Comitê dos EUA diz que fracassou por não reprimir abusos na ginástica

09/02/18 às 18:15 Folhapress
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O presidente do Comitê Olímpico dos Estados Unidos (USOC), Larry Probst, declarou que a entidade fracassou por não ter coibido abusos sexuais dentro da ginástica. O ex-médico da equipe, Larry Nasser, foi condenado a 175 anos de prisão por abusar sexualmente várias atletas norte-americanas. O presidente do USOC pediu desculpas pela omissão e exaltou a coragem das ginastas em revelar à Justiça os abusos sofridos. “O sistema olímpico fracassou e nós pedimos desculpas de forma incondicional. Palavras não podem expressar a raiva que o conselho e a liderança do USOC e eu sentimos pelo que os abusos de Larry Nasser provocaram nessas jovens mulheres e suas famílias.” O USOC faz investigação interna para apurar se havia funcionários que conheciam os procedimentos adotados pelo médico preso. “Vamos tomar ações adequadas quando essa investigação terminar. Devemos a todos uma investigação transparente e profunda. Nossas atletas merecem o melhor que pudemos dar a elas”, disse Probst.
0 Comentário

Você precisa acessar o seu perfil para comentar nas matérias.

Blogs
Ver na versão Desktop