Arquivos da categoria: Consumo

Vice-presidente do Condor, Ricardo Zonta; presidente do Condor, Pedro Joanir Zonta,e a diretora do Condor, Sandra Zonta (pai ao centro com seus filhos)

Condor é eleito como o preferido dos curitibanos

15 dezembro, 2017 às 14:06  |  por Maximilian Santos

Em sua 9ª Edição, o Prêmio IMPAR – Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional, consagra o Condor Super Center como o supermercado preferido dos curitibanos pelo 9º ano consecutivo. Realizado pelo Grupo RIC, o prêmio tem a chancela do IBOPE Inteligência e ouviu 1.260 pessoas.

Em cerimônia realizada na noite desta terça-feira (12), 26 empresas receberam o reconhecimento por suas marcas terem se destacado na capital paranaense. “Este prêmio é a valorização de todo o nosso empenho em oferecer o melhor aos nossos clientes, pois nos mostra que estamos conseguindo manter a preferência dos consumidores”, afirma o presidente do Condor, Pedro Joanir Zonta.

O Condor iniciou a sua trajetória em 1974 com uma pequena loja de 110m² e apenas cinco funcionários em Curitiba. Com mais de 11 mil colaboradores diretos, atende mensalmente mais de 4 milhões de clientes em suas lojas.

Atualmente, a rede conta com 44 lojas, entre super e hipermercados, em 15 cidades do Paraná, localizadas em Curitiba e Região Metropolitana, litoral, Campos Gerais e Norte do estado, e uma em Santa Catarina, na cidade de Joinville, além de uma central de distribuição com mais de 70 mil m² em Curitiba, responsável pelo abastecimento diário das lojas da rede.

Na foto, o Vice-presidente do Condor, Ricardo Zonta; presidente do Condor, Pedro Joanir Zonta, e a diretora do Condor, Sandra Zonta (pai ao centro com seus filhos).

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

alison

Venda de lingerie triplica em dezembro

13 dezembro, 2017 às 16:26  |  por Maximilian Santos

Dezembro começou com o anúncio que muitas pessoas esperam para escolher o tom certo do ano novo. Para 2018, na teoria, a tendência de moda, design e cultura irá apostar no ultravioleta, mas na prática, parece que as coisas não funcionam exatamente assim. Desde o ano passado, por conta da crise, o público tem apostado no amarelo como a cor da virada. O motivo é claro: de acordo com as superstições, a tonalidade significa mais dinheiro no novo ano.

Mas as simpatias não param por aí. Há quem acredite que usar o amarelo em novas lingeries é ainda mais efetivo, além de ser uma opção mais em conta para quem está atrás de um presente. De acordo com Alison Mazza Lubascher proprietária da franquia Liz do ParkShoppingBarigui, neste ano o amarelo continua liderando as vendas dessa época. “As pessoas buscam muito as calcinhas como presentes de final de ano, principalmente para eventos como amigo secreto, em que os valores são um pouco menores. Com o movimento de Natal que já começou, temos percebido uma busca maior do que no ano passado pela cor amarela, tanto que para este ano criamos uma edição especial nessa cor, que vem acompanhada de um pingente Swarovski”, conta.

Para se preparar ainda mais, Alison conta que houve um reforço de 25% no estoque de calcinha amarela, em relação a dezembro do ano passado. Segundo ela, é preciso aumentar o estoque para suprir a demanda. “O período do Natal é o melhor de vendas para nós. Durante o ano vendemos cerca de mil peças por mês e, em dezembro, estamos esperando triplicar esse valor”, finaliza.

Traz dinheiro mesmo?

Segundo a professora de Economia da Universidade Positivo, Leide Albergoni, apenas simpatia não basta para que 2018 seja um ano mais tranquilo financeiramente. “A receita ideal é o planejamento e o início do ano é a época ideal para se programar”, ressalta. Em primeiro lugar, a especialista recomenda conhecer a estrutura de gastos. “Anote todos os gastos diariamente e organize as despesas em uma planilha, separando-as por categoria: alimentação fora de casa, contas da casa (energia, telefone, supermercado), escola, transporte (combustível, vale transporte, táxi), vestuário, lazer, seguros (carro, casa, vida), impostos, financiamentos e empréstimos, entre outras despesas que você identificar”, explica.

Em seguida, a professora orienta estabelecer metas de gastos mensais. “Determine um limite máximo para cada categoria (supermercado, transporte, vestuário, entre outras despesas que dependem de suas escolhas). O ideal seria fazer o balanço diariamente, mas uma vez por semana já é suficiente para se planejar para a semana seguinte”, conta. Além  dos gastos rotineiros, o início de ano é sinônimo de despesas como IPTU, IPVA, material escolar e seguro. “É recomendável aproveitar o 13º salário para pagar essas despesas, ou então ir guardando um pouquinho por mês durante o ano  para conseguir pagar à vista”, explica.

 

 

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Munhoz NeoGrid

Vendas nos supermercados aumentaram até 12 vezes na Black Friday

13 dezembro, 2017 às 16:16  |  por Maximilian Santos

Durante a última Black Friday, no dia 24 de novembro, as vendas do varejo supermercadista cresceram 2,6% em relação ao mesmo período de 2016, segundo levantamento realizado pela Neogrid, empresa que coleta informações de mais de cem redes de varejos em todo o Brasil. O número de produtos vendidos chegou a ser 12 vezes maior quando comparado à semana anterior, como no caso do uísque.

Entre os produtos mais procurados durante a data, lideram o ranking bebidas e eletrodomésticos. As vendas de produtos da chamada linha marrom – que engloba televisores, som e vídeo – aumentaram quatro vezes, enquanto que da linha branca –  que reúne geladeiras, fogões e microondas –, cresceram três vezes e as de vodca, duas vezes.

Segundo o vice-presidente de operações da Neogrid, Robson Munhoz, o sucesso da Black Friday deste ano se deve às ações realizadas no varejo físico. “Os varejistas aumentaram seus estoques nos pontos de venda, decoraram as lojas, fizeram campanhas e promoções reais, além de reunirem os funcionários de todos os turnos para estarem à disposição dos consumidores. Tudo isso colaborou para um bom resultado”, explica o executivo.

Segundo números da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), as lojas virtuais nacionais movimentaram R$ 2,48 bilhões em 2017, o que representa uma alta de 16% em relação ao mesmo período de 2016. Veja abaixo a lista de alguns dos produtos mais vendidos na data, de acordo com o estudo da Neogrid.

 

 

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Maria Andreia Lameiras

Ipea diz que inflação dos mais pobres ficou menor em novembro

12 dezembro, 2017 às 14:28  |  por Maximilian Santos

O Indicador Ipea de Inflação por Faixa de Renda de novembro de 2017 aponta que as parcelas da população de renda mais baixa foram as que apresentaram as menores taxas de inflação. Enquanto a inflação da população de renda muito baixa registrou alta de 0,07%, nas famílias de renda alta o crescimento foi de 0,34%. No ano, a inflação dos mais pobres acumula uma alta de 1,8%, inferior à registrada pela classe de renda mais alta (elevação de 3,2%).

“De fato, a significativa desaceleração no preço dos alimentos ao longo do ano se constitui no principal foco de alívio inflacionário em 2017, especialmente para as classes de menor poder aquisitivo”, explica Maria Andreia Parente Lameiras, pesquisadora do Grupo de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Os alimentos são o item com maior peso nos gastos totais das famílias mais pobres. A deflação dos alimentos contribuiu para diminuir em 0,16 p.p. a inflação dos mais pobres, ao passo que, para a classe mais alta, a ajuda foi de 0,05 p.p.

Em menor intensidade, os transportes também influenciaram, com a queda nas tarifas dos ônibus urbanos (0,6%) e interestaduais (1,6%), itens de grande peso na inflação dos mais pobres. Em contrapartida, nas classes mais ricas, para as quais o gasto com combustíveis é bem maior, a alta de 2,9% no preço da gasolina fez com que a contribuição do grupo transportes fosse positiva.

Entre os itens que tiveram impacto maior sobre as famílias menos abastadas, os reajustes das tarifas de energia elétrica (4,2%) e do gás de botijão (1,6%) significaram um aumento de 0,29 p.p. na inflação dos mais pobres – e de 0,11 p.p na dos mais ricos. Nos últimos meses, de acordo com a análise, a desaceleração da trajetória inflacionária ocorreu de modo significativo em todas as faixas de renda.

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Youtube/Ipea

Luiz Fernando Vianna

Itaipu deve encerrar 2017 com a quarta posição no ranking histórico anual de produção

7 dezembro, 2017 às 17:22  |  por Maximilian Santos

A produção parcial da Itaipu Binacional em 2017, registrada até as 6h16 desta quarta-feira (6), pelo Horário Brasileiro de Verão, chegou à marca de 88,6 milhões de megawatts-hora (MWh) e ultrapassou a do mesmo período em 2008, ano da quarta maior geração histórica anual desde o início da operação da usina, em maio de 1984. Como a previsão é que a geração fique 14% maior nos próximos sete dias, em comparação ao mesmo período de 2008, projetando uma produção em torno de 95 milhões de (MWh) para este ano, a hidrelétrica deve consolidar a quarta maior marca anual até o fim de dezembro.
Este ano, a eficiência operacional de Itaipu é de aproximadamente 98%. Esse índice relaciona a energia produzida e a energia que, numa hipótese ideal, poderia ter sido gerada.
O ranking deste ano é bastante significativo para a usina, já que 2017 apresentou um cenário hidrológico bastante difícil no País para a produção de hidroeletricidade. Ao longo dos meses, a geração de Itaipu oscilou entre a sexta e a quarta posição, atingida agora.
Em agosto, a produção parcial de 2017 aparecia em quinto lugar e chegou a cair para a sexta posição durante três dias de setembro. De lá para cá, a hidrelétrica recuperou posição por posição e a tendência é que se mantenha assim até o fim de dezembro.
“Gerar essa enorme quantidade de energia limpa com uma eficiência operacional acima dos 95% é constatar que as equipes brasileira e paraguaia da Itaipu estão trabalhando com um alinhamento afinado e considerável competência”, afirma o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna.
E complementa: “Colocar a produção de Itaipu entre os cinco melhores anos do ranking envolve um trabalho complexo, que passa por uma boa gestão das afluências, pelo excelente desempenho da operação e manutenção dos equipamentos da usina, por uma boa disponibilidade dos sistemas de transmissão brasileiro e paraguaio, assim como pelos sinais econômicos de elevação do consumo dos nossos países. E, finalmente, passa pela boa coordenação eletro-hidroenergética entre as empresas envolvidas, como Itaipu, Eletrobras-Furnas, Copel, Operador Nacional do Sistema e a paraguaia Ande”.
Até o meio-dia desta quinta-feira (7), a Itaipu já tinha produzido 89,1 milhões de MWh, energia suficiente para atender o Brasil inteiro por dois meses e sete dias; o Estado de São Paulo por oito meses; o Paraná por três anos; Brasília por 13 anos; e Foz do Iguaçu por 160 anos.

Liderança mundial - A Itaipu Binacional é líder mundial em produção de energia limpa e renovável, tendo produzido mais de 2,5 bilhões de MWh desde o início de sua operação, em 1984. Com 20 unidades geradoras e 14.000 MW de potência instalada, fornece cerca de 17% da energia consumida no Brasil e 76% no Paraguai.

Em 2016, Itaipu produziu um total de 103.098.366 MWh, estabelecendo um novo recorde mundial de produção anual. A maior marca anterior havia sido estabelecida em 2013, com 98.630.035 MWh. O terceiro melhor ano em produção foi 2012, com a geração de 98.287.128 MWh.

Editado por Maximilian Santos
Crédito da foto: Divulgação.

 

persuadir um cliente

Dia do Cliente – Cinco formas de se aproximar de clientes na visão de empreendedores

14 setembro, 2017 às 13:03  |  por Maximilian Santos

No próximo dia 15, será comemorado o Dia do Cliente. E cada vez mais essa figura se torna de extrema importância. Entender, conquistar e entregar o que ele deseja não é só necessário como também é o maior desafio de muitos empreendedores.

Apesar de pouco divulgado, o Dia do Cliente serve como uma data de reflexão para muitos jovens empresários e empreendedores, seja os que lidam com o consumidor ou os que têm outras empresas como público-alvo. Listamos abaixo, cinco formas de se aproximar de clientes na visão de empreendedores.

Traga benefício ao cliente
Em tempo de instabilidade econômica, deve-se redobrar a atenção com o relacionamento com o consumidor. Quando se contrata um serviço, a intenção é ter o negócio otimizado e não ter dor de cabeça com isso. “Não basta oferecer uma tecnologia robusta e confiável, é preciso estar ao lado do cliente, oferecendo o suporte adequado e, assim, garantir que ele consiga extrair o máximo da solução adquirida”, explica Luis Carlos dos Anjos, gerente de marketing institucional da Locaweb, empresa líder em serviços de internet no Brasil. “Acompanhá-lo nessa jornada é fundamental para o desenvolvimento do negócio dele”, complementa.

Entregue algo diferente
Em momentos desafiadores, não adianta somente entregar o básico. É preciso ser diferente, ir além e mostrar criatividade. Colocar o cliente no centro, priorizando o atendimento, é fundamental, avalia Leonardo Santos, cofundador e CEO da Semantix, startup especializada em soluções de Big Data. “Compreender as demandas do cliente e entendê-lo como prioridade deve ser a maior preocupação em entregar valor tangível ligado à necessidade de negócio”, afirma. “Neste momento é importante não só ter empatia para fortalecer a parceria, mas também andar junto com ele, promovendo sinergias e valores fortes para o negócio dele”, complementa o especialista.

Tenha uma relação humana com o cliente
Ter empatia e uma relação mais próxima com o cliente é fundamental para entender as suas necessidades. Por isso, é importante sempre manter essa postura durante todas as etapas do relacionamento, avalia Inon Neves, vice-presidente para América Latina da Access, empresa especializada em gestão documental. ” Trate o seu cliente da mesma forma que gostaria de ser tratado. Negócios são feitos entre pessoas, não entre empresas”, afirma o executivo. “É importante estar presente na hora que o problema surgir, pois é nesse momento que somos verdadeiramente avaliados”, complementa.

Adapte-se ao cliente
Entender o cliente e entregar algo que realmente o faça sentir que vale a pena o que está sendo contratado é cada vez mais necessário em momentos de crise. Por isso, não meça esforço e se adaptar ao seu público, afirma Agustín Durán, sócio-diretor da Nimbi, empresa especializada em tecnologia de gestão de compras para a cadeia de suprimentos. “Adapte-se para entender o novo momento dos clientes e ofereça soluções em formatos em sintonia com a atual situação”, avalia o executivo. “Antecipe problemas e entre em contato de forma ativa com os clientes. Isso traz bastante confiança e satisfação, e possibilita retenção maior”, complementa.

Leve vantagem competitiva
Em momentos de crise, as prioridades passam a ser revistas e cortes de investimentos, constantemente ocorrem. Por isso é necessário estar antenado com o mercado e conhecer os desafios enfrentados pelo seu público, avalia Lauro Freire, sócio-diretor da BgmRodotec, empresa especializada em sistemas de gestão para transportadoras. “Vivemos um contexto onde o investimento diminuiu e a cobrança por trazer resultados aumentou. Por isso, além de entender o momento em que os clientes estão, precisamos entender os concorrentes deles e saber exatamente o que estão fazendo em estratégias de marketing de relacionamento, para gerar uma vantagem competitiva”, avalia.

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.

Prêmios 2017 Luiz Oliveira  Diretor -  Wagner Oliveira  Diretor -Rodaika Diel Diretora - Rodrigo Castilhos  Designer da Marca - Paulo Schneider  Gestor Comercial - Rafael Teixeira  Exportação

Coca-Cola Shoes é eleita a melhor licenciada da Coca-Cola no mundo

19 julho, 2017 às 17:12  |  por Rafaela Salomon

As empresas gaúchas Sugar Shoes e Neorubber foram eleitas pela The Coca-Cola Company Melhor Licenciado Mundial da marca pela terceira vez desde 2012 e também pelo segundo ano consecutivo. O evento de premiação foi realizado na sede da companhia, em Atlanta (EUA). Além do principal prêmio mundial, a Coca-Cola Shoes também foi reconhecida como o Melhor Licenciado da América Latina 2016. As empresas são licenciadas da Coca-Cola desde 2010.

Coca-Cola Shoes produz calçados para o Brasil, América Latina e Europa. São produzidos cerca de 33 mil pares/dia, divididos entre tênis – fabricados nas unidades de Picada Café (RS) e Senador Pompeu (CE) – e sandálias – na divisão Neorubber, com plantas em Capela de Santana (RS) e Solonópole (CE). Produzindo para marcas próprias e licenciadas, a empresa gera cerca de 1.900 empregos diretos, além de mais 1.000 postos de trabalho em empresas terceirizadas.

O evento em Atlanta aconteceu no dia 10 de julho e contou com mais de 100 licenciados, representando alguns dos principais fabricantes de produtos da marca Coca-Cola em todo o mundo. Pela Sugar Shoes e Neorubber, estiveram presentes os diretores Luiz Oliveira, Rodaika Diel e Wagner Oliveira, acompanhados de Paulo Schneider, Gestor Comercial da Marca, Rafael Teixeira, Gerente de Exportação, e Rodrigo Castilhos, designer da marca. “Estas conquistas evidenciam o empenho de um trabalho construído por uma equipe extremamente qualificada que valoriza a gestão de negócio com objetivo em resultados positivos para a marca”, diz o gestor comercial Paulo Schneider. Ele salienta ainda que estas premiações trazem uma satisfação diferenciada, pois “ em oito anos, em menos de uma década, pegar uma marca de refrigerantes e transformá-la em uma das principais marcas de calçados do Brasil é um sucesso que poucos podem comemorar. Somente aliando atenção, dedicação e muito amor para conseguir uma vitória desta expressão”, diz ele. Isto também “reflete a confiança que recebemos dos lojistas, pois hoje contamos com 3 mil pontos de venda somente no Brasil”, acrescenta Schneider.

Desde 2010, as empresas já conquistaram premiações relevantes dentro The Coca-Cola Company como Prêmio de Sustentabilidade, em 2011, Melhor Licenciado do Mundo 2012, Melhor Licenciado da América Latina em 2015, Melhor Ativação no Varejo em 2015 e também o Melhor Licenciado do Mundo em 2015.

CRESCIMENTO – Em um cenário econômico ainda instável, a Coca-Cola Shoes segue sua trajetória de crescimento. Com presença de destaque nas principais vitrines de calçados do país, a projeção é de crescimento no faturamento neste exercício. A estimativa é de que o aumento chegue a 20%. “Os produtos da marca têm tido uma ótima aceitação no mercado brasileiro, e queremos consolidar essa posição para seguir crescendo”, completa Paulo Schneider.

APP Vegano

Aplicativo curitibano permite que usuários comprem direto de produtores rurais

27 junho, 2017 às 13:20  |  por Maximilian Santos

No final de 2013 surgia em Curitiba o BeVeg, aplicativo que inovou ao permitir que os usuários pudessem encontrar estabelecimentos gastronômicos com boas opções vegetarianas e veganas. Agora, após o sucesso em todo o país, o BeVeg, idealizado por Vivian Schmitz e Tom Barros (foto), passou por uma importante atualização e oferece a função delivery.  O aplicativo, disponível gratuitamente no Google Play e na Apple Store, permite que, além de pedir comida fast food, os usuários façam a feira e o mercado sem sair de casa, tendo contato direto, por exemplo, com produtores de hortifrútis orgânicos. Outra facilidade é poder receber em casa quitutes de produtores locais, como salgadinhos e bolos.

“O BeVeg surgiu para unir consciência e tecnologia, facilitando e incentivando a escolha pelo vegetarianismo por meio de um aplicativo que localiza opções veg por ordem de proximidade do usuário. Além disso, a opção delivery possibilita que o usuário faça pedidos online para entregas em domicílio”, detalha Vivian Schmitz, que lembra que a ferramenta é ideal, também, para quem apenas simpatiza com o estilo de vida e gostaria de adotá-lo, mas não sabe onde encontrar boas opções.

O crescimento do BeVeg coincide com crescimento do número de vegetarianos no Brasil. Segundo dados publicados pelo IBOPE/2012, o país conta com mais de 15 milhões de vegetarianos. As maiores concentrações são encontradas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente com mais de 792 mil e 632 mil. Curitiba, cidade de origem do BeVeg, aparece com mais de 194 mil vegetarianos. De acordo com pesquisa do IPSOS Group, também de 2012, 28% da população brasileira quer consumir menos carne.

“Com o passar dos anos, vemos consumidores cada vez mais antenados, realmente preocupados com a alimentação e, logicamente, com os problemas gerados pelo mercado mundial de produção de carnes. Pesquisas recentes demonstram que o mercado vegetariano tem passado por uma expansão constante, e é cada vez maior o número de pessoas que optaram pelo vegetarianismo e estão sedentos por opções de consumo”, explica Tom Barros.

Feira em casa - Mais do que oferecer empreendimentos gastronômicos e refeições prontas, após sua última atualização o BeVeg sentiu que tinha chegado o momento de trabalhar novas opções e serviços. Na nova aba “Feira”, que acaba de ser adicionada na ferramenta, o usuário encontra empórios e produtores locais que comercializam, entre outros, frutas, orgânicos, hortifrútis, sucos, especiarias, sementes e grãos. Assim como os outros serviços, os resultados aparecem por ordem de proximidade.

“Muita gente reclamava da dificuldade de encontrar produtos especiais frescos, como por exemplo os orgânicos, que geralmente só eram encontrados em mercados e com valores elevados. Com essa parceria com pequenos empórios e produtores locais, conseguimos oferecer uma ferramenta que, acima de tudo, levará saúde para a casa dos brasileiros”, completa Tom.

 

 

Postado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

yashitta

Pesquisa mostra mudança no hábito de consumo em restaurantes no Brasil

25 maio, 2017 às 21:08  |  por Maximilian Santos

O cenário econômico desafiador dos últimos dois anos impactou os hábitos de consumo dos brasileiros que passaram a fazer escolhas mais racionais e usar mais promoções nas suas refeições fora do lar, segundo revelou a pesquisa CREST, realizada pela GS&Inteligência, empresa do Grupo GS& Gouvêa de Souza, que entrevista 72 mil consumidores por ano no Brasil.

Alimentação fora do lar – A pesquisa aponta que os brasileiros continuam frequentando os restaurantes em todo o Brasil, porém passaram a priorizar as refeições mais importantes na sua percepção, “ou seja, eles priorizam o almoço e lanche da tarde, principalmente durante os dias da semana, e passam a consumir menos nas refeições periféricas do dia, como o café da manhã, o lanche da manhã e nas refeições de entretenimento no final do dia e aos finais de semana”, explica Eduardo Yamashita (foto), diretor de Inteligência de Mercado da GS&Inteligência, responsável pelo estudo.

Promoções – Outro aspecto interessante apontado pelo levantamento foi o aumento no uso de promoções nas refeições (seja cupons de desconto, compre 1 leve 2, entre outros), que cresceu +6% na comparação do ano móvel de Mar/17 x Mar/16.

Oferta certa no momento certo – Reforçando a tendência de racionalização, os consumidores têm dado preferência aos restaurantes que oferecem a oferta de valor certa para um dado momento de consumo, “ou seja, os consumidores não querem errar e continuam a frequentar aqueles restaurantes que oferecem a melhor relação entre conveniência, produto, preço, promoção e experiência para o momento de consumo em questão”, esclarece Yamashita, que cita como exemplo as padarias.

Os consumidores continuam frequentando as padarias durante a manhã, mas há uma queda de mais de 30% no tráfego (ano móvel de Mar/17 x Mar/16) de pessoas nas padarias na hora do almoço, uma vez que esse tipo de estabelecimento não oferece uma boa oferta de valor para os consumidores nesse momento do dia.

Repensar a oferta de valor – “As tendências e mudanças no comportamento de consumo, como a maior racionalização que vimos em 2016, continuam presentes em 2017, mas estão atenuadas”, comenta o diretor de Inteligência de Mercado da GS&Inteligência. “No curto prazo é importante que os restaurantes repensem a sua oferta de valor para os momentos de consumo nos quais são reconhecidos, como a padaria durante a manhã ou um restaurante por quilo na hora do almoço, mas no médio prazo, a diversificação desses momentos de consumo é o que garantirá o crescimento de vendas para esses estabelecimentos”, aponta Eduardo Yamashita.

 
Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Cristiano Mendes GoDaddy

4 dicas para PMEs saírem na frente no Dia dos Namorados

24 maio, 2017 às 12:41  |  por Maximilian Santos

Datas comemorativas como o dia dos namorados podem ser uma grande oportunidade para alavancar as vendas de um pequeno negócio, desde que se apliquem estratégias certas para atrair novos e atuais clientes. Além de buscar preços acessíveis, hoje em dia o consumidor procura mais do que apenas um produto, ele quer algo especial. Principalmente em datas como o dia dos namorados, as pessoas buscam presentes que sejam únicos e com caráter diferenciado, pois o que está em jogo é fazer o parceiro feliz.

Por isso, apenas aplicar promoções especiais já pode não ser o suficiente. Isso não significa que você precisa investir todo o dinheiro de seu negócio com uma campanha megalomaníaca. Muitas vezes, o sucesso pode estar em ações simples, direcionadas e que podem casar com a data em questão. Para o dia dos namorados, veja algumas dicas de Cristiano Mendes (foto), Diretor de Produtos da GoDaddy para América Latina - maior plataforma de cloud dedicada a pequenos negócios e empreendimentos independentes, para ajudar fazer do seu produto um presente especial:

1. Planeje sua newsletter com antecedência - Para tentar alavancar suas vendas em datas comemorativas, você precisa primeiro preparar o consumidor, deixá-lo animado com o que você oferece e chamar sua atenção de forma positiva. Para poder fazer isso, você deve planejar as mensagens que quer divulgar e que diferentes canais usar e enviar com antecedência para que seus clientes considerem seu produto um presente.

Por exemplo, monte estratégias de newsletter para instigar o interesse com títulos relacionados à data. No dia dos namorados, você pode utilizar palavras como “amor”, “especial para namorados”, “crush”, “coração” e montar títulos que conversem com seu público alvo.

2. Utilize marketing de conteúdo - Se você possui um blog ou uma página no Facebook da sua empresa, não os utilize apenas para divulgar sua marca e produtos. Fale sobre seu mercado, mostre que você é um especialista e sabe do que está falando.

Escreva posts relacionados à data que tenham uma conexão com sua área de atuação e produtos. Por exemplo, se você possui uma loja de roupas, dê dicas de visuais legais para um jantar romântico no dia dos namorados.

3. Aproveite as características especiais da sua PME - Hoje em dia, produtos personalizados estão em alta. Os consumidores estão em busca de presentes especiais com significado pessoal. Pequenas empresas podem oferecer isso, pois possuem caráter criativo e de exclusividade. Muitas pessoas optam por comprar de negócios locais, e isso pode ser seu diferencial: produtos artesanais, orgânicos e sustentáveis, por exemplo, estão cada vez mais atraentes. Tanto que, de acordo com uma pesquisa feita em 2016 pela GoDaddy sobre PMEs, 82% dos proprietários de Pequenas empresas brasileiras preferem ganhar menos dinheiro com um negócio que prioriza a sustentabilidade ambiental do que ganhar mais dinheiro com um negócio que não prioriza isso. Um pequeno negócio pode demonstrar como é sustentável na prática, explicando de onde vêm suas matérias primas e detalhando seus processos.

Inclusive, de acordo com a Pesquisa de Informações Básicas Municipais (2014), conduzida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o artesanato é uma atividade econômica presente em 78,6% dos municípios brasileiros e cerca de 8,5 milhões de brasileiros geram sua principal renda a partir dessas vendas.

4. Prepare-se para alta demanda - Aplicar estratégias pré-data comemorativa pode ajudar a aumentar suas vendas naturalmente. Por isso, é necessário que você esteja pronto para atender todos os pedidos. Se você possui um site e-commerce, por exemplo, tenha estoque preparado e certifique-se de que seu site não sairá do ar em caso de muitos acessos simultâneos. Você pode fazer isso aumentando a potência da sua infraestrutura com seu provedor, adicionando capacidade de armazenamento e processamento. Se atende apenas através de mídias sociais, monte um cronograma para controlar sua produção e entrega, para ajudar a garantir que não haverá atrasos ou falta de materiais para que você possa atender aos pedidos de seus clientes.

Se você tem uma loja física, fique atento ao estoque e ao atendimento ao cliente, mesmo com a loja cheia, faça-o sentir-se confortável e em casa.

Datas comemorativas podem ser corridas para pequenas empresas. Porém, também podem ser grandes oportunidades de se destacar e atrair clientes, principalmente se aplicar estratégias inteligentes e eficazes que mostram que você entende seu mercado e oferece aos seus clientes o que eles precisam.

 

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.