Apoio fraternal

03/10/17 às 00:00
(foto: Franklin de Freitas)

Pré-candidato à presidência da República, o senador Alvaro Dias (Podemos) manifestou, em entrevista a uma rádio, seu apoio à pré-candidatura do irmão, o ex-senador Osmar Dias (PDT) ao governo do Estado. “Não há dúvida de que é o melhor nome neste momento para o governo estadual. É um nome que tem experiência administrativa e política”, disse Alvaro.

Enferrujado
Na entrevista, o senador aproveitou ainda para criticar os políticos que tentam se “vender” como representantes da renovação. “A toda a campanha aparece alguém dizendo ‘sou o novo Paraná’”, disse. “Acaba depois demonstrando que de novo tem apenas a vontade de ser, porque o resto é tudo podre, velho, enferrujado. Nós temos que ter muito cuidado com essas expressões de marqueteiros sem criatividade que repetem a mesma coisa a cada eleição”, apontou Alvaro.

Pedágio
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a Justiça Federal em Curitiba é o foro competente para julgar uma ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF) com o objetivo de impedir a renovação dos contratos de concessão do pedágio nas rodovias federais do Paraná. Em março de 2016, a Justiça Federal em Jacarezinho (Norte Pioneiro), chegou a dar uma liminar determinando a suspensão de qualquer processo de renovação das concessões, mas ela foi derrubada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região em agosto do mesmo ano.

Licitação
O MPF alegou na açãoque a União buscou renovar os contratos existentes nos mesmos moldes que o atual, sendo necessária a tutela jurisdicional para impedir a renovação ou exigir uma nova licitação para a concessão dos mais de 1.800 quilômetros de rodovias federais no Estado. Os governos federal e estadual chegaram a admitir a possibilidade de renovação, condicionada à redução significativa das tarifas e realização das obras de duplicação, mas as negociações não avançaram.

Previdência
A comissão de Legislação e Justiça da Câmara de Vereadores aprovou, ontem, parecer favorável a projeto do prefeito Rafael Greca (PMN) que pretende parcelar em 200 vezes a dívida da prefeitura com o Instituto de Previdência Municipal de Curitiba (IPMC). A proposta tramita em regime de urgência. Na semana passada, o secretário municipal das Finanças, Vitor Pupi, pediu pressa na aprovação do projeto alega que a cada mês, o não-parcelamento custa R$ 4 milhões à cidade.

Gasolina
O ex-presidente da Câmara de Guaratuba (Litoral), Paulo Éder de Araújo, foi condenado pelo Tribunal de Contas do Estado a devolver R$ 115.128,27 aos cofres do município por gastos exagerados com combustível nos anos de 2011 e 2012. Inspeção do TCE comprovou que, em 2011, a despesa com com combustíveis da Câmara superou em 92% a média de consumo por veículo das demais câmaras municipais paranaenses. No ano seguinte, o consumo ultrapassou essa média em 135%.

Rodagem
Pelo gasto declarado com gasolina nos anos de 2011 e 2012, os quatro veículos da Câmara de Guaratuba – então com nove vereadores e expediente apenas à tarde – teriam rodado, juntos, um total de 1.170,6 quilômetros diariamente. A distância percorrida atingiria 272.788 quilômetros rodados. Enquanto nas demais câmaras pesquisadas, cada veículo rodou, em média, 35.445 quilômetros em 2011, em Guaratuba a média individual daquele ano atingiu 68.197 quilômetros percorridos, aponta o TCE. Nos dois anos fiscalizados, o consumo de gasolina somou quase 31.300 litros, com gasto indevido de R$ 77.045,46, de acordo com o tribunal.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate Temer busca apoio
Blogs
Ver na versão Desktop