Empresas apostam em Apps para aumentar os lucros

Especialista explica que aplicativos podem ajudar a aumentar as vendas

13/12/17 às 22:15 - Atualizado às 22:14

Já faz tempo que os telefones eram usados somente para ligações e mensagem de texto. Atualmente, o smartphone é parte fundamental no cotidiano das pessoas. Com os avanços tecnológicos, hoje, o aparelho funciona como um computador de bolso. A possibilidade de ter a agenda, anotações, banco, transporte e acesso móvel a internet na palma da mão e em qualquer lugar, realmente, é necessária para enfrentar a maratona da vida moderna.

Segundo estudo realizado pelo Google Consumer Barometer, nos últimos 4 anos o número mundial de usuários de smartphones saltou de 33,3% para 70%. Já no Brasil, o crescimento foi de 14%, em 2012, para 62%, em 2016. De acordo com pesquisa elaborada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP) a quantidade de smartphones ativos no país em 2018 será de 236 milhões de aparelhos.

Por este motivo, as empresas estão investindo não apenas em marketing digital, como na criação de aplicativos diferenciados para oferecerem produtos e serviços de maneira personalizada aos clientes. “A população está cada vez mais conectada por meio de smartphones. E as empresas precisam estar onde o público está. Criar um aplicativo próprio, exclusivo e pensado para o cliente, agrega valor à sua marca”, diz Vinicius Gallafrio, CEO da MadeinWeb e Mobile, empresa especializada no desenvolvimento de aplicativos.

Além de facilidade para os clientes, as vantagens para o negócio quando se tem um aplicativo também são inúmeras. É possível enriquecer a base de dados, aumentar o número de vendas, abrir um novo canal de marketing e, ainda, ter um espaço maior para trabalhar o relacionamento com o consumidor. O aplicativo, porém, deve ser intuitivo, funcionar bem, sem erros, e oferecer algo a mais para o cliente. “O app não pode ser, basicamente, uma cópia do site da empresa. Com tantas funcionalidades oferecidas pelos smartphones, as empresas têm muitas possibilidades de trabalhar o marketing, interação, relacionamento, promoções para encantar o usuário”, acrescenta Gallafrio.


Desenvolvimento é complexo

O desenvolvimento de um aplicativo não é algo simples. Vinicius Gallafrio orienta procurar uma empresa especializada. “É preciso desenvolver um aplicativo que vá além de, simplesmente, atender às necessidades do cliente. O app precisa proporcionar ao usuário uma boa experiência desde o primeiro acesso. E, também, ter outras características básicas como agilidade, organização, leveza, interface amigável e usabilidade”, explica. 

Entre os profissionais envolvidos em um projeto de app, estão designers gráficos, web designer, analista de sistemas, arquiteto de softwares, programador, analista de dados, analista de testes e gerente de projetos.

O primeiro passo para a criação é ter a ideia do aplicativo. “Geralmente, a ideia do app vem com a necessidade de solucionar um problema de forma criativa”, conta o CEO da MadeinWeb.

Ao passar a ideia para o papel, é necessário definir as características do aplicativo. É preciso pensar nos recursos básicos, na organização e, também, na parte visual. O protótipo do projeto deve ser bem detalhado e tomando como prioridade a usabilidade e um design atrativo.

Após o planejamento detalhado do projeto, com todas as funcionalidades bem definidas, é hora de trabalhar na programação . 
Alguns outros pontos são fundamentais para o bom funcionamento do serviço. Decidir quais sistemas operacionais o app vai atender (Android, iOS, Windows Phone ou todos eles), realizar uma simulação do protótipo para testes, definir a estrutura da informação e outras questões relacionadas à acessibilidade.

É adequado que o aplicativo esteja disponível para todos os sistemas operacionais. O cadastro como desenvolvedor nas lojas da Apple e do Google se diferenciam. 
Para a Apple Store, pode-se optar por um perfil de pessoa física ou empresa. Caso opte pelo segundo, é necessário ter o DUNS Number, uma espécie de CNPJ mundial da empresa. O valor cobrado também é diferente. Enquanto a Apple cobra anualmente, a taxa do Google é única. 

Gallafrio aponta outra importante ação. “A manutenção do aplicativo deve ser regular. Com a evolução da tecnologia e o surgimento de novas ferramentas, o upgrade do serviço mobile também deve acontecer. A manutenção é necessária para a correção de erros, segurança de dados e prevenção de problemas”, observa ele.


Características de um bom aplicativo

Agilidade
Usuários abandonam aplicativos que demoram para abrir ou para executar as suas funções. Apps ágeis facilitam o dia a dia do usuário.

Organização
É preciso que haja priorização das funções, com as de maior demanda em destaque. Quando organizado, o app se torna mais inclusivo.

Peso
Ainda que os aparelhos estejam ganhando mais memória, ninguém quer ler a mensagem “armazenamento quase cheio”. Leveza é a chave.

Simplicidade
O app precisa ser, na medida do possível, autoexplicativo e intuitivo. É melhor ser mais simples do que excludente e complexo.

Beleza
É possível e desejável aliar funcionalidade a um belo design. Mesmo que simples, o app, quando atraente, se torna mais a interessante quanto tem uma plataforma amigável.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop