Prefeitura assina acordo que garante renovação da frota de ônibus

14/11/17 às 17:35 - Atualizado às 19:42 Redação Bem Paraná
(foto: Divulgação/ SMCS)

O prefeito Rafael Greca e o presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), Maurício Gulin, assinaram nesta terça-feira, 14, termo de ajuste de interesse público para a renovação da frota de transporte coletivo do município e o reequilíbrio econômico e financeiro do contrato entre Prefeitura de Curitiba, Setransp e Urbs.  

“O ajuste do interesse público vai permitir a compra de novos veículos, acabar com uma odiosa disputa judicial que se arrasta desde 2013 e que impede a modernização do sistema de transporte há mais de quatro anos”, disse Greca, em evento no Salão Brasil, com a presença da comunidade, imprensa e empresários.

Nova frota - Com o fim do questionamento judicial, serão adquiridos o mínimo de 150 novos ônibus por ano até 2020, num total de 450 veículos. Os primeiros 25 biarticulados novos entrarão em operação em março de 2018. O restante circulará ao longo do próximo ano, conforme cronograma da Urbs com os gestores dos consórcios. O termo de ajuste seguirá para avaliação e homologação da Justiça.

“O termo de ajuste do interesse público põe fim a 23 ações judiciais de empresas contra a Urbs, que tramitavam na Justiça desde 2013, sob a justificativa de desequilíbrio financeiro do contrato, o que impedia a renovação da frota”, disse Greca.

“A ideia da Prefeitura é reequilibrar a relação com as empresas de ônibus porque a judicialização fez mal ou faz mal ao transporte, faz mal à cidade,  não serve ao interesse público, maltrata o povo, deteriora o serviço e quase pôs Curitiba a perder”, completou.

Fundo de Urbanização - Segundo Greca, o sistema de transporte (de Curitiba) foi invejado por 250 cidades do mundo. “E nós vimos, de repente, esse sistema ser aqui, mal falado. Mas agora, conseguimos reequilibrar o Fundo de Urbanismo de Curitiba, que nos permite, agora, criar o equilíbrio financeiro para a renovação da frota”, disse.  

O compromisso da renovação gradual foi assumido dentro da realidade financeira suportada pelo Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC) que recebe as receitas (passagens) do transporte e que remunera os pagamentos do sistema.  Atualmente o FUC conta com saldo de R$ 42 milhões.  

O reequilibro do FUC começou no início da gestão do prefeito Rafael Greca. Em 16 de janeiro de 2017, o saldo do FUC era negativo (R$ 5;737.845,40). O reajuste da tarifa de ônibus, em 6 de fevereiro de 2017, foi necessário para esse reequilíbrio, tanto para renovar a frota, quanto para pagar em dia o serviço de operação do transporte coletivo e acabar com as paralisações constantes no sistema.

Passo para o futuro - Para o presidente do Setransp, Maurício Gulin, o termo de ajuste foi o primeiro passo para tornar Curitiba, novamente, referência em transporte.

“Curitiba foi copiada pelo mundo inteiro, como o próprio prefeito (Greca) comentou, mas as tratativas e o diálogo com os governos passados estiveram sempre fechadas. Agora, com a abertura do diálogo, com sinceridade e transparência, conversando, conseguimos criar um termo equilibrado para trazer Curitiba novamente ao seu pedestal”, disse Gulin.

Ainda segundo o dirigente, o documento assinado vai permitir a renovação gradual da frota e projetar o futuro da cidade em relação ao transporte coletivo.

Contratos equilibrados - “Temos muito a fazer, temos ideias, vamos buscar o equilíbrio financeiro nos contratos, mutuamente, não unilateralmente. Chegou o momento de não pensarmos no passado e nos voltarmos par ao futuro, pois isso aqui é um sistema único que funciona de três maneiras: poder público, privado e a população de Curitiba que não pode ficar refém de problemas judiciais”, destacou Maurício Gulin.

Na apresentação à comunidade, Gulin destacou ainda que a iniciativa vai permitir melhoras nos serviços oferecidos aos clientes (passageiros) de Curitiba. “Vamos fazer a renovação da frota e a cogestão do sistema de bilhetagem eletrônica, que serão as primeiras medidas, de uma série de medidas que vamos trazer aos passageiros, mostrando total transparência no transporte coletivo”, completou o presidente da Setrans.  

Frota operante – Atualmente, a frota de Curitiba em circulação é de 1.282 ônibus (frota operante). Existe ainda a frota reserva, totalizando 1.637 veículos. Desde 2013 não há renovação de ônibus, o que provocou um acúmulo de veículos vencidos, que poderia chegar a 660 ônibus da frota operante em 2020. Com o termo de ajuste, o prefeito Rafael Greca estanca o sucateamento e garante a renovação de quase 70% desse total (660 ônibus), ao longo de sua gestão.  

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop