profissionais de saúde especializados na área e costuma apresentar resultados bastante positivos. Para quem deseja parar de fumar, mas não sabe por onde começar, esses programas são uma boa opção. 
Além da preocupação com o cigarro, o alerta é que o hábito pode ter efeitos ainda piores, pois os homens sofrem mais com diabetes, colesterol elevado, obesidade e pressão alta. Esses fatores associados funcionam como uma bomba relógio. 
A conscientização em relação aos cuidados com a saúde do homem é urgente. O fato de o homem procurar menos os serviços de saúde prejudica sua qualidade de vida e longevidade. Segundo o Ministério da Saúde, quase um terço da população masculina não costuma ir ao médico regularmente e uma das principais consequências disso tem sido viver, em média, sete anos a menos do que as mulheres.
Em geral, os homens têm mais medo de descobrir doenças. Além disso, praticam menos atividades físicas, estão mais expostos a acidentes de trânsito e de trabalho e abusam mais de álcool e outras drogas. Por isso é fundamental visitar o médico regularmente, fazer exames e, principalmente, adotar hábitos de vida mais saudáveis. 
A saúde do nosso corpo só depende de nós mesmos. Não espere um sinal de alerta para começar a se cuidar. Tome iniciativas que resultarão em benefícios para você mesmo. Cuide-se!

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop