Explicações

25/08/17 às 00:00 - Atualizado às 20:26
(foto: Franklin de Freitas)

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a notificação do ministro da Saúde e deputado federal paranaense licenciado, Ricardo Barros (PP), para que explique uma declaração dada por ele em evento oficial no Palácio do Planalto em julho, quando disse: “Vamos parar de fingir que pagamos o médico e o médico vai parar de fingir que trabalha”. A declaração de Barros foi dada no contexto da implantação pelo governo federal, prometida por ele para até o fim deste ano, de sistemas de biometria em unidades básicas de saúde, com o objetivo de acompanhar eletronicamente os atendimentos aos pacientes e a frequência dos médicos.

Ofensa
Poucos dias após a fala, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul ingressou com um processo para que o STF interpelasse judicialmente o ministro a se explicar, por entender que Barros havia ofendido toda a categoria. A medida é etapa anterior à possível abertura de uma ação penal por injúria. O ministro não é obrigado a responder.

Em campanha
Pré-candidata declarada à sucessão estadual para 2018, a governadora em exercício Cida Borghetti (PP), deve aproveitar a interinidade do cargo por nove dias em virtude da viagem do governador Beto Richa (PSDB) ao exterior para alavancar sua corrida ao comando do Palácio Iguaçu. Ontem, ela confirmou a liberação de cerca de R$ 500 mil para aquisição de viaturas para a Guarda Municipal de Maringá. A cidade é base eleitoral de Cida e seu marido, o ministro da Saúde, Ricardo Barros. O ministro, inclusive, pediu férias de quinze dias para percorrer o Estado ao lado da esposa nesse período.

Saúde
A governadora afirmou ainda que Maringá vai receber também R$ 320 mil para aquisição de duas ambulâncias e equipamento de raio X. Ainda na área de saúde, a cidade terá um novo Centro de Especialidades do Paraná que deve beneficiar 800 mil moradores da região Noroeste.

Defesa
A vereadora Katia Dittrich (SD) foi notificada, na quarta-feira, sobre o processo realizado pela Comissão Processante que irá apurar se houve ou não quebra de decoro pela parlamentar. Ela é acusada por seis ex-assessores de ficar com parte dos salários deles. O prazo para a vereadora apresentar sua defesa prévia é de 10 dias úteis, contados a partir de ontem.

Prazos
A comissão é formada pelos vereadores Cristiano Santos (PV), presidente, Osias Moraes (PRB), relator, e Toninho da Farmácia (PDT). Com a defesa prévia, que deve ser entregue até o dia 6 de setembro, o grupo avaliará essa manifestação e a denúncia protocolada, podendo arquivar ou prosseguir com a investigação. O prazo para essa decisão é de cinco dias úteis.

Multas
O Tribunal de Contas do Estado aplicou sete multas, que somam R$ 33,75 mil, a dois ex-presidentes da Câmara Municipal de Santa Terezinha de Itaipu (região Oeste), por irregularidades na contratação de serviços. São três sanções a Antônio Luiz Bendo, presidente do Legislativo em 2009, e quatro a Antônio da Silva, gestor em 2010. Foram verificados cargos em comissão e terceirização de serviços jurídicos e contábeis, insuficiência da descrição de objeto de licitação e fracionamento de despesas em contratações no mesmo exercício financeiro para atender a um só objeto.

 

Últimas de Política em debate
Blogs
Ver na versão Desktop