Reconhecimento de potencialidades

22/09/17 às 00:00 Marcello Richa

O Paraná é um estado repleto de potencialidades, beneficiado por uma terra e clima que favorecem a agropecuária e permitem a produção de produtos diferenciados de grande qualidade. Aproveitar e valorizar essas características para fortalecer a cultura, turismo e economia local é um trabalho constante que precisa ser realizado em conjunto pelo poder público e sociedade.
Uma iniciativa que tem se destacado é a união de esforços para que territórios e produtos do estado conquistem o reconhecimento da Indicação Geográfica, selo concedido pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) que visa destacar a qualidade diferenciada de um produto, seja devido às características propícias para sua produção ou ao conhecimento dos produtores da região.
A importância desse reconhecimento pode ser vista no Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul, que foi o primeiro território a receber uma Indicação Geográfica no Brasil. De acordo com o Sebrae, em apenas cinco anos, a região apresentou uma valorização acima de 200% nas propriedades rurais, bem como crescimento do turismo, maior oferta de emprego e investimentos.
No Paraná o primeiro selo de Indicação Geográfica foi concedido para os cafés especiais do Norte Pioneiro, que abrangem 45 municípios e resultou na criação da Associação de Cafés Especiais do Norte Pioneiro do Paraná e Cooperativa de Cafés Especiais e Certificados do Norte Pioneiro. Ou seja, não apenas contribui para atestar a qualidade do produto, mas também serviu de incentivo para a melhoria estrutural e comercial na região.
Na sequência receberam esse reconhecimento o mel de Ortigueira e a goiaba de Carlópolis. Em 2017 o estado obteve mais duas conquistas relevantes na área: as uvas finas de mesa de Marialva, maior produtora de uvas do estado, e a erva-mate de São Mateus do Sul e região (Antonio Olinto, Rio Azul, Mallet, Rebouças, Paulo Frontim e São João do Triunfo) receberam o selo de Indicação Geográfica.
Recentemente estive em São Mateus do Sul e pude perceber a mobilização que a Prefeitura, em conjunto com a Associação Comercial e iniciativa privada, está realizando para aproveitar essa conquista histórica. Foram iniciadas diversas ações com foco em atrair investimentos, expandir o marketing, melhorar a estrutura do mercado local e fomentar a cultura da erva-mate, em um modelo exemplar de sinergia entre diferentes órgãos, empresas e entidades que sem dúvidas trará excelentes resultados para a região.
O Paraná conta com mais 12 projetos em andamento para receber o selo de Indicação Geográfica, que incluem o melado de Capanema e o barreado do litoral paranaense, entre outros. São iniciativas que merecem atenção e apoio das prefeituras, pois fortalecem a organização dos produtores e criam novas oportunidades para o município, agregando valor e notoriedade para os produtos e benefícios econômicos e sociais para as regiões.

Marcello Richa é presidente do Instituto Teotônio Vilela do Paraná (ITV-PR)

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop