Arquivos da categoria: Geral

Reajuste deve elevar tarifa de ônibus a mais de R$ 3, diz Fruet

28 janeiro, 2015 às 15:13  |  por Ivan Santos

COLETIVA COM O PREFEITO GUSTAVO FRUET Foto: Franklin de Freitas

O prefeito Gustavo Fruet (PDT) anunciou hoje que define até sexta-feira, o reajuste da tarifa de ônibus de Curitiba, e que o valor cobrado do usuário deve passar de R$ 3,00, contra os R$ 2,85 cobrados atualmente. Fruet afirmou ainda que se não houver acordo com o governo do Estado para a manutenção do subsídio nos níveis atuais, não haverá como manter a tarifa única cobrada hoje nos 13 municípios da Rede Integrada de Transporte.

Segundo o prefeito, até agora o governo do Estado tem afirmado que por conta da crise financeira que vive, não tem como manter o subsídio nos níveis implantados em 2012, de R$ 64 milhões anuais, e insiste em reduzir o valor para R$ 27 milhões. Nessas condições, afirma Fruet, não há como manter a integração financeira do sistema, e a alternativa é que o Estado passe a fazer diretamente o pagamento às empresas metropolitanas, enquanto a prefeitura passaria a fazer o pagamento apenas das empresas que operam em Curitiba.

“A informação do governo do Estado é que ele passa por uma crise financeira e não tem recursos para renovar o subsídio nos níveis anteriores”, disse Fruet, explicando que as empresas querem o aumento da tarifa técnica dos atuais R$ 3,18 para R$ 3,60 ou R$ 3,80, o que exigiria um subsídio anual de R$ 80 milhões.

Diante desse cenário, a tendência é que sem um acordo com o governo, a prefeitura defina na sexta-feira as novas tarifas social e técnica dos ônibus que circulam na Capital, ficando para o governo do Estado definir a tarifa dos ônibus que operam nos demais municípios da região metropolitana. Fruet alega que tem que definir esses valores até sexta-feira, porque o contrato prevê o reajuste anual em 1º de fevereiro. Além disso, fevereiro é o mês que a data-base de motoristas e cobradores impõe para o reajuste salarial da categoria.

O prefeito atribui a paralisação de dois dias do transporte na Capital a um “locaute” das empresas para pressionar pelo aumento da tarifa técnica, paga a elas pela Urbs. Segundo ele, o atraso de R$ 5 milhões no pagamento do subsídio pelo governo do Estado é expressivo, mas não justifica o atraso no pagamento do adiantamento salarial dos trabalhadores pelas empresas. “R$ 5 milhões é dinheiro, é um valor expressivo, mas em um setor que movimenta quase R$ 1 bilhão por ano, deveria ter sido provisionado. Ou é pressão para aumento da tarifa técnica muito acima da inflação”, avaliou.

Fruet convoca imprensa e pode anunciar novo reajuste da tarifa de ônibus

28 janeiro, 2015 às 11:42  |  por Ivan Santos

fruet

O prefeito Gustavo Fruet (PDT) convocou a imprensa para uma entrevista coletiva em que pode anunciar novo reajuste da tarifa de ônibus do transporte coletivo de Curitiba. As empresas pedem reajuste da tarifa técnica dos atuais RR$ 3,18 para R$ 3,74, um aumento de cerca de 20%, o que poderia elevar a tarifa social, cobrada dos usuários, para R$ 3,40. A prefeitura, porém, deve autorizar um aumento menor, elevando a tarifa social a R$ 3,05. A intenção de Fruet é se antecipar às pressões por reajustes maiores que surgirão em fevereiro, data base para o aumento anual de salários dos motoristas e cobradores. A categoria reivindica reajuste de 19%, mas a prefeitura deve propor a reposição da inflação anual, de cerca de 7%.

“Hoje, às 15 horas, atenderei a imprensa em entrevista coletiva para tratar do tema transporte.
Momento grave, que exige responsabilidade de todos os envolvidos (Curitiba, Governo do Estado, Municípios da Região Metropolitana, empresas e trabalhadores)”, anunciou o prefeito. “Pressão de todos os lados por tarifa baixa, melhores salários, mais qualidade no serviço, lucro e menos subsídios. Da forma como foi construído, modelo atual não se sustenta mais”, afirmou Fruet.

Paralelamente a isso, a Urbs continua as negociações sobre o subsídio do governo do Estado para a manutenção da Rede Integradada de Transporte de Curitiba e região metropolitana. A tendência é que se a Coordenação da Região Metropolitana – subordinada ao Estado – insistir na redução do subsídio mensal de R$ 7,5 milhões para R$ 2,3 milhões, a Urbs mantenha a posição de entregar ao Estado a responsabilidade pelo pagamento das empresas que operam nos municípios da RMC, ficando a prefeitura com a operação financeira do transporte urbano.

Governador recebe líderes sindicais

28 janeiro, 2015 às 07:25  |  por Ivan Santos

O novo líder do governo, deputado Luiz Claudio Romanelli (PMDB), anunciou ontem que o governador Beto Richa (PSDB) vai receber hoje representantes das centrais sindicais – entre eles o presidente da Força Sindical e do Sindicato de Metalúrgicos da Grande Curitiba, Sérgio Butka.

“Os trabalhadores e os dirigentes sindicais estão preocupados com a manutenção dos empregos industriais em função da conjuntura desfavorável da economia brasileira”, disse. Romanelli tem uma relação próxima aos sindicalistas pelos anos de atuação no parlamento e na Secretaria Estadual do Trabalho.

Ducci e Greca aproveitam greve dos ônibus para voltar à cena

28 janeiro, 2015 às 07:07  |  por Ivan Santos

Por mais que os envolvidos não admitam, por trás do impasse envolvendo o transporte coletivo de Curitiba estão desde já as articulações para a eleição na Capital no ano que vem. De um lado está o prefeito Gustavo Fruet (PDT), desde já candidato à reeleição. Do outro, o grupo do governador Beto Richa (PSDB), que quer recuperar o poder na Capital, e para isso trabalha para desgastar Fruet ao máximo, colocando na conta do prefeito os problemas do sistema, e o provável novo aumento de tarifas que deve vir em fevereiro, com o reajuste dos salários dos motoristas e cobradores.

Ontem, outros dois “atores” desse processo comentaram a crise – os ex-prefeitos Luciano Ducci (PSB) e Rafael Greca (PMDB). Não por acaso, ambos candidatos derrotados há dois anos na eleição para a prefeitura, que sonham em voltar à cena. Ducci disse esperar “que o bom senso e consenso prevaleça nas discussões entre os governantes e os sindicatos e a situação se normalize, com o fim rápido da greve”, e “que a solução do impasse do transporte coletivo da Grande Curitiba não resulte no aumento das tarifas, prejudicando a população já penalizada pelas altas da gasolina e do IPTU e tantos outros impostos”. Já Greca divulgou vídeo no qual fala que a integração do transporte entre Curitiba e região Metropolitana é uma conquista histórica de caráter social que não pode ser colocada em risco. Ducci já sinalizou que pretende disputar novamente a prefeitura, em 2016, e Greca – que fez cem mil votos em 2012 – é um “eterno candidato” pelo PMDB.

Governo do Estado negocia investimentos privados de R$ 2,54 bi

27 janeiro, 2015 às 14:12  |  por Ivan Santos

O governo do Estado negocia investimentos privados de até R$ 2,54 bilhões em obras em troca de benefícios fiscais às empresas, concedidos através do programa “Paraná Competitivo”. A informação é do Livre.jor, coletivo de jornalistas independentes especializados na análise de documentos públicos. Relatório de atividades publicado pela chefia da Casa Civil na edição de hoje do Diário Oficial do Estado aponta que o governo paranaense recebeu 27 propostas de adesão ao programa, que somam o valor citado acima. Entre elas está por exemplo a Great Wall – montadora chinesa especializada em SUV´s (veículos utilitários esportivos), que se propõe a investir R$ 1 bilhão no Estado.

Pelo Paraná Competitivo, as empresas podem obter benefícios como a dilação do pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) por oito anos ou mais. Em troca, além do investimento em suas próprias atividades, elas devem se comprometer com obras no entorno das unidades de produção ou outras ações pactuadas com o governo do Estado, bem como promover a geração de empregos.

Indústrias registram ausência de 50% dos trabalhadores com greve de ônibus

27 janeiro, 2015 às 13:50  |  por Ivan Santos

A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) informa em nota divulgada hoje que o setor industrial está sendo seriamente prejudicado com a paralisação do transporte coletivo. Segundo a entidade, setores como construção civil, confecção e vestuário registraram ausência de 50% dos trabalhadores nestes dois dias de greve. Algumas indústrias, inclusive, não tiveram como funcionar e permaneceram fechadas nesta segunda e terça-feira devido à ausência dos colaboradores.

“A indústria e o setor produtivo como um todo não podem pagar a conta pela ausência dos trabalhadores devido à greve”, criticou o presidente da Fiep, Edson Campagnolo. “Questionamos e trabalhamos tanto para a suspensão do feriado de 19 de dezembro e agora, com a greve do transporte coletivo, estamos pagando um preço ainda maior”, disse Campagnolo.

Para o presidente da Fiep, há evidências de que o modelo de governança do transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana precisa ser revisto. Ele sugere a definição de um grupo para discutir o modelo atual e propor mudanças, mas defende a retomada das atividades urgentemente para que não haja mais prejuízo para a sociedade.

“Não queremos achar um culpado. Precisamos chegar a uma solução”, reforça. Campagnolo acrescenta que a Fiep e todo o setor produtivo do Estado estão à disposição para contribuir dialogando com os técnicos, as empresas de transporte, o sindicato dos trabalhadores e os governantes.

TCE aplica 250 multas contra ex-prefeito e servidores de Guaraqueçaba

27 janeiro, 2015 às 07:17  |  por Ivan Santos

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) aplicou 250 multas a dez integrantes da administração municipal de Guaraqueçaba (Litoral) nos anos de 2011 e 2012. As causas são irregularidades em licitações, falta de entrega de produtos comprados pela prefeitura e atraso no envio de informações obrigatórias ao Tribunal de Contas. Entre os punidos estão dois ex-prefeitos: Riad Said Zahoui, que governou o município de 1º de janeiro a 9 de outubro de 2011 e recebeu 42 multas, e Haroldo Salustiano de Arruda, gestor de 10 de outubro de 2011 a 31 de dezembro de 2012, sancionado com 61 multas.

Além das multas, o Tribunal de Contas determinou que o ex-prefeito Haroldo Salustiano de Arruda devolva os R$ 44.585,00 utilizados na compra de pneus cuja entrega à Prefeitura não foi comprovada pelo gestor. A equipe do TCE apurou ilegalidades em 33 processos licitatórios – 19 pregões e 14 cartas-convite. Entre elas estão direcionamento e fracionamento das licitações, falta de definição clara e detalhada do objeto licitado, desrespeito a prazos e ao número mínimo legal de participantes, além da composição irregular das comissões de licitação. Os técnicos do TCE também comprovaram a falta da apresentação obrigatória de dados de gestão e de atos de pessoal.

Em uma das licitações questionadas, a Prefeitura de Guaraqueçaba pagou R$ 86,7 mil para o serviço de transporte marítimo de estudantes, por meio de um contrato que teve prorrogações por aditivos e dispensa emergencial de licitação.

Novo líder de Fruet, Salamuni não crê em crescimento da oposição

27 janeiro, 2015 às 07:07  |  por Ivan Santos

salamuni

Oficializado como novo líder da bancada do prefeito Gustavo Fruet (PDT) na Câmara Municipal de Curitiba, na última sexta-feira, o vereador Paulo Salamuni (PV) avalia que a oposição continuará sem grande articulação, apesar das previsões de acirramento das discussões políticas com a aproximação do ano eleitoral de 2016. “Não há uma bancada formalmente instituída, como já houve em gestões anteriores, mas comportamentos pontualmente de oposição. Acredito que vá permanecer assim”, considera Salamuni. “Lógico que cada um tem seu jeito e é preciso respeitar as questões partidárias e ideológicas, mas todos podem trabalhar pela cidade”, defende o parlamentar.

O novo líder governista reclamou da desproporcionalidade de determinadas críticas à administração municipal. “Alguns vereadores usam tanque de guerra para matar mosquito. Dizem que a prefeitura está quebrada, isso e aquilo outro, para no final do discurso cobrar a troca de uma lâmpada no bairro. Daí troca-se a lâmpada e fim da queixa”, exemplificou. Questionado sobre como lidará com isso, Salamuni prometeu “serenidade, diálogo e convencimento”. “A liderança é uma função legislativa honrosa, pois significa ser o porta-voz do prefeito dentro do parlamento – respeitando a independência e autonomia dos Poderes. Espero ser útil para a cidade”, disse.

Deputados federais do Paraná gastam R$ 10,7 milhões com verba de gabinete

26 janeiro, 2015 às 12:51  |  por Ivan Santos

noticia_603956_img1_3f1

Os deputados federais do Paraná gastaram, em 2014, R$ 10.747.248,66 em verba de gabinete, uma média de R$ 358.241,62 por parlamentar. O valor é pouco abaixo do registrado em 2013, quando o total despendido pelos parlamentares paranaenses foi de R$ 10.776.859,83. Essa redução é justificada pelas restrições ao uso desse tipo de verba em período eleitoral. Durante a campanha, por exemplo, os deputados ficam impedidos de utilizar esses recursos para divulgação da atividade parlamentar.

O levantamento foi feito pela reportagem do Bem Paraná com base em dados do Portal da Transparência da Câmara. O líder do “ranking” de gastos da verba de gabinete entre os deputados paranaenses no ano passado foi Nelson Padovani (PSC), que despendeu R$ 419.658,48, seguido de Luiz Nishimori (PR), com R$ 418.865,77. Na outra ponta da “tabela” está o suplente deputado pastor Oliveira Filho (PRB), com apenas R$ 8.662,06. Isso se explica, porém, porque como suplente, Oliveira Filho só assumiu o cargo em dezembro do ano passado.

Outro levantamento, feito com base em dados coletados pelo projeto Excelências, da Organização Não-Governamental Transparência Brasil, aponta que o gasto total dos deputados federais paranaenses com o chamado “cotão” chega a R$ 26.356.675,00 em quatro anos. Esse número, porém, parte de uma base diferente, já que não considera parlamentares licenciados ou cassados – como o ex-deputado federal André Vargas (sem partido) – cassado no final do ano passado por envolvimento com o doleiro Alberto Youssef – e refere-se a dados disponíveis até novembro de 2014. Ou seja, o gasto total seria ainda maior do que esse valor.

Leia matéria completa no Bem Paraná

Rocha Loures vai para o governo federal a convite de Michel Temer

23 janeiro, 2015 às 13:27  |  por Ivan Santos

noticia_842347_img1_3f1

O Diário Oficial da União desta sexta-feira (23) publica a nomeação de Rodrigo Rocha Loures, que exercerá a chefia de Relações Institucionais da Vice-Presidência da República. Rocha Loures é presidente do PMDB do Paraná, membro da executiva nacional do partido e foi deputado federal.

O convite partiu do vice-presidente da República, Michel Temer, com quem já trabalhou de 2011 a 2014. Com a nomeação, Rocha Loures passa a ser o único representante paranaense no Palácio do Planalto.