Coluna Falando com as Torcidas: Atlético, Coritiba e Paraná

26/09/17 às 00:00 - Atualizado às 15:48

Preguiça

Era um jogo que tínhamos tudo pra ter mais três pontos. No entanto, parece que o almoço do time foi feijoada. Começou errado pela invenção de Fabiano Soares. Se o futebol apresentado na duas rodadas anteriores tinha sido muito bom, ninguém entendeu o motivo de ter inventado. Segunda situação: sempre foi motivo de reclamação jogar nos finais e no começo da semana. Mas parece que para os jogadores do Atlético essa folga não foi suficiente, tamanha a preguiça apresentada em campo. Aumento a distância do bloco que vai disputar a Libertadores o ano que vem. Com isso, essas duas partidas em casa, contra nossos xarás mineiro e goiano, vão dizer se vamos mesmo tentar disputar novamente o torneio internacional. Ou apenas vamos só fazer os pontos necessários para se manter na primeira divisão. A resposta fica para o grupo de jogadores!
Um Ultra abraço!

Gabriel Barbosa | barbosagabriel@ig.com.br


Nas profundezas da crise
A derrota de 3x2 para o Botafogo, em casa, não coloca apenas em cheque o "vale quanto recebe" de Marcelo Oliveira. Na sua era, um desempenho pífio, longe de valer o quanto o Coritiba gasta com ele e sua comissão técnica. Mas o problema vai além, é evidente: o time é limitadíssimo, dá sinais de estar dividido e, é claro, sem nenhuma esperança de que o time seja lutador para nos tirar desse abismo.
Estamos nas profundezas de crise, que vai muito além de técnica, tática, física e motivacional. O campo é reflexo da "falência" ética de uma instituição cujas principais lideranças se foram e as novas lideranças se mostraram absolutamente incapazes em mudar a falência institucional e cultural que assola o Clube desde 2008. Há quase uma década os quase sempre mesmos erros se repetem. Quem ganha com isso? Certamente não é a instituição Coritiba.
O time Coxa não dá o menor sinal de poder de mobilização. E, fora de campo, ano de eleição e nada de mobilização popular como ocorria nos anos passados. Essa combinação de fatores tendo a levar cada vez mais o Clube para o fim do poço. Triste para quem realmente ama o Coritiba, pois é evidente que em vez de caminharmos para o caminho da luz, e o fim do túnel, estamos indo em sentido inverso.
Coritiba, a Torcida que nunca abandona!

Luiz Betenheuser | blogluiz@gmail.com


A verdade na grama de mentira
O Paraná goleou o Guarani. Melhor mandante e melhor do returno, agora credencia-se ao acesso. Hoje o Paraná enfrentará o combalido Náutico. Após, na 27a rodada, sairá para enfrentar o Figueirense e então, na 28a rodada, poderá, caso conquiste dois resultados positivos, enfrentar o Internacional em partida valendo a liderança. Ocorre que essa partida não será na Vila Capanema, verdadeiro alçapão Tricolor, mas sim noutro sítio da cidade que sediou partidas de Mundial, a Arena da Baixada, local com outro tipo de solo para a prática do esporte bretão. Se por um lado o Paraná precisa e todo e qualquer aporte, por outro, talvez não seja muito inteligente sacar o Tricolor de seu templo, onde a grama verde faz a bola correr e onde o elenco de Pastana tão bem se apresenta. A alegação de que "a diferença é para todos" apenas comprova que o Paraná abre-mão de uma carta na manga, algo que o torna mais forte para permitir equilíbrio ao rival. Obviamente deve ressaltar todo o esforço do comando diretivo para viabilizar os salários em dia mas, se o ponto era ir para um local onde pudesse obter maior renda, por quê não voltar ao Couto, com gramado de verdade? Jogar fora uma vantagem clara é contentar-se apenas com o acesso. O Paraná sempre que subiu, o fez com o caneco nos braços. Por quê não pensar grande?

David Formiga | davidformiga@gmail.com

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop