Workaholic gera perdas para profissionais e empresas

Especialista lista comportamentos que caracterizam esse tipo de distúrbio laboral

04/09/17 às 23:00 - Atualizado às 21:55

Cenas comuns em reuniões de negócios são executivos disputarem quem está trabalhando mais, como se isso fosse motivo de orgulho, contudo, o que não se percebe nessas situações é que pode se estar caracterizando uma disfunção, que é o fato de ser um workaholic.

Mas, o que é workaholic e quais os riscos envolvidos com esse problema? CelsoBazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria, explica que pessoas com esses problemas são fáceis de perceber, são elas que constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levam serviço para casa. E essa pessoa também que constantemente recebe críticas por no fim de semana ficar sempre de olho no celular e checar as mensagens a cada hora para ver se existe alguma pendência no trabalho.

Segundo o especialista, é mais fácil localizar uma pessoa com esse problema do que tratar. “Hoje são constantes os casos de workaholics e isso se percebe a partir do momento que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos. Assim a pessoa se torna um trabalhador viciado e compulsivo, mesmo fora de seu ambiente de trabalho ele cria um novo ambiente recheados de temas sobre seus negócios, não há situação que o faça se desligar do trabalho”.

Sintomas desse distúrbio de comportamento é uma autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão. “Acredito que para empresa a situação traz mais desvantagens do que vantagens. Inicialmente pode ser interessante, pois a velocidade dos resultados é satisfatória, porém há um desgaste emocional natural do profissional, pois ele estará isolado e restrito ao tema trabalho, bloqueando sua sociabilização o que poderá resultar em sérios transtornos futuros para sua vida”.


Identificando um workaholic

1 Características do workaholic
• Constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda levam serviço para casa
• São criticados por passarem o fim de semana de olho no celular
• Checam as mensagens a cada hora para ver se existe alguma pendência no trabalho.

2 Eu sou?
• A pessoa deixa de lado a vida social e o convívio com amigos e familiares
• É um trabalhador viciado e compulsivo
• No ambiente externo, cria um novo ambiente recheados de temas sobre negócios
• Não há situação que o faça se desligar do trabalho.
• Tem autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão.

3 Problemas relacionados
• Empresa tem perdas a médio e longo prazo
• Há um desgaste emocional natural do profissional, pois ele estará isolado e restrito ao tema trabalho, bloqueando a sociabilização o que poderá resultar em sérios transtornos futuros
• Estudos recentes de casos clínicos em consultórios psicológicos e psiquiátricos apontam que o vício de trabalho é similar à adição ao álcool ou cocaína. Tornado o trabalho, nesses casos uma obsessão doentia.

4 É preciso saber viver!
• O trabalho será saudável enquanto não aprisionar a pessoa na necessidade constante de falar e estar agindo pelo trabalho
• O caminho para combater esse problema é assegurar o equilíbrio, entre a vida pessoal e profissional
• Valorizar mais os momentos de lazer e perceber que o descanso é fundamental para melhoria de resultados

5 Workaholic x Worklover
• Um worklover tem noção de que o excesso se refletirá em conflitos nos relacionamentos pessoais, além de proporcionar efeitos nocivos à saúde e bem-estar. Existem profissionais que buscam entregar resultados e isso é positivo.
• Ser um workaholic não significa que o profissional seja mais produtivo.
• Muitas vezes, as pessoas que não conseguem ter organização no seu dia a dia acabam trabalhando mais tempo para entregar o mesmo resultado.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop