Coritiba luta e arranca empate contra o Bahia em jogo com arbitragem polêmica

Time paranaense reclama de dois pênaltis não assinalados. Gol dos baianos saiu em falha inacreditável do zagueiro Werley

30/09/17 às 17:53 - Atualizado às 11:10 Redação Bem Paraná
(foto: Divulgação/ Coritiba)

Não foi desta vez que o Coritiba deixou a zona de rebaixamento. Jogando na Arena Fonte Nova na tarde deste sábado (30/09), o time paranaense até teve bons momentos e chegou a dominar a partida, mas um bizarro erro defensivo acabou sendo determinante para que a equipe não conseguisse mais do que um empate por 1 a 1 contra o Bahia, com um gol em cada tempo: primeiro Zé Rafael, depois Rildo.

Com o empate fora de casa, o Coxa, que não vence há sete rodadas (são três empates e quatro derrotas), chega aos 28 pontos e iguala a pontuação de Ponte Preta (18º) e São Paulo (17º), mas fica atrás por causa do saldo de gols. Além disso, os dois paulistas ainda jogam em casa nesta rodada, contra Sport e Flamengo, respectivamente. Já o Bahia, com 31 pontos, aparece na 11ª colocação.


Na próxima quarta-feira, às 21 horas, o time do Alto da Glória volta a campo para encarar o líder Corinthians, em Itaquera. Já os baianos encaram o Palmeiras na Allianz Arena na quinta-feira.

INVENCIBILIDADE “MILENAR” MANTIDA

O Coritiba não perdeu para o Bahia neste milênio. A última derrota coxa-brancafoi em 1999, com placar de 3 a 0 na Fonte Nova, em jogo pela Copa do Brasil. Desde então, ostimes se enfrentado20 vezes, com cinco vitórias e 15 empates.

DESFALQUES

O time paranaense tinha três desfalques: o ponta Getterson e os centroavantes Alecsandro e Kleber Gladiador, todos em recuperação. Por outro lado, o volante Alan Santos retomou a titularidade após ficar suspenso na última rodada.

No Bahia, os desfalques
eram Eduardo e Lucas Fonseca, suspensos, Jackson, Armero, Renê Júnior e Wellington Silva, lesionados.

PRIMEIRO TEMPO

A partida começou com o Coritiba jogandocom inteligência quando tinha a posse de bola e muita agressividade sem ela, com pressão muito forte a partir do meio de campo. Foram 13 desarmes contra apenas cinco dos adversários nos 20 primeiros minutos, período em que os visitantes somaram quatro finalizações a gol contra nenhuma dos donos da casa. O gol paranaense só não saiu por causa da arbitragem e do goleiro Jean.

Quanto a participação de Péricles Bassols, dois lances a se destacar. Um deles polêmico, discutível, ocorrido aos 5 minutos, em disputa de Rildo com Everson dentro da área. No outro, um pênalti claro a favor do Coxa não assinalado aos 20 minutos, apóscarrinho de Jean em cima de Henrique Almeida. O atacante coxa-branca também quase marcou um de placa aos 17, ao acertar uma linda bicicleta que parou nas mãos do goleiro baiano.

Depois do bom início, porém, o ritmo da equipe de Marcelo Oliveira foi caindo e erros antigos voltaram a aparecer. Rifando demais a bola, o time passou a oferecer a bola para o Bahia em seu campo de ataque e recuou as linhas de marcação. Com a boa participação do volante Juninho e do meia-atacante Zé Rafael, os donos da casa passaram a encontrar espaços na defesa adversária.

A primeira oportunidade de gol dos baianos veio aos 29 minutos, com Wilson operando um milagre para evitar o gol no cabeceio de Rodrigão. Aos 45, Werley não viu a aproximação de Zé Rafael e tentou recuar a bola para o goleiro com um passe de peito. O meia de 24 anos se antecipou
para abrir o placar na Arena Fonte Nova, fazendo valer a “lei do ex”.

SEGUNDO TEMPO

Para buscar o empate, Marcelo Oliveira tratou de voltar a campo com um time mais ofensivo, com o ponta Filigrana no lugar do volante Jonas. O Bahia, por sua vez, mantinha o controle da partida e quase chegou ao segundo gol aos 10 minutos, após belo lance criado por Zé Rafael que terminou com bola na trave.

Aos 12, Preto Casagrande tentou dar novo fôlego ao ataque, com Régis e Edigar Junio nos lugares de Vinicius e Mendoza. No Coxa, Anderson substituiu Tiago Real três minutos depois.
Em seu primeiro lance, aos 19 minutos, o ex-jogador de Manchester United e Porto participou do lance de empate, em gol marcado por Rildo após cruzamento de Léo.

Nos últimos 15 minutos de jogo, os visitantes ainda apostaram em Keirrison no lugar de Henrique Almeida, enquanto no Bahia o jovem Matheus Sales substituiu o lateral-direito Everson. A partida, contudo, perdeu em intensidade e o empate veio a se confirmar ao apito final.

FICHA TÉCNICA

Bahia 1 x 1 Coritiba

Bahia: Jean; Everson (Matheus Sales), Tiago, Thiago Martins e Juninho Capixaba; Edson, Juninho, Zé Rafael, Vinicius (Régis) e Mendoza (Edigar Junio); Rodrigão. Técnico: Preto Casagrande.
Coritiba: Wilson; Léo, Cleber Reis, Werley e Carleto; Jonas (Filigrana), Alan Santos, Galdezani, Tiago Real (Anderson) e Rildo; Henrique Almeida (Keirrison). Técnico: Marcelo Oliveira.
Gols: Zé Rafael (45-1º) e Rildo (19-2º)
Cartões amarelos: Léo, Jonas, Thiago Carleto, Cléber Reis e Filigrana (C); Juninho, Tiago, Juninho Capixaba e Edson (B)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE)
Público: 20.860 pagantes (21.327 total)
Renda: R$ 411.449,50
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), sábado às 16 horas

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

5- Lance duvidoso. Rildo recebe lançamento na área, disputa com Everson e cai. Pericles Bassols estava longe do lance e não marcou pênalti.

7 – Tiago Real aciona Alan Santos, que solta um petardo da entrada da área. A bola passa perto do gol.

17 – Cruzamento de Léo a meia altura para a área. Henrique Almeida passa da bola, mas “se vira nos 30” e consegue a finalização com uma linda bicicleta. Jean salta e consegue evitar um gol de placa.

20 – Bola enfiada para a corrida de Henrique Almeida. O goleiro Jean tenta afastar o perigo com um carrinho, mas o atacante chega antes, dá um toque na bola e é acertado pelo adversário. O árbitro não marca nada de novo.

29 –
Cobrança de falta fechada de Juninho, Rodrigão aparece livre na área e cabeceia firme, para baixo, no contrapé do goleiro. Wilson se estica todo e opera um milagre ao espalmar.


35 – Rildo faz bonita tabela com Carleto e invade a área, mas o segundo passe sai forte demais e o ponta não alcança a bola, que sai pela linha de fundo.

37 – Rodrigão faz o pivô na entrada da área e rola para Juninho, que chega de trás batendo. A bola

44 – Juninho lança para Mendonza, que invade a área com liberdade pela esquerda

45 – Gol do Bahia! Bola levantadana área do Coxa, Rodrigão ganha a disputa na grande área e tenta o passe e cabeça. Werley tenta recuar a bola para Wilson com um passe de peito, Zé Rafael se antecipa, vence a disputa com o goleiro e abre o placar.

Segundo tempo

5 – Bola lançada da defesa para Mendoza, que vence a disputa com o marcador e invade a área, mas adianta demais a bola. Wilson sai da meta e fica com ela.

10 – Zé Rafael tabela com Rodrigão na direita e toca para a corrida de Mendoza pela esquerda. O colombiano invade a área e chuta forte. A bola explode na trave.

19 – Gol do Coritiba! Anderson toca para Léo, que cruza no 2º pau para a chegada de Rildo, que toca na saída de Jean e empata a partida.

28 – Edson aciona Juninho Capixaba, que aparece nas costas de Léo e entra livre na área. Ele chuta cruzado buscando o canto e manda para fora, com perigo.

39 – Cobrança de falta de Carleto, a zaga afasta e Anderson arrisca o chute no rebote. A bola vai para fora.

46 – Cobrança de escanteio de Régis, Tiago sobe mais que todo mundo e consegue o cabeceio. Wilson faz a defesa em dois tempos.

Blogs
Ver na versão Desktop