Cuidado com conselhos!

29/08/17 às 00:00 Desmar Milléo Junior

Tenho um amigo que também é meu compadre. Como já nos conhecemos faz mais de 10 anos, pude observar algumas mudanças na sua vida.
Há uns sete anos ele foi demitido de um banco, onde trabalhou por mais de 20 anos. Ele tinha uma posição muito confortável e tranqüila dentro daquela instituição financeira, mas como acontece com muitos executivos, ele foi mais uma vítima do diríamos “downage”, comum quando se chega aos 40 e poucos anos e as empresas trocam seus funcionários por um de 20, pagando salários mais baixos.
Após tantos anos de dedicação à mesma empresa, meu amigo ficou meio sem rumo, mas como tinha uma boa indenização do banco, buscou alguns lugares onde pudesse investir e tocar a vida com um negócio próprio, saída encontrada por alguns executivos na chamada “idade do lobo”, pois como não conseguem recolocação no mercado de trabalho, optam pelo empreendedorismo.
A primeira pessoa que ele procurou foi um de seus clientes do banco, que acabou se tornando um amigo, e sempre o visitava lá na agência, muitas vezes só para tomar um café. Chegando ao escritório desse empresário, ele ficou sabendo por uma das pessoas que lá trabalhavam que seu amigo estava fora e demoraria alguns dias para retornar. Ai essa pessoa perguntou para ele: qual seria o assunto? Então, meu amigo respondeu que tinha saído do banco, recebido uma indenização, e que gostaria de conversar com aquele empresário, pois estava em busca de novos investimentos.
Naquela época o mencionado empresário estava começando aqui em Curitiba um negócio no ramo de pneus. Como a empresa estava em expansão e já era um ótimo negócio, o meu amigo enxergou ali uma grande oportunidade, mas aquela pessoa do escritório, que não tinha praticamente nenhuma visão de futuro e investimento, disse ao meu amigo que o negócio de pneus era uma fria, e que ele deveria procurar outro tipo de investimento.
Meu amigo saiu de lá meio triste, mesmo assim ficou disposto a esperar a volta do empresário para conversar com quem realmente entendia do assunto. Acontece que na mesma semana, um outro ex-bancário ligou para meu amigo e convidou-o para ser “sócio” em sua pequena fábrica. Meu amigo aceitou a proposta e investiu toda a indenização no novo negócio, mas acabou descobrindo depois de alguns meses que tinha sido passado para trás. Na verdade, aquela fábrica estava devendo muito e o seu dinheiro foi usado apenas para pagar dívidas.


Em contrapartida, aquela empresa de pneus, que nunca iria para frente e que era uma fria, como disse um de seus funcionários, hoje é uma das maiores do ramo, sendo a maior fabricante mundial de pneus ecológicos.
Meu amigo comentou comigo, se tivesse conversado com a pessoa certa, com certeza teria pelo menos duas opções de escolha, e não uma só, e hoje talvez não convivesse com o fantasma da dúvida.
Na vida, muitas vezes ouvimos opiniões de pessoas erradas, que acabam nos levando a nem tentar outras oportunidades.
Cuidado com conselhos! Principalmente aqueles dados por pessoas sem visão, acomodadas. Como diz o velho ditado “Se conselho fosse bom, não se dava, se vendia”!!!!!!
Um grande abraço e boa semana.
#treinamentoscomjogosdenegocios&palestrasdemetasevendas
Desmar Milléo Junior, Autor do Livro: “Apenas Boas Intenções Não Bastam”,  Palestrante nas áreas motivacional, comportamental e vendas.Treinamentos com Jogos de Negócios & Simuladores.
SITES: www.milleo.com.br  &

Blogs
Ver na versão Desktop