Projeto Amigo Bicho na Santa Casa

23 junho, 2015 às 16:15  |  por Fabiana Ferreira

Com o objetivo de fortalecer ainda mais a humanização nos hospitais do Grupo Marista, o Projeto Amigo Bicho estreou na Santa Casa de Curitiba em ritmo de festa junina. A primeira visita aconteceu no dia 19 de junho e deve se repetir duas vezes por mês. Além do hospital mais antigo do Paraná, que acaba de completar 135 anos, os cães já atuam no voluntariado do Hospital Universitário Cajuru, da PUCPR.

O coordenador do Núcleo de Epidemiologia e Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa de Curitiba e professor do curso de Medicina da PUCPR, Felipe Tuon, esclarece que “os animais são vacinados e limpos e que não oferecem risco à saúde dos pacientes”.  A regra para participar do Projeto é passar por avaliação comportamental, tomar banho antes das visitas e esterilizar as patinhas pouco antes de entrar no hospital.

 Já escrevi sobre o Projeto Amigo Bicho no Blog Papo Pet muito antes de ele integrar estas duas instituições de saúde. Volto a falar dele, pois acredito realmente em sua importância e no engajamento de seus voluntários, principalmente na dedicação da idealizadora, a médica veterinária Leticia Séra Castanho.

_64A0939_bicho2

Me orgulho também destes hospitais, que por meio de seus diretores, equipe de Humanização e médicos, abriram suas portas e seguem a tendência mundial de permitir a presença de cães com objetivo de auxiliar no tratamento e amenizar os efeitos da internação de seus pacientes.

_64A1005_amigoquatro

Festerê – Em clima de São João, os cães vestidos de caipirinhas, os cães voluntários visitaram pela primeira vez os setores de oncologia, cardiologia e enfermarias, para levar alegria e descontração para os corredores da Santa Casa.

_64A0967_amigotres

 

 

 

Conheça melhor os cães policiais

19 junho, 2015 às 00:05  |  por Fabiana Ferreira

 

Usado como cão policial, o pit bull foi destaque na imprensa durante o confronto entre professores estaduais e policiais ocorrido em abril em frente à Assembleia Legislativa do Paraná. Um repórter cinematográfico da Band TV foi atacado por um pit bull e ficou gravemente ferido.. O zootecnista, especialista em comportamento animal e professor de Medicina Veterinária da PUCPR, Paulo Parreira, concedeu entrevista para a coluna para esclarecer alguns pontos sobre cães policiais, do pastor alemão ao pit bull.

 

 ”Cães não são máquinas e eventos extremos podem causar interferências graves no processo de obediência e controle”

 

- De onde veio o uso policial da raça pastor alemão? 

Paulo Parreira: O uso do pastor alemão em forças de segurança, já ocorre há muitos anos. É uma raça que foi adaptada e se adaptou muito bem à esta função, pois tem um potencial de trabalho enorme, vigor físico e grande capacidade de aprendizagem.

- Quais os cuidados para utilizar a raça pit bull para fins policiais? Ela tem o mesmo comportamento que outras raças de grande porte?

Paulo Parreira: Os cuidados devem ser os mesmos das outras raças (seleção genética, criação, socialização, treinamento e manutenção).  As reações de qualquer animal dependem da sua criação, experiência anterior em situações semelhantes, da pessoa que está junto a ele e da intensidade do evento em si. Animais treinados/adestrados são expostos a diferentes situações durante seu treino, simulando assim o que pode ocorrer em casos reais. A imprevisibilidade nas reações de animais treinados é menor do que em cães não treinados.

- Em situações extremas, o cão pode deixar de atender aos comandos?

Paulo Parreira: Em casos extremos, podem sim deixar de atender a comandos por alguns instantes (cães não são máquinas e eventos extremos podem causar interferências graves no processo de obediência e controle).

- Qual a diferença de uma mordida de um pastor alemão para um pit bull?

Paulo Parreira: As duas mordidas são muito fortes e a gravidade depende mais do local mordido do que da força. Em relação ao “tipo” de mordida, tudo dependerá da situação que levou o animal a morder, da pessoa que foi mordida (conhecida ou não), estado de saúde física e mental do animal e condição de criação do animal.

 pitbull

 - Qual o perfil da raça pit bull? Aconselha o uso como cão de guarda. Quais os cuidados que o tutor deve ter em relação a esta raça?

Paulo Parreira: Raça muito forte, vivaz e ativa. Recomendo o uso de cães, de qualquer raça, como cão de guarda somente em lares e com pessoas que tenham um mínimo de conhecimento de criação de cães. Se um cão de guarda é criado por alguém despreparado, sem condições de impor limites (sem uso de violência), os riscos de acidentes graves são imensos. A socialização é fundamental para qualquer cão, mas no caso do pit bull é ainda mais importante. Deve ser criado em um ambiente que propicie o bom convívio com outras espécies, cães e pessoas de diferentes idades. Atividades físicas regulares são fundamentais também. Desta forma, teremos um animal equilibrado e socializado, pronto para o convívio em sociedade.

- Acredita que cães são reflexos de sua criação e todos podem morder dependendo da situação?

Paulo Parreira:  Sim. Brinco que qualquer animal com dente, inclusive nós humanos, podemos morder dependendo da situação.

Proibido animal na Basílica de São Francisco

11 junho, 2015 às 21:24  |  por Fabiana Ferreira

Na Basílica de São Francisco, em Assis, pequena cidade italiana da região da Umbria, onde nasceu o santo que se tornou o protetor dos animais, os bichos são proibidos. A placa na porta deixa isso bem claro. A imagem de uma amiga foi registro especial para mim. Acho que até ela mesmo estranhou a proibição explícita.

Crédito: Irene Simões

Crédito: Irene Simões

Imagino que a ordem tão clara seja para evitar uma procissão de animais pelo recinto sagrado.  Afinal, ser considerado o protetor dos animais poderia atrair uma multidão deles.

Crédito: Irene Simões

Crédito: Irene Simões

O teólogo Cezar Kuzma explica que Francisco de Assis é um santo da Igreja católica, de onde surgem os movimentos franciscanos que vem a partir de sua visão de fé e de Igreja. Foi alguém que decidiu viver na pobreza e lutar pela causa dos que mais sofrem. Passou a ter um profundo respeito e cuidado pelos animais, como um amor por toda a criação. Em virtude disso e pela forma como tratava cada detalhe da vida, foi colocado como padroeiro dos animais e patrono dos ecologistas, esta última já no século XX.

Confira entrevista 

 

Curso de Medicina Veterinária da PUCPR completa 20 anos

4 maio, 2015 às 17:18  |  por Fabiana Ferreira

O curso de Medicina Veterinária da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)  completa, nesta terça-feira (5), 20 anos de existência. Uma cerimônia no TUCA dá início às celebrações reunindo alunos, ex-alunos, o atual corpo docente e representantes da Universidade.

11141271_907996289263770_1331989688257571890_o

Serão homenageados na cerimônia decanos, coordenadores, professores, entre eles, a primeira professora a lecionar em uma aula em março de 1995, Antonia B. do Prado. Atualmente, o curso é dirigido pela professora Claudia Pimpão (foto abaixo) – única mulher à frente do curso desde a sua fundação.

claudia_caes

O curso conta com três unidades hospitalares (para animais de companhia, para animais de fazenda e para equinos). Tem ainda o CETAS (que recebe os animais selvagens em convênio com o Ibama) e a Fazenda Experimental Gralha Azul.  Além disto, o curso tem laboratórios bem equipados. Todos os professores têm no mínimo mestrado e cerca de 40% está inserido no mercado de trabalho, ou seja, vivendo a realidade do mercado.

10-123-DSC_6095_hospital22-400x266

Atendimento Unidade Hospitalar para Animais de Companhia

Destacam-se também: o consolidado Programa de Residência Médica Veterinária; a pesquisa ativa e aplicada com o Mestrado em Ciência Animal e as parcerias com indústrias farmacêuticas.

Atendimento CETAS

Atendimento CETAS

Vem pra rua pelos bichos!

17 abril, 2015 às 10:35  |  por Fabiana Ferreira

Logo_atopublico_abrecoluna

Em época de manifestações pelo Brasil, os ativistas do movimento de proteção e defesa dos animais de Curitiba e Região Metropolitana promovem um ato público em prol da causa animal. A convocação é para sábado, 25 de abril, às 10 horas, na Boca Maldita, em Curitiba. O movimento pretende ser o início de uma grande campanha pela garantia das políticas públicas voltadas aos animais. Para o evento, todos são bem-vindos independente de  partidos políticos. Basta gostar dos bichos e vestir a cor de roupa de sua preferência.

Entre as reivindicações do movimento estão a castração de cães e gatos de forma permanente e acessível a todos, lei de registro geral de animais, controle e restrição do comércio de animais, atendimento público e gratuito a animais em situação de risco e maus-tratos, garantia de recursos orçamentários para as políticas de proteção e defesa dos animais, entre outros.

Abaixo-assinado- Acesse a página do Facebook do Fórum de Defesa dos Direitos dos Animais em Curitiba e assine a petição pública pela implantação de políticas públicas adequadas para a proteção e defesa dos animais da capital paranaense.  Lá você confere mais informações sobre as reivindicações em defesa dos animais.

CPI Arca de Noé

30 março, 2015 às 19:14  |  por Fabiana Ferreira

A deputada cantora Mara Lima (PSDB) propôs neste mês a instalação de uma CPI dos Animais. Segundo o texto, a mesma prevê uma investigação sobre o maus-tratos e violência, criadouros clandestinos e venda irregular de animais em âmbito estadual. É coisa pra “burro” a ser investigada, não? O texto diz que vai apurar situações que envolvem de gato a cachorro e até animal de carga. Muita espécie envolvida, hein! 

O mais surpreendente é que entidades como o Fórum de Defesa dos Animais de Curitiba e até mesmo o deputado estadual Rasca Rodrigues (PV), único representante do partido na Assembleia e atuante nas causas ligadas ao meio ambiente, foram surpreendidos com a proposta de CPI.

Os animais de repente viraram a bola de vez e se tornaram tão importantes que podem estar sendo usados até mesmo para travar outras investigações mais urgentes.

O blog Papo Pet fez contato com gabinete da deputada cantora para saber mais informações sobre a CPI, principalmente para saber quem será investigado. E não teve resposta. No site oficial da deputada não constam informações sobre a Comissão.

Acho que essa história de CPI dos Animais é conversa para boi dormir…

Presentes para quem ama pets

23 março, 2015 às 19:47  |  por Fabiana Ferreira

Quadro Box Branco - Coleção Pet Lovers - Caixa Filosofal(1)Uma dica de presente para quem gosta de cachorro. Eu amei. Afinal, a mensagem diz tudo pra mim. Mas calma lá que tem para quem gosta de gato também.

Quadro Box Pinus - Coleção Pet Lovers - Caixa Filosofal

Frases impressas em papel fotográfico com vidro antirreflexo de proteção e suporte para pendurar na parede. Todos os quadros são produzidos no Brasil com madeira de reflorestamento.

Gostou? Você encontra esta e outras opções na Caixa Filosofal.

Showroom: Rua Teixeira Coelho, 474, loja 01, Batel – Curitiba.

E-commerce: www.caixafilosofal.com.br

Páscoa sim, coelho não!

20 março, 2015 às 18:37  |  por Fabiana Ferreira

A celebração da Páscoa acontece no domingo, dia 5 de abril. Alerta máximo para prática irresponsável de presentear crianças com coelhinhos nesta data. Já não bastam os ovinhos de chocolate? Parece que não. De acordo com a médica veterinária e criadora de mini-coelhos e coelhos anões,  Emanuele Pfeiffer,  a maioria dos clientes compra por mero impulso, por ser algo diferente. “Já recolhemos filhotes nas lixeiras, jogados em parques, dados a pessoas para abate, logo após a Páscoa, tudo por irresponsabilidade e descaso com a vida”, lembra.

 

emanuele_coluna

Emanuele com sua coelha Layra, da raça anã Teddy Dwerg, de 8 meses de idade

 A especialista recomenda que não sejam procurados coelhinhos baratinhos para enfeite. “Desses existem vários de pelúcia à venda. Se querem um coelhinho, tenham sim mas com responsabilidade amor e carinho. De preferência, que todos da família concordem em ter um orelhudo, amando e tratando como o novo integrante que exige cuidados adequados à espécie”, orienta.

E para ter um coelho são recomendados vários cuidados. “É obrigatório uma gaiola completa com bebedouro e comedouro, descanso de patas e brinquedo para roer, isso para manter ele bem colocado. Acrescentamos aos bons cuidados também uma alimentação completa especifica para lagomorfos pet (não recomendo rações convencionais, pois a grande maioria é para animais de abate)”, diz o veterinário Rodrigo Richter, especializado em animais exóticos e pequenos animais. Segundo ele, os coelhos são animais indicados também para crianças, desde que com a presença de adultos para que não haja acidentes. Lembrando que das raças de minicoelhos e coelhos anões, existem algumas mais dóceis e tranquilas!

 

foto_gema_coluna

Gema, a coelhinha que não foi comprada por impulso

 SIGNIFICADO – O teólogo e professor da PUCPR, Luiz Alexandre Solano Rossi, explica que a Páscoa traz à mente passagem. No Antigo Testamento tratava-se da libertação da violência do império para caminhar em direção à construção de uma nova sociedade de libertos e de celebração da vida. “Para os cristãos, se relaciona com a ressurreição de Jesus. Uma ressurreição que leva a pensar a vida no contraponto da morte, mas não somente a morte que é natural para cada um de nós e sim na ressurreição. A importância da ressurreição também reside na alegria do túmulo vazio. Jesus não é apenas um líder religioso. Trata-se do  único que ressuscitou. Vence, portanto, as forças da morte e o próprio limite da história a fim de solidariamente viver em nós e por nós”, esclarece.

COELHOS E OVOS – De acordo com Rossi, desde o Egito antigo que o coelho é considerado símbolo da fertilidade por conta de sua capacidade de reprodução. Daí derivam os ovos que remetem ao novo ser que nascerá. O chocolate faz parte de uma história mais recente. “Muito possivelmente a associação de doces com a páscoa aconteça pelas conotações de satisfação derivada do consumo de açucares e, mais especificamente, para a satisfação das indústrias de chocolate”.

Sobre envolver as crianças nesta celebração, na qual o foco geralmente fica nos ovos de Páscoa, o teólogo dá a dica: “a principal catequese sempre acontece dentro de casa tendo pai e mãe como os primeiros sacerdotes de seus filhos. Rezar com eles todos lambuzados de chocolate faz um bem muito grande tanto para os pequeninos quanto para os adultos”, finaliza o teólogo.

 

 

Os opostos se atraem

12 março, 2015 às 19:26  |  por Fabiana Ferreira

A imagem mostra a amizade entre a colopsita Espeto e a vira-lata Cacau. O casal vive em Brotas (interior de São Paulo) e mostra como é possível a convivência entre espécies diferentes. Bom exemplo para nós humanos!

IMG_1612_cacau_espeto

A cachorrada deles

20 fevereiro, 2015 às 00:01  |  por Fabiana Ferreira

O caso do Rio de Janeiro, em que o noivo agrediu uma cachorra bulldog, e foi descoberto com uma câmera escondida, despertou a raiva de milhares de internautas e protetores. Quem mais sofreu, além da cachorra, deve ter sido a tutora, que estava prestes a se casar com o agressor. Na verdade, um criminoso. Imagino que deve ter sido pior que uma traição.

Eu já me abalei por muito menos que isso. O rapaz disse que a minha poodle, meu xodó, dona da casa com o circulação livre por todos os cômodos teria lugar garantido na área de serviço do novo apartamento dele! Opa, pera lá. A bichinha não está a fim de ser a melhor amiga da máquina de lavar roupas. Então, preferimos – nós duas – nos manter no nosso “cafofo” ao lado do estádio barulhento.

O maior absurdo neste último mês foi ouvir de um homem que trabalha comigo que não havia mal em o atendente da cia. aérea oferecer outro cachorro no lugar do animal que foi perdido durante o embarque. Oi? Encerrei a conversa. Com algumas pessoas é melhor não discutir assuntos do tipo política, religião, futebol e agora nosso amor pelos animais de estimação.

Pet_Touche

Segurança à vista

Por falar em segurança, um projeto de lei está em análise e pode obrigar pet shops a colocar um circuito interno de monitoramento para que os tutores acompanhem a prestação de serviços. O Pet Touche, que inaugura neste mês uma unidade no Cristo Rei, deixou tudo à vista com vidros transparentes. De todos os pontos, pode-se ver os animais. Do banho à tosa. Achei a ideia interessante. Mas é melhor não ficar com o nariz grudado no vidro. Os bichinhos adoram fazer pirraça na frente dos tutores. Aproveite o espaço e observe de longe.

ADSC_0412