Traiano cobra ‘inteligência’ de Ratinho Jr e Cida Borghetti

8 fevereiro, 2018 às 13:22  |  por Ivan Santos

16/12 - Sessão plenária

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), assumiu no início desse ano eleitoral o papel de ‘porta-voz’ informal do grupo político do governador Beto Richa (PSDB). Foi ele quem apontou, nas últimas semanas, que Richa colocou como condição para renunciar ao governo e se candidatar ao Senado – decisão que ele terá que tomar até o próximo dia 7 de abril – um acordo entre os partidos de sua base política para a sucessão estadual. Traiano também foi um dos dirigentes que articulou um manifesto lançado por cinco partidos da base do governo – PSDB, DEM, PSB, PR e PTB – apontando que Richa deve ser o único responsável pela articulação dessa aliança.

Os dois movimentos foram interpretados como uma reação à movimentação dos grupos do ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP) – que articula a pré-candidatura ao governo de sua esposa, a vice-governadora Cida Borghetti (PP) – e do deputado estadual e também pré-candidato ao governo, Ratinho Júnior (PSD). Barros conta com a renúncia de Richa para que Cida Borghetti assuma o governo por nove meses e dispute a reeleição. Segundo Traiano, porém, sem um acordo para um candidato único do grupo governista, ele permanecerá no cargo até o final do mandato, em 31 de dezembro deste ano.

Bem Paraná – Como o ano eleitoral se refletirá nos trabalhos da Assembleia, com a possibilidade do governador Beto Richa renunciar ao cargo para disputar o Senado?
Ademar Traiano
- Primeiro, em relação ao governador é uma decisão pessoal. Ele tem demonstrado interesse em não sair do governo se não houver um amplo entendimento entre o grupo político que lhe apoia ao longo de todo esse tempo. Se ele sair, teremos uma nova governadora e aí vai depender dos interesses do novo governo de propostas que queira encaminhar à Assembleia. E terá, com certeza, uma nova composição aqui na Casa. O ano é político, tem interesses diferentes em relação à candidaturas ao governo e nós temos que deixar esse quadro ser desenhado para tomar uma decisão. Hoje é impossível fazer uma avaliação mais segura em relação a esse tema.

Leia mais no Bem Paraná.

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>