Arquivos da categoria: Oclusão

Reabilitação Oral: Mitos e Verdades!

29 janeiro, 2014 às 09:50  |  por Dr. Rogerio Agulham

A reabilitação oral representa o maior desafio da odontologia moderna, pois sua finalidade é restabelecer uma nova  oclusão (forma como os dentes se tocam e encaixam uns nos outros). Trata-se de uma área de grande abrangência que reunirá todas as especialidades odontológicas para que os todos os detalhes sejam observados atenção.

Cada caso envolve o planejamento multidisciplinar, onde todas as necessidades são traçadas pela equipe. Na maioria dos casos, o planejamento é realizado unindo várias informações obtidas no exame clínico, na expectativa inicial do paciente e no diagnóstico  do modelo de gesso que é uma réplica da situação inicial do paciente. Trabalhamos em cima dessa boca em gesso fazendo uma simulação do tratamento em cera que funciona de forma parecida com um projeto arquitetônico onde é simulado o sorriso inicial para aquele paciente.

A consulta inicial é considerada a limpeza da casa (quando necessário), onde os trabalhos inadequados são removidos, as cáries são limpas e são instalados dentes provisórios confeccionados de acordo com o enceramento inicial.

Após os provisórios começamos a trabalhar com a fundação da construção da boca que são as especialidades de apoio: canais necessários, tratamento periodontal, confecção de pinos metálicos nas raízes, enxertos ósseos (quando necessário), implantes nas regiões sem dentes ou nas regiões com indicação de extração de dentes.

Após a fundação do trabalho estar adequadamente saudável e estruturada, o paciente é moldado, fotografado, selecionada a cor dos dentes com iluminação adequada e todas essas informações são enviadas ao ceramista para que os dentes sejam criados de forma natural devolvendo a estética e a função mastigatória

Uma reabilitação pode ser feita da seguinte forma:

- Em cima dos seus próprios dentes

Na ausência deles podera ser feita com:

- Instalação de implantes

- Proteses parciais removiveis

- Protese total (dentadura)

- Com instalação de aparelho ortodôntico

protese-dentaria reabilitacao2 da37-img-3774_bg

 

DISFUNÇÃO DA ATM

22 maio, 2012 às 09:49  |  por Dra. Michele de Camargo

A ATM (articulação temporomandibular) é a articulação que une a mandíbula à base do crânio. Ela, juntamente com os músculos, ligamentos e ossos é a responsável pelos movimentos da mandíbula para frente, para trás e para os lados, para cima e para baixo. Ou seja, todos os movimentos envolvidos na mastigação e na fala.

Qualquer problema que impeça o adequado funcionamento deste complexo sistema é chamado de DTM (disfunção temporomandibular).

A DTM pode gerar um enorme desconforto, causando dores de cabeça, dores de ouvido, dor e pressão atrás dos olhos, barulhos durante a abertura bucal, como estalos ou até mesmo um chiado. Alguns portadores de DTM sofrem com o travamento da mandíbula não conseguindo fechar a boca após uma abertura excessiva.
Existem inúmeras causas que podem levar um indivíduo a desenvolver DTM, como por exemplo: próteses mal adaptadas; dentes mal posicionados; hábitos de ranger ou apertar os dentes (bruxismo e apertamento); falta de dentes, etc. O correto diagnostico da causa da DTM é muito importante para que se possa indicar o correto tratamento.

Os tratamentos mais comumente indicados são: reposicionamento dos dentes (através de aparelhos ortodônticos), confecção de novas próteses, recolocação de dentes faltantes (através de implantes dentários ou próteses), uso de placa mio relaxante e muitas vezes é indicado o tratamento conjunto com fisioterapeuta. Alguns casos mais avançados de DTM só podem ser resolvidos através de uma cirurgia na ATM. Por isso o diagnostico precoce é muito importante.

Guia de mastigação – Guia canina

3 julho, 2011 às 14:22  |  por Dra. Michele de Camargo

Quando o sistema mastigatório atua em harmonia, com o posicionamento e forma correta dos dentes, teremos uma melhor distribuição de forças entre os dentes e as estruturas que suportam estes, além das articulações e músculos, atuando quando devem atuar e relaxando no momento seguinte, permitindo a preservação e mais longevidade à todos os elementos que compõe o sistema.
Sabemos que a ação dos dentes na mastigação não se dá apenas com movimentos verticais simples de abertura e fechamento, mas compreende diversos movimentos laterais e anteriores excursivos que determinam, cada um na sua função, a quebra e trituração dos alimentos, permitindo e facilitando a digestão e absorção final dos alimentos pelo sistema digestório. A “guia canina”, compreende um dos movimentos mastigatórios excursivos, é importante por permitir que a ação se dê de forma menos danosa para as estruturas dentárias, já que o canino  possui raízes mais volumosas e extensas, suportando melhor as forças laterais, mas sobretudo servem como guia, protegendo, nesta fase da mastigação, os dentes posteriores, mais curtos. Por isso, interferências oclusais nos dentes posteriores durante esse movimento podem ocasionar a instabilidade oclusal, com repercussões tanto nos dentes diretamente envolvidos, como em outros à distância, além de poderem ocasionar traumas na articulação têmporo-mandibular.Nas imagens abaixo podemos observar, o dente canino sem função fazendo com que ocorra o desgaste dos dentes posteriores e depois com a guia estabelecida corretamente permitindo a desoclusão (afastamento) dos dentes posteriores.

Articulação Têmporo Mandibular

18 janeiro, 2010 às 14:42  |  por Dr. Anderson Kovaleski

O nosso crânio é formado por 22 ossos. Didaticamente, ele pode ser dividido em viscerocrânio e neurocrânio, suportando e protegendo os órgãos e tecidos da face e o cérebro respectivamente.

No crânio existe a única articulação bilateral do corpo humano chamada ATM – Articulação Têmporo Mandibular. Recebe este nome por fazer a articulação do osso temporal (fixo ao crânio) com a mandíbula (parte móvel). Ela tem função sensorial, “amortece” a mastigação, além de ser a responsável direta para que ela aconteça devido aos seus movimentos de rotação e translação. 

O interessante é que a própria anatomia da ATM mostra-se muito íntima não somente com as estruturas que fazem a mastigação mas também, com algumas que formam o ouvido. Por isso, às vezes, patologias de ATM são confundidas com problemas otológicos e muitas vezes tratadas como tal. A dor de ouvido é estatisticamente considerada a pior das dores que o ser humano pode ter. Portanto, cuidar da sua articulação é prevenir dor e desconforto tanto na audição quanto na mastigação.

Ranger os dentes

22 setembro, 2009 às 16:14  |  por Dr. Anderson Kovaleski

Pacientes “bruxomas”, ou, com ”bruxismo”, como é conhecido o ato de ranger os dentes provocando seu desgaste excessivo, são muito freqüentes no consultório. É muito comum eles desenvolverem este ato deletério aos dentes e as estruturas de suporte em períodos de muita ansiedade como: nas vésperas do vestibular ou de um grande concurso, de defender uma monografia, uma tese de mestrado, no fechamento de um grande negócio, enfim, em todos os momentos que geram tensão psicológica. Da mesma forma que o “ranger dos dentes” aparece, quando a estabilidade emocional é recuperada, ele desaparece. Porém, duante o período, é interessante abrirmos mão do uso de placas rígidas de acrílico personalizadas para proteger os dentes do desgaste excessivo. O uso deste dispositivo faz com que tenha-se a preservação das estruturas naturais, mantendo-as saudáveis,  mesmo nos períodos de maior estresse.

Dr. Anderson Kovaleski