Vereadores denunciam abuso de álcool e venda de drogas no Batel

25 setembro, 2017 às 16:04  |  por Ivan Santos

batel

Reclamações de moradores, comerciantes e pessoas que passam à noite na rua Coronel Dulcídio, nas proximidades do Shopping Hauer, no bairro Batel, foram um dos assuntos do dia na sessão de hoje da Câmara Municipal de Curitiba. O vereador Felipe Braga Côrtes (PSD) exibiu foto feita por ele no sábado, no local, mostrando muito lixo jogado na rua. Ele afirmou ainda ter recebido oferta de drogas quando passou pela rua.

Vereadores criticaram a sujeira deixada por frequentadores e outras situações, como interrupção do trânsito, barulho e tráfico de drogas. “Isso não é culpa do governo. É culpa do ser humano, do pai e da mãe que não educou. Isso é reflexo da juventude de Curitiba”, disse o líder do prefeito da Casa, Pier Petruzziello (PTB), que abriu o debate.

O vereador mostrou no telão uma fotografia que circulou nas redes sociais durante o fim de semana e afirmou estar “com vergonha”. “É uma coisa horrorosa. Quero deixar claro que sou defensor dos bares, quero que tenha milhares de bares abertos, que o empresário ganhe dinheiro, que a adolescência se divirta e que se beber não dirija, que não use drogas. Que tenha o alvará fácil. Mas a sujeira deixada na altura da Coronel Dulcídio com a (avenida) Batel, aquilo virou muito preocupante”, completou.

“Essa foto fui eu que tirei, sábado pela manhã. Está no meu Facebook. A situação vem acontecendo há algum tempo, e estou debatendo com um grupo que envolve, por exemplo, moradores, empresários, a Guarda Municipal, a Copel”, disse Braga Côrtes.

Segundo ele, as pessoas que ficam nas ruas costumam trazer as bebidas ou comprá-las de ambulantes, e não nos bares. “Não é só uma questão de educação, temos alguns problemas burocráticos, legislações, falhas em relação a isso”, defendeu. “Estive lá na semana passada e uma pessoa me ofereceu cocaína. Eu filmei. Tem um problema logístico, de fiscalização, que é absurdo. A PM não pode fazer a fiscalização do ambulante e não há fiscais do Urbanismo (Secretaria Municipal) na madrugada, só quando há ações da Aifu (Ação Integrada de Fiscalização Urbana).”

Para Braga Côrtes, “o que precisa ser feito de fato é punir os crimes”. Ele disse que pessoas são detidas em flagrante e soltas horas depois, após a assinatura de termo circunstanciado, o que “é enxugar gelo, é impunidade”.

Julieta Reis (DEM) comentou que os comerciantes da região estão “sofrendo”: “Fecham o trânsito e as pessoas de bem não podem passar. Precisamos tomar providências urgentes”. “Entendemos que isso é vandalismo. As pessoas vão para a frente dos estabelecimentos, passam do horário”, disse Helio Wirbiski (PPS), que sugeriu a realização de uma audiência pública para tratar do assunto.

Ezequias Barros (PRP) afirmou que, em sua avaliação, as pessoas que ficam naquela região, na rua, são “baderneiros”.

“Quero lembrar também da responsabilidade do comerciante. Vejo muito lixo no chão [na fotografia], mas não vejo lixeiras”, lembrou Thiago Ferro (PSDB). Já para Goura (PDT), “falta política boêmia, da noite, mas é importante também política de redução de danos. Existe vida noturna na cidade e a gente tem sim que responsabilizar os comerciantes”.

1 Comentários

Uma ideia sobre “Vereadores denunciam abuso de álcool e venda de drogas no Batel

  1. Clint Eastwood

    Isto prova o “nível de educação” dos frequentadores desta parte da cidade. Não é composta em sua maioria só de “gente bonita”?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>