Em Davos, brasileiro que fez software para deficiente ganha projeção global

02/02/18 às 13:03 - Atualizado às 13:23 Folhapress

KELLY MANTOVANI SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Vencedor do Prêmio Empreendedor Social de 2016, Carlos Pereira, fundador do Livox fez sua estreia no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, com uma agenda que incluiu jantar com Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU, além da participação em dois painéis sobre inteligência artificial.

"Foi muito bom poder falar dos avanços que estamos fazendo para ajudar pessoas com deficiência para uma audiência incrível durante o Fórum Econômico Mundial", disse o brasileiro radicado nos Estados Unidos, que participou do evento a convite da Fundação Schwab, uma das comunidades-irmãs do fórum. Aceito como membro da Rede Schwab para o Empreendedorismo Social após vencer o prêmio há dois anos, Pereira já havia participado de eventos regionais do fórum em Buenos Aires e na África do Sul.

Em Davos, ele teve a dimensão global da reunião anual que reúne nos alpes suíços os mais importantes e influentes personalidades do mundo político e econômico. Nesta edição, estavam lá os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, e da França, Emmanuel Macron; os primeiros-ministros Justin Trudeau, do Canadá, Angela Merkel, da Alemanha, entre tantos outros chefes de Estado.

No painel "Generation Artificial", sobre inteligência artificial, Carlos teve na plateia os presidentes da Vale, Fabio Schvartzman, que fez questão de cumprimentá-lo ao final, e da PricewaterhouseCoopers (PwC), Robert Moritz, quando falou sobre as diferentes necessidades de pessoas com deficiência ao usar as novas tecnologias.

Duas semanas antes, o presidente da PwC publicou em seu Twitter um comentário sobre o brasileiro: "Um dia vou apertar a mão desse cara". Fez mais, quando finalmente se encontraram em 24 de janeiro, como relatou Pereira em um post no Facebook: "Para terminar o dia em grande estilo: sabe quando você tem uma ótima reunião com o Presidente da PwC pela manhã, então ele te convida para estar numa mesa VIP durante um jantar e para uma conversa em particular com o ex Secretário Geral da ONU, Kofi Annan? Não tem preço!".

PERSPECTIVAS

E os encontros de Davos prometem desdobramentos. Segundo Pereira, Annan acenou com a possibilidade de futuros trabalhos em conjunto, assim como o presidente da PwC. Outro contato feito em Davos e que poderá render frutos para o empreendedor social e sua missão de ampliar o impacto do Livox no mundo foi com Bill Owens, presidente da CBS, uma das maiores redes de televisão dos Estados Unidos. "Eu quero contar a sua história nos dois segmentos que temos: um pela manhã, e o outro à noite, em horário nobre", disse Owens.

De volta a Orlando, onde vive com a mulher e a filha, Clara, que teve paralisia cerebral ao nascer e para quem desenvolveu o software, Pereira faz um balanço positivo da participação no Fórum. "É um evento gigantesco, com presidentes de vários países e das maiores empresas, além de diversas personalidades do planeta. Não tem paralelo", disse à reportagem. Pereira participou ainda de empreendedores sociais com a Rainha Mathilde, da Bélgica.

"Não é todo dia que você aperta a mãe de uma Rainha", comentou ele no Facebook, no dia 24. Em outra oportunidade, no mesmo dia, o brasileiro participou de um encontro com os "grandões" da filantropia, como Microsoft Philantropies e Rockfeller Foundation. Também deu duas entrevistas ao vivo, pelo Facebook Live e para os membros da Rede Schwab durante o evento. O Livox atua no Brasil e em outros três países: Estados Unidos, Peru, Djibuti(nordeste da África) e em breve começará um piloto na Jordânia. E, daqui para frente, quer ganhar o mundo. É o que Carlos espera.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop