Em obras

26/09/17 às 00:00
(foto: Geraldo Bubniak)

O presidente da Câmara Municipal de Curitiba, Serginho do Posto (PSDB), anunciou ontem em plenário o resultado das perícias realizadas no Palácio Rio Branco. O prédio histórico construído no final do século XIX teve suas galerias interditadas após invasão de manifestantes em junho deste ano, por determinação do Corpo de Bombeiros e da Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis da Defesa Civil de Curitiba (Cosedi). “O assoalho cedeu, a escada teve um deslocamento, mas não há risco estrutural”, disse.

Lotação
O presidente informou que, após análise técnica do perito e engenheiro Norimasa Ishikawa, submetido ao Corpo de Bombeiros, reparos precisarão ser feitos, mas será possível ampliar a capacidade do edifício. “Passaremos de 100 a 148 pessoas dentro do prédio”, explicou o vereador. O número de pessoas nas galerias permanecerá sendo de 28 pessoas, mas a capacidade no piso do plenário será ampliada de 72 para 120 vagas. “Essas adequações, com cadeiras no hall e ao fundo do plenário, faremos nos próximos dias”, antecipou Serginho do Posto.

Escadaria
Apesar do aumento da capacidade, o Palácio Rio Branco será submetido a reparos nos próximos meses antes de as galerias, na parte superior do prédio histórico, serem reabertas à população. “A Comissão Executiva irá se reunir nos próximos dias para licitar os reparos na escadaria, precisamos fazer um tratamento nela, em razão de que ela foi deslocada quando houve a invasão”, confirmou Serginho.

Conduta
O deputado Ratinho Junior (PSD) protocolou ontem, na Assembleia Legislativa, projeto que estabelece as regras para a criação do programa estadual de integridade compliance na gestão pública. “O programa visa organizar padrões de conduta, monitorar políticas públicas e práticas administrativas em cada órgão e entidade entre os servidores, nos diferentes serviços da administração pública”, explicou.

Cabos eleitorais
O Ministério Público entrou com ação por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito de Formosa do Oeste (região Oeste), Jose Roberto Coco, o “Coquinho” e dois ex-vereadores, um deles servidor público. De acordo com o MP, os três ofereceram empregos públicos a pessoas que os apoiaram na campanha eleitoral de 2013. Depois de eleitos, garantiram a contratação, pela prefeitura, de 13 pessoas que os apoiaram nas eleições.

Concurso
Segundo a investigação da promotoria, além das contratações em troca de apoio eleitoral, o então prefeito deixou de contratar funcionárias aprovadas em concurso público para zeladora, dando preferência a firmar um contrato de terceirização com uma empresa para oferecer os mesmos serviços que prestariam as servidoras concursadas. O servidor público, que na época era vereador, teria intermediado as promessas de emprego e as contratações posteriores. Na ação, o MP pediu o bloqueio dos bens dos envolvidos em aproximadamente R$ 94 mil.

Batel
Reclamações de moradores, comerciantes e pessoas que passam à noite na rua Coronel Dulcídio, nas proximidades do Shopping Hauer, no bairro Batel, foram um dos assuntos do dia na sessão de hoje da Câmara Municipal de Curitiba. O vereador Felipe Braga Côrtes (PSD) exibiu foto feita por ele no sábado, no local, mostrando muito lixo jogado na rua. Ele afirmou ainda ter recebido oferta de drogas quando passou pela rua. “ “Estive lá na semana passada e uma pessoa me ofereceu cocaína. Eu filmei”, contou ele.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate Tanque cheio
Política em Debate Caso isolado
Blogs
Ver na versão Desktop