No duelo dos desfalcados, Atlético perde e se afasta do G7

05/11/17 às 18:51 - Atualizado às 21:51 Silvio Rauth Filho
Manoel chuta a bola, observado por Ribamar, do Atlético (foto: Divulgação/Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

O Atlético Paranaense perdeu por 1 a 0 para Cruzeiro, nesse domingo (dia 5) à tarde, no Mineirão, pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time paranaense ficou na 11ª colocação, com 42 pontos. A equipe mineira está em 5º lugar, com 51 pontos. Clique aqui para ver a classificação do Brasileirão no site Srgoool.

O placar interrompeu uma série de três jogos sem derrotas do Atlético. O Cruzeiro estava há três rodadas sem vencer.

Na luta pela vaga na Copa Libertadores, o Atlético agora ficou cinco pontos atrás do G7 – o grupo dos seis classificados pelo Brasileirão mais o Cruzeiro, que é o 5º lugar e já está garantido na competição continental por ser o atual campeão da Copa do Brasil. A esperança do time paranaense é que o G7 possa virar G8 ou até G9. Para isso, precisa torcer para o Grêmio conquistar o título da Libertadores 2017 e o Flamengo, da Copa Sul-Americana 2017.

A partida desse domingo foi um “duelo de desfalcados”. O Atlético não contava com cinco jogadores. O Cruzeiro tinha nove ausências.

DESEMPENHO
O Atlético até mostrou qualidade em alguns momentos da partida, mas teve uma atuação irregular, com boas jogadas e muitos erros individuais. O time sentiu a falta da qualidade de Nikão e Gedoz no setor ofensivo. O Cruzeiro apresentou um futebol de qualidade, com entrosamento na criação de jogadas, qualidade nos passes e organização tática defensiva. 

Clique aqui para ver uma análise do desempenho individual dos jogadores do Atlético.

TÉCNICO
Foi o 22º jogo do técnico Fabiano Soares à frente do Atlético. Ele soma 7 vitórias, 6 empates e 9 derrotas, entre Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores.

ESCALAÇÃO
O Atlético não tinha Gedoz, Thiago Heleno, Cascardo e Deivid, todos em recuperação. Nikão cumpria suspensão imposta pelo STJD. O esquema tático foi o 4-2-3-1 de sempre, com três meias ofensivos: Guilherme (centro), Sidcley (esquerda) e Lucas Fernandes (direita). No Cruzeiro, os desfalques eram Lucas Romero, Dedé, Digão, Hudson, Ariel Cabral, Raniel, Sassá, Léo e Rafael Sobis. O esquema também foi o 4-2-3-1.

PRIMEIRO TEMPO
O Cruzeiro controlou o meio-campo e mostrou muita qualidade nos passes. Os dois volantes e o quarteto ofensivo do time mineiro esbanjavam entrosamento e visão de jogo. No entanto, o Atlético era eficiente na marcação e permitiu poucas finalizações perigosas do adversário. O time paranaense teve dificuldades para equilibrar as ações no meio-campo, mas, mesmo assim, teve duas grandes chances. Em belos passes de Lucas Fernandes e Guilherme, Ribamar teve duas oportunidades, mas chutou ambas para fora. O Cruzeiro aproveitou a única chance que teve. Aos 40, Henrique lançou Arrascaeta na ponta-esquerda. Ele cortou para dentro, driblou Wanderson e chutou no ângulo: 1 a 0. Ribamar quase se redimiu aos 46. Sidcley cruzou e o atacante chutou de bicicleta. Fábio fez grande defesa.

SEGUNDO TEMPO
O Atlético passou a atacar mais no segundo tempo, mas o Cruzeiro seguiu com mais qualidade na troca de passes. Foi um período de boas jogadas ofensivas para os dois times, mas sem grandes chances de gol. Aos 20 e aos 24, duas substituições no time paranaense. Saíram Lucas Fernandes e Lucho e entraram Pablo e Rossetto. As mudanças tiveram pouco efeito na partida. O Atlético só ficou mais ofensivo aos 39, quando saiu o volante Pavez e entrou o atacante Ederson. Pouco adiantou.

ESTATÍSTICAS
Ao fim de 90 minutos, o Atlético somou 9 finalizações (3 certas), 53% de posse de bola, 95% de eficiência nos passes e 5 escanteios. O Cruzeiro teve 15 arremates (5 certos), 47% de posse de bola, 91% de eficiência nos passes e 4 escanteios. Os dados são do Footstats.

CRUZEIRO 1 x 0 ATLÉTICO
Cruzeiro: Fábio; Ezequiel, Murilo, Manoel e Diogo Barbosa; Henrique, Lucas Silva, Robinho, Thiago Neves (Alisson) e Rafinha (Rafael Marques); Arrascaeta (Jonata). Técnico: Mano Menezes
Atlético: Weverton; Jonathan, Wanderson, Paulo André e Fabrício; Pavez (Ederson), Lucho González (Rossetto), Lucas Fernandes (Pablo), Guilherme e Sidcley, Ribamar Técnico: Fabiano Soares
Gol: Arrascaeta (40-1º)
Cartões amarelos: Rafinha (C). Sidcley, Pavez (A).
Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)
Público: 8.147 pagantes
Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
8 – Escanteio. Arrascaeta cabeceia. A bola passa por Weverton, mas Lucho tira.
20 – Lucas Fernandes acerta belo passe em profundidade. Ribamar recebe perto da área, avança e chuta perto, ao lado.
28 – Cruzamento. Robinho chuta de primeira, sobre o gol.
34 – Guilherme enfia. Sidcley quase sai na cara do gol. A zaga tira.
37 – Guilherme dá bom passe nas costas da defesa. Ribamar entra livre e chuta perto, ao lado.
40 – Gol do Cruzeiro. Henrique lança na ponta-esquerda. Arrascaeta finta Wanderson e chuta no ângulo. Golaço.
46 – Sidcley dribla e cruza no peito de Ribamar. Ele tenta de bicicleta. Fábio faz grande defesa.

Segundo tempo
4 – Rafinha passa por Jonathan, invade a área e chuta perto, ao lado.
11 – Depois de escanteio, Rafinha recebe na meia-lua e chuta no canto. Weverton faz boa defesa.
24 – Guilherme cobra escanteio tentando o gol olímpico. A bola toca no travessão. Lucho tenta no rebote. A zaga tira.
28 – Fabrício cruza. Ribamar mata no peito, gira e chuta. Fábio segura.
40 – Sidcley tenta o cruzamento e a bola vai direto no ângulo. Fábio salva.
42 – Cruzamento de Jonata. Robinho recebe na área, livre, mas chuta para longe.

1 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Batista Souza
Eu acho que o Fabiano Soares, viu um outro jogo porque nunca que o Atlético foi melhor que o Cruzeiro eu ví o jogo e não é nada disso, o Atlético foi um time apático sem vibração, criou muito pouco e as vezes que criou o Ribamar desperdiçou por sinal esse moço o Ribamar fica esperando a bola nos pés ele não se adianta, não vem de encontro a jogada nosso time do jeito que esta indo vamos ter que se cuidar pra não cair na degola.Time que tocando bola do meio campo com a defesa dificilmente vai ganhar jogos.
Blogs
Ver na versão Desktop