Paraná Clube encara 'Golias' na Arena da Baixada

01/10/17 às 18:28 - Atualizado às 15:21 Rodolfo Luis Kowalski
João Pedro: jogador veio a custo zero para o Paraná, cedido pelo Atlético-PR (foto: Geraldo Bubniak)

O Paraná Clube faz nesta terça-feira, contra o Internacional, um confronto digno de se classificar como um Davi versus Golias, ao menos em termos econômicos. É que o clube gaúcho, líder da Série B com 54 pontos, possui um orçamento salarial quase 19 vezes superior ao do rival paranaense, que também faz bonito na Série B e aparece em terceiro lugar com 46 pontos.

Para garantir o retorno à elite do futebol após a inédita queda em 2016, o Colorado montou um time cuja folha salarial é de aproximadamente R$ 7,5 milhões por mês. Na Vila Capanema, o valor mensal gasto com o futebol fica abaixo de R$ 400 mil. O abismo financeiro é tão grande que apenas D’Alessandro, jogador mais caro do elenco colorado, recebe cerca de R$ 600 mil por mês – mesmo valor do orçamento salarial do segundo time mais caro da Segundona, o Guarani.

Além do argentino, outro jogador do Inter recebe em um mês mais do que o equivalente ao salário de todos os jogadores paranistas. É Leandro Damião, cujos vencimentos chegam a R$ 500 mil mensais. Contratado junto ao Flamengo no final de julho, soma-se a outros “reforços de Série A” trazidos pelos gaúchos, como William Pottker, ex-Ponte Preta, e Camilo, ex-Botafogo.

Mas se fora de campo a diferença entre os dois clubes é abissal, dentro dele o Paraná já demonstrou ter condições de lutar de igual para igual. Na Copa do Brasil, por exemplo, o time paranaense avançou até a mesma fase de seu próximo adversário, as oitavas de final, caindo diante do Atlético-MG (o Internacional foi eliminado pelo Palmeiras). Na Primeira Liga, os paranaenses chegaram até a semifinal, enquanto os gaúchos não passaram das quartas.

Mesmo na Série B o desempenho dos dois times não chega a ter uma diferença gritante. Tanto que no returno da Série B o time da Vila Capanema, detentor da 2ª melhor campanha no período, soma seis vitórias e um empate em oito partidas, enquanto o Colorado, líder do 2º turno, tem sete vitórias no período. Ademais, no 1º turno o confronto entre as equipes, disputado no Beira-Rio, terminou empatado em 0 a 0.

Agora, num momento em que os dois times vivem seus auges, o Paraná deverá contar com o apoio dos 40 mil torcedores na Arena da Baixada. Um empurrão e tanto para os jogadores, que fazem a torcida voltar a sonhar após uma década de Série B.

Blogs
Ver na versão Desktop