Caixa 'do bem' e vinho podem ajudar a Casa Malice

Instituição acolhe pacientes em recuperação de transplante de medula óssea

24/10/17 às 23:00 - Atualizado às 13:02
Paciente hospedado na Casa Malice conta com o apoio de voluntários durante o tratamento (foto: Franklin de Freitas)

Comprar vinhos ou caixas com produtos de beleza também pode ajudar instituições que precisam. Ações como essas ajudam mensalmente o Instituto TMO/Casa Malice, que acolhe pacientes com câncer que vêm de outras cidades para o transplante de medula óssea em Curitiba. Por meio de parcerias com redes de lojas e outras instituições, além de doações, o Instituto TMO (ITMO) consegue manter uma casa de abrigo na capital paranaense e financiar pesquisas.

O Instituto TMO foi criado há 28 anos, como Associação Alírio Pfiffer, por um grupo de empresários de Curitiba. No início, o objetivo era apoiar o Serviço de Transplante de Medula Óssea do Hospital de Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), responsável pelo primeiro transplante de medula óssea da América Latina. O HC já realizou mais de 2,2 mil procedimentos e é considerado um centro de excelência na área.

Hoje, além de abrigar pacientes, o ITMO trabalha para captar recusos a fim de capacitar profissionais da área, investir em pesquisas e ajudar na compra de equipamentos para hospitais. Entre as ações desenvolvidas pelo ITMO para captar recursos estão parcerias que possibilitam a venda de produtos.

Nesta quinta-feria (26), das 14 às 21 horas, a loja Gallerist, no Shopping Pátio Batel, venderá a Caixa do Bem, feita em parceria pela Drogaria Iguatemi e pela Gallerist com objetivo de arrecadar recursos para o ITMO. Na terça-feira da próxima semana, dia 31, haverá um leilão de vinhos no Bar do Victor, no bairro São Lourenço. Toda a renda obtida com a venda de vinhos e de espetinhos de camarão será destinada ao instituto.

Segundo a vice-presidente do ITMO, Bettina Muradas, ações como essas respondem por quase metade do orçamento da instituição. O restante vem de doações. A entidade mantém um programa, chamado “Adote um Leito”, em que uma pessoa ou uma empresa podem ajudar a manter um leito destinado aos pacientes acolhidos. Mas quem quiser ajudar pode doar o valor que quiser, quando quiser. O ITMO também recebe doações por meio do programa Nota Paraná, do governo do Estado, mantém um serviço de entrega de cartões em datas comemorativas em troca de uma doação e realizar um bazar.

A Casa Malice tem capacidade para abrigar 12 pacientes, com acompanhante. O local tem área de lazer, sala de estar e refeições, quartos com banheiro privativo, lavanderia e cozinha. “As pessoas são encaminhadas pelo próprio hospital, porque vêm de fora, não têm familiares aqui e muitos têm poucos recursos”, afirma Bettina Muradas. “Qualquer serviço de transplante pode pedir a nossa ajuda. Como somos pequenos, acabamos atendendo mais pacientes do Hospital de Clínicas. Estamos sempre lotados”.

Mais voluntários
Bettina destaca que a entidade precisa ainda da ajuda de voluntários, principalmente para serviços de escritório, informática e serviços gerais. “As pessoas podem contribuir com o que quiserem, quantas vezes quiserem, mas também podem doar seu tempo”, comenta a vice-presidente do ITMO. “Quem trabalha com os pacientes precisa passar pelo Hospital de Clínicas, porque eles têm muitas restrições, são transplantados, fazem quimioterapia, alguns estão em isolamento”.

A Casa Malice também precisa de voluntários nas áreas de entretenimento e que deem aulas de música, costura e patchwork, por exemplo. “Cada um contribui com aquilo que pode. Hoje temos apenas três voluntários, além da diretoria, que é voluntária. Gostaríamos de ter mais”, diz Bettina.

Outro objetivo é firmar mais parcerias com empresas. “Empresas são sempre bem vindas, já tivemos várias empresas que nos ofereceram alugm tipo de ajuda. Pode ser um simples patrocínio para um projeto”, afirma a vice-presidente do ITMO. A entidade também investe em pesquisas e realiza congressos e eventos sobre o transplante de medula óssea.

Instituto TMO/Casa de Malice
Telefone: (41) 3016-9663
Site: www.institutotmo.org.br
O que faz: abriga pacientes de outras cidades que vêm para Curitiba para o transplante de medula óssea. Também atua na área de pesquisa e na capacitação de profissionais.
Doações: Qualquer um pode doar para a instituição, por meio de depósito bancário ou pagamento de boleto. Pessoas físicas e empresas podem participar do programa “Adote um Leito”, com contribuições mensais de R$ 500 ou R$ 1.000. Além disso, o ITMO recebe recursos por meio do programa Nota Paraná, do governo do estado. Mais informações no site da entidade.
Eventos: Quem quiser ajudar pode ficar atento às atividades promovidas pelo ITMO. Amanhã, haverá venda da Caixa do Bem, com produtos de beleza.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop