Arquivos da categoria: Perfil S/A

Perfil SA

PERFIL S/A – Empresário já fatura milhões com empresa que fundou aos 16 anos de idade

18 maio, 2017 às 14:53  |  por Maximilian Santos

Em uma fase onde muitos adolescentes ainda estão decidindo qual carreira seguir, Alex Pinhol (foto) já enxergava uma oportunidade para os negócios. Dando início às atividades aos 16 anos, na própria casa, o visionário decidiu abrir mão de um emprego estável para tocar seu projeto pessoal, que deu origem à Webfoco, empresa de soluções e consultoria em Marketing Digital que hoje atende mais de 800 clientes.

Antes de completar 10 anos da fundação, a empresa já teve um faturamento de R$ 3 milhões em 2016 e projeta um crescimento de 45% no número de clientes para 2017, chegando a um faturamento de R$ 5 milhões.

Início de tudo - Aos 13 anos, após perder o pai, Alex se viu obrigado a trabalhar para ajudar a mãe a sustentar os três irmãos mais novos. Com a entrada tão precoce no mercado de trabalho, aos 16 anos Pinhol já havia passado por diversas empresas e conhecido negócios diferentes.

A ideia de montar seu próprio negócio surgiu quando Alex começou a trabalhar em uma agência de publicidade. “Notei muitas falhas desde o atendimento ao cliente até a venda e execução dos projetos. Por exemplo, a agência e os funcionários não se atualizavam e usavam tecnologias obsoletas.” Ao notar os pontos em que a empresa não atendia bem aos clientes, Pinhol não perdeu a oportunidade e passou a oferecer serviços em sua própria casa, uma vez que, sendo menor de 18 anos, não poderia se formalizar como MEI.

Pinhol iniciou sua jornada oferecendo serviços como criação de sites em uma época em que a internet ainda era uma área totalmente nova para o mercado e muitas empresas ainda não tinham um ambiente digital. Assim foi o início da WebFoco, em 2008, com zero investimento e muita força de vontade. “Eu mesmo atendia, vendia e produzia. Com o passar do tempo, mesmo sem CNPJ, consegui investir o que havia lucrado e aluguei um escritório. Comecei a crescer mais, e pude contratar um funcionário para a produção, enquanto eu só ficava nas vendas”, comenta Pinhol.

Com o passar do tempo, Pinhol viu uma nova oportunidade de, não somente trazer os clientes para o mundo digital com a criação do site, como também mostrar que seria importante investir para atrair público para este novo site e, consequentemente, gerar mais vendas, criando assim o departamento de marketing digital da Webfoco.

Google Partner - Em 2010, após ter mostrado aos clientes a importância da publicidade digital, com investimentos em anúncios no Google, que seria a ferramenta do futuro, a WebFoco passou a ser reconhecida como “Google Partner”, empresa licenciada e treinada pelo Google para atuar em suas plataformas.

Cinco anos depois, a WebFoco se tornou uma Parceira Premier do Google, administrando cerca de R$ 10 milhões de investimento dos seus clientes apenas em mídia no canal. No Brasil, existem apenas 18 empresas reconhecidas desta forma e, por isso, o time do Google tem uma atenção maior com esses parceiros. “A principal exigência para se tornar um parceiro Premier do Google é trabalhar suas contas com qualidade, além de um valor mínimo de investimento em mídia da plataforma,” afirma Pinhol.

Com o aumento da demanda dos clientes e cada dia mais negócios focados no marketing digital, em 2012 a WebFoco criou uma plataforma própria onde os clientes poderiam ter acesso em tempo real aos resultados das campanhas de mídia online. “Criamos uma plataforma onde podemos acessar os resultados em tempo real e, caso a campanha não esteja indo bem, conseguimos ajustar a estratégia antes do fechamento do mês. Além disso, fizemos um site para que nossos clientes acompanhem os resultados com fácil acesso e entendimento,” explica o empreendedor. Através da plataforma, é possível avaliar o comportamento do público de cada cliente e, desta forma, investir de forma mais assertiva.

Hoje a WebFoco atua em um escritório com mais de 30 funcionários atendendo a mais de 800 clientes e tem uma meta de crescimento de 45% em clientes para 2017.

 

 

Editado por Maximilian Santos.
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Felipe-Zullino

Crédito com garantia facilita investimento em qualificação profissional

25 abril, 2017 às 18:04  |  por Maximilian Santos

O mercado de trabalho está cada vez mais exigente. Ter fluência em idiomas, conhecimento específico ou mesmo estar em sintonia com novas tendências por meio de cursos de atuação na própria área de atuação fazem toda a diferença na hora de pleitear uma vaga ou alçar degraus profissionais mais altos. É consenso a ideia de que investir na carreira é sempre um bom negócio, mas muitas vezes exige um estudo preliminar antes de ocupar um assento na sala de aula: checar se os custos dessa formação cabem no bolso.

Há opções de financiamento estudantil para cursos de graduação vantajosas, mas se a necessidade é fazer um curso de  idiomas, extensão ou pós-graduação, especialmente aqueles fora do país, raras são as opções que oferecem flexibilidade para o pagamento, restando quitar à vista ou em poucas parcelas.  Uma solução oportuna para quem busca investir em qualificação profissional sem pressionar o orçamento familiar é a do crédito com garantia. Esse tipo de empréstimo permite que quem tem uma casa ou carro possa usar esses bens ao seu favor para acessar taxas de juros mais baixas e prazos mais longos, tornando cursos como MBAs, especialização, de idiomas ou mesmo um intercâmbio mais acessíveis, com juros cerca de 5 vezes mais baixos que um empréstimo pessoal comum.

Na Creditas, plataforma digital de empréstimos, é possível acessar taxas a partir de 1,89% ao mês no caso do crédito com garantia de veículo e parcelar em até cinco anos. Os empréstimos vão de R$ 2 mil até 80% do valor do carro pela tabela FIPE. Se a necessidade de investimento for maior, o empréstimo com garantia de imóvel pode se uma boa alternativa, com tíquetes a partir de R$ 30 mil, de acordo com o limite de 50% do valor do imóvel. A taxa de juros começa em 1,15% ao mês e os prazos podem chegar a 20 anos.

“Acreditamos que todo profissional deveria ter o direito de investir na sua carreira sem ter que sacrificar a saúde financeira com o pagamento de juros altos em créditos de curto prazo. O empréstimo com garantia se mostra uma alternativa eficiente para esse tipo de demanda, oferecendo condições adequadas para financiar investimentos que darão suporte ao crescimento profissional sem criar uma pressão no orçamento”, afirma Felipe Zullino, sócio e diretor de Desenvolvimento de Negócios da Creditas.

Como funciona - Diferente do processo de análise de crédito dos bancos convencionais para liberar um crédito com garantia, onde apresentação da papelada acontece antes do interessado saber se está apto ou não a obter o empréstimo, no site da Creditas (www.creditas.com.br) em apenas três passos rápidos com informações básicas de identificação, valor e tipo de empréstimo já é possível saber se o interessado está pré-qualificado para tomar esse tipo de empréstimo. Passada essa etapa, a aprovação, apresentação de documentos e liberação acontece toda de forma digital, sempre com o suporte de consultores para esclarecer o passo a passo e eventuais dúvidas sobre o crédito com garantia. A vistoria do bem é toda providenciada pela Creditas, que envia até o local um auditor independente, para validar as informações  sobre o carro ou imóvel. Na plataforma, o cliente além de fugir da burocracia, aumenta as chances de ter o crédito aprovado, com solicitações feitas eletronicamente a mais de dez instituições financeiras parceiras e liberação do dinheiro na conta a partir de 48 horas em operações mais simples de crédito com garantia de veículo.

Sobre Creditas - A Creditas (ex-BankFacil) é uma plataforma digital de crédito focada em produtos com garantia, que tem como sua missão reduzir os elevados gastos com juros no Brasil. Baseada em São Paulo, a Creditas, conta com 140 colaboradores, usando tecnologia e inteligência de dados para gerar eficiência e reinventar a experiência do tomador de crédito. Seu modelo híbrido de financiamento permite originar empréstimos com garantia de imóvel ou de automóvel com recursos tanto de investidores institucionais quanto de instituições financeiras. Além de empréstimos com garantia, a empresa também atua no segmento de financiamento de automóveis no mercado C2C. Creditas tem o suporte dos fundos de venture capital Redpoint eVentures, Kaszek Ventures, Quona Capital, QED Investors, IFC (braço de investimentos do Banco Mundial) e Naspers Fintech.

 

 

Editado por Caroline Rissio.
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

BernardoThomaz_bellagula

Bella Gula contrata consultoria americana para dar a largada no projeto de internacionalização da marca

21 março, 2017 às 17:15  |  por Rafaela Salomon

A rede de franquias Bella Gula fechou contrato com a Boston Innovation Gateway, uma importante consultoria americana especializada na aceleração de entrada de marcas internacionais para dar seguimento ao plano de internacionalização da marca. A empresa americana tem como foco a expansão de mercado através da inovação e já testou este modelo com sucesso em mais de 500 empresas.

Uma das estratégias que será usada para a empresa gaúcha desbravar o mercado dos Estados Unidos é a plataforma de mercado Innovation Olympics. A Bella Gula participou de uma competição que envolveu empresas do mundo inteiro interessadas em ideias inovadoras, seja para lançar um produto ou expandir os seus horizontes. A rede de confeitarias foi selecionada para participar da plataforma de inovação, e a partir de agora conta com suporte de estudantes de cinco universidades dos Estados Unidos – entre elas, Harvard – para organizar seus negócios no país.

“Ficamos muito empolgados com a possiblidade do nosso projeto ser pensado e estudado pelas melhores cabeças do mercado de negócios americano”, conta Bernardo Thomaz, diretor da Bella Gula. Universidades dos estados de Massachusetts (Hult, Brandeis e Harvard), Flórida (Tampa) e Carolina do Norte (Duke) terão grupos de alunos de graduação e pós-graduação em business desenvolvendo a pesquisa de mercado e o plano de negócios da empresa brasileira em solo americano. “A ideia é fazer a pesquisa de mercado nessas cinco regiões diferentes dos Estados Unidos para aumentar a chance de sucesso e entender melhor o mercado que a Bella Gula está desbravando”, diz Manuel Mendes, diretor-executivo da consultoria americana e que está à frente do processo de expansão.

A expectativa é que em março de 2018 a primeira loja Bella Gula na terra do Tio Sam esteja em funcionamento. Em três anos, a rede de franquias espera ter quatro lojas próprias e começar a expandir por todo o território americano via franchising. “Estamos com o espírito aberto para, se for necessário, adaptar o nosso negócio ao gosto dos americanos”, explica Thomaz. A ideia de crescimento da rede de franquias abrange também o Brasil. “A nossa meta é abrir pelo menos dez novas lojas em 2017 e o foco será fortalecer a marca Bella Gula no interior do Rio Grande do Sul e nas capitais onde já temos uma semente plantada, como Florianópolis, Curitiba, São Paulo e Brasília”, complementa o diretor.

A Bella Gula é a maior rede de tortaria e café da Região Sul do Brasil. A empresa, que atualmente conta com 31 lojas, foi fundada em 1993 pelo casal Bernardo e Daniela Thomaz, e começou o seu processo de expansão via franchising em 1999. O mix da Bella Gula contempla gastronomia, confeitaria e cafeteria com uma ampla variedade de produtos artesanais de altíssima qualidade.

Além da marca Bella Gula, que tem como foco a megatendência mundial da sensorialidade e prazer, com seus dois formatos de franquia – “Tortaria & Café” e “Restaurante & Tortaria” – Bernardo Thomaz tem também outro know how, através de sua segunda marca, Balanceado, uma rede de alimentação saudável, que está ancorada na tendência global da saudabilidade e bem-estar. “É essa experiência no mercado de varejo de alimentos que pretendemos aplicar no potente e promissor mercado dos EUA”.

Em Curitiba é possível encontrar as delícias da Bella Gula no Shopping Mueller (Av. Cândido de Abreu, 17, Centro Cívico – Piso L1 – subsolo – quiosque 031). As encomendas de tortas inteiras podem ser feitas pelo telefone (41) 3026-5330.
Para mais informações: http://www.bellagula.com.br.

 

Bella Gula –  A Bella Gula é a maior rede de tortaria e café da Região Sul do Brasil. Atualmente a empresa gaúcha conta com mais de 30 lojas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Distrito Federal. Foi fundada em 1993 pelo casal Bernardo e Daniela Thomaz, e começou o seu processo de expansão via franchising em 1999. O mix da Bella Gula contempla gastronomia, confeitaria e cafeteria que possui uma ampla variedade de produtos artesanais de altíssima qualidade.

Editado por Rafa Salomon
Crédito da foto: Divulgação.

 

 

 

Foto 2 - Fernando_Menezes - Divulgação

PEOPLE S/A ENTREVISTA – Fernando Menezes, diretor da Schär no Brasil, conta um pouco da história e do futuro da marca

26 agosto, 2016 às 09:30  |  por Maximilian Santos

Fernando Menezes, diretor da Schär no Brasil, companhia internacional que conta com escritório em Curitiba, concedeu entrevista exclusiva para a People S/A. Confira:

 

PEOPLE S/A - Você vem da área automotiva, trabalhando na área de comunicação da Nissan e da Renault. Como foi começar a trabalhar desde o início da chegada da Schär no país, sendo um produto bem diferente do que você vinha trabalhando. Como foi vislumbrar a chegada da Schär no Brasil?

FM - O fato de nunca ter trabalhado na indústria de alimentos foi uma vantagem, pois criamos um modelo de negócio completamente novo, que visa a acessibilidade aos produtos para o consumidor final.

Usamos nossa experiência como gestores de grandes empresas para construir um conceito diferenciado de negócio, partindo do preço ideal para o consumidor. Assim,  desenvolvemos um modelo sem intermediários, com uma estrutura enxuta, procurando transferir valor ao consumidor final. Apesar do algo grau de complexidade que este modelo demanda, ainda hoje conseguimos seguir nesta mesma receita e atendemos todos nossos varejistas do país – mais de 3.500 pontos de venda no Brasil – sem distribuidores ou representantes. Com este modelo conseguimos trazer os melhores produtos sem glúten para o Brasil a preços competitivos, muitas vezes abaixo de similares nacionais e sempre abaixo de outras marcas importadas. Lembrando que são produtos certificados, com alta tecnologia de produção, excelente proposta nutricional.

Quando participamos de feiras e eventos ligados à indústria, recebemos inúmeras visitas de representantes, distribuidores, vendedores querendo representar a marca. Quando explicamos como trabalhamos a reação é sempre a mesma; “inacreditável! Como vocês conseguem!”.

Estou convicto que se tivesse vindo da indústria de alimentos hoje os preços da Schär estariam,no mínimo, 40% mais caros para o consumidor.

PEOPLE S/A -A Schär chegou no Brasil em 2012 com uma linha de produtos pequena. Hoje, 4 anos após o início das operações no Brasil nota-se o crescimento do mix de produtos da empresa. Como está o mercado sem glúten no Brasil? E o posicionamento da Schär nesse mercado?

FM - Iniciamos a operação com 16 produtos e hoje esse número dobrou, são 32 itens e tem mais novidade chegando em breve. Nossa ideia é suprir todas as necessidades de quem precisa ou opta por seguir uma alimentação sem glúten, do café da manhã ao jantar, sem ter que abrir mão do sabor, do aroma e da textura de alimentos tradicionais. A linha Schar tem mais de 100 produtos na Europa, e vamos continuar ampliando a oferta por aqui também.

Hoje a Schar está presente em mais de 60 países, é líder mundial e líder local na grande parte destes mercados, assim como no Brasil, onde temos visto um cenário em que o número de diagnósticos de doenças glúten-relacionadas aumenta com a disseminação da informação. Sim,há muita gente fazendo dieta sem glúten para emagrecer, mas nosso foco central é o consumidor que realmente precisa de uma alimentação segura e saudável. Além do celíaco, que representa cerca de 1% a 2% da população e cujo diagnóstico é relativamente simples, existem pessoas com sensibilidade ao glúten. Pesquisas em mercados maduros mostram que este número pode chegar a 15% da população, entretanto o diagnóstico de pessoas sensíveis ao glúten não é simples. Há muita pesquisa sendo feita em diversos países, inclusive por equipes médicas do Instituto DrSchar, uma referência em estudos glúten-relacionados.

Olhando para o mercado de intolerâncias em geral, principalmente glúten e lactose, ele vem crescendo em média 20% ao ano segundo o instituto de pesquisas Euromonitor. Só para se ter uma ideia, em 2006, 10 anos atrás, este mercado era praticamente do mesmo tamanho do mercado de produtos orgânicos, e hoje é mais que o dobro. O número de diagnósticos vem aumentando, porém ainda abaixo do que deveria, já que no Brasil não há políticas públicas que visem identificar e educar os pacientes de intolerâncias alimentares no início da enfermidade. O tratamento destas pessoas é simples, eficiente e acessível: basta uma alimentação correta, sem a necessidade de medicamentos de uso contínuo ou tratamentos caros. O sistema de saúde do país poderia economizar muito se houvesse uma política de saúde que tratasse o tema com seriedade

PEOPLE S/A - Muitos consumidores desconhecem a importância de uma dieta sem glúten, associando a um modismo. Mas a realidade é bem diferente, envolve uma questão séria de saúde. Quem são os clientes da Schär e como está o crescimento das vendas nesse segmento

FM - Ainda há muita desinformação sobre a questão do Glúten. Para um celíaco, comer glúten é como comer pequenos cacos de vidro, ou ainda como ingerir veneno. O organismo destas pessoas não reconhece a proteína e desencadeia um processo de auto-destruição das microvilosidades do intestino, causando uma série de complicações. Comer fora de casa para um celíaco é risco enorme, pois restaurantes por aqui ainda não educam seus funcionários sobre a questão. Em qualquer país desenvolvido a coisa é levada a sério, e cardápios já informam sobre a utilização ou não de ingredientes com glúten. Além dos celíacos, estudos estimam que até 15% da população tenha algum tipo de sensibilidade ao glúten. No tratamento das Síndrome do Intestino Irritável, a grande descoberta da ciência é o tratamento pela alimentação por meio de uma dieta não fermentativa, que exclui alguns alimentos durante 8 semanas ou nos períodos de crise, e o trigo/glúten é um dos itens da lista a serem cortados. Além disso já está comprovado que crianças autistas melhoram muito sua interação social com uma dieta sem glúten.Atletas de alta performance também têm realizado dietas com eliminação do glúten por períodos de treinamento intenso e pré-prova. Inúmeros estudos estão em andamento atualmente.

A grande controvérsia está relacionada ao emagrecimento. Vários livros foram publicados sobre o tema e afirmando que a simples retirada do glúten da dieta emagrece. A perda de peso está ligada à ingestão de calorias, e não necessariamente ao glúten. Se o indivíduo consumir produtos calóricos, com ou sem glúten, vai ganhar peso. A questão está na qualidade do alimento que se ingere. Como em toda indústria, no universo sem glúten também existem produtos bons e produtos ruins. A Schar, por exemplo não utiliza transgênicos, conservantes ou corantes artificiais em nenhum produto. A qualidade nutricional é que faz a diferença. Nosso pão branco fatiado mais simples contém mais fibras do que a maioria dos pães integrais vendidos no mercado. Tem muito produto sem glúten carregado de conservantes, aromatizantes, gordura hidrogenada, portanto não é só retirando o glúten que se ganha saúde, minha dica é sempre ler o rótulo.

 PEOPLE S/A -Quais os objetivos da Schär para os próximos anos em termos de Brasil? Qual a estratégia da empresa?

FM – Nossos principais objetivos estão ligados à cobertura geográfica e ajuste de mix. Já fornecemos para 80% das grandes redes de varejo, mas no Brasil as redes regionais são muito importantes. Nosso foco está em ampliar a presença em mercados onde ainda a disponibilidade de produtos não está completa, como no Nordeste. E isso passa por uma conscientização do próprio varejista, que precisa entender a importância de oferecer esta categoria de produtos ao consumidor.

Além disso estamos revisando nosso mix de produtos, buscando oferecer cada vez mais produtos relevantes no dia-a-dia dos consumidores, a preços competitivos.

PEOPLE S/A -2016 está sendo um ano complicado para a economia brasileira como um todo. Como os produtos da Schär são importados, qual a expectativa de crescimento para este segundo semestre?

FM – Sofremos muito no ano passo, com o Euro saindo de R$ 3,60 para R$ 4,70, e logicamente não podemos simplesmente repassar isso para o consumidor. Implantamos uma estratégia de hedging que nos permitiu segurar os preços. Alguma coisa teve que ser repassada em forma de aumento, mas dentro da média da inflação, nada que impactasse na competitividade dos produtos da marca e acessibilidade, nossa grande bandeira.

Creio que o enfraquecimento da economia tenha atingido o fundo do poço. Tenho conversado com muitos varejistas e a sensação é a mesma, não tem como piorar mais. Espero que a economia volte a crescer rapidamente que voltemos a poder planejar. Esse é o maior desafio de empreender no Brasil, a falta de previsibilidade.

 PEOPLE S/A -Quais as novidades que a Schär está trazendo para o Brasil para os próximos meses?

FM – Realizamos anualmente uma pesquisa com consumidores para entender do quê mais sentem falta. Com base nesta pesquisa, identificamos alguns itens que são prioritários para os consumidores e que ainda não oferecemos no Brasil. Como a Schär tem foco total no  mercado e nos nossos consumidores, mantemos um ritmo importante de inovação e desenvolvimento de produtos que nos permite ter novidades constantes, como o BiscottoAll´Avena lançado no início deste ano, que permite aos consumidores que seguem uma dieta sem glúten incluir novamente a aveia em seu cardápio.

Na última pesquisa vimos um aumento significativo de pedidos de produtos focados em conveniência, por exemplo.

Mesmo com todos os desafios logísticos, estamos trabalhando para oferecer esta nova categoria de produtos aos nossos consumidores brasileiros ainda em 2016.

PEOPLE S/A - Para os próximos anos, podemos contar com uma estrutura fabril da Schär no Brasil?

FM – Para justificar um investimento deste porte, o mercado ainda tem que crescer muito. Um dos pilares da diferenciação dos produtos Schär – além do sabor, segurança e excelentes valores nutricionais – é a tecnologia, que nos permite oferecer produtos sem conservantes com confortáveis prazos de validade, por exemplo. Ou que nos permite ter produtos sem necessidade de congelamento graças à tecnologia de produção. Por isso, a instalação de uma unidade produtiva Schär exige um investimento significativo. E um dos maiores impactos da crise em nosso plano de negócios fui justamente a necessidade de revisar investimentos e reduzir custos. Como comentei anteriormente,  a falta de visibilidade econômica prejudica o empreendedorismo no Brasil, pois investimentos de longo prazo exigem algum nível de estabilidade. Contudo, ainda tenho esperança de recuperação rápida da economia, que nos permitirá, ao menos, retomar este ponto em nossa agenda.

 

Crédito da foto: Divulgação
Edição: Rafaela Salomon

os sócios proprietarios Marcelo

PERFIL S/A – Os empresários que viram na gastronomia criativa um ótimo negócio

6 abril, 2016 às 13:50  |  por Maximilian Santos

O planejamento e a visão da exigência do mercado por uma empresa responsável e com qualidade acima dos padrões, posicionou a Zafferano, buffet e gastronomia, como referência na prestação de serviço para os mais importantes eventos, dos ritos de passagem às mesas de negócios, em Curitiba.

Na frente desse sucesso, os sócios-proprietários Marcelo Monteiro e Josiane Boy, além de outros investidores, que também junto do contratado chef de cuisine Eudemar Cavalcanti, reuniram em uma empresa nova, mas com profissionais de vasta experiência, cardápios surpreendentes e soluções criativas em gastronomia. A ideia do empreendedor gastronômico foi reunir aromas, texturas e cardápios personalizados para atender do mais simples ao mais sofisticado paladar.

Chef Eudemar
           O chef de cuisine Eudemar Cavalcanti

A Zafferano também se destacou devido à expertise no setor, aliada com as tendências nacionais e internacionais. “Pensamos em unir em uma só empresa os mais diversos serviços relacionados a eventos, e para isso, formamos um time de pessoas altamente capacitadas e experientes, para que cada detalhe de seu evento seja feito o mais próximo da perfeição”, explicam os sócios-proprietários.

O planejamento e a visão da exigência do mercado por uma empresa responsável e com qualidade acima dos padrões reforçam o seu posicionamento na capital paranaense que, com versatilidade, criatividade, rigor e disciplina na execução, organiza desde simples coquetéis até superproduções.

Hoje, por essa preocupação na qualidade, no atendimento, na inovação aliada às novidades do mercado, com valores comerciais dentro do padrão de cada cliente, a Zafferano se consolidou como um dos principais serviços da área escolhidos pelas mais importantes empresas e indústrias para eventos corporativos. “Contribuir para que os eventos de nossos clientes sejam inesquecíveis, oferecendo uma ampla gama de produtos e serviços, com segurança, agilidade e excelência no atendimento, foram as  chaves para abrirmos as portas do nosso sucesso”, finaliza Marcelo Monteiro.

Denise

PERFIL S/A – Presidente da Magnetron lança livro infantil inspirada em história de família

30 março, 2016 às 21:48  |  por Maximilian Santos

A união em família e o dia a dia de qualquer vida inspiram os textos de Denise Remor, presidente da Magnetron, empresa pioneira na fabricação de Sistemas de Ignição e Energia, além de ser reconhecidamente uma das maiores fabricantes – em diversidade – de peças eletrônicas de reposição para motos, para o livro “O Parto da Bezerra”. É a primeira obra escrita pela empresária, formada também em Direito pela Universidade de Passo Fundo.  O lançamento será no dia 4 de abril, na Livrarias Curitiba do Shopping Barigui.

O Parto da Bezerra conta a história verdadeira da noite do Natal de 2006 da família da autora. Estavam todos à mesa, contando casos e rindo muito, quando de repente o telefone toca: “Era a caseira do nosso sítio. Ela me ligou dizendo que a vaca estava parindo e que precisava de ajuda. Não pensamos duas vezes e fomos, em família, ajudar. Foi tudo muito engraçado, por isso, virou história e na noite de Natal, nada melhor do que reproduzir um acontecimento vivido em família e compartilhar em um livro, com muito amor e um final feliz”, diz Denise.

As funções diárias da presidente de uma empresa de peças para motos, localizada  em São José dos Pinhais (PR), e mãe de dois filhos jovens, Victor com 21 anos e João com 13, não tiram a sensibilidade e nem o tempo de dedicação à leitura de obras de escritores como Gabriel Garcia Marquez, Erico Veríssimo, Umberto Eco, Isabel Aliende, entre outros. “Eu leio de tudo e, ultimamente, tenho lido muito também os romances policiais do  escritor norueguês Jo Nesbo”, afirma. São pelo menos três a quatro livros ao mês, que alimentam a alma de Denise, que, apesar de não gostar de dizer que é escritora, já está com o segundo título infantil pronto para ser editado.

“A primeira vez que me chamaram de escritora, fiquei impressionada. Para mim é como falar de um professor, um título que não é para qualquer um. Eu me divirto escrevendo e, inclusive, muita coisa surge de conversas que tenho comigo mesma em meus diários, para os quais conto meus pensamentos e fatos dos meus dias. É um hobby”, conta.

Alguns contos e crônicas de Denise Remor podem ser lidos também em sua página no Facebook. Todos acompanhados de lindas fotografias feitas pela empresária e escritora. Sim, ela ainda tira alguns momentos de seus dias para relaxar e se inspirar na arte da fotografia. Atenta a todos os acontecimentos à sua volta, Denise está sempre com um caderno para iniciar suas mais divertidas e interessantes histórias.

“O cotidiano me inspira e a partir daí, invento histórias, muitas com personagens verdadeiros. Outro dia, foi a Hora do Brasil que me inspirou, a partir do relato de um casal que entrou na justiça contra um hotel onde iam passar a lua de mel, mas o hotel informou que não havia reserva. Eles ganharam a ação. Olha que história! Sempre ando com cadernos, molesquines e desenhei todo o fato na minha cabeça, claro, com o toque bem humorado que gosto de dar aos meus textos”, conta Denise.

Com ilustrações de Márcio Cavalheiro e Marcelo Fogaça, O Parto da Bezerra tem tudo para encantar crianças e famílias em busca de uma história divertida de amor, um certo suspense, união e solidariedade. E este é só o início de um longo caminho que a autora deseja percorrer. Denise Remor gosta de desafios e ainda pensa em reunir muitas histórias em um trabalho mais complexo. “Meu desejo é escrever uma novela, um romance. Para isso, preciso ainda criar uma rotina entre reuniões, afazeres empresariais e o dia a dia de casa. Não será nada fácil, um desafio, mas enquanto isso, O Parto da Bezerra já é uma conquista entre muitas histórias que ainda tenho para construir e contar para todos”, conclui Denise.

 
Crédito da foto: Divulgação.

Diretor Expoente

PERFIL S/A – Biografia do diretor do Grupo Expoente relata trajetória de sucesso e coragem em comemoração aos 30 anos da instituição

28 março, 2016 às 14:00  |  por Maximilian Santos

Dionisio Müller, mais conhecido por Ale, atualmente é sócio-diretor do Grupo Expoente, que há mais de 30 anos atua como um dos maiores grupos educacionais do país. O que poucos sabem é que ele tem origem humilde e trilhou um longo caminho para chegar nesta posição, que inclui as profissões de caminhoneiro e ilustrador.

Para tornar pública a sua história e também para motivar leitores a buscarem seus sonhos, Müller lança este mês a biografia “Viagens marcantes de uma vida plena”. “O título é pertinente, pois devo minha ascensão pessoal e profissional às experiências adquiridas em três viagens marcantes. Elas mudaram a minha vida para melhor”, explica ele, que hoje em dia representa o grupo educacional em congressos e feiras relacionadas à educação.

Nascido na cidade de São Sebastião do Caí, no interior do Rio Grande do Sul, Dionisio Müller teve infância e adolescência humilde. Mas aos 14 anos, se mudou para a cidade de Xanxerê, em Santa Catarina. Ali aprendeu a desempenhar uma função que seria o seu primeiro trabalho, como caminhoneiro, profissão que exerceu durante oito anos.

“Eu desejava exercer uma atividade que, além de me tirar da solidão e das situações de risco, me possibilitasse ter um ganho mais recompensador. Por causa disso, comecei a formatar um pequeno e modesto sonho, que era ter um emprego que me permitisse trabalhar em escritório, jornada diária de apenas oito horas e morar em apartamento. O pequeno sonho motivou-me a vir para Curitiba em busca de uma vida melhor, mais segura e mais promissora. Aqui, o sonho, não apenas se realizou como também desencadeou uma série de mudanças e transformações pessoais e profissionais em larga escala”, conta o autor que promete detalhes interessantes sobre algumas passagens da sua vida.

Vida no Expoente – Já na capital paranaense, Müller iniciou a carreira no Grupo Expoente como ilustrador do material didático produzido pela gráfica da instituição. Gradualmente, ele evoluiu dentro da empresa, ocupando as posições de gerente de departamento de desenho, gerente de departamento comercial, gerente da editora gráfica, até finalmente se tornar um dos sócios diretores.

O livro – O objetivo do autor é mais do que criar um documento de memórias, é inspirar outras pessoas a batalharem por seus sonhos. “Quero compartilhar com os leitores experiências que os ajudem a vencer dificuldades, a encontrar soluções para uma mudança de vida, seja ela pessoal ou profissional” finaliza o diretor.

 

Crédito da foto: Divulgação.

CelsoBazzola

OPINIÃO S/A – Você é workaholic? Especialista fala sobre os cuidados a serem tomados

10 março, 2016 às 18:38  |  por Maximilian Santos

Cenas comuns em reuniões de negócios são executivos disputarem quem está trabalhando mais, como se isso fosse motivo de orgulho, contudo, o que não se percebe nessas situações é que pode se estar caracterizando uma disfunção, que é o fato de ser um workaholic.

Mas, o que é workaholic e quais os riscos envolvidos com esse problema? CelsoBazzola, diretor executivo da Bazz Consultoria, listou as principais dúvidas relacionadas ao tema.

Veja alguns pontos relacionados ao tema:

1 – Características do workaholic

Características de pessoas com esse problemas são fáceis de perceber, são elas que constantemente trabalham mais de 12 horas por dia no escritório e ainda leva serviço para casa, é ela também que constantemente recebe críticas por no fim de semana ficar sempre de olho no celular e checar as mensagens a cada hora para ver se existe alguma pendência no trabalho.

2 – Eu sou?

Segundo o especialista em recursos humanos, é mais fácil localizar uma pessoa com esse problema do que tratar. “Hoje são constantes os casos de workaholics e isso se percebe a partir do momento que a pessoa não consegue se desligar do trabalho, deixando de lado sua convivência social, seja com familiares ou amigos. Assim a pessoa se torna um trabalhador viciado e compulsivo, mesmo fora de seu ambiente de trabalho ele cria um novo ambiente recheados de temas  sobre seus negócios, não há situação que o faça se desligar do trabalho”.

Sintomas desse distúrbio de comportamento é uma autoestima exagerada, insônia, mau-humor, impotência sexual, atitudes agressivas em situações de pressão e, muitas vezes, depressão.

3 – Problemas relacionados

Para Bazzola, a situação pode ser bastante problemática e pode trazer sérios prejuízos para o profissional e, até mesmo, à empresa. “Acredito que para empresa a situação traz mais desvantagens do que vantagens. Inicialmente pode ser interessante, pois a velocidade dos resultados é satisfatória, porém há um desgaste emocional natural do profissional, pois ele estará isolado e restrito ao tema trabalho, bloqueando sua sociabilização o que poderá resultar em sérios transtornos futuros para sua vida”.

A situação pode ser tão grave que estudos recentes de casos clínicos em consultórios psicológicos e psiquiátricos apontam que o vício de trabalho é similar à adição ao álcool ou cocaína. Tornado o trabalho, nesses casos uma obsessão doentia.

4 – É preciso saber viver!

Segundo Celso Bazzola, “não há pecados em trabalhar esporadicamente além de sua carga diária, desde que essa ação seja meramente por necessidade de urgência e de impacto específico. Isso, para o mercado de trabalho, acaba sendo um diferencial, mas, o profissional e as áreas de Recursos Humanos devem identificar quando não há exageros em uma rotina normal de trabalho. A partir do momento que a carga horária começa a extrapolar constantemente é momento de refletir. O trabalho será saudável enquanto não aprisiona a pessoa na necessidade constante de falar e estar agindo pelo trabalho”.

O caminho para combater esse problema é assegurar o equilíbrio, entre a vida pessoal e profissional, buscar valorizar mais os momentos de lazer e perceber que o descanso é fundamental para melhoria de resultados e busca de novas ideias que podem potencializar os resultados no trabalho.

5 – Workaholic x Worklover

É importante sabermos diferenciar o amor ao trabalho do vício. Um worklover tem noção de que o excesso se refletirá em conflitos nos relacionamentos pessoais, além de proporcionar efeitos nocivos à saúde e bem-estar. Existem profissionais que buscam entregar resultados e isso é positivo. É importante ter em mente que, o fato de ser um workaholic não significa que o profissional seja mais produtivo. Muitas vezes, vemos pessoas que não conseguem ter organização no seu dia a dia e acabam trabalhando mais tempo para entregar o mesmo resultado.

É importante lembrar que a vida é muito mais do que só trabalhar e que uma mente que não descansa não é totalmente sã. Assim, não adianta trabalhar demais, isso possivelmente ocasionará erros e retrabalhos. Portanto, tem que parar de trabalhar até para poder trabalhar bem. É uma questão de lógica.


Crédito da foto: Divulgação.

IVONALDO ALEXANDRE

PERFIL S/A – A história de Marco Franzato, o ex-boia-fria que hoje veste celebridades e lançou a marca Morena Rosa

9 março, 2016 às 18:34  |  por Maximilian Santos

Com CNE

Marco Franzato até os 16 anos havia cursado apenas o ensino fundamental. Sua principal ocupação era ser boia-fria, colhendo café no interior do Paraná ao lado do pai.

Quando uma forte geada destruiu as lavouras da região, a família se mudou para Cianorte em busca de emprego. Conseguiu, com o padrinho, uma vaga como ajudante em um escritório de contabilidade. Depois de voltar aos estudos e já casado, Franzato decidiu abrir uma confecção com ajuda da mulher e de alguns amigos, apostando no seu tino como administrador, no bom gosto da esposa e nas habilidades da cunhada, que era modelista.

A empresa nasceu com o dinheiro da venda de um automóvel Monza, ano 91, em 1993, único bem que Marco Franzato, fundador da empresa, possuía na época. Com os cerca de US$ 8 mil que levantou com a venda, comprou os primeiros tecidos utilizados pela confecção. E em 2010, dezessete anos depois, sua grife registrava um faturamento de R$ 250 milhões.

O primeiro salão que alugaram tinha 80 metros quadrados. Hoje, o Grupo Morena Rosa possui quatro marcas. E é lembrada por oito em cada dez mulheres das classes A e B, de acordo com o instituto de pesquisa Datafolha.

Atualmente, já tem planos traçados até 2020, quando pretende transformar o grupo em sociedade anônima e deixar a gestão, delegando-a para profissionais. Hoje, o executivo criou o Instituto Morena Rosa de Desenvolvimento Humano em 2006, em Cianorte, cidade onde tudo começou e que abriga a sede do grupo.

 

Crédito da foto: Divulgação.

Cibele de Freitas

PERFIL S/A – Empreendedoras destacam a força feminina no Dia da Mulher

8 março, 2016 às 16:00  |  por Maximilian Santos

Donas de casa, mães, esposas, amigas, profissionais competentes são alguns dos importantes papeis desempenhados pelas mulheres todos os dias. Aliás, esta é a realidade de grande parte das brasileiras que conseguem conciliar as tarefas do dia a dia com o papel de empresárias, empreendedoras e profissionais dedicadas ao desenvolvimento de sua carreira.

De acordo com um levantamento realizado pela Serasa Experian, o Brasil conta com mais de 5 milhões de mulheres empreendedoras, número que representa cerca de 8% da população feminina no país. Com idade média de 44 anos, as empresárias têm sua maior concentração nas regiões Sudeste (55,06%) e Sul (19%).

Prova de que as brasileiras estão conquistando cada vez mais espaço nos negócios, é o case da empresária Cibele de Freitas, diretora da Sigbol Fashion. Há quase 20 anos a frente da diretoria da rede de franquia especializada em cursos profissionalizantes de confecção e moda, ao lado do seu irmão, a executiva viveu um grande desafio para coordenar e desenvolver a área de ensino da empresa. “Temos profissionais com mais de 20 anos de casa. Eu não faria nada sem a colaboração desta equipe integrada e dedicada”, ressalta. Atualmente, a empreendedora lidera uma equipe de 50 pessoas e considera extremamente importante conseguir que os colaboradores trabalhem alinhados com o mesmo objetivo da empresa.

Assim como Cibele, outras mulheres têm colaborado cada vez mais para que a participação feminina em cargos de gestão e o índice daquelas que querem ter a própria empresa cresçam a cada ano. De acordo com o Serviço de Apoio as Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), nos últimos 10 anos o número de mulheres que comandam pequenos negócios no Brasil aumentou 21,4%.

Dentro deste cenário, uma história que também merece destaque é da franqueada Lucila Mara da Silva, que ao ser diagnosticada com câncer de mama, aos 60 anos, decidiu dar a volta por cima, viver um novo desafio e abrir seu próprio negócio. Ao fazer uma pesquisa de mercado para empreender, ela que sempre trabalhou como professora de costura descobriu que a Sigbol Fashion era também uma rede de franquia e, como sempre gostou do segmento, decidiu tornar-se franqueada. “Sempre tive vontade de ter um negócio próprio e era uma área que eu já conhecia. Comecei a pensar em tudo ainda durante o tratamento. Isso me ajudou a esquecer da doença. E, hoje, aos 65 anos, estou satisfeita com o meu negócio”, conta a empresária.

Atualmente, Lucila segue batalhando para manter sua saúde e pelo sucesso da franquia que comanda. Sua unidade na grande São Paulo, que conta com 100 alunos e professores qualificados, continua prosperando apesar do atual cenário de incerteza econômica no país. “Eu não acredito em crise, por isso, cada vez mais me dedico para que o meu negócio continue sempre crescendo. Nós, principalmente as mulheres que querem ter a própria empresa, não podemos desistir ou desanimar. Tem mercado para todo mundo, basta apenas ter coragem e ir em busca do que se deseja. Digo isso com base em tudo o que eu já passei e fiz na minha vida”, conclui.

 

Crédito da foto: Divulgação.