Arquivos da categoria: Franchising

sorvete diretor

Mercado de saudabilidade e bem-estar ganha primeira marca de picolés, pela paranaense Los Paleteros

2 fevereiro, 2017 às 15:37  |  por Maximilian Santos

Uma maior consciência sobre a importância da alimentação na manutenção da saúde tem mudado o comportamento do consumidor brasileiro e essa é uma tendência que se reflete na indústria de alimentos.

O mercado de produtos com apelo saudável no Brasil movimentou US$ 34,7 bilhões em 2014, alta de 72,3% nos últimos cinco anos de acordo dados do Euromonitor. Um crescimento ainda maior ocorreu no segmento de alimentos para dietas de intolerância alimentar, que pulou de US$ 50,3 milhões para US$ 156,7 milhões, um salto de 211,5% em cinco anos.

Atento a esse mercado, a Los Paleteros aposta no lançamento de uma nova marca de sorvete, para atender tanto os consumidores que desejam ter uma alimentação mais equilibrada, quanto as pessoas diagnosticadas com alguma restrição alimentar. Nasce a :bentih, uma marca de sorvetes com foco em saudabilidade e bem-estar, que se destaca pela seleção criteriosa de ingredientes, ótimas combinações de sabores e por oferecer informações claras e objetivas nas embalagens.

“Produtos com apelo saudável estão cada vez mais presentes em supermercados e restaurantes. Identificamos, no entanto, que não existia um grande player no mercado nacional de sorvetes dedicado a este segmento, o que representa uma oportunidade para a Los Paleteros, que mais uma vez inova no mercado de sorvetes premium com a :bentih”, diz Gean Chu, diretor executivo e fundador da Los Paleteros, pioneira e principal marca de paletas no país.

Os picolés :bentih foram lançados estrategicamente no verão catarinense, sendo comercializados na loja Sormetier, um conceito multimarca de sorveteria inaugurado pela Los Paleteros, para oferecer um mix maior de produtos aos consumidores. A exemplo de Poëse, outra marca inovadora lançada pela Los Paleteros ano passado, os picolés saudáveis da :bentih serão comercializados pelas lojas e quiosques da rede, espalhadas por 10 estados brasileiros, bem como em freezers dedicados à marca em lojas parceiras, ligadas ao mercado de saudabilidade e bem-estar.

Sorvete vermelhosorverte verde

Com preços que variam de R$ 6,50 a R$ 9,90 a :bentih conta com 10 opções de sabores dividida em quatro linhas, para atender os diferentes públicos que buscam alimentos que traduzam uma vida mais saudável e equilibrada. Linha Zero: Maracujá Zero Açúcar, Pitanga Zero + Colágeno, CrunchyCream Zero Lactose e Coco + Creme de Amendoim Zero Lac; Linha Ox: OxVerde e OxLaranja; Linha Equilíbrio: Camomila + Capim Limão + Maracujá e Clorofila + Colágeno; e a Linha Fit: Whey Baunilha e Whey Morango Zero Açúcar.

 

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito das fotos: Zé Barretta/Divulgação.

 

 

franq7

Franchising prevê crescimento de 7% a 9% em 2017. Confira algumas franquias com bom preço, que querem expandir no Paraná

18 janeiro, 2017 às 15:57  |  por Maximilian Santos

Mesmo com a crise, o setor de franchising se mantém otimista! Segundo dados da ABF – Associação Brasileira de Franchising – o faturamento de setor em 2016 deve crescer 8% em relação ao ano anterior, passando de R$139,593 bilhões para cerca de R$150 bilhões. Para 2017, a projeção de crescimento é de 7% a 9%.

Investir em franquias pode ser um boa opção, principalmente por uma possível segurança para quem tem como meta ser o seu próprio chefe em 2017 já que apresentam um modelo de negócio já consolidado no mercado.

Abaixo, o blog People S/A selecionou algumas opções econômicas e interessantes de franquias que pretendem programar uma expansão no Paraná:

 

 

Alergoshop – Produtos hipoalergênicos

Investimento inicial: de R$140 mil à R$200 mil

Fundada em 1993, a Alergoshop (www.alergoshop.com.br) foi a primeira empresa no país a entender as reais necessidades das pessoas alérgicas. Especializada em produtos hipoalergênicos conta com 14 lojas e mais de 80 itens de fabricação própria e possui 10 diferentes linhas de produtos que incluem cosméticos, capas antiácaro, desodorantes, hidratantes, protetores solares, repelentes, produtos de limpeza, espaçador, desumidificador, umidificador purificadores de ar entre outros. Em 2012 a empresa decidiu apostar no mercado de franquias e já soma 10 unidades franqueadas, sendo sete no Estado de São Paulo, uma no Rio de Janeiro (RJ), em Vitória (ES), uma em Curitiba-PR e em breve uma em Recife (PE). A Alergoshop não testa seus cosméticos em animais e desenvolve seus produtos de forma criteriosa pesquisando profundamente cada matéria prima antes de incluí-la em seus produtos.

franq2

 

On Byte – Educação profissional

Investimento inicial: R$6 mil (modelo personal) R$ 168 mil (modelo full)

Rede de franquias de educação profissional com sede em Taguaritinga, a On Byte já está há mais de 20 anos no mercado. Com baixo investimento e rápido tempo de retorno, a rede oferece diversos modelos de negócio, com ou sem a necessidade de ponto fixo, e exclusividade territorial aos franqueados. A rede oferece os mais diversos cursos de capacitação para todas as faixas etárias, com horários flexíveis e sempre atualizados.

Franq1

 

 

GOU Franquias – Tratamento ortodôntico e clareamento dental

Investimento inicial: a partir de R$ 120 mil

Fundada em 2010, a GOU (Grupo Odontológico Unificado – http://goufranquias.com.br/) possui mais de 70 unidades pelo Brasil e tem como objetivo oferecer o mais alto padrão em tratamentos ortodônticos e clareamento dental  de forma personalizada e acessível a toda população. Todos os dentistas da rede GOU possuem especialização em ortodontia e, aliada a metodologia desenvolvida pela rede, garantem o melhor e mais rápido atendimento a um maior número de pacientes.  Com sede em Uberlândia, MG, a rede de franquias possui quatro modelos de negócio: para cidades até 20 mil habitantes com investimento inicial a partir de R$ 120 mil; para cidades até 50 mil habitantes com investimento inicial a partir de R$ 220mil; para cidades até 100 mil habitantes, investimento inicial a partir de R$ 260 mil; e acima de 200 mil habitantes com investimento inicial a partir de R$ 300 mil.

franq3

 

 

Estagilize – Agência de estágios

Investimento inicial: de R$13 mil à R$80 mil

Rede de franquias especializada no recrutamento, seleção e encaminhamento de estudantes para vagas de estágio, a empresa foi criada em 2002, na época chamada de Ideal Estágios.  Com sólida experiência no segmento, em 2015 a Estagilize (www.estagilize.com.br) se transformou na primeira rede de franquias do noroeste paulista e oferece o modelo consultor a partir de R$ 7 mil no qual é possível atuar via home office.

franq4

 

Sr. Sorvete – Fábrica de Sorvete

Investimento inicial: de R$109 mil à R$150 mil

Criada em 2014 no interior do estado de São Paulo, a Sr. Sorvete (http://www.srsorvete.com.br) , traz toda a tradição e alta qualidade dos mais de 20 anos de experiência do sócio fundador e chef Gelatiere, Leandro Sambini. Hoje, a Sr. Sorvete possui uma fábrica em Itápolis, com unidades em Cravinhos, Bauru (SP), Rio Branco (AC) e Uberlândia (MG) e um variado mix de produtos com mais de 191 sabores de sorvetes de massa, além de picolés, taças, tortas e bolos de sorvete, milk-shakes entre outros, além de café, chocolate quente e salgados. A empresa conta, ainda, com modernos equipamentos de última geração para maior precisão na fabricação de seus produtos.

Franq5

 

 

Bololô – Rede especializada em bolos caseiros

Investimento inicial: de R$140 mil

A Bololô (http://www.bolosbololo.com.br/) nasceu para trazer agilidade e praticidade, sem perder o gostinho de casa. Os produtos são feitos de forma totalmente artesanal, unindo um produto de baixo custo e de valor nutricional elevado, por utilizar somente produtos naturais (frutas, legumes), sem conservantes, aromatizantes e outros, para quem não tem tempo de preparar em casa, mas não abre mão de uma alimentação saudável.

franq6

 
Editado por Maximilian Santos.
Crédito das fotos: Divulgação.

 

franquias

Cinco franquias com faturamento mensal acima de R$ 40 mil mensais

28 outubro, 2016 às 13:42  |  por Maximilian Santos

Paulo Alexandre, da Arranjo Express, Luiz Cury Filho da Patroni e Alcides Debus da Rabusch

 
Considerado um dos mercados mais seguros e rentáveis para investir, o franchising tem atraído cada vez mais investidores interessados em ter o próprio negócio. De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), estima-se que o faturamento do setor chegue a R$ 150 milhões em 2016. Mas apesar dos bons resultados do mercado, é imprescisdível que o empreendededor avalie a fundo o negócio de sua preferência. Entre muitos pontos importantes, o faturamento mensal da franquia escolhida é um dos itens de atenção. Pensando em auxiliar os potenciais franqueados a escolher seu negócio, selecionamos algumas redes dos mais variados segmentos e que apresentam um  faturamento médio mensal a partir de R$ 40 mil. Veja a seleção:

 

Arranjos Express - Com 13 anos de experiência no mercado e quatro anos de operação no Brasil, a franquia portuguesa especializada em ajustes, reparos e customizações de roupas e acessórios de têxtil lar, conta com 53 lojas no Brasil e 30 em Portugal. O foco do negócio está na transformação estética de roupas e decoração do lar, como tapetes e cortinas. Ou seja, a marca oferece a possibilidade de modificar peças que antes estavam esquecidas no guarda-roupa em novas, indo muito além de ajustes e reparos, que também são oferecidos pela rede. O faturamento médio mensal estimado pela rede para suas unidades é de R$ 40 mil reais.

Franquia1

Investimento inicial: R$ 150 a 180 mil
Prazo de retorno: 8 a 18 meses

 

Brasileirinho Delivery - A rede é pioneira no mercado em servir comida típica brasileira em box. O objetivo do negócio é oferecer refeições de qualidade, por valores acessíveis, contando com a praticidade do serviço de entrega delivery. Atualmente, a marca possui 100 unidades e o faturamento mensal de cada franquia é de R$ 50 mil

Franquia2

Investimento inicial: De R$ 90 mil R$ 130 mil
Prazo de retorno: 60 meses

 

Patroni - A Patroni, rede de franquias especializada no segmento de alimentação, foi fundada há mais de três décadas pelo paulistano Rubens Augusto Junior, e atualmente é a maior rede de pizzarias do Brasil com mais de 192 lojas. A marca oferece três modelos de negócios para quem deseja investir na Patroni: Classic, Premium e Expresso. O faturamento mensal das unidades da marca variam de R$ 60 mil (operação Expresso) a R$ 125 mil.

Franquia3

Investimento inicial: a partir deR$ 150 mil (Expresso) a R$ 450 mil
Prazo de retorno: de 18 a 36 meses

 

Rabusch - Com 30 anos no mercado, a Rabusch é uma rede de franquias especializada em moda feminina.  Atualmente a marca possui 42 unidades, sendo 15 lojas próprias e 27 franquias, e está presente nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Norte. O faturamento médio mensal é estimado em R$ 90 mil.

Franquia4

Investimento médio: a partir de R$ 220 mil
Previsão de retorno: entre 18 a 30meses

 

Tip Top – Referência nacional no mercado infantil há 64 anos, a Tip Top possui dois modelos de negócios: a loja tradicional e a mega store. Com 108 unidades espalhadas por todo o Brasil, sendo nove no formato de super loja, a rede alcançou o rendimento de R$ 116 milhões em 2015. As operações têm faturamento mensal de R$ 85 mil (loja tradicional) a R$ 250 mil (mega store).

Franquia5

Investimento total: R$ 420 mil (loja tradicional) a 1,5 milhões (Mega Store).
Previsão de retorno: 36 a 40 meses.

 

 

Crédito das fotos: Divulgação.
Editado por Maximilian Santos

shark

Versão brasileira do programa ‘Shark tank’, negociando com tubarões, já é sucesso entre novos empreendedores

18 outubro, 2016 às 14:49  |  por Maximilian Santos

A versão brasileira do reality Shark Tank chegou no canal Sony na semana passada. O programa vai ao ar todas as quintas-feiras, às 21h. A dinâmica da atração coloca novos empreendedores em busca de aportes financeiros frente a frente aos “tubarões”, empresários já consolidados com disposição para investir. Assistimos ao episódio de estreia, e recomendamos!

Para convencer os chamados tubarões, os candidatos precisam fazer uma curta apresentação de seu produto e do plano de negócios. Se for convincente o bastante, pode sair de lá com um grande investimento e um novo sócio para sua empresa, caso contrário, pode ter seus sonhos destruídos pelos grandes empresários

No primeiro episódio foram apresentados um adubo orgânico, um tipo inovador de próteses ortopédicas, uma linha de alimentação saudável para crianças e uma marca de roupas para o ciclista urbano. Cada tubarão teve de tomar a difícil decisão de investir ou não no negócio.

O time de investidores do Shark tank Brasil conta com quatro tubarões fixos, o cantor e empresário Sorocaba, a empresária no ramo da moda Cristiana Arcangeli, o fundador da Polishop, João Appolinário, e o presidente do China in Box, Robinson Shiba. Na cadeira rotativa, Camila Farani, um dos principais nomes do investimento em start ups no Brasil, e Carlos Wizard, fundador da rede de idiomas Wizard.

Shark tank original é exibido desde 2009 nos Estados Unidos e já ganhou dois prêmios Emmy de melhor estrutura de reality show. Ao todo, já teve sete temporadas. Os tubarões principais da versão americana são Barbara Corcoran, Robert Herjavec, Daymond John, Kevin O’Leary, Mark Cuban, Lori Greiner e Kevin Harrington. Entre os convidados estão nomes como Ashton Kutcher e Jeff Foxworthy. A versão brasileira chega com produção da Floresta Produções e do Canal Sony.

 

Quer assistir ao primerio episódio? Clique aqui e assista no site da Sony Brasil: http://br.canalsony.com/programas/videos/episodio-1?playlist=203800

 


Histórico de alguns dos “tubarões”

João Appolinário - Começou como sócio da rede de concessionárias de automóveis da família para, em 1999, fundar a rede de varejo Polishop.

Robinson Shiba - Fundador da China in Box, a maior rede de franquias de comida chinesa da América Latina, com mais de 160 lojas em 70 cidades brasileiras.

Cristiana Arcangeli - Proprietária da Beauty’in, empresa de alimentos funcionais. Eleita a mulher mais influente do país pela revista Forbes.

Sorocaba - Cantor sertanejo e responsável pela administração de vários outros artistas como Lucas Lucco e Luan Santana. Tem investimentos em diversas áreas, como casas noturnas, redes de fast food e gravadoras.

 

Crédito da foto: Divulgação/Sony
Editado por Maximilian Santos.

 

 

 

Fabiana Estrela

Franchising na Região Sul fatura mais de R$ 10 bilhões no 1º semestre de 2016

13 setembro, 2016 às 14:47  |  por Maximilian Santos

Fabiana Estrela, diretora da regional Sul da Associação Brasileira de Franchising – ABF, comemora o ótimo desempenho do setor no primeiro semestre de 2016 no Sul do País. Segundo o mais recente balanço da ABF, o mercado de franquias na Região Sul faturou cerca de R$ 10,3 bilhões no primeiro semestre deste ano, o que representa mais de 15% do faturamento do mercado nacional de franquias no período, que foi de R$ 68,888 bilhões.

De janeiro a junho de 2016, o mercado nacional de franquias teve um crescimento nominal de 7,9% no faturamento. Dentre os segmentos que apresentaram maior crescimento no segundo trimestre de 2016 comparado a igual período do ano anterior, destacam-se: Esporte, Saúde, Beleza e Lazer (15%), Acessórios Pessoais e Calçados (10%), Negócios, Serviços e Outros Varejos (10%), Lavandaria, Limpeza e Conservação (9%) e Serviços Automotivos (9%).

Neste primeiro semestre, o mercado do Sul expandiu 7,5% e possui 22.160 unidades, o que representa 15,9% do mercado nacional. “Em marcas, crescemos 2,5% nos primeiros seis meses de 2016, somando 525 redes. Esses números provam que o Sul tem uma grande importância no sistema de franquias brasileiro e que as empresas do setor na região têm trabalhado duro para manter e expandir seus negócios com a certeza de que há espaço e boas oportunidades de crescimento”, destaca a executiva.

A Região é responsável por 16,5 % das redes no Brasil e diversas delas têm projeção nacional. É o caso, por exemplo, do O Boticário, que é a maior rede em números de unidades no País e líder mundial no segmento de cosméticos; iGUi, pioneira no mercado e maior rede de franquias de piscinas em fibra de vidro do mundo; Hering Store, Mormaii, entre outras.

Mesmo em tempos de instabilidade econômica, todos os estados da Região Sul são importantes e têm potencial para crescer não só em 2016, mas nos próximos anos. O Sul é uma região com excelentes oportunidades para os diversos segmentos de franquias. “Temos muitos municípios que possuem estrutura para receber grandes marcas e expandir suas unidades. É perceptível que o movimento do franchising para o interior se tornou mais intenso, chegando a cidades com menos de 50 mil habitantes. Várias cidades do interior se desenvolveram muito, formando um novo mercado potencial”, conclui a diretora.

 

Crédito da foto: Imagens do Youtube/ Sindilojas.
Editado por Maximilian Santos.

 

 

Foto 2 - Fernando_Menezes - Divulgação

PEOPLE S/A ENTREVISTA – Fernando Menezes, diretor da Schär no Brasil, conta um pouco da história e do futuro da marca

26 agosto, 2016 às 09:30  |  por Maximilian Santos

Fernando Menezes, diretor da Schär no Brasil, companhia internacional que conta com escritório em Curitiba, concedeu entrevista exclusiva para a People S/A. Confira:

 

PEOPLE S/A - Você vem da área automotiva, trabalhando na área de comunicação da Nissan e da Renault. Como foi começar a trabalhar desde o início da chegada da Schär no país, sendo um produto bem diferente do que você vinha trabalhando. Como foi vislumbrar a chegada da Schär no Brasil?

FM - O fato de nunca ter trabalhado na indústria de alimentos foi uma vantagem, pois criamos um modelo de negócio completamente novo, que visa a acessibilidade aos produtos para o consumidor final.

Usamos nossa experiência como gestores de grandes empresas para construir um conceito diferenciado de negócio, partindo do preço ideal para o consumidor. Assim,  desenvolvemos um modelo sem intermediários, com uma estrutura enxuta, procurando transferir valor ao consumidor final. Apesar do algo grau de complexidade que este modelo demanda, ainda hoje conseguimos seguir nesta mesma receita e atendemos todos nossos varejistas do país – mais de 3.500 pontos de venda no Brasil – sem distribuidores ou representantes. Com este modelo conseguimos trazer os melhores produtos sem glúten para o Brasil a preços competitivos, muitas vezes abaixo de similares nacionais e sempre abaixo de outras marcas importadas. Lembrando que são produtos certificados, com alta tecnologia de produção, excelente proposta nutricional.

Quando participamos de feiras e eventos ligados à indústria, recebemos inúmeras visitas de representantes, distribuidores, vendedores querendo representar a marca. Quando explicamos como trabalhamos a reação é sempre a mesma; “inacreditável! Como vocês conseguem!”.

Estou convicto que se tivesse vindo da indústria de alimentos hoje os preços da Schär estariam,no mínimo, 40% mais caros para o consumidor.

PEOPLE S/A -A Schär chegou no Brasil em 2012 com uma linha de produtos pequena. Hoje, 4 anos após o início das operações no Brasil nota-se o crescimento do mix de produtos da empresa. Como está o mercado sem glúten no Brasil? E o posicionamento da Schär nesse mercado?

FM - Iniciamos a operação com 16 produtos e hoje esse número dobrou, são 32 itens e tem mais novidade chegando em breve. Nossa ideia é suprir todas as necessidades de quem precisa ou opta por seguir uma alimentação sem glúten, do café da manhã ao jantar, sem ter que abrir mão do sabor, do aroma e da textura de alimentos tradicionais. A linha Schar tem mais de 100 produtos na Europa, e vamos continuar ampliando a oferta por aqui também.

Hoje a Schar está presente em mais de 60 países, é líder mundial e líder local na grande parte destes mercados, assim como no Brasil, onde temos visto um cenário em que o número de diagnósticos de doenças glúten-relacionadas aumenta com a disseminação da informação. Sim,há muita gente fazendo dieta sem glúten para emagrecer, mas nosso foco central é o consumidor que realmente precisa de uma alimentação segura e saudável. Além do celíaco, que representa cerca de 1% a 2% da população e cujo diagnóstico é relativamente simples, existem pessoas com sensibilidade ao glúten. Pesquisas em mercados maduros mostram que este número pode chegar a 15% da população, entretanto o diagnóstico de pessoas sensíveis ao glúten não é simples. Há muita pesquisa sendo feita em diversos países, inclusive por equipes médicas do Instituto DrSchar, uma referência em estudos glúten-relacionados.

Olhando para o mercado de intolerâncias em geral, principalmente glúten e lactose, ele vem crescendo em média 20% ao ano segundo o instituto de pesquisas Euromonitor. Só para se ter uma ideia, em 2006, 10 anos atrás, este mercado era praticamente do mesmo tamanho do mercado de produtos orgânicos, e hoje é mais que o dobro. O número de diagnósticos vem aumentando, porém ainda abaixo do que deveria, já que no Brasil não há políticas públicas que visem identificar e educar os pacientes de intolerâncias alimentares no início da enfermidade. O tratamento destas pessoas é simples, eficiente e acessível: basta uma alimentação correta, sem a necessidade de medicamentos de uso contínuo ou tratamentos caros. O sistema de saúde do país poderia economizar muito se houvesse uma política de saúde que tratasse o tema com seriedade

PEOPLE S/A - Muitos consumidores desconhecem a importância de uma dieta sem glúten, associando a um modismo. Mas a realidade é bem diferente, envolve uma questão séria de saúde. Quem são os clientes da Schär e como está o crescimento das vendas nesse segmento

FM - Ainda há muita desinformação sobre a questão do Glúten. Para um celíaco, comer glúten é como comer pequenos cacos de vidro, ou ainda como ingerir veneno. O organismo destas pessoas não reconhece a proteína e desencadeia um processo de auto-destruição das microvilosidades do intestino, causando uma série de complicações. Comer fora de casa para um celíaco é risco enorme, pois restaurantes por aqui ainda não educam seus funcionários sobre a questão. Em qualquer país desenvolvido a coisa é levada a sério, e cardápios já informam sobre a utilização ou não de ingredientes com glúten. Além dos celíacos, estudos estimam que até 15% da população tenha algum tipo de sensibilidade ao glúten. No tratamento das Síndrome do Intestino Irritável, a grande descoberta da ciência é o tratamento pela alimentação por meio de uma dieta não fermentativa, que exclui alguns alimentos durante 8 semanas ou nos períodos de crise, e o trigo/glúten é um dos itens da lista a serem cortados. Além disso já está comprovado que crianças autistas melhoram muito sua interação social com uma dieta sem glúten.Atletas de alta performance também têm realizado dietas com eliminação do glúten por períodos de treinamento intenso e pré-prova. Inúmeros estudos estão em andamento atualmente.

A grande controvérsia está relacionada ao emagrecimento. Vários livros foram publicados sobre o tema e afirmando que a simples retirada do glúten da dieta emagrece. A perda de peso está ligada à ingestão de calorias, e não necessariamente ao glúten. Se o indivíduo consumir produtos calóricos, com ou sem glúten, vai ganhar peso. A questão está na qualidade do alimento que se ingere. Como em toda indústria, no universo sem glúten também existem produtos bons e produtos ruins. A Schar, por exemplo não utiliza transgênicos, conservantes ou corantes artificiais em nenhum produto. A qualidade nutricional é que faz a diferença. Nosso pão branco fatiado mais simples contém mais fibras do que a maioria dos pães integrais vendidos no mercado. Tem muito produto sem glúten carregado de conservantes, aromatizantes, gordura hidrogenada, portanto não é só retirando o glúten que se ganha saúde, minha dica é sempre ler o rótulo.

 PEOPLE S/A -Quais os objetivos da Schär para os próximos anos em termos de Brasil? Qual a estratégia da empresa?

FM – Nossos principais objetivos estão ligados à cobertura geográfica e ajuste de mix. Já fornecemos para 80% das grandes redes de varejo, mas no Brasil as redes regionais são muito importantes. Nosso foco está em ampliar a presença em mercados onde ainda a disponibilidade de produtos não está completa, como no Nordeste. E isso passa por uma conscientização do próprio varejista, que precisa entender a importância de oferecer esta categoria de produtos ao consumidor.

Além disso estamos revisando nosso mix de produtos, buscando oferecer cada vez mais produtos relevantes no dia-a-dia dos consumidores, a preços competitivos.

PEOPLE S/A -2016 está sendo um ano complicado para a economia brasileira como um todo. Como os produtos da Schär são importados, qual a expectativa de crescimento para este segundo semestre?

FM – Sofremos muito no ano passo, com o Euro saindo de R$ 3,60 para R$ 4,70, e logicamente não podemos simplesmente repassar isso para o consumidor. Implantamos uma estratégia de hedging que nos permitiu segurar os preços. Alguma coisa teve que ser repassada em forma de aumento, mas dentro da média da inflação, nada que impactasse na competitividade dos produtos da marca e acessibilidade, nossa grande bandeira.

Creio que o enfraquecimento da economia tenha atingido o fundo do poço. Tenho conversado com muitos varejistas e a sensação é a mesma, não tem como piorar mais. Espero que a economia volte a crescer rapidamente que voltemos a poder planejar. Esse é o maior desafio de empreender no Brasil, a falta de previsibilidade.

 PEOPLE S/A -Quais as novidades que a Schär está trazendo para o Brasil para os próximos meses?

FM – Realizamos anualmente uma pesquisa com consumidores para entender do quê mais sentem falta. Com base nesta pesquisa, identificamos alguns itens que são prioritários para os consumidores e que ainda não oferecemos no Brasil. Como a Schär tem foco total no  mercado e nos nossos consumidores, mantemos um ritmo importante de inovação e desenvolvimento de produtos que nos permite ter novidades constantes, como o BiscottoAll´Avena lançado no início deste ano, que permite aos consumidores que seguem uma dieta sem glúten incluir novamente a aveia em seu cardápio.

Na última pesquisa vimos um aumento significativo de pedidos de produtos focados em conveniência, por exemplo.

Mesmo com todos os desafios logísticos, estamos trabalhando para oferecer esta nova categoria de produtos aos nossos consumidores brasileiros ainda em 2016.

PEOPLE S/A - Para os próximos anos, podemos contar com uma estrutura fabril da Schär no Brasil?

FM – Para justificar um investimento deste porte, o mercado ainda tem que crescer muito. Um dos pilares da diferenciação dos produtos Schär – além do sabor, segurança e excelentes valores nutricionais – é a tecnologia, que nos permite oferecer produtos sem conservantes com confortáveis prazos de validade, por exemplo. Ou que nos permite ter produtos sem necessidade de congelamento graças à tecnologia de produção. Por isso, a instalação de uma unidade produtiva Schär exige um investimento significativo. E um dos maiores impactos da crise em nosso plano de negócios fui justamente a necessidade de revisar investimentos e reduzir custos. Como comentei anteriormente,  a falta de visibilidade econômica prejudica o empreendedorismo no Brasil, pois investimentos de longo prazo exigem algum nível de estabilidade. Contudo, ainda tenho esperança de recuperação rápida da economia, que nos permitirá, ao menos, retomar este ponto em nossa agenda.

 

Crédito da foto: Divulgação
Edição: Rafaela Salomon

Vincent Gillet - Novo vice-presidente de marketing internacional da Hertz

Hertz anuncia novo vice-presidente para o marketing internacional

16 agosto, 2016 às 00:06  |  por Maximilian Santos

Vincent Gillet, acaba de ser anunciado como o novo vice-presidente de marketing internacional da Hertz Global Holdings, Inc. O executivo será responsável por liderar a estratégia de marketing e planejamento para as marcas Hertz, Dollar, Thrifty e Firefly na Europa, Oriente Médio, África, Ásia-Pacífico e América Latina. Gillet responde ao CMO, Matt Jauchius, e ao vice-presidente sênior de vendas, marketing e gestão de receitas internacional, Jim Mueller. Suas atribuições incluem o marketing regional, e-commerce, digital, marketing de parcerias e desenvolvimento de produtos e marcas.

Vincent Gillet passa a integrar a Hertz como um líder de marketing sênior, com grande experiência internacional nos setores automotivos e de turismo, assim como em varejo, vinhos e bebidas. O executivo possui um histórico de marketing liderado pelo consumidor, inovação de produto, marcas revigoradas, plataformas digitais excepcionais e desenvolvimento de parcerias.

Segundo Matt Jauchius, a participação de Gillet no desenvolvimento das estratégias de marketing globais da Hertz é essencial para continuar a entregar mensagens consistentes para os clientes no mundo todo. Jim Mueller acrescentou que ter alguém do calibre de Gillet na equipe é parte do compromisso de continuar a elevar as marcas e criar novos valores para os clientes e parceiros. “Com 23 anos de experiência em marketing na Ásia, Estados Unidos e Reino Unido, Gillet traz o background necessário para ser bem-sucedido em uma companhia com a presença da Hertz”, finalizou.

Recentemente, Gillet foi o vice-presidente global de marca na Infiniti, da Nissan Motors, onde inovou toda a estratégia da marca para um crescimento significativo. Anteriormente, foi vice-presidente e líder global de marca para os hotéis W e Le Meridien, da rede Starwood Hotels & Resorts, onde realizou a gestão da marca e desenvolvimento estratégico para 145 hotéis.

Vincent Gillet também foi diretor de marketing no Six Senses Hotels and Spa, uma marca de luxo sustentável na Ásia, Europa e Oriente Médio. Antes de começar no setor de hospitalidade, ele trabalhou na indústria de vinho e bebidas, como diretor global de marca da Stoli, country manager da Mumm e Perrier Jouer Champagnes no Reino Unido, e foi gerente de marca sênior da Moet & Chandon. Ele começou a carreira com o varejo, no Chanel Group, com cargos na comunicação, marketing e propaganda internacionais.

 

Crédito da foto: Divulgação.
Edição: Rafaela Salomon.

 

 

Mauricio de Carvalho Góes

TozziniFreire Advogados tem novo sócio

12 agosto, 2016 às 13:00  |  por Maximilian Santos

Maurício de Carvalho Góes, especialista em direito do trabalho, é o novo sócio na área Trabalhista de TozziniFreire Advogados. Com a chegada, o escritório passa a contar com 80 sócios em todo o País. Porto-alegrense, 40 anos, e ex-sócio do escritório Góes Advogados Associados, Maurício é doutor em Direito do Trabalho Nanotecnológico (Unisinos, 2014), mestre em Direito do Trabalho (Ulbra, 2008), especialista em Direito e Processo do Trabalho (Unisinos, 1999) e membro titular da Academia Sul-Riograndense do Direito do Trabalho. Professor do curso de graduação em Direito da PUC e do curso de Especialização em Direito e Processo do Trabalho na mesma instituição.

De acordo com Roberto Bersch, também sócio da área Trabalhista, a chegada é parte importante da estratégia de crescimento do escritório. Fundado há 40 anos, TozziniFreire Advogados é um escritório full service que atua em todas as áreas do direito empresarial. Possui unidades em Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Brasília e Nova York.

 

Crédito da foto: Divulgação.
Edição: Rafaela Salomon.

 

 

Diretores de marcas

Diretores e gerentes de franqueadoras investem em treinamento para driblar a crise

23 março, 2016 às 15:36  |  por Maximilian Santos

Em tempos de crise econômica, é essencial o preparo das empresas para se destacar da concorrência. No segmento de franquias, um dos principais desafios é manter a qualidade do serviço em toda a rede, por isso, a educação corporativa é essencial e deve ser realizada de maneira contínua, com o objetivo de habilitar o empreendedor para a gestão do próprio negócio e na operação do dia a dia. Com esse objetivo, marcas consolidadas estão criando universidades corporativas e ferramentas on-line que oferecem cursos e treinamentos presenciais e à distância com o propósito de oferecer estrutura especializada em desenvolver treinamentos em áreas sensíveis para o negócio. Isso inclui desde cursos de finanças, administração e de especialização com ênfase em mercado até treinamentos de gestão e manuais.

A rede de franquia de óculos solares e de grau Mercadão dos Óculos criou em 2015 a Universidade Corporativa do Mercadão dos Óculos (UCM), para transferir o conhecimento de forma presencial obrigatória por meio dos treinamentos presenciais na instituição que fica em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, onde é realizada a capacitação dos novos franqueados, as convenções nacionais com apresentações de desempenho e as reciclagens dos colaboradores para envolver eles entre si e, mantê-los informados sobre as novidades da marca, e à distância, que não é obrigatória, por meio da ferramenta on-line que foi desenvolvida para os franqueados, gerentes das lojas e equipes de vendas terem acesso a cursos como gestão comercial, liderança e empreendedorismo.

No final de cada aprendizado, o participante é submetido a uma avaliação que lhe concede um certificado da organização, comprovando assim sua aptidão para a função dentro dos padrões da marca. Além disso, por meio da ferramenta, a franqueadora tem acesso a todos os conteúdos que os parceiros acessam e o tempo destinado ao ensinamento, permitindo o acompanhamento do aprendizado em tempo real e controle de quem participa dos treinamentos garantindo assim uma forma eficaz de detectar possíveis problemas. Por meio do sistema também são realizadas conferências periódicas.

De acordo com o sócio-diretor de marketing da rede, Fábio Nadruz, o principal canal de comunicação hoje em dia entre a franqueadora e toda a rede é a UCM. “Atualmente 190 pessoas das 280 que compõem a organização já participaram das capacitações que oferecemos, e desde que implantamos a ferramenta, o faturamento da rede melhorou em 10%. Em 2016 vamos investir mais de R$ 70 mil reais em tecnologia para aperfeiçoar as pessoas, que é o nosso bem mais precioso”, ressalta.

Neste cenário, a rede de vestuário infantil Tip Top também está investindo na área e criou um setor de treinamento muito forte na empresa, que continuamente atualiza os processos junto aos franqueados e toda a equipe das lojas com focos em várias áreas como gestão, atendimento, controle de estoque, finanças, entre outros pontos importantes para o andamento de uma franquia. “Além de habilitar novos colaboradores, achamos essencial manter a casa em ordem e sempre capacitar e fazer uma reciclagem com nossos franqueados, assim a excelência sempre será o padrão da rede”, afirma o gerente de expansão da marca, Ricardo Marcondes. Isso explica a redução do turn over de funcionários nas lojas da rede e a melhora constante no atendimento prestado ao consumidor, o que gera consequentemente um crescimento de vendas para o negócio em um período de crise como vivemos.

Uma rede que também aposta em um sistema de treinamentos, para agregar conhecimentos aos novos franqueados e reciclar o que foi absorvido pelos que já fazem parte da rede, é a Jan-Pro – rede de franquia especializada em serviços de limpeza comercial. Dividida em cinco módulos, a primeira etapa da formação oferecida aos empreendedores que ingressam na rede compreende assuntos para o melhor entendimento do negócio e para ajudar a garantir o sucesso da unidade como, por exemplo, capacitação dos prestadores, realização de orçamentos e sobre como aplicar os métodos de limpeza da marca. “Todos os treinamentos são certificados e reconhecidos. Nosso objetivo é oferecer um suporte completo para que o franqueado se sinta apto e preparado para colocar sua unidade em funcionamento”, afirma o diretor executivo da Jan-Pro no Brasil, Renato Ticoulat.

Após iniciarem as operações, os franqueados da rede ainda contam com um suporte de reciclagem de conhecimentos e mais cinco módulos de treinamentos complementares, que podem ser feitos ao longo de um ano, com o intuito de prepará-lo para o atendimento de contratos de grande porte e para lidar com o crescimento autossustentável de sua unidade. “A formação avançada compreende assuntos como marketing, departamento pessoal e relacionamento com o cliente. Além disso, mensalmente promovemos dois encontros para oferecer suporte sobre algum problema ou tema que esteja presente no dia a dia das nossas franquias, por exemplo, para falar sobre conservação de cozinhas comerciais, pensando nos contratos que estamos fechando com grandes redes de alimentação”, explica Ticoulat.

Everton Didone - Diretor de Expansão e Porta Voz (3)

Brasileirinho Delivery investe em mais uma unidade no Paraná

15 março, 2016 às 15:17  |  por Maximilian Santos

Everton Didone, diretor de expansão da rede de franquias Brasileirinho Delivery, pioneira no segmento de restaurantes de comida típica brasileira em box, reforça sua presença no Paraná e anuncia a chegada da primeira loja da rede em Ponta Grossa. Localizada no centro paranaense, a 103 km da capital, a cidade está entre as regiões mais populosas de seu estado com aproximadamente 337 mil habitantes, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e vem se destacando nos últimos anos pelo seu crescimento econômico. Além disso, o Paraná é o terceiro estado do Brasil com mais redes franqueadoras, de acordo com dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising).

“Nosso plano de expansão contempla explorar mais pontos na região Sul do país, tendo como foco cidades com mais de 50 mil habitantes. No Paraná, contamos com oito lojas em funcionamento e até o final do ano esse número deve crescer em 30%”, conta o executivo.

Com um modelo de negócio inovador no mercado, a rede vem se destacando pela praticidade que proporciona aos seus consumidores, já que o alimento é embalado em box e pode ser consumido em qualquer local, além do sabor da refeição que leva um toque caseiro. “Atualmente, oferecemos 20 pratos, desde o Baião de Dois e Feijoada a opções mais leves, como Integral, Fitness e Salada Premium, além de dois tamanhos de boxes, o pequeno de 400 gramas e o grande que contém 700 gramas. Utilizamos no preparo, apenas materiais de primeira linha para garantir a qualidade de cada refeição”, completa Didone.

O Brasileirinho Delivery está presente em 22 estados do Brasil com 140 unidades em operação e para este ano prevê um faturamento médio de R$ 94 milhões. Para investir na franquia, o valor é a partir de R$ 80 mil e a projeção de retorno é de 12 a 16 meses.

 

Crédito da foto: Divulgação.