Há dez anos, nascia a primeira hashtag, ferramenta para agrupar assuntos

24/08/17 às 00:00 Ana Ehlert – ana@bemparana.com.br

A primeira hashtag da história da internet completou dez anos ontem e o microblog Twitter promoveu a hashtag "hashtag10 para celebrar data. O mecanismo foi originalmente inventado para agrupar conversações no Twitter e acabou crescendo além das fronteiras da rede social de origem. A ferramenta virou um componente cultural e de marketing incontrolável. 

A ideia surgiu do engenheiro Chris Messina, como um símbolo para identificar e organizar mensagens postadas em torno do mesmo tópico e sugerida para os fundadores do Twitter através da própria rede social. Ele revela que a ideia foi recebida com sarcasmo por Biz Stone, um dos criadores da empresa. Dez anos depois, no entanto, o próprio Stone se mostrou grato a Messina: “felizmente, Chris não se ofendeu com minha reação, ele simplesmente começou a fazer o que tinha proposto”, revelou o executivo.

As hashtags foram inspiradas no IRC para criar a convenção. Atualmente elas estão disseminadas em praticamente todas as redes sociais. As hashtags são mencionadas em programas de TV, comerciais, filmes e até mesmo em conversas. Analistas de marketing abraçaram o conceito para disseminar campanhas e acompanhar resultados, transformando o símbolo em uma poderosa ferramenta analítica.

Messina explica por que não patenteou a invenção ou porque o Twitter não registrou seu uso como exclusivo. De uma forma simples, o desenvolvedor esclarece que “sua criação não foi motivada por lucro, mas pelo desejo de tornar a web melhor e um lugar mais interessante para todos“.


Aplicativo

Dashlane

Ideal para quem se cansou de ficar tento de queimar os miolos na hora de lembrar das senhas. O app é um gerenciador de senhas que serve tanto para os sistemas Android como iOS, e é gratuito. Serve para armazenar senhas de cartões de crédito, débito e acesso a diversos serviços de sites


Novidades

Vizzy – Um robô, em fase de testes, promete ser a solução para idosos que moram sozinhos ou pessoas com mobilidade reduzida, como pessoas com obesidade ou deficiência motora. O robô chama-se Vizzy e está em fase de testes no Centro Comunitário Nossa Senhora dos Milagres, em Cernache (Coimbra), Portugal

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop