Feira busca recrutar hackers para mercado de Segurança da Informação

08/11/17 às 14:53 - Atualizado às 14:59 Redação Bem Paraná com assessoria
(foto: Divulgação)

Não espere encontrar em sites que divulgam vagas de emprego a publicação “Contrata-se Hacker”. Apesar disso, esse profissional da área de Segurança da Informação está no topo da lista de recrutamento nos maiores RHs do país. Com as empresas, serviços e praticamente todo o resto operando no universo digital, essa posição se tornou estratégica em companhias de todos os portes.

No entanto, encontrar talentos para confiar a proteção dos dados não é tarefa fácil, mesmo com salários de dois dígitos para recém formados e benefícios atraentes até para profissões tradicionalmente valorizadas. Por isso, no próximo dia 11, São Paulo promove a primeira feira de recrutamento de profissionais da Segurança da Informação.

O ambiente não poderia ser mais propício para encontrar essa figura em seu habitat natural: a final do campeonato brasileiro de invasão de sistemas, o Hackaflag. “Esse tipo de especialista não está necessariamente nas faculdades. Geralmente, ele fica no anonimato, desperdiçando suas habilidades. Por isso, resolvemos rodar o país com eventos itinerantes atrás deste tipo de perfil e reunir os melhores em São Paulo”, conta Anderson Ramos, diretor da Flipside, empresa especializada em evento de segurança da informação, e idealizador do Roadsec SP17, o maior festival de cultura hacker da América Latina, onde a feira será realizada.

O mercado de Segurança da Informação está na contramão da crise econômica brasileira, crescendo 40% ao ano e com os salários dobrando de valor, se comparados com 2016, de acordo com pesquisa da empresa Robert Halph. Mesmo com tantos números otimistas, existe uma escassez por mão de obra no setor, com tendência de déficit de 185 mil vagas até 2022 no Brasil, ainda segundo o estudo. Alguns eventos tentam reduzir esse abismo entre o RH das corporações e talentos do setor, como é o caso do Roadsec.  

Segundo Ramos, a interação entre mercado e hackers gera benefício mútuo. “As empresas saem fortalecidas, adquirindo ótimos profissionais. Além disso, valorizarmos estes jovens, para que eles tenham um acesso ao mercado formal. Neste ano, a expectativa é que mais de cinquenta talentos sejam contratados durante o evento”, explica.    

Para Enzo Iwata, responsável pelas operações da plataforma Trampos.co, que faz uma ponte entre empresas e candidatos, houve um aumento pela procura de profissionais no setor de tecnologia, com o reaquecimento do mercado em geral. “Ao comparar com o índice de PIB, dá pra notar uma certa relação com o aumento das publicações em nosso site. O que nos surpreende é que o terceiro trimestre de 2017, que  bateu todos os recordes de ofertas de vagas no setor. Em programação e TI, por exemplo, houve um aumento de 26%, com relação a 2016”, avalia.

O banco Itaú também busca nesses espaços novas caras para sua equipe de Segurança da Informação. Neste ano, eles pretendem aumentar sua participação, buscando novos destaques durante o evento. “Precisamos investir constantemente em inovação. Acreditamos que os modelos de atração de talentos tradicionais não funcionam mais para atrair os melhores profissionais de tecnologia, por isso, iniciativas como o Roadsec possibilitam que as pessoas se conectem com as novas tendências e também nos trazem a oportunidade de nos conectarmos com elas”, explica Valéria Marretto, diretora de RH do banco.

Entre os contratantes, está a Soluti, empresa especializada em Certificação Digital, que viu no Roadsec uma oportunidade de suprir sua necessidade interna por profissionais especializados. “Temos dez vagas em aberto, três só em São Paulo, que não conseguimos preencher, pois não temos pessoas com nível técnico que contemplem os requisitos necessários. Mesmo com salários convidativos, a oferta é bem maior que a procura”, explica Nara Saddi, gerente de RH da companhia.

Na edição 2016 do Roadsec, o campeão do Hackaflag foi contratado pela empresa. “É uma área de profissionais curiosos, que se atualizam sempre, por causa da velocidade de mudança da tecnologia. Procuramos pessoas com esse perfil, mas é difícil de achar. Por isso, esse tipo de competição é importante para buscarmos novas contratações”, completa Saddi.

 

Roadsec

O Roadsec é um evento itinerante que em 2017 passou por 18 capitais pelo Brasil, recebendo mais de 15.000 participantes. Durante as edições estaduais, o evento apresenta um formato que se divide em três partes: Palestras com as descobertas e novas técnicas apresentadas por especialistas locais e de todo o Brasil; Atividades que promovem o aprendizado interativo, com o uso de drones, robótica e realidade virtual; Etapas regionais do Hackaflag, o campeonato de invasão de sistemas que elege os melhores hackers do ano naquela localidade e o traz para São Paulo para a final nacional.

Em São Paulo, ele será realizado no dia 11 de novembro com o status de maior festival de cultura hacker da América Latina, recebendo mais de 40 palestras e painéis com as principais novidades desse universo divididas em cinco trilhas (Segurança, Hacking, Tecnologia, Comunidades e Carreira). O evento também oferece um galpão de atividades repleto de inovação, como ringue de batalha de robôs, pilotagem de drones e realidade virtual vai saciar a curiosidade de quem gosta de colocar a mão na massa.
 

Serviço:

Roadsec SP17

Quando: 11 de Novembro

Horário: Começa às 09h e vai até às 5h do dia 12.

Onde: AUDIO

Av. Francisco Matarazzo, 694, Barra Funda – São Paulo

Saiba mais:roadsec.com.br/saopaulo2017/

 

Ingressos:

Meia: R$ 120 (profissionais de TI terceirizados também têm direito -- é só apresentarem o crachá da empresa que trabalham e do local onde estão alocados na portaria do evento)

Inteira: R$ 240

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop