Medicamentos podem complicar queimadura solar. Veja as recomendações

Pessoas de pele e cabelos claros são as mais atingidas pela exposição solar excessiva; crianças e adolescente são os mais atingidos por queimaduras solares

26/01/18 às 14:37 - Atualizado às 14:56
(foto: Divulgação )

Pelo menos 30% dos adultos e 70% das crianças e adolescentes relatam alguma queimadura solar. A incidência é maior no período do verão, pela maior exposição e aumento da intensidade da radiação solar. Pessoas de pele clara são as mais atingidas, por possuíram menor quantidade de melanina, proteína que dá proteção à pele. Alguns medicamentos podem aumentar a sensibilidade cutânea ao sol (fotossensibilizantes) e facilitar o surgimento de queimaduras. Os medicamentos mais comuns são antibióticos (tetraciclina e sulfas), remédios para pressão arterial, diuréticos e algumas drogas como piroxicam e amiodarona e, topicamente, tinturas, perfumes e plantas como cenoura, limão, laranja, figos, entre outros. &nb sp;

A dermatologista Natasha Unterstell recomenda procurar um médico quando a queimadura for mais severa e ocasionar bolhas, edema, insolação e dor intensa. Uma das melhores maneiras de combater as queimaduras é evitar a exposição no sol entre às 10 horas da manhã até às quatro da tarde, além de passar protetor solar trinta minutos antes de se expor ao sol e reaplica-lo a cada duas horas.  A dermatologista lembra ainda a importância do protetor labial, a utilização de boné ou chapéu e óculos escuros, além de permanecer à sombra.

Apesar de a maioria das queimaduras solares não serem severas, é importante evitá-las, pois elas aumentam o risco de câncer na pele, problemas de catarata, rugas e algumas mudanças na pele relacionadas com o envelhecimento. “Uma pele bronzeada e com a cor do verão sempre foi considerada sinônimo de beleza e saúde, mas não existe um nível completamente seguro de bronzeamento e qualquer efeito do sol sobre a pele pode significar um risco de câncer futuro”, afirma a dermatologista.

Inflamação

A queimadura ou eritema solar pode ser definida como uma inflamação aguda da pele, com dilatação dos vasos, aumento de células inflamatórias, liberação de radicais livres  e edema entre as células que pode gerar bolhas na pele.  A causa mais frequente da queimadura solar é naturalmente a exposição excessiva ou mal protegida aos raios ultravioleta, principalmente à radiação UVB. 

A dermatologista Natasha Unterstell alerta que após ocorrer a queimadura o dano na pele já foi feito, e que o tratamento visa reduzir os sintomas, e hidratar a pele para ajudar na cicatrização e utilizar filtros solares para evitar novas queimaduras.

Recomendações

Tome um analgésico e utilize compressas geladas no local

Utilize cremes hidratantes calmantes para a pele (com aloe vera, alantoína ou alfa-bisabolol).

Fique longe da exposição solar

Tome bastante água, porque muitas vezes a queimadura solar está acompanhada da desidratação

 

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop