Após adiamento, apenas nove deputados do Paraná admitem ser favoráveis à reforma da Previdência

20 fevereiro, 2018 às 15:42  |  por Narley Resende
Luiz Carlos Hauly se diz indeciso. Foto: Franklin de Freitas

Luiz Carlos Hauly se diz indeciso. Foto: Franklin de Freitas

Apenas nove dos 30 deputados federais do Paraná se declararam favoráveis ao texto integral da reforma da previdência, São eles Dilceu Sperafico (PP), Evandro Roman (PSD), Luiz Carlos Hauly (PSDB), Nelson Meurer (PP), Nelson Padovani (PSDB), Reinhold Stephanes (PSD), Rubens Bueno (PPS), Takayama (PSC) e Toninho Wandscheer (PROS).

Entre eles, Hauly e Takayama agora se dizem indecisos, e Toninho Wandscheer evita se manifestar. Hauly justifica seu recuo. “Não se tem certeza de qual texto seria votado. Toda hora mudava. Não sabemos o que seria votado agora. Não declinei o ato (estou indeciso). Estou achando que precisa de uma discussão mais aprofundada. Já votei várias vezes em reformas da previdência nos governos FHCe Lula. Mas essas reformas se mostraram ineficientes. Mas pode por aí: indeciso”, pontua.

Leia a matéria completa no Portal Bem Paraná

Intervenção no RJ ‘foi desculpa para barrar reforma’, diz Canziani

20 fevereiro, 2018 às 15:33  |  por Narley Resende
Foto: TV Câmara

Foto: TV Câmara

A intervenção militar no Rio de Janeiro faz parte de uma manobra política do governo Temer para “ocultar” o provável fracasso da votação da Reforma da Previdência. A avaliação é de deputados federais da bancada paranaense, incluindo parlamentares da base do próprio governo. Prevista para ser colocada em votação nesta terça, 20, a proposta acabou tendo a tramitação suspensa após o decreto de intervenção no Rio. Isso porque a Constituição proíbe a votação de Propostas de Emenda Constitucional durante a vigência de intervenção federal nos Estados.

“Foi desculpa para barrar a votação da reforma. Não acredito que vá votar neste ano mais. O Brasil vai ter que fazer essa reforma. Isso (a intervenção no Rio) foi a pá de cal, vai ficar para depois da eleição. Mas dizer que o Brasil não precisa de uma reforma, não”, afirma o deputado federal Alex Canziani (PTB), que integra a base governista. Canziani se diz favorável a uma reforma, mas ainda avaliaria a proposta final. “Em tese sou favorável à reforma, mas até chegar o texto ainda poderia mudar alguma coisa. A maioria da bancada do Paraná tem visão da importância da reforma”, afirma.

Leia a matéria completa no Portal Bem Paraná

 

PSC confirma apoio a Ratinho Junior para governador

20 fevereiro, 2018 às 15:03  |  por Narley Resende
Divulgação

Divulgação

O Partido Socialista Cristão (PSC) confirmou na segunda-feira (19) apoio à pré-candidatura do deputado estadual Ratinho Junior (PSD) ao governo do Paraná nas eleições de outubro. Membros do partido que elegeu Ratinho deputado em 2014 se reuniram em Curitiba, entre prefeitos, vice-prefeitos, deputados estaduais e lideranças no Paraná.

“Hoje, aqui, é a hora de assumir definitivamente que estamos ao lado do Ratinho Junior. Os nossos 40 prefeitos e 33 vice-prefeitos em todo o Paraná, serão os nossos coordenadores regionais desse grande projeto”, disse o presidente estadual da sigla, deputado Hidekazu Takayama, que organizou o encontro.

O prefeito Berto Silva, de Laranjeiras do Sul, e presidente da Associação dos Municípios de Cantuquiriguaçu, disse que 19 dos 21 prefeitos dos municípios da Associação estão comprometidos com o projeto.

Para Ratinho Junior, o apoio formalizado pelo PSC é muito importante. “É um gesto muito forte que vocês estão realizando hoje. Estar ao meu lado nesse desafio, logo no início, é a certeza de que estamos construindo uma união sólida, um projeto para o futuro do Paraná e, se a vida nos deu essa oportunidade de representar um novo momento na vida pública, eu quero ser esse representante da minha geração, ao lado de todos vocês”.

Ratinho foi eleito deputado pelo PSC em 2014, com 300.928 votos, a maior votação da história da Assembleia. Em 2016, junto com outros nove deputados que ajudou a eleger com o quociente partidário, Ratinho se filiou ao PSD.

Além das lideranças do PSC, o encontro reuniu também o deputado Adelino Ribeiro, do PSL, e os deputados do PSD, Guto Silva (PSD), vice-presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, e Márcio Nunes, líder da bancada do PSD no Legislativo Estadual.

 

TSE cria link com orientações sobre financiamento coletivo nas eleições

19 fevereiro, 2018 às 18:35  |  por Narley Resende
Reprodução

Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) criou, em seu portal na Internet, um espaço com orientações e requisitos às entidades que tenham interesse na prestação de serviços de arrecadação de recursos para as Eleições 2018 por meio da modalidade de financiamento coletivo. Essas empresas deverão solicitar sua habilitação ao TSE a partir de 30 de abril, por meio de preenchimento de formulário eletrônico que estará disponível oportunamente no mesmo ambiente.

Todas as informações para a realização do cadastro dessas empresas de financiamento coletivo estão disponíveis no espaço. A ideia da página é facilitar o entendimento das entidades interessadas para minimizar dúvidas e problemas na hora da habilitação. Além disso, foi criado um espaço de perguntas frequentes relacionadas ao tema.

O financiamento coletivo de campanha eleitoral é uma modalidade de arrecadação de recursos e foi introduzido no processo eleitoral após a Reforma Eleitoral de 2017. O TSE também aprovou a Resolução TSE nº 23.553, de 2 de fevereiro de 2018, que regulamenta a arrecadação, os gastos eleitorais e a prestação de contas das Eleições de 2018, incluindo as regras para a arrecadação de recursos pela modalidade de financiamento coletivo.

Ministro da Saúde descarta substituir Cida como candidato ao governo

19 fevereiro, 2018 às 16:18  |  por Ivan Santos

Ricardo Barros

O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), descartou hoje qualquer possibilidade de vir a substituir sua esposa, a vice-governadora Cida Borghetti (PP), como candidato ao governo do Estado nas eleições deste ano. Segundo ele, o PP está decidido a manter a pré-candidatura de Cida à sucessão estadual, mesmo se o governador Beto Richa (PSDB) não renuncie ao cargo para disputar uma vaga no Senado. Richa tem até 7 de abril para se desincompatibilizar se quiser disputar a eleição. Caso o faça, a vice assume o governo e concorreria à reeleição.

Continuar lendo

Aprovado repúdio a humorista por piadas com capoeira

19 fevereiro, 2018 às 13:30  |  por Ana Ehlert

camara

 

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou, em votação simbólica realizada na sessão desta segunda-feira (19), sem unanimidade, moção de repúdio ao comediante Dihh Lopes, por piadas com a capoeira feitas em um show de stand-up. Autor do requerimento (060.00002.2018), o vereador e capoeirista Mestre Pop (PSC) defendeu que o humorista “desrespeitou” o esporte.

Continuar lendo

Ricardo Barros é o convidado do Roda Viva desta semana

18 fevereiro, 2018 às 19:44  |  por Narley Resende

Ricardo BarrosO ministro Ricardo Barros, da Saúde, é o convidado desta segunda-feira (19) do programa Roda Viva às 22h15, na TV Cultura. Barros assumiu o Ministério da Saúde desde o início do governo Temer, em maio de 2016. Ele deve  falar aos especialistas e jornalistas sobre questões públicas relacionadas à pasta, como o combate à febre amarela, questões relacionadas ao SUS e à gestão dos recursos do Ministério em áreas como atenção básica e hospitalar. Também pode ser indagado sobre questões da política nacional.

A bancada de comentaristas desta edição é formada por Flávio Freire, coordenador de nacional e política do jornal O Globo, em São Paulo; Fabiana Cambricoli, repórter de saúde do jornal O Estado de S. Paulo; Cláudia Collucci, repórter especial do jornal Folha de S.Paulo; Jessé Reis Alves, médico coordenador do Comitê de Medicina do Viajante da Sociedade Brasileira de Infectologia, e o Dr. José da Rocha Carvalheiro, professor da Faculdade de Medicina da USP. O programa conta com a participação fixa do cartunista Paulo Caruso.

biometria

Eleitores de cidades do Paraná tem até 28 de março para cadastrar biometria

18 fevereiro, 2018 às 19:36  |  por Narley Resende

Eleitores de 30 municípios do Paraná têm até no máximo o dia 28 de março para cumprir a exigência da Justiça Eleitoral e fazer o cadastramento biométrico. É preciso comparecer ao cartório eleitoral levando documento original com foto, comprovante de endereço dos últimos três meses e título de eleitor (este último não é obrigatório).

Mesmo aqueles que têm deficiência nas mãos devem comparecer ao cartório eleitoral das cidades em que o registro é obrigatório. A deficiência do eleitor constará no cadastro.

Para este ano, o cadastramento é obrigatório em 716 cidades do país. Dessas, 535 já encerraram o procedimento. Em outras 181 cidades de dez estados, o prazo é até março.

Eleitores que perderam o prazo estão com o título de eleitor suspenso e devem procurar o cartório eleitoral para regularizar a situação antes do fechamento do cadastro eleitoral, no dia 9 de maio.

Veja se a sua cidade está na lista de municípios com cadastramento em 2018:

Município Início Término
Alto Paraíso 05/fev 23/mar
Alto Piquiri 19/fev 23/mar
Bela Vista de Caroba 19/fev 23/mar
Brasilândia do Sul 19/fev 23/mar
Cândido de Abreu 05/fev 27/mar
Congoinhas 29/jan 23/mar
Cruzeiro do Sul 15/jan 27/mar
Flor da Serra do Sul 15/jan 27/mar
Inajá 15/jan 27/mar
Iretama 29/jan 27/mar
Jardim Olinda 15/jan 27/mar
Loanda 15/jan 27/mar
Marmeleiro 15/jan 27/mar
Paranacity 15/jan 27/mar
Paranapoema 15/jan 27/mar
Planaltina do Paraná 15/jan 27/mar
Porto Rico 15/jan 27/mar
Querência do Norte 15/jan 27/mar
Renascença 15/jan 27/mar
Roncador 29/jan 27/mar
Santa Cruz de Monte Castelo 15/jan 27/mar
Santa Isabel do Ivaí 15/jan 27/mar
Santa Mônica 15/jan 27/mar
Santo Antônio do Paraíso 29/jan 23/mar
Santo Inácio 19/fev 28/fev
São José das Palmeiras 19/fev 23/mar
São Pedro do Paraná 15/jan 27/mar
Terra Boa 19/fev 23/mar
Tupãssi 19/fev 23/mar
Xambrê 05/fev 23/mar

Fonte: Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR)

Disputa para Senado aguarda definição dos ‘medalhões’

18 fevereiro, 2018 às 18:39  |  por Narley Resende
Beto Richa: sinais contraditórios (foto: Geraldo Bubniak

Beto Richa: sinais contraditórios (foto: Geraldo Bubniak

Faltando seis meses para o início da campanha eleitoral, a corrida pelas duas vagas em disputa no Paraná para o Senado segue indefinida e cercada de dúvidas. A principal delas envolve o governador Beto Richa (PSDB), que a pouco mais de um mês para o prazo final, ainda não decidiu se renuncia ou não ao cargo para concorrer a uma cadeira na chamada “Câmara Alta”. Ele tem até 7 de abril para tomar essa decisão, que acabará influindo não só no quadro para a disputa pelo Senado, mas na própria sucessão para o Palácio Iguaçu. A outra é sobre o destino do senador Roberto Requião (PMDB), que tende a disputar a reeleição, mas no momento, tem se colocado como candidato ao governo.

Leia a matéria completa no Portal Bem Paraná

Renata Bueno faz campanha para que ítalo-brasileiros votem por correspondência

18 fevereiro, 2018 às 17:10  |  por Narley Resende
Reprodução / Facebook

Reprodução / Facebook

A partir deste domingo (18) cidadãos ítalo-brasileiros começam a receber cédulas eleitorais para votar por correspondência em candidatos nas eleições da Itália do dia 4 de março. As cédulas devem ser enviadas até 25 de fevereiro ou  1º de março no consulado italiano da região. Cerca de 30 mil paranaenses e 350 mil brasileiros têm direito a voto na Itália.

Deputada na Itália desde 2013, a ex-vereadora de Curitiba Renata Bueno (PPS) faz campanha em cidades com forte influência italiana, como Criciúma (SC) e a região da Serra Gaúcha (RS), e pela internet para que os cidadãos brasileiros aptos a votar na eleição da Itália participem do pleito.

Candidata à reeleição pela chapa “Movimento Passione Itália”, criado no Brasil, Renata tem cidadania italiana – sua família é de Treviso, na região do Vêneto – e ela representa italianos (ou brasileiros com dupla cidadania) que vivem na América do Sul.

No processo eleitoral da Itália, os eleitores votam nas chapas concorrentes. Na cédula, depois de escolher a chapa, é possível escrever o nome do candidato.

Em 2013, a chapa de Renata Bueno conquistou 44.024 votos. Destes, a assessoria da deputada eleita afirma que 21 mil vieram do Brasil e calcula que 90% tenham sido para Renata.

Em Curitiba, a brasiliense (que é filha do presidente estadual do PPS no Paraná, o deputado federal Rubens Bueno) foi vereadora, mas não conseguiu se reeleger em 2012 – teve 4.791 votos.