A marcha naval de Evo Morales

25 janeiro, 2015 às 10:40  |  por Fernando Tupan

Do Antagonista

O Antagonista pede desculpas. Atarefado com outras questões, certamente menos relevantes, deixou de registrar um fato que pode ter consequências monumentais para o futuro da humanidade. Evo Morales, em sua cerimônia de posse, prometeu que a Bolívia conquistará um acesso ao mar. Nossos leitores talvez não saibam, mas a Bolívia, apesar de não ter mar, tem uma marcha naval. E ela foi entoada, ontem, por todos os parlamentares da base de Evo Morales:

“Levantemos nuestra voz / Por nuestro Litoral / Que pronto tendrá Bolivia / Otra vez, su mar, su mar”.

A marcha naval, composta pelo patriota Gastón Velasco, conclama os bolivianos a recuperar o território perdido para o Chile na Guerra do Pacífico, em 1879:

“Antofagasta, tierra hermosa / Tocopilla, Mejillones, junto al mar / Con Cobija y Calama, otra vez / A Bolivia volverán”.

Evo Morales já avisou que, caso se recuse a restituir um acesso ao mar à Bolívia, o Chile será esmagado por seus Ponchos Rojos com suas letais zarabatanas.

1 Comentários

Uma ideia sobre “A marcha naval de Evo Morales

  1. Cataleya

    E porquê a Bolívia do líder indígena perdeu o seu mar para o Chile? Aí a coisa fica feia, porque o líder saber a resposta, mas não vai ter coragem suficiente para dá-la aos povos que compõe a sua terra. Mas não seria mais fácil ao líder indígena pedir de volta Antofagasta, Tocopilla, Mejillones, Cobija y Calama de vuelta? Mas bravata é coisa de líder de país de terceiro mundo, eles adoram arrotar de valientes.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>