Presidente da Alep diz que servidor efetivo é um “problema” por não poder ser demitido

19 junho, 2017 às 19:29  |  por Ivan Santos

traiano Foto: Pedro de Oliveira/Alep

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB) defendeu hoje a aprovação de projeto do Ministério Público que prevê a criação de 180 cargos comissionados – preenchidos sem concurso – para o órgão – afirmando que os servidores públicos efetivos – contratados por concurso, são um “problema grave” para o País, porque ao contrário dos servidores comissionados, não podem ser demitidos. O impacto financeiro dos novos cargos para o MP é de R$ 1,2 milhão por mês. Traiano afirmou que segundo a Procuradoria Geral de Justiça, a criação dos cargos é necessária para atender as necessidades de futuros promotores.

Questionado se não via contradição no MP pedir a criação dos novos cargos, ao mesmo tempo em que promotores questionam na Justiça a contratação de comissionados por outros órgãos públicos, Traiano afirmou que o Ministério Público tem autonomia financeira e orçamentária e que quem decidirá sobre o projeto é o plenário da Assembleia.

Para justificar sua posição, o tucano disse ainda considerar que um dos “graves problemas do País” são exatamente os servidores públicos efetivos concursados, que não podem ser demitidos mesmo quando não cumprem adequadamente suas funções.

“Eu tenho uma leitura, afirmo isso e falo com toda a propriedade sem nenhum temor: eu acho que um dos graves problemas do País é exatamente – com o devido respeito a alguns servidores – está nos efetivos. Lamentavelmente grande parte já não tem mais a cumplicidade para com o Estado e não correspondem com as expectativas. Os servidores em cargo em comissão sabem que a qualquer momento podem ser demitidos. Ao contrário do estatutário, que você não tem a possibilidade de demissão”, disse o tucano.

1 Comentários

2 ideias sobre “Presidente da Alep diz que servidor efetivo é um “problema” por não poder ser demitido

  1. Luis

    Este velho gagá está totalmente desinformado. O comissionado jamais será demitido pelo fato de ser pessoa do círculo íntimo ou parente próximo, ex-esposa por exemplo, o que é muito comum neste meio. Em Legislativos acontece de fulano contratar minha ex, ou algum parente meu, em retribuição eu contrato quem ele indicar. E para seu conhecimento, caro deputado, existe o um instrumento denominado Processo Administrativo Disciplinar para apurar faltas graves por parte do concursado e o Sr como presidente da casa tem obrigação se saber isso é outras cousas, senão, qual o motivo de estar onde está? Não desinforme, seja transparente e honesto com quem paga seu alto salário.

  2. Clint Eastwood

    Cara você disse tudo, para dar uma declaração tão estúpida como esta é prova de que o cara não é só gagá, é burro mesmo. Se o cara pedisse à procuradoria da Casa de Ali Babá os procuradores teriam dito a este gagá que servidor público pode sim ser demitido, ao contrário do que pensa esta “sumidade”. A sociedade e muito servidor burro pensa que pode aprontar tudo e ficar por isto mesmo, mas não pode. A estabilidade absoluta no Serviço Público não existe, porque se existisse o servidor público estaria acima da lei, o que não é verdade. Deus nos livre dos ignorantes que do resto a gente se livra sozinho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>