Explicações

25/08/17 às 00:00 - Atualizado às 20:26
(foto: Franklin de Freitas)

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a notificação do ministro da Saúde e deputado federal paranaense licenciado, Ricardo Barros (PP), para que explique uma declaração dada por ele em evento oficial no Palácio do Planalto em julho, quando disse: “Vamos parar de fingir que pagamos o médico e o médico vai parar de fingir que trabalha”. A declaração de Barros foi dada no contexto da implantação pelo governo federal, prometida por ele para até o fim deste ano, de sistemas de biometria em unidades básicas de saúde, com o objetivo de acompanhar eletronicamente os atendimentos aos pacientes e a frequência dos médicos.

Ofensa
Poucos dias após a fala, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul ingressou com um processo para que o STF interpelasse judicialmente o ministro a se explicar, por entender que Barros havia ofendido toda a categoria. A medida é etapa anterior à possível abertura de uma ação penal por injúria. O ministro não é obrigado a responder.

Em campanha
Pré-candidata declarada à sucessão estadual para 2018, a governadora em exercício Cida Borghetti (PP), deve aproveitar a interinidade do cargo por nove dias em virtude da viagem do governador Beto Richa (PSDB) ao exterior para alavancar sua corrida ao comando do Palácio Iguaçu. Ontem, ela confirmou a liberação de cerca de R$ 500 mil para aquisição de viaturas para a Guarda Municipal de Maringá. A cidade é base eleitoral de Cida e seu marido, o ministro da Saúde, Ricardo Barros. O ministro, inclusive, pediu férias de quinze dias para percorrer o Estado ao lado da esposa nesse período.

Saúde
A governadora afirmou ainda que Maringá vai receber também R$ 320 mil para aquisição de duas ambulâncias e equipamento de raio X. Ainda na área de saúde, a cidade terá um novo Centro de Especialidades do Paraná que deve beneficiar 800 mil moradores da região Noroeste.

Defesa
A vereadora Katia Dittrich (SD) foi notificada, na quarta-feira, sobre o processo realizado pela Comissão Processante que irá apurar se houve ou não quebra de decoro pela parlamentar. Ela é acusada por seis ex-assessores de ficar com parte dos salários deles. O prazo para a vereadora apresentar sua defesa prévia é de 10 dias úteis, contados a partir de ontem.

Prazos
A comissão é formada pelos vereadores Cristiano Santos (PV), presidente, Osias Moraes (PRB), relator, e Toninho da Farmácia (PDT). Com a defesa prévia, que deve ser entregue até o dia 6 de setembro, o grupo avaliará essa manifestação e a denúncia protocolada, podendo arquivar ou prosseguir com a investigação. O prazo para essa decisão é de cinco dias úteis.

Multas
O Tribunal de Contas do Estado aplicou sete multas, que somam R$ 33,75 mil, a dois ex-presidentes da Câmara Municipal de Santa Terezinha de Itaipu (região Oeste), por irregularidades na contratação de serviços. São três sanções a Antônio Luiz Bendo, presidente do Legislativo em 2009, e quatro a Antônio da Silva, gestor em 2010. Foram verificados cargos em comissão e terceirização de serviços jurídicos e contábeis, insuficiência da descrição de objeto de licitação e fracionamento de despesas em contratações no mesmo exercício financeiro para atender a um só objeto.

 

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate TV Assembleia
Política em Debate Clima eleitoral
Política em Debate Sem chance
Blogs
Ver na versão Desktop