Cotação

07/02/18 às 00:00
(foto: Henrique Lhamas/Divulgação)

O deputado federal paranaense Alex Canziani (PTB) voltou a ser cotado para assumir o Ministério do Trabalho, diante do impasse envolvendo a deputada federal Cristiane Brasil (PTB/RJ), filha do ex-deputado e pivô do caso do “mensalão”, Roberto Jefferson. A avaliação de assessores do presidente Michel Temer é de que mesmo que consiga assumir o cargo, revertendo decisões na Justiça contra ela, a deputada só provocaria mais desgaste ao governo. A solução, portanto, seria o PTB indicar outro nome, e Canziani seria hoje o que teria mais apoio na bancada para substituí-la. A situação de Cristiane Brasil teria se agravado após vir à tona inquérito que a investiga por suspeita de associação ao tráfico de drogas durante a campanha eleitoral de 2010.

Sob nova direção
O deputado estadual Anibelli Neto (PMDB) assumiu ontem a liderança de oposição ao governo Beto Richa na Assembleia Legislativa. Ele substituiu o deputado Tadeu Veneri (PT), que se torna o vice-líder.

De pai para filho
Depois que o jornal Folha de São Paulo revelou, em reportagem publicada na segunda-feira, que o deputado federal paranaense Rubens Bueno (PPS), recebe auxílio-moradia mesmo tendo imóvel em Brasília, a assessoria do parlamentar divulgou, ontem, nota assinada pelo filho de Bueno, Rubens Bueno II, afirmando que na verdade o imóvel teria sido adquirido para ele e sua família. A nota contradiz as declarações do próprio deputado ao jornal, quando ele admitiu receber o benefício mensal de R$ 5,5 mil, mesmo tendo declarado à Justiça Eleitoral, em 2014, a propriedade de um apartamento avaliado em R$ 980 mil na Capital federal.

Financiamento
“Realmente em 2009 meu pai realizou a compra deste apartamento através de um financiamento em seu nome. Apesar disto, mesmo o imóvel estando em seu nome, a compra foi realizada para mim, Rubens Bueno II, que morei neste apartamento, junto com a minha família de 2009 até dezembro de 2013, quanto deixei Brasília”, alega na nota divulgada ontem o filho do parlamentar. “Logo depois da minha mudança, em janeiro de 2014, o apartamento foi vendido. Pois o mesmo foi comprado apenas com este objetivo”, alegou ele.

Áudio e vídeo
A Câmara Municipal de Curitiba lançou edital de licitação para a contratação de empresa para manutenção do sistema de áudio e vídeo da Casa. Na modalidade pregão eletrônico, do tipo menor preço global, a concorrência prevê um contrato de 12 meses de serviço, a um valor máximo de R$ 158,9 mil. O pregão está marcado para o próximo dia 19. A empresa ficará responsável, por exemplo, pela operação das transmissões das sessões pelo You Tube.

Calúnias
Depois de conseguir suspender na Justiça a votação do processo de cassação, a vereadora Kátia Dittrich (SD), voltou ontem à tribuna da Câmara para reafirma que a denúncia contra ela de retenção de parte dos salários de ex-assessores é fruto de “mentiras, calúnias e um já surrado, velho e inapropriado jogo político rasteiro”.

Multas
O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) aplicou 1.383 multas administrativas em 2017, um crescimento de 53% em relação às 905 sanções desse tipo impostas no ano anterior. Em relação a valores, o crescimento no período de um ano foi de 110%: de R$ 1.255.241,92 em 2016 para R$ 2.570.505,85 em 2017. O valor médio das multas aplicadas em 2017 foi de R$ 1.858,00. Segundo o levantamento, também houve aumento de 53% no valor das multas recolhido pelos devedores. A soma passou de R$ 686.540,13, em 2016, para R$ 1.014,930,46 no ano passado.

0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Últimas de Política em debate
Política em Debate Teto
Política em Debate Veto
Política em Debate Acordo
Blogs
Ver na versão Desktop