Deputado do PV repudia ódio contra nordestinos

30 outubro, 2014 às 12:46  |  por Ivan Santos

rasca
Foto: Nani Gois/Alep

As manifestações de ódio e discriminação contra os nordestinos, devido à votação expressiva da presidente Dilma Rousseff (PT) na região que culminou em sua reeleição, foram duramente criticadas ontem pelo deputado estadual Rasca Rodrigues (PV), na tribuna da Assembleia Legislativa. Ele classificou o sucesso obtido pela presidente aos “consideráveis avanços econômicos e sociais” que região teve nos últimos dez anos.

“Nas últimas eleições presenciamos os mesmos episódios de xenofobia e ódio contra o Nordeste, o que lamento muito. Buscaram culpados e tentaram desqualificar a região, que apenas fez uma opção pelo projeto que está fazendo dela novamente protagonista no Brasil”, afirmou Rasca.

Rasca refutou a tese defendida por muitos de que os nordestinos votaram no atual governo por medo de perder o benefício do Programa Bolsa Família. “O estado de São Paulo é o segundo em número de famílias contempladas pelo programa e sabemos que os paulistas votaram em peso no candidato Aécio Neves. Ou seja, é antidemocrático não respeitar a vontade da maioria e selecionar um segmento para colocar a culpa”, disse.

De acordo com dados apresentados pelo deputado, em 2002 apenas 4,8 milhões de nordestinos tinham emprego formal. Hoje são 8,9 milhões. Mais de 20 milhões de pessoas deixaram a pobreza, e água, luz e educação agora fazem parte da vida de todos os nordestinos. “Talvez por isso nossos irmãos nordestinos votaram na Dilma. Eles, diferente do que muitos falam, têm motivos e conhecimentos para votar no projeto que mudou suas vidas”, finalizou.

Deputado do DEM volta a dizer que “menos esclarecidos” votaram em Dilma

30 outubro, 2014 às 12:43  |  por Ivan Santos

plauto
Foto: Sandro Nascimento/Alep

Diante das galerias tomadas por professores e integrantes da APP Sindicato, ontem, o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Plauto Miró Guimarães (DEM), voltou a repetir a frase dita por ele no início da semana, segundo a qual “quem pensa votou em Aécio Neves (para a presidência), e quem tem dificuldade de pensamento votou em Dilma”. Dirigindo-se diretamente aos manifestantes, o parlamentar do DEM ainda acrescentou: “respeito aqueles que votam com o bolso. Muitos servidores votam para não perderem regalias”, disse, provocando vaias na plateia. “A gente fala e parece que vestem a carapuça”, afirmou Guimarães.

O primeiro-secretário da Assembleia sustentou seu argumento alegando que nos municípios paranaenses que têm maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), Aécio ganhou a eleição de lavada. Já nas cidades mais pobres, Dilma teria recebido mais votos. “Para mim está claro que quem pensa votou no Aécio, e aqueles menos esclarecidos na Dilma”, afirmou o parlamentar.

Plauto ainda cobrou uma atitude do presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni (PSDB), contra os professores que o vaiavam. “Quando o aluno faz isso na sala de aula, o que o professor faz? Manda para fora”, comparou.

O líder da bancada do PT, deputado Tadeu Veneri, classificou como “ofensivo” e “raso” o discurso do do primeiro secretário da Casa. “Até entendemos a decepção de quem perdeu a eleição. Não se pode desqualificar quem ganha uma eleição presidencial. Não se trata de uma olimpíada de matemática. A equação é simples. Perderam porque tiveram menos votos. O contraditório faz parte da democracia. A ofensa não”, reagiu Veneri.

Governo suspende eleição para diretores de escolas

29 outubro, 2014 às 17:37  |  por Ivan Santos

resolução

Diante da manobra da oposição que derrubou a sessão de hoje da Assembleia Legislativa e impediu a votação do projeto que prorroga o mandato dos atuais diretores de escolas estaduais, o governo baixou uma resolução suspendendo a eleição, que estava marcada para 24 de novembro. A resolução é assinada pelo secretário de Estado da Educação, Paulo Afonso Schmidt, e prevê que a disputa está suspensa “até a votação final na Assembleia Legislativa” do projeto (…) “que propõe alteração na Lei nº 14.231/2003, que define critérios de escolha, mediante Consulta à Comunidade Escolar, para destinação de Diretores e Diretores Auxiliares da Rede Estadual de Educação Básica do Paraná”.

O governo propôs a prorrogação até dezembro de 2015, do mandato dos atuais diretores, alegando necessidade de aprimorar o processo de escolha, estabelecendo critérios de capacitação dos gestores das escolas. A APP Sindicato se posicionou contra a iniciativa, alegando que ela muda as regras do jogo às vésperas da eleição.

A liderança do governo tentou apressar a votação do projeto, pedindo a transformação do plenário da Assembleia em comissão geral na sessão de hoje, mas a oposição – com o apoio de parlamentares da base governista – esvaziou o plenário, derrubando a votação por falta de quórum.

Quando a votação foi encaminhada, apenas 25 dos 54 deputados registraram presença no painel eletrônico de controle de frequência. Como o regimento prevê um número mínimo de 28 parlamentares presentes para a votação de qualquer projeto, o presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni (PSDB), não teve outra alternativa se não decretar o final da sessão.

Professores arregimentados pela APP Sindicato – contrária ao projeto – lotaram as galerias do plenário do Legislativo, e pressionaram os deputados durante toda a sessão. Diretores favoráveis à prorrogação também participaram, tentando apoiar a proposta. O governo alega que a prorrogação tem o objetivo de melhorar o processo de escolha dos diretores, estabelecendo regras para a capacitação dos mesmos. A APP e a oposição acusa o governo de tentar um “golpe” ao mudar as regras do jogo em andamento.

“Não é dia de votar um projeto como esse. Em nenhum momento, durante a campanha, o governador colocou a intenção de prorrogar os mandatos”, reclamou o líder da bancada do PT, deputado Tadeu Veneri. “O Requião prorrogou os mandatos dos diretores em 2006, com o aval da APP. Se lá valia, porque agora não vale?”, rebateu o líder do governo, deputado Ademar Traiano (PSDB).

Por várias vezes, a sessão foi interrompida diante das manifestações das galerias contrárias ao projeto. Rossoni pediu silêncio aos manifestantes, e chegou a ameaçar mandar os seguranças retirarem os que estivessem “faltando com o respeito” contra os deputados.

Manobra impede votação de projeto que prorroga mandato de diretores de escolas

29 outubro, 2014 às 15:54  |  por Ivan Santos

veneri Foto: Sandro Nascimento/Alep

Uma manobra da bancada de oposição derrubou a sessão de hoje da Assembleia Legislativa, impedindo a votação do projeto do governo Beto Richa (PSDB) que prorroga por um ano o mandato dos atuais diretores de escolas públicas estaduais. A proposta – que cancela a eleição dos novos diretores, marcada para novembro, estendendo o mandato dos atuais ocupantes dos cargos até dezembro de 2015 – foi incluída na pauta de hoje, e a intenção do governo era garantir sua votação o mais rápido possível.

Os parlamentares oposicionistas, porém, se retiraram do plenário no momento da votação de outro projeto do governo, referente à cessão de um imóvel do Estado para um municipio, forçando a derrubada da sessão por falta de quórum. Quando a votação foi encaminhada, apenas 25 dos 54 deputados registraram presença no painel eletrônico de controle de frequência. Como o regimento prevê um número mínimo de 28 parlamentares presentes para a votação de qualquer projeto, o presidente da Assembleia, deputado Valdir Rossoni (PSDB), não teve outra alternativa se não decretar o final da sessão.

Professores arregimentados pela APP Sindicato – contrária ao projeto – lotaram as galerias do plenário do Legislativo, e pressionaram os deputados durante toda a sessão. Diretores favoráveis à prorrogação também participaram, tentando apoiar a proposta. O governo alega que a prorrogação tem o objetivo de melhorar o processo de escolha dos diretores, estabelecendo regras para a capacitação dos mesmos. A APP e a oposição acusa o governo de tentar um “golpe” ao mudar as regras do jogo em andamento.

“Não é dia de votar um projeto como esse. Em nenhum momento, durante a campanha, o governador colocou a intenção de prorrogar os mandatos”, reclamou o líder da bancada do PT, deputado Tadeu Veneri. “O Requião prorrogou os mandatos dos diretores em 2006, com o aval da APP. Se lá valia, porque agora não vale?”, rebateu o líder do governo, deputado Ademar Traiano (PSDB).

Por várias vezes, a sessão foi interrompida diante das manifestações das galerias contrárias ao projeto. Rossoni pediu silêncio aos manifestantes, e chegou a ameaçar mandar os seguranças retirarem os que estivessem “faltando com o respeito” contra os deputados.

Governo do Estado propõe pacote para antecipar receita e garantir 13º

28 outubro, 2014 às 14:56  |  por Ivan Santos

traiano
Foto: Nani Gois/Alep

O governo do Estado enviou à Assembleia Legislativa um pacote de medidas para antecipar receitas e reforçar o caixa, garantindo o pagamento do décimo-terceiro salário dos servidores públicos e outras despesas de final de ano. A lista inclui um projeto que prevê o pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) de 2015 já este ano, um novo refinanciamento de dívidas de contribuintes com o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), imposto sobre heranças (ITCMD), e do próprio IPVA, além de mudanças nas regras para compensação e recebimento de precatórios (dívidas do Estado reconhecidas pela Justiça).

Os projetos foram enviados ao Legislativo ontem, e devem ser votados já na sessão de amanhã, segundo o líder da bancada do governo, deputado Ademar Traiano (PSDB), que pediu a transformação do plenário em comissão geral para acelerar a tramitação das matérias. No caso do IPVA, o governo oferece desconto de 10% para o pagamento em parcela única do imposto já este ano. O projeto não especifica a data, apontando que ela será regulamentada por decreto pelo Executivo. Mas o líder governista afirmou que a intenção é que o desconto seja oferecido para o pagamento imediato assim que a proposta for aprovada e regulamentada. Ou seja, caso isso aconteça até a semana que vem, os contribuintes poderiam fazer o pagamento já em novembro ou dezembro. Para o pagamento em fevereiro, também em cota única, mantêm-se o desconto de 5%. Para quem pagar parcelado a partir de março, não há desconto.

Traiano admitiu que o objetivo é reforçar o caixa do Estado neste final de ano, garantindo o décimo-terceiro do funcionalismo e outras despesas. “Além de ser um benefício para o cidadão (a antecipação do IPVA), é para buscar recursos para suplementar o caixa. É antecipar receita”, confirmou.

Em relação ao Refis, mesmo contribuintes que aderiram ao último programa de refinanciamento de dívidas de 2012, mas estão inadimplentes, poderão ser beneficiados. “A intenção é permitir qu equem entrou no Refis mas está inadimplente possa repactuar suas dívidas”, disse o líder governista. Segundo ele, a estimativa é conseguir uma arrecadação de R$ 1,2 bilhão com esse novo refinanciamento.

Traiano reconheceu que apesar de ser feito um “provisionamento” ao longo do ano para garantir os recursos para o pagamento do décimo-terceiro salário dos servidores, esse pacote de antecipação de receitas e reforço de caixa ajudará o Estado a cumprir esse compromisso. “É lógico que isso dá um suporte”, admitiu.

Estado de saúde de doleiro é estável, diz boletim médico

28 outubro, 2014 às 13:28  |  por Ivan Santos

Boletim médico assinado pelo cardiologista Rubens Zenóbio Darwich hoje aponta que o estado de saúde do doleiro Alberto Youssef, internado desde o último sábado no hospital Santa Cruz, em Curitiba, é estável. Segundo a nota, ele está “lúcido e orientado, com sinais vitais dentro da normalidade”, “realizando fisioterapia e reposição de nutrientes”. Não há previsão de alta.

O doleiro – preso na operação Lava Jato, que apura um esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos – foi internado após queda de pressão arterial. No sábado (25) à noite, boatos foram disseminados pelas redes sociais, especulando a respeito do motivo do internamento do doleiro acusado de lavar dinheiro desviado da Petrobras. As especulações incluíam boatos de que ele teria sido envenenado – o que chegou a ser compartilhado por deputados estaduais como o presidente da Assembleia Legislativa, Valdir Rossoni (PSDB), e o primeiro-secretário da Casa, Plauto Miró Guimarães (DEM), além do deputado federal Fernando Francischini (SDD).

Beto Richa diz que Aécio “sai muito maior do que entrou” na eleição

27 outubro, 2014 às 16:56  |  por Ivan Santos

O governador Beto Richa (PSDB) afirmou hoje que o candidato do PSDB à presidência da República, senador Aécio Neves, “sai muito maior do que entrou”, da disputa eleitoral deste ano, vencida no segundo turno pela presidente Dilma Rousseff (PT). Richa avalia que apesar da derrota, Aécio se credencia como o principal líder da oposição no País, e que deve agora comandar uma “oposição construtiva” ao segundo governo Dilma. “O Aécio sai muito maior do que entrou desta eleição. Como a maior referência de oposição do Brasil e deve lidera os demais partidos de oposição”, analisou o governador, reeleito no primeiro turno.

Richa afirmou ainda ter gostado do discurso de Dilma após a proclamação do resultado, e disse esperar que ela cumpra o compromisso de estabelecer um diálogo respeitoso com a oposição. Ele aposta nesse compromisso como forma de melhorar as relações do governo paranaense com o governo federal, já que nos últimos anos, alega que o Estado foi discriminado por interesse político. “Espero que essa situção mude, até apostando no compromisso da presidente de buscar o diálogo. Da minha parte, nunca faltou. Como prefeito (de Curitiba), tive uma boa relação com o presidente Lula”, lembrou. “Passada a eleição, todos devem descer do palanque”, defendeu o tucano.

Deputado do DEM manda petistas “comemorarem na Bahia”

27 outubro, 2014 às 16:18  |  por Ivan Santos

justus
Foto: Sandro Nascimento/Alep

O ex-presidente da Assembleia Legislativa e presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa, deputado estadual Nelson Justus (DEM), sugeriu hoje em discurso na tribuna do plenário, que os militantes do PT do Paraná deveriam “comemorar” a vitória da presidente Dilma Rousseff (PT) no segundo turno da eleição presidencial, “na Bahia”, já que no Paraná ela perdeu a disputa para Aécio Neves (PSDB). No Paraná, Dilma teve 39,02% dos votos contra 60,98% do candidato tucano.

A declaração mostra que um dia após a eleição – que foi a mais disputada desde a redemocratização do País – os ânimos entre os aliados de Aécio e Dilma continuam exaltados. Justus começou o discurso afirmando que a disputa foi “acirrada como há muito tempo não se via”, e “repleta de mentiras e agressões”. O parlamentar do DEM ainda tentou deixar claro que não concorda com as teses de separatismo, deflagradas diante da vitória do candidato do PSDB nos estados do Sul e Sudeste, e de Dilma no Norte e Nordeste do País. “Longe de mim essa divisão de ‘o Sul é o meu País’”, garantiu, para depois cobrar mudanças na condução da política econômica, afirmando que a inflação estaria fugindo ao controle do governo federal, com risco do aumento do desemprego e crescimento “pífio”.

No final da fala, porém, Justus acabou se contradizendo ao afirmar: “os que têm a estrela vermelha do 13 no peito deveriam comemorar, mas é lá na Bahia, onde ganharam. Aqui eles perderam”, afirmou o deputado.

“Quem pensa votou Aécio, quem tem dificuldade votou Dilma”, diz deputado

27 outubro, 2014 às 16:09  |  por Narley Resende
Foto: reprodução / Alep

Foto: reprodução / Alep

Depois de propagar o boato sobre a morte do doleiro Alberto Youssef no Facebook, o primeiro secretário da Assembleia Legislativa deputado Plauto Miró Guimarães (DEM) voltou a militar com ênfase em polêmicas. Antes da coletiva convocada pelo governador Beto Richa (PSDB), nesta segunda-feira (27) à tarde, para falar sobre o resultado da eleição presidencial, o deputado do DEM reafirmou que a presidente Dilma Rousseff (PT) foi reeleita por eleitores que “têm dificuldade em pensar”.

Segundo Plauto, quem pensa vota no Aécio. “Na região dos Campos Gerais, que é onde milito politicamente, tem um município só que a Dilma ganhou. Foi 65% (SIC) dos votos para o Aécio. É verdade, é o Brasil que está aí, nós não temos que esconder, não temos que mentir, o país está dividido, as pessoas menos favorecidas votaram na presidente Dilma, com menos estudo, ela venceu as eleições, nós temos que agregar o Brasil para que nós possamos ter a governabilidade, mas a verdade é essa, tem gente que não quer pensar. Eu quero aqui dizer: aqueles que pensam votaram no Aécio, aqueles que têm dificuldade no pensamento votaram na Dilma. Pergunto a você, vocês votaram como?”, repete.

No sábado, o deputado divulgou no Facebook o boato de que o doleiro Alberto Youssef, delator do caso da Petrobras, havia sido envenenado. “Há suspeitas de que a causa da morte seja envenenamento. Não podemos nos calar, é agora ou nunca. Vote 45!”, escreveu um dia antes da eleição. O texto foi apagado.

Plauto Miró foi reeleito deputado estadual neste ano com 63.959 votos.

Julgamentos de contas das campanhas começam na próxima semana

27 outubro, 2014 às 14:13  |  por Narley Resende

siga o dinheiro

A partir da próxima segunda-feira (06) começam os julgamentos das prestações de contas finais dos candidatos das eleições deste ano. Os tribunais regionais eleitorais têm até 10 dias antes da diplomação dos eleitos para concluir os julgamentos.

Com o valor mais alto entre os candidatos ao Palácio Iguaçu nas eleições deste ano, o governador reeleito Beto Richa (PSDB) declarou arrecadação de R$ 4,29 milhões. Dos candidatos derrotados com mais gastos, o senador Roberto Requião (PMDB) apresentou receita de R$ 1,5 milhão e a senadora Gleisi Hoffmann (PT) declarou gastos superiores à arrecadação. Dos R$ 3,45 milhões em doações, a campanha de Gleisi já gastou R$ 6,3 milhões.

O governador Beto Richa fez a primeira declaração parcial de contas de campanha com 10 dias de atraso depois de uma intimação da Justiça Eleitoral. O atraso pode ser contestado pelo TRE se forem encontradas irregularidades. Todas as contas devem ser julgadas até o dia 08 de dezembro.