FHC é aplaudido de pé em restaurante onde Guido Mantega foi hostilizado

30 maio, 2015 às 07:42  |  por Fernando Tupan

Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo

Poucas semanas antes de o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega ser hostilizado no restaurante Aguzzo, em Pinheiros, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi ovacionado no mesmo lugar. Clientes aplaudiram de pé o tucano e chegaram a formar fila para “selfies” com ele, chamado por alguns de “meu presidente”. Mantega foi provocado no local no sábado (23) após jantar com a mulher.

Benefícios de vereadores vão além de carro, gasolina e selo

30 maio, 2015 às 07:12  |  por Fernando Tupan

Da Gazeta do Povo

A afirmação do vereador Chico do Uberaba (PMN) na semana passada de que um vereador em Curitiba “paga para trabalhar” causou polêmica. Na ocasião, o parlamentar disse que um vereador na capital tem “um carro, 200 litros de gasolina e um selinho”. “Nada mais. Não tem verba de gabinete, não tem verba de nada.”

Continuar lendo

Dois paranaenses estão na lista tríplice para STJ

30 maio, 2015 às 06:00  |  por Fernando Tupan

Joel Ilan Paciornik e Fernando Quadros da Silva

Joel Ilan Paciornick e Fernando Quadros da Silva

Os desembargadores federais Joel Ilan Paciornik e Fernando Quadros da Silva, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, foram indicados pelo Pleno do Superior Tribunal de Justiça, para compor a lista destinada ao preenchimento da vaga aberta com a aposentadoria do ministro Ari Pargendler em setembro do ano passado.

Além dos desembargadores do TRF4, integra a lista tríplice o desembargador federal Marcelo Navarro Ribeiro Dantas, do TRF da 5ª Região. Os nomes serão encaminhados à presidente Dilma Rousseff. Caberá a ela escolher um magistrado para apreciação do Senado.

Continuar lendo

Lava-Jato: delação premiada de Ricardo Hoffmann, primo de Gleisi, causa pânico entre publicitários

29 maio, 2015 às 18:20  |  por Fernando Tupan

Efeito dominó – O publicitário Ricardo Hoffmann, primo da senadora Gleisi Helena Hoffmann, do PT do Paraná, negocia um acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava-Jato e por conta disso está alvoraçando os meios políticos e assustando o mercado publicitário. Pelo menos 20 produtoras de cinema que atuam no mercado de comunicação no País estão sob investigação da Lava-Jato. Os investigadores querem que os donos ou executivos das empresas colaborem na identificação de novos núcleos de corrupção envolvendo agências de publicidade, órgãos públicos federais e agentes políticos.

Continuar lendo

Apartamento da mulher do governador de Minas Gerais é alvo da PF

29 maio, 2015 às 18:14  |  por Fernando Tupan

Um endereço utilizado como residência da atual mulher do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT-MG), e a casa do ex-deputado federal pelo PT mineiro Virgílio Guimarães foram um dos alvos de mandados de busca e apreensão da Operação Acrônimo, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (29). As informações são da Folha de S, Paulo.

A operação, que prendeu o empresário Benedito Rodrigues –ligado ao PT, ele manteve R$ 525 milhões em contratos com órgãos do governo federal de 2005 a 2014 e estava em um avião apreendido pela PF em outubro de 2014 com R$ 113 mil em espécie–, busca localizar documentos que possam esclarecer a suspeita de que os valores que circulavam nas contas de investigados vinham da “inexecução e de sobrepreço praticados pelo grupo em contratos com órgãos públicos federais”.

Continuar lendo

Advogado especialista em auditores fiscais

29 maio, 2015 às 17:32  |  por Fernando Tupan
Do Blog do Cláudio Osti
O ex procurador de Londrina na gestão de Antonio Belinati, Eduardo Duarte Ferreira, criminalista do auditor fiscal Luiz Antonio Souza, que está fazendo delação premiada em Londrina e arrebatando multidões de investigados na Operação Publicano, também atuou num processo do Ministério Público contra Jaime Kiochi Nakano, que é fiscal lotado atualmente no gabinete do Secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa.
Ele trabalhou por anos em Maringá, Londrina e recentemente ocupou cargos em conselhos como CELEPAR, ParanaPrevidência, de Contribuintes e Recursos Fiscais na gestão de Beto Richa, além de coordenar o programa Paraná Competitivo durante o período de Luiz Sebastiani na Fazenda.
Trata-se da Cautelar Inominada 30851-47.2009.8.16.0014 do MP contra Jaime Kiochi Nakano e outros, que determinou a exibição de documentos e investigação de bens dos envolvidos com obtenção de declarações de renda, movimentações financeiras, dados fiscais, contas bancárias e de cartões de crédito. Nakano responde a um processo por enriquecimento ilícito em Maringá, após ser denunciado pela ex esposa no MP de lá.

As duas faces de uma professora

29 maio, 2015 às 16:31  |  por Fernando Tupan

loren zanetti e ademar traiano

Ademar Traiano e Loren Zanetti

A evolução do radicalismo do movimento dos professores da rede estadual do Paraná pode ser vista, a olho nu, na atitude – em duas fotos – de uma professora. No dia 9 de fevereiro a Professora Loren Reck Zanetti procurou o presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), para discutir pautas do movimento. Foi recebida com toda a cortesia, degustou, muito à vontade, um cappuccino na sala da presidência. Relaxada, fez confidências. Disse que era esposa de um médico e não precisava do salário (R$ 7.731,97) de professora, mas estava ali para apoiar os companheiros menos afortunados.

loren zanetti com nariz de palhaço

Loren Zanetti

Ao longo dos últimos meses a postura da professora sofreu uma metamorfose radical. Junto com a irmã Lélia Fernanda França Reck (salário de R$ 7.395,19) ela radicalizou de vez. As duas, que andam quase sempre juntas, já tiveram de ser retiradas do plenário pela segurança por berrar insultos aos deputados. Em uma ocasião foram conduzidas a uma delegacia para fazer um Boletim de Ocorrência por desacato. Nesta sexta-feira (29), toda vestida de preto, com um nariz de palhaço, Loren Zanetti se postou na entrada de carros da Assembleia e recepcionava os deputados e funcionários com um cartaz em que acusava o governador de ser o “assassino” da educação. Qual a verdadeira Loren? A do cappuccino amigo ou a do nariz de palhaço?

Professor Lemos investe no erotismo e propõe uma “cavalgada da mulher”

29 maio, 2015 às 15:31  |  por Fernando Tupan

Professor Lemos

Professor Lemos

O deputado Professor Lemos (PT), conhecido nacionalmente como “Professor Aloprado”, devido a seu comportamento alucinado durante a greve dos professores, está prestes a se envolver em uma nova polêmica, agora com conotação erótica. O deputado apresentou uma proposição para inserir no calendário oficial de eventos do estado do Paraná a Cavalgada Internacional da Mulher.

A proposta, segundo a justificativa, seria uma referência a um evento equestre do município de Campina Grande do Sul, mas o clima de radicalização, provocado pela greve dos professores, provocou um número enorme de brincadeiras maliciosas e de duplo sentido na Assembleia mirando a proposta do Professor Lemos.

Uma delas sugere que Lemos defenda sua proposta ao som da música “Cavalgada”, de Roberto Carlos, que tem versos sugestivos. Como: “Vou cavalgar por toda a noite/ Por uma estrada colorida/ Usar meus beijos como açoite/ E a minha mão mais atrevida”. Ou ainda: “Vou me agarrar aos seus cabelos/ Pra não cair do seu galope/ Vou atender aos meus apelos/ Antes que o dia nos sufoque”.

“Marcha dos 100 mil” vira o grande fiasco da greve

29 maio, 2015 às 14:54  |  por Fernando Tupan

Uma grande manifestação de professores deveria se concentrar em frente da Assembleia e do Palácio Iguaçu nesta sexta-feira, 29, para lembrar o confronto dos professores com a Polícia Militar um mês atrás. Confiante em seu poder de mobilização a APP anunciou que seria a “marcha dos 100 mil”, uma referência a histórica “Passeata dos Cem Mil” no Rio de Janeiro em 1968.

Foi um fiasco total. No auge do movimento, por volta das 11:30, computou-se a presença de quase mil pessoas no Centro Cívico. Um número 100 vezes menor do que o esperado pelos organizadores. O número de carros de som contrastava com“Marcha dos 100 mil” vira  o grande fiasco da greve o do mirrado público e os discursos de um atrapalhavam os do outro. Os grevistas pediam silêncio para os megafones do outro.

Comerciantes que acreditaram nos números superfaturados anunciados pela imprensa engajada, montaram barracas de comida na Praça Nossa Senhora da Salete, acreditando que teriam um alto faturamento, e tiveram um prejuízo enorme. Não venderam quase nada. A greve parece marchar para um final melancólico.

Reforma política na Câmara começa sub judice

29 maio, 2015 às 14:30  |  por Fernando Tupan

A manobra do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), para aprovar na noite de quarta-feira a emenda que permite o financiamento das campanhas eleitorais por empresas vai parar na Justiça. Com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), um grupo de deputados indignados com a votação, ocorrida depois de uma derrota sobre o tema na noite anterior, vai ingressar hoje com um mandado de segurança coletivo no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a anulação da votação por descumprimento da Constituição e do Regimento Interno. A série de votações que ocorre desde terça-feira é a primeira da reforma política, que ainda terá que ser votada em segundo turno na própria Câmara, antes de ser enviada ao Senado para duas rodadas de votações.

Continuar lendo

Mais de 60 empresas são suspeitas de sonegar mais de R$ 40 milhões

29 maio, 2015 às 13:30  |  por Fernando Tupan
Do Cláudio Osti
Sessenta e quatro empresas da região de Londrina são suspeitas de sonegar R$ 40,1 milhões, em Impostos sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A Secretaria do Estado da Fazenda está investigando 275 empresas sobre  o uso de créditos de ICMS gerados artificialmente a partir de transições comerciais que não existem. A sonegação parece ter alcançado a R$115,5 milhões, este é um dos métodos utilizados pelas empresas ligadas a auditores, investigadas na Operação Publicano.

Blindagem de Gleisi não funcionou

29 maio, 2015 às 12:01  |  por Fernando Tupan

Fábio Campana

Procuradores de Brasília e de Curitiba estão com antenas ligadas para as ameaças feitas por três advogados proeminentes da cidade para blindar a senadora Gleisi Hoffmann. A todo custo querem evitar o depoimento do “homem” que entregou o dinheiro a um empresário, Ernesto Kugler, a pedido de Alberto Youssef que agiu a mando de Paulo Roberto Costa para atender os interesses dos ex-ministro Paulo Bernardo, marido de Gleisi. Tudo isso já está documentado no processo.

A questão pode atingir diretamente a OAB-PR, já que alguns desses advogados ocupam cargos de destaque dentro da instituição. Porém, a investida da trinca não deu resultado. E há desdobramentos que chegam à Brasília. Coisas nossas, do Paraná.

O deputado/pastor e o repórter. Ou: desagravo a Marcelo Rocha

29 maio, 2015 às 11:52  |  por Fernando Tupan

Do Baixo Clero

Investigado pelo Ministério Público por contratar funcionários fantasmas, o deputado estadual Edson Praczyk (PRB) resolveu atacar o jornalista Marcelo Rocha, da RPC. Praczyk, que é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, contratou como fantasmas esposas de outros pastores da sua igreja. As investigações vieram à tona por reportagens da equipe da RPC. Rocha entrou na mira do pastor/deputado por ter assinado as reportagens. Com a postura, em vez de explicar o que precisa ser explicado, o parlamentar resolveu atacar o mensageiro.

Continuar lendo

Puxa-saco & vira-casaca

29 maio, 2015 às 11:50  |  por Fernando Tupan

Da Coluna Esplanada

Foi o vice-presidente da CBF para o Sul, Delfim Peixoto, pai da ideia de batizar a sede da entidade com o nome de José Maria Marin – cujo letreiro foi retirado. Ontem, o ex-bajulador não perdeu tempo: se disse disposto a assumir a direção se Marin for afastado.

 

 

Prejuízo causado pela greve dos professores daria para construir 16 mil casas populares

29 maio, 2015 às 11:04  |  por Fernando Tupan

Os dois meses de greve dos professores da rede estadual do Paraná, comandados pela APP Sindicato, provocaram prejuízos irreparáveis aos alunos que ficaram sem aula. Mas ninguém está contabilizando os prejuízos financeiros causados ao Paraná por uma categoria que ficou 60 dias sem trabalhar recebendo em dia. Ao contrário dos transtornos aos alunos e suas famílias, o estrago causado por essa paralisação pode ser medido.

Continuar lendo