Arquivos da categoria: Luciana Kotaka

Qual é o seu propósito?

4 outubro, 2017 às 06:00  |  por Luciana Kotaka

Talvez em algum momento você se sinta perdido e precise repensar sua vida

caminhos

Certo dia, você se dá conta de que tudo o que acreditava não lhe serve mais. Suas escolhas talvez tenham sido equivocadas, algo em sua vida não lhe dá mais satisfação. Será que essa situação já aconteceu com você? O que sente ao abrir os olhos pela manhã?

Atualmente muitas pessoas vêm relatando que estão perdidas, confusas, iniciando uma busca por um sentido maior em suas vidas que vai muito além da rotina diária que estão acostumados a realizar. Atividades que normalmente seriam satisfatórias se tornaram entediantes, não se sentem estimulados a continuar a viver dentro dos mesmos padrões que normalmente sentiam-se felizes. Será que está faltando um propósito maior? O que de fato faria nesse momento caso pudesse escolher?

É preciso muita coragem para dar uma reviravolta na vida, engrenar a primeira marcha novamente e iniciar um novo caminho. Mas será que é preciso mesmo ou é possível alinhar o que faz hoje com um novo propósito? Essa urgência em mudar e dar um novo sentido à vida pode ser muito angustiante, pois não é fácil construir um caminho e no meio da caminhada perceber que é necessário fazer um desvio, muitas vezes muito além da rota idealizada. Mas é necessário olhar isso de frente e se permitir uma nova chance, para poder sentir-se alinhado com seus sonhos.

Esse conflito, mesmo que de alguma forma assuste, pode ser o gatilho inicial para dar um sentido maior à sua vida. O medo? Esse a gente olha de frente e confronta, afinal o que seria da vida se ficássemos paralisados cada vez que ele surgisse à nossa frente.

 

Cuidado ao sonhar alto para não perder o que é importante em sua vida

15 março, 2017 às 06:00  |  por Luciana Kotaka

Prestar a atenção entre o sonho real e o imaginário possibilita manter uma vida mais estável emocional e financeiramente

Business aspiration

Uma das molas propulsoras da vida são os sonhos, sem eles seria difícil seguir em diante mantendo o otimismo, pois sonhar nos possibilita sair do sentimento de dor, do cansaço que as dificuldades nos colocam, a realidade da vida.

Sem falar que quando sonhamos traçamos objetivos, temos um rumo a seguir, e isso nos mantém a gente motivado e ao realizar o que queríamos, o prazer nos invade de tal forma que todo o resto é esquecido.

Porém, nem todos sonham. Existem pessoas que por diversos motivos foram tão lesadas por suas vivências, desde que nasceram, que perderam a capacidade de sonhar, até como forma de se protegerem internamente da dor, preferem seguir a vida vivendo um dia de cada vez, e só.

Outros sonham muito e se entregam sem uma avaliação cuidadosa entre o que é a realidade e o que é possível. Vão tão longe e com isso se esquecem da existência do processo de construção onde possibilita que tudo que almejamos se torne realidade. Talvez possamos chamar de Sonhadores Compulsivos, onde esquecem que no aqui e agora é preciso também se sustentar, sendo estudando, cuidando, preparando e/ou semeando.

Os sonhos podem sim oferecer esperança, mas pode levar ao fracasso financeiro, profissional, do casamento e até dos vínculos familiares, pois para o ser humano ter estabilidade é essencial que possa ter equilíbrio na vida.

Mas nada de deixar os sonhos de lado, como eu escrevi acima eles são as molas propulsoras para seguirmos em frente, mas algumas dicas são importantes:

- Seu sonho é realmente a expressão do que deseja para sua vida?

- Qual o tempo que precisa para realizá-lo?

- Do que precisa para que ele aconteça?

- O seu sonho afeta de forma positiva ou negativamente os que estão ao seu redor?

- Há algum risco financeiro? Se sim, já organizou uma reserva?

Após avaliar cada uma dessas reflexões é possível ter um mapa geral sobre a situação, objetivos que pretende colocar em prática, evitando, ou melhor, minimizando os riscos e se prevenindo diante de possíveis intempéries.

Boa sorte!

Salvar

Chega de vomitar a comida que você paga

8 março, 2017 às 06:00  |  por Luciana Kotaka


Exageros alimentares sempre revelam conflitos emocionais

sintomas-de-bulimia1

Parece brincadeira, mas não é. Milhares de pessoas de ambos os sexos dão de cara com a privada quase todos os dias, sempre na tentativa de colocar para fora os excessos alimentares dos quais consumiu durante uma única refeição.

A bulimia é um transtorno alimentar que cresce a cada dia, já ouvi até comentários do tipo: “Quero pegar essa doença”, como se colocar para fora toda a comida ingerida fosse a solução perfeita para o comportamento de compulsão alimentar.

Ora, esse comportamento é mais um paliativo, iguais às dietas que só fazem efeito momentaneamente, pois na sequência todo o processo recomeça. Mas quem olha de fora pode pensar que é fácil querer mudar esse quadro, mas aí que se engana, a bulimia se torna mecânica, o comer em excesso não tem fim e a culpa, a dor, aumenta a cada dia mais.

Algumas características da bulimia nervosa são bem claras, o sujeito come em excesso e depois busca uma forma de expurgar todo o conteúdo ingerido, senão pelo vômito, pode ser pelos exercícios físicos em excesso, uso de laxantes, diuréticos e enemas. Após cada episódio a pessoa sente-se com total falta de controle, com sentimentos de culpa e vergonha.

Poderia ser diferente? Sabemos que após horas sem se alimentar, ou mesmo dietas onde há muita restrição alimentar, são os principais desencadeadores desses quadros, porém o culto ao corpo magro é tão apelativo que levam à aderência dessa prática como uma solução rápida.

Mesmo com a consciência de quanto é incoerente o ato de passar em uma panificadora, gastar horrores adquirindo doces, salgados, massas e sorvetes, programar o ataque alimentar e se empanturrar de comida, essas pessoas se tornam dependentes desse comportamento, necessitando de todo um trabalho profissional para conseguir se curar da bulimia e consequentemente da compulsão alimentar.

Então, esqueça essa ideia de pegar a bulimia, ela não é uma solução, e sim um buraco sem fundo do qual sair exigirá muito mais persistência e dedicação do que emagrecer de forma saudável, acredite.

Salvar

Salvar

Dietas nunca mais

30 novembro, 2016 às 08:08  |  por Luciana Kotaka

A compulsão alimentar é um dos transtornos alimentares gerados pela prática de fazer dietas

dieta-infalivel-nao-funciona

Confesso que fico assustada com tantas promessas de perda de peso que vejo na internet, na maior parte das vezes me decepciono ao ler sobre a proposta, fico sempre à espera de que um dia possamos lidar com essa realidade de forma mais assertiva.

A obesidade é uma doença inflamatória, que quando se ingere mais do que se gasta vamos sim ganhar peso, e este vai se acumulando em vários lugares do corpo. A equação é simples e funciona para a grande maioria das pessoas, salvo alguns casos em que a obesidade se faz presente em função de outros fatores orgânicos que desencadeiam o aumento de peso.

Esse terreno é extremamente fértil para diversas áreas, tanto relacionadas à saúde, como a de alimentos, suprimentos e roupas. Mas chegou a hora de parar de brincar, pois não tem como continuar persistindo em um processo que sabiamente não traz benefícios, salvo algumas situações bem particulares.

Recebo diariamente pacientes e o que ouço dos mesmos é o seguinte: “Consigo dar conta de meu trabalho, encaro vários desafios, não consigo entender porque não consigo fazer uma dieta e me manter magro.” Mudam-se algumas palavras, mas a queixa é sempre a mesma.

Essa realidade é muito devastadora e os pacientes passam a acreditar que são incompetentes, sentem-se um lixo por não darem conta de lidar com a questão da obesidade. Pessoas extremamente inteligentes e capazes são anuladas em sua capacidade de julgamento, sentem-se impotentes e isso acaba atingindo várias áreas de sua vida.

Hoje colhemos os resultados de anos de dietas milagrosas, os consultórios cheios de pessoas buscando sentir-se bem dentro de seus corpos, de uma roupa. E as dietas? Essas nunca perduram, os resultados são efêmeros e a decepção dá as caras novamente.

Perder peso pode ser simples “desde que” se coloque de lado a urgência em emagrecer, pois mudar anos de uma má alimentação também exige anos de mudanças gradativas. É preciso recriar uma nova relação com o seu corpo e com a comida, só assim poderá se sentir segura de que está dessa vez no caminho certo.

O caminho para a perda de peso não precisa ser tão dolorido, mudar hábitos é possível a qualquer um de nós, porém é preciso sair da espera de ser emagrecido milagrosamente e buscar perder peso saudavelmente, e só você pode decidir qual o caminho seguir.

Salvar

Salvar

Salvar

Cinco dicas para encarar o fim de semana sem exagerar na comida

8 outubro, 2016 às 10:01  |  por Luciana Kotaka


Pequenos excessos podem levar ao ganho de peso, além de outras doenças associadas

comida

Para muitos passar pelo fim de semana e sair ileso é um grande desafio, já começam a se preocupar alguns dias antes se sentindo fracassados, porque não acreditam que possam ter controle sobre o que consomem.

A grande questão é que ainda hoje o termo dieta é divulgado e reforçado por muitos profissionais e seguidores na verdade para ter um estilo de vida saudável não precisando restringir o que se come e ficar babando ao ver seu bolo preferido na bancada da cozinha na casa de sua mãe.

Precisamos entender que comer é para a vida toda, que desde que nascemos recebemos o leite quentinho, na temperatura certa, proporcionando um imenso prazer e saciedade. Não há como desligarmos a comida do prazer, da sensação de conforto, o importante é aprender a comer por prazer e sem exagero, resolvendo e se dando colo de outras formas que não seja comendo em excesso.

Dicas para o fim de semana:

- Estar com a família é sinônimo de alegria, de comidas gostosas, mas o que acha de comer na medida certa e aproveitar esse momento para se entupirem de abraços, beijos, risadas gostosas com as pessoas que amamos;

- Uma boa dica é participar da escolha das comidas a serem servidas durante esses encontros, assim poderá se precaver e levar uma belíssima salada, ou mesmo uma comida mais leve e saborosa que te ajudará a manter-se dentro do que é ideal para sua saúde;

- Lembre-se de nunca ir a nenhuma festa ou reunião familiar sem tomar o café da manhã ou mesmo um lanche, isso vale para todo mundo, assim não chegamos esfomeados querendo comer até as panelas;

- Sempre teremos acesso à comida, mesmo aquelas que estão extremamente gostosas. O que acha de prestar atenção aos sinais de saciedade? Afinal o que é muito gostoso quando consumido em excesso pode se transformar um uma bela dor de estômago;

- Aprenda a conversar durante as refeições, pause os talheres, respire, sinta-se no presente momento. Quando comemos rapidamente e sem prestar atenção, perdemos a oportunidade de sentir melhor o gosto, a textura dos alimentos e proporcionar o tempo ideal para sentir-se saciado.

Não perca tempo, tenha foco

12 julho, 2016 às 06:00  |  por Luciana Kotaka

foco1

Nada melhor do que conseguir sentar e organizar um projeto pendente, não é mesmo? Mas nem sempre o entusiasmo e o foco estão presentes, sabemos o caminho, mas falta motivação para que possamos fazer as atividades planejadas.

Trabalhar nem sempre dá prazer, muitas vezes estamos tão ralados de tanto tentar que acabamos desestimulados para recomeçar. Mas não adianta se esconder do trabalho, uma hora vamos ter que encará-lo, melhor que seja um sucesso do que um fracasso, concorda comigo?

Portanto, vamos lá, arregace as mangas e sente-se em frente ao computador, inicie já o seu projeto de vida. Quando pensamos em projeto pode englobar muitas coisas, como: estudar para um concurso, montar um planejamento estratégico, acabar a monografia, superar-se no próximo campeonato, não importa o quê, somente faça o seu melhor.

E quando por mais que deseje que dê certo você não consegue sair do lugar? Já adquiriu hábitos ruins que te fazem desistir logo de cara? A saída é procurar ajuda, então vou lhe dar algumas dicas, umas já conhecidas, outras podem ser novidades.

- Primeiro entender o que esse projeto escolhido tem a ver com você. Você gosta da atividade escolhida? Ela irá te favorecer a médio e longo prazo?

- Quais as chances reais de realmente você se empenhar e não desistir no meio do caminho?

- Feche os olhos e se visualize daqui a 20 anos, você se vê ainda trabalhando nessa atividade que escolheu?

- Caso tenha chegado à conclusão de que está no caminho certo, o que precisa para sentar e começar a desenhar ou desenvolver o projeto?

- Se empacou em algum ponto, ou situação, quem poderia lhe ajudar a sair do lugar?

Se com todas essas questões esclarecidas ainda não conseguir se motivar, você ainda tem a opção de buscar a ajuda de um hipnoterapeuta, um processo que pode lhe auxiliar a manter o foco e a motivação. A Hipnose Ericksoniana se baseia no respeito à individualidade e na conexão efetiva com a mente inconsciente. É comprovado pela neurociência que a mente inconsciente é responsável por 95% de nossas mudanças comportamentais e, por isso, a Hipnose Ericksoniana é considerada, atualmente, a ferramenta mais transformadora por utilizar técnicas eficazes de comunicação com a mente.

Você pode até buscar outras alternativas, só não desista de seu sonho, abra a porta de possibilidades que tem a sua frente, só assim poderá sentir-se realizado.

Como melhorar o foco em provas importantes?

20 outubro, 2015 às 07:25  |  por Luciana Kotaka

Estratégias como a hipnose pode ser um bom caminho para melhorar a concentração.

índice

Quem já não passou por essa situação em algum momento da vida em que precisa fazer uma prova e falta concentração. Às vezes estamos com tantas informações na cabeça que falta espaço, como se sentíssemos até uma certa moleza para estudar.

Aposto que você se identificou! É natural essa situação acontecer e o pior é que algumas vezes a dificuldade em reter o conteúdo é ainda maior, como no caso de vestibulares, concursos, em que é necessário apreender uma série de informações que nem sempre nos atraem, visto que são diversas matérias a serem estudadas.

Pois bem, a Hipnose Ericksoniana é um método que pode te auxiliar nesse percurso tão difícil, pois através de técnicas induzidas é possível melhorar a qualidade dos estudos, a motivação e o foco.

 A abordagem Ericksoniana de Milton Erickson se baseia no respeito à individualidade e na conexão efetiva com a mente inconsciente. É comprovado pela neurociência que a mente inconsciente é responsável por 95% de nossas mudanças comportamentais e, por isso, a Hipnose Ericksoniana é considerada, atualmente, a ferramenta mais transformadora por utilizar técnicas eficazes de comunicação com a mente.

A hipnose é um procedimento durante o qual o profissional sugere ao cliente que vivencie mudanças em sensações, percepções, pensamentos ou comportamentos. O contexto hipnótico geralmente é estabelecido pelo procedimento de indução. Embora haja muitas induções hipnóticas diferentes, a maioria inclui sugestões de relaxamento, tranquilidade e bem-estar. A hipnose é um estado alterado de consciência (produzido por meios naturais), em que os clientes que são hipnotizados não perdem o controle sobre seu comportamento, mantendo a percepção consciente de quem elas são e de onde elas estão normalmente se lembrando do ocorrido durante a hipnose. Você fica mais focado, mais acordado e durante o transe você vai se desligando das percepções externas e tem uma grande atividade interna, sem perder seu estado de alerta.

As sessões podem durar cerca de uma hora e meia no máximo, sendo semanal e compondo um total de dez a quinze sessões dependendo do caso a ser tratado.

A compreensão determina nossas ações

8 outubro, 2015 às 08:25  |  por Luciana Kotaka

Quando buscamos mudanças precisamos entender quais devem ser nossos caminhos

ajuda-para-emagrecer-02

Quando queremos chegar a um determinado objetivo precisamos escolher um método, um caminho. Existem vários, mas precisa ser um que você consiga compreender de verdade, que faça sentido e que fará você realmente se comprometer.

Se colocarmos foco em nossa vida passamos a viver de forma mais plena e satisfatória, pois o que acontece é que a vida vai passando por nós e viramos meros espectadores, pois apesar de querermos mudar algumas situações que nos são insatisfatórias, não nos dispomos a mudar.

E como conseguir realizar um sonho se não colaboramos para que isso aconteça?

Para quem quer perder peso acontece a mesma coisa, não entendemos porque comemos, o que queremos comendo em excesso e o que significa essa comilança toda. Como não se compreende, então as pessoas saem em busca de soluções em várias direções em uma tentativa de resolver o problema, porém embarcam de forma superficial nessa tentativa, não se entregam, não buscam a devida compreensão de como funciona, assim fica difícil assumir a responsabilidade para mudar de forma efetiva.

Nessa busca desenfreada procura-se vários caminhos, porém acaba se perdendo nesse processo e não chegando a lugar nenhum. Por isso o discurso mais comum de se ouvir dentro de um consultório é: tentei de tudo, nada funciona. Eu questiono esse discurso.

Para mudar precisamos compreender cada etapa do processo, o funcionamento, como colocar em prática, como se organizar para que o foco se fortaleça e se alcance resultados.

Quando compreendemos a nossa mente passamos a ter controle sobre as ações que queremos, não somos nossa mente, somos o que queremos ser. Assim fica muito fácil seguir em busca de um determinado objetivo, pense nisso!

Reeducação alimentar é fundamental para manter peso perdido

9 julho, 2015 às 07:00  |  por Luciana Kotaka
Médicos alertam que metabolismo reage negativamente à perda de peso; saiba como se alimentar melhor

Isso porque emagrecer exige mudança de hábitos e superação diante das respostas fisiológicas do corpo. “Nosso organismo é feito para ganhar peso”, afirma o endocrinologista Bruno Halpern, diretor da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). “Quando emagrece, nosso corpo acha ruim, começa a gastar menos energia, aumenta os hormônios da fome e diminui os hormônios da saciedade”.

O crescimento do número de pessoas acima do peso mostra a dificuldade da disputa contra a balança. De acordo com a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) de 2014, do Ministério da Saúde, 52,5% da população brasileira está com sobrepeso e, desses, 17,9% são obesos. A obesidade é fator de risco para doenças cardiovasculares, diabetes, cirrose, problemas pulmonares e osso-articulares e câncer.

Para descobrir se está acima do peso, é necessário calcular o Índice de Massa Corporal (IMC): peso (em quilos) dividido pela altura (em metros) elevado ao quadrado. Se o resultado der entre 25 e 30, há sobrepeso. Acima de 30, o caso é de obesidade.

Tomada a decisão de emagrecer, a dieta – restrição na alimentação – é o melhor caminho para perder peso, segundo o médico Bruno Halpern. Alimentos gordurosos, frituras, doces e refrigerantes devem ser deixados de lado, assim como o sedentarismo. Ele salienta, porém, que os exercícios físicos servem apenas para manter o peso perdido. “Dieta para perda de peso tem que ser de pouca caloria, mas precisa ser uma dieta relativamente balanceada para ser mantida a longo prazo. O único jeito de emagrecer é fazer restrição calórica: comer menos calorias do que você gasta”.

Ciente disso, a recepcionista Karolina Emília de Souza Reis, de 19 anos, moradora de Cubatão, passou a olhar as informações nutricionais de todos os produtos que consome. Ela, que antes comia de tudo, parou de tomar refrigerante, trocou o tipo de leite, cortou doces e tirou massas de seu cardápio. De fevereiro de 2014, quando iniciou a dieta, até hoje, perdeu 40 quilos.

Karolina se motivou a mudar de vida quando uma academia se instalou no bairro onde mora, no Vale Verde. Na época, pesava 99 quilos. “Quando terminei o Ensino Médio, como eu não fazia nada depois, ficava assistindo televisão e comendo. Mas acordei. Dei um estalo de que precisava me mexer”, conta. “Eu era ansiosa e descontava tudo na comida”.

Karolina Emília de Souza Reis, de 19 anos, perdeu 40 quilos em pouco mais de um ano, com dieta e exercícios físicos

Ela admite que atualmente, com 59 quilos e querendo chegar nos 55, tem muito mais dificuldades para perder peso. “No começo, eu perdia peso muito rápido, não me preocupava tanto e, quando ia ver, já tinha perdido 5 quilos. O meu corpo deu uma parada e pede exercícios todos os dias”, afirma a recepcionista, que vai à academia de segunda a sexta-feira, por pelo menos 1h30, e tem consciência de que não pode relaxar.

Efeito sanfona

Deixar de cuidar da alimentação é o que fazem muitas pessoas ao alcançarem a meta de emagrecimento. Depois de um início com muitos resultados, em que a perda de peso é rápida, o corpo se “adapta” e, como resposta, o metabolismo armazena gordura e as áreas de prazer e recompensa do cérebro também serão ativadas, gerando mais desejo de comer para se satisfazer.

“Após uma perda de peso significativa tendemos a relaxar aos poucos e, quando nos damos conta, engordamos muito novamente. Por isso a mudança deve ser definitiva, isso irá depender muito de organização, disciplina e comprometimento. Entender que precisa cuidar não do peso em si, mas da saúde”, salienta a psicóloga Luciana Kotaka, especialista em obesidade e transtornos alimentares. “Retomar hábitos antigos é muito fácil, por isso é necessário a psicoterapia com foco na obesidade, para que se identifique os gatilhos emocionais que levam a pessoa a exagerar na alimentação”.

É nessa hora que a reeducação alimentar e a prática regular de atividades físicas são importantes, conforme o endocrinologista Bruno Halpern. “Você precisa de uma alimentação isocalórica, que consuma tanto quanto você gaste. Se você não aprender a comer bem, vai comendo um pouquinho a mais todos os dias”, afirma o especialista. Para evitar perder a mão e de repente se ver novamente acima do peso, entrando no conhecido “efeito sanfona”, o ideal é ter o hábito de se pesar toda semana. Assim, pequenas alterações no peso serão notadas.

Os especialistas são unânimes em recomendar: nada de dietas malucas. Inclua no cardápio verduras, legumes e frutas, coma de três em três horas, beba muita água, reduza o consumo de frituras e gorduras e pratique exercícios regularmente. O ideal é sempre ter acompanhamento médico.

Matéria de  Gabriel Oliveira, participação de Luciana Kotaka