Está difícil escolher escola para os filhos? Veja dicas

Aberta a temporada de matrículas; pais devem considerar o que a instituição oferece

02/10/17 às 23:00 - Atualizado às 10:28
(foto: Lycio Vellozo Ribas)

A maioria das escolas já está com a temporada de matrículas abertas. Mas o que os pais devem considerar na hora de escolher o melhor local para que seus filhos possam se desenvolver? Maria Cristina Basile Palermo é psicopedagoga e lista uma série de cuidados e aspectos a serem considerados pelos pais neste momento. 

Os cuidados são válidos para qualquer fase. Para iniciar a vida acadêmica das crianças, mudar de fase — do ensino infantil para o fundamental — e, por vezes, até mesmo, por não estarem satisfeitos com a escola atual dos filhos. A pedagoga ressalta que são inúmeros os fatores que levam à procura pela melhor escola e alguns pontos importantes precisam ser observados para evitar arrependimentos.

Antes de mais nada, ela cita que é muito importante que os pais entendam as preferências dos filhos. Com base neste conhecimento é possível fazer uma escolha que se alinhe com o que as crianças desejam e facilitar a integração com a instituição. “É essencial que seu filho conheça o local e que você analise a interação dele com a escola antes de efetivar a matrícula”, orienta.

Igualmente necessário e considerar os quesitos de horários, qualificação dos profissionais, integração com a família, vertentes religiosas, proximidade da residência, etc.. Atualmente, há linha de ensino diversas, que oferecem contato com animais, agricultura e ecologia, aprendizagem de forma lúdica, métodos construtivista, montessoriano ou tradicional.

Dentre os demais pontos da lista dos pais, devem constar: a proposta pedagógica da instituição, cursos extracurriculares, uniformes, como são feitas as comemorações letivas, como a escola lida com os desentendimentos infantis, como são feitas as reuniões entre pais e professores, qual é a política em relação a aniversários, qual é a metodologia para excursões e passeios e qual é a média de preços e se a instituição adota o ensino de mais de um idioma estrangeiro. “É relevante, também, considerar a distância da residência, pois, é possível que a criança se canse no trajeto e não desempenhe as atividades acadêmicas eficientemente”, alerta.

Mas, o principal item da lista da família deve ser o de encontrar uma instituição de ensino que se afine com o estilo de vida da criança e dos pais. Por isso, conhecer a missão, visão e valores da escola podem auxiliar na definição de qual instituição está mais alinhada aos conceitos que são estimulados pela família em casa, além de facilitar a aproximação entre a instituição familiar e educacional com o objetivo de desenvolver a criança pedagogicamente.

 


O que considerar na escolha da escola

1 Faça uma lista
Elenque as prioridades, como espaço físico, profissionais qualificados, proximidade de casa, opção de período integral, oferta de cursos extracurriculares. Cada família tem seus próprios aspectos a considerar, por isso é bom criar uma lista de prioridades.

2 Em sintonia
Opte por uma escola que preze pelo ensino dentro do estilo de vida da família. Não adianta colocar a criança em um colégio religioso se em casa a família não adota a religião ensinada.

3 Pesquise muito
Não há número mínino ou máximo de escolas que devem ser visitadas antes de fazer a escolha. Para alguns, pode acontecer logo de cara, na primeira visita. Para outros, leva tempo e muita pesquisa. A decisão final só deve ser tomada quando os pais se sentirem realmente seguros e confiantes.

4 Converse
Aproveite a hora de saída ou entrada das crianças para conhecer pais de alunos da instituição escolhida. Converse com eles sobre questões básicas como alimentação, rotina, método de ensino... As repostas deles podem confirmar (ou não) suas impressões iniciais sobre a escola.

5 Leve a criança
Quando já se eliminou diversas opções e ainda está em dúvida entre duas ou três escolas, a melhor saíde é recorrer a preferência da criança, por isso, leve-a para conhecer a escola, Quando a criança vai ao colégio, os pais percebem se ela simpatiza ou não com o ambiente e o tratamento dos profissionais com ela.

6 Além do básico
O colégio deve ir além do conteúdo das aulas e cuidar da criança. A escola precisa ter condições de manter a criança limpa e de também alimentá-la. Por isso é importante que os pais escolham uma instituição que também ensine valores e estimule o desenvolvimento cognitivo, físico e social – independentemente da idade da idade da criança.

7 Preço e qualidade
O alto custo de uma escola particular não significa, necessariamente, boa qualidade educacional. Há excelentes instituições públicas com projeto pedagógico interessante, enquanto algumas privadas têm projetos duvidosos. Não dá para generalizar.

8 A comunidade escolar
Leve em conta o padrão de vida dos alunos: ainda que você possa pagar a mensalidade, talvez não consiga acompanhar os hábitos daquela comunidade. Isso pode ser ruim para a criança, pois ela vai desenvolver um senso de inferioridade: é como se ficasse sempre atrás. Por isso, opte por uma escola que se ajuste ao seu padrão financeiro. Assim, seu filho se sentirá parte do grupo, terá assuntos semelhantes e poderá frequentar os mesmos lugares que os amigos.

9 Horários
Quando o pai e a mãe trabalham fora, é essencial questionar sobre o que acontece caso se atrasem para buscar a criança. Cada escola tem seu método: há desde as que não aceitam atrasos até as que cobram taxas extras pelo tempo a mais que a criança permanece ali.

10 Datas comemorativas
Se você sonha em ver seu filho fazendo apresentações em datas comemorativas como Dia dos Pais e das Mães, busque uma escola que ofereça isso. Algumas não realizam festas nessas datas. Outras fazem as comemorações internamente, só para as crianças. E há, ainda, as que realizam o evento e cobram pelo serviço (desde o figurino usado pelos alunos até os presentes ofertados aos pais).

Blogs
Ver na versão Desktop