Arquivos da categoria: Câmara Municipal de Curitiba

Câmara de Curitiba não deverá ter recesso

11 dezembro, 2017 às 11:00  |  por Fernando Tupan

Palácio Rio Branco

Os vereadores da Mesa Executiva da Câmara Municipal de Curitiba quando são questionados pelos servidores e comissionados sobre o recesso de janeiro estão sendo orientados a pressionar o presidente do Sindicato dos Servidores da Câmara Municipal de Curitiba, Luiz Andrade. Explicam que o motivo de não darem o período do recesso este ano é uma denuncia do SindiCâmara ao Ministério Público do Paraná (MP-PR).

Câmara de Curitiba ensina como assediar moralmente sem ser pego

11 dezembro, 2017 às 09:00  |  por Fernando Tupan

Assédio moral

No final do mês passado houve um curso voltado para as chefias da Câmara Municipal de Curitiba, onde o assunto era assédio moral… Os chefes foram orientados sobre o que caracteriza assédio moral… Segundo um dos participantes, um procurador do município que estava no local ensinou formas sobre como descaracterizar o assédio moral legalmente… Com frases como o ônus da prova é de quem acusa… Nem tudo é assédio moral… Que gravações de celular não valem como prova… E coisas assim… E a chefe da procuradoria jurídica da CMC disse que é preciso acabar com a máxima de que tudo é assédio moral… O curso não passou de uma aula camuflada sobre como assediar moralmente sem ser pego… Pois nem o sindicato dos servidores da câmara foi convidado a participar.

 

 

 

Absolvição de Kátia Dittrich poderá aumentar número de vereadores investigados pelo MP-PR

11 dezembro, 2017 às 08:00  |  por Fernando Tupan

Kátia-Dittrich4

Katia Dittrich

Membros do Ministério Público do Paraná (MP-PR) estão torcendo para que a vereadora Kátia Dittrich (sem partido) escape da cassação na Câmara Municipal de Curitiba. Assim o grupo poderá ter ideia quais são os vereadores que podem estar fazendo maracutaia com o salário dos indicados do gabinete. Aqueles que não compareceram a votação ou que votarem pela absolvição de Dittrich serão os primeiros a terem os sigilos bancários dos funcionários quebrados. Denúncias foram feitas no MP-PR de que em dias de pagamento, vários comissionados sacam quantias fixas.

Veredito de Kátia Dittrich poderia ter sido outro

11 dezembro, 2017 às 07:00  |  por Fernando Tupan

Osias Moraes

Osias Moraes

Por muito pouco a vereadora Kátia Dittrich (sem partido) não foi beneficiada na Comissão Processante da Câmara Municipal de Curitiba. Na sexta-feira, o relator Osias Moraes (PRB), investigado pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por manter um funcionário fantasma no gabinete, pediu apenas uma suspensão apenas para a parlamentar. Toninho da Farmácia (PDT) quase acompanhou o voto de Moraes. Durante a discussão do relatório foi convencido por assessores para mudar o voto. Evitou um desgaste desnecessário para o mandato pelos próximos anos. Acompanhou o parecer do presidente Cristiano Santos (PV). Possivelmente amanhã uma decisão será tomada no plenário.

Aprovado relatório que indica cassação de Katia Dittrich

10 dezembro, 2017 às 14:14  |  por Fernando Tupan

Da Agência Câmara de Curitiba

A Comissão Processante decidiu pela procedência da denúncia contra a vereadora Katia Dittrich, que poderá ter o seu mandato cassado pelo plenário da Câmara de Curitiba. A decisão, anunciada nesta sexta-feira (8), não foi unânime. O voto do relator, vereador Osias Moraes (PRB), foi de que a parlamentar, acusada de exigir a devolução de parte dos salários de ex-servidores lotados em seu gabinete, fosse suspensa por 90 dias. No entanto, venceu o voto em separado do presidente do colegiado, Cristiano Santos (PV), acompanhado de Toninho da Farmácia (PDT). Eles entenderam que houve quebra de decoro parlamentar e que, por isso, caberá ao plenário decidir se o mandato de Katia deve ou não ser cassado.

Continuar lendo

Integridade dos vereadores de Curitiba é colocada a prova

7 dezembro, 2017 às 12:30  |  por Fernando Tupan

Katia Dittrich

Kátia Dittrich

A alegação de inocência virou uma mania entre os políticos brasileiros nos últimos anos. A maioria jura de pés juntos que existe um complô para tirá-los do poder. Exemplos são fartos: Luiz Inácio Lula da Silva, José Dirceu, Aécio Neves, Geddel Vieira Lima e Sérgio Cabral. Aqui em Curitiba a mesma regra vale. Kátia Dittrich (sem partido) não fugiu a regra. Expulsa do partido jura não ter desvios éticos e, claro, alega ser vítima de uma ardilosa armadilha preparada por ex-funcionários, jornalistas e um suplente. Pior, ela diz ter certeza da inocência dela. A afirmação mostra como a ética na política curitibana atingiu o nível mais baixo da história. Além de colocar em dúvida a integridade de todos os outros 37 parlamentares terá consequências eleitorais em 2018.

Pier Petruzziello pode se complicar na política

6 dezembro, 2017 às 08:00  |  por Fernando Tupan

Pier Petruzziello

O rebaixamento do Coritiba pode trazer consequências políticas para o vereador Pier Petruzziello (PTB), líder do prefeito Rafael Greca (PMN), na Câmara Municipal de Curitiba. Ex-presidente do Conselho Deliberativo do clube, Petruzziello é apontado em grupos de “what’s” das torcidas organizadas, como um dos culpados pelo rebaixamento da equipe paranaense para a Série B do Campeonato Brasileiro. Tudo porque, o irmão, Jeanfranco, é proprietário da empresa Forza Carreira Esportiva, que gerencia alguns jogadores contratados pelo Coxa e fracassaram com a camisa alviverde.

Solidariedade expulsa Kátia Dittrich

6 dezembro, 2017 às 06:00  |  por Fernando Tupan

Kátia-Dittrich4

A vereadora Kátia Dittrich, eleita como Kátia dos Animais de Rua na eleição do ano passado, foi expulsa do Solidariedade, após o partido analisar as denúncias e as provas contra a parlamentar. A decisão divulgada as vésperas da apresentação do relatório da Comissão Processante da Câmara Municipal de Curitiba, prevista para a próxima semana, coloca ainda mais pressão para a cassação de Dittrich. Quando as evidências não são claras, geralmente os dirigentes partidários ficam enrolando. Agora, uma absolvição, fica difícil explicar para os curitibanos.

Candidatura de vereador pode gerar ruptura política

4 dezembro, 2017 às 14:29  |  por Fernando Tupan

Pier Petruzziello

A mosca azul está zumbindo nos ouvidos do vereador Pier Petruzziello (PTB) que anda anunciando a disposição de se lançar candidato a deputado estadual em 2018. Se ouvir o canto da sereia Petruzziello pode sofrer revezes importantes, avalia uma veterana raposa política que circula nos meios políticos.  Ela lembra que o vereador construiu sua carreira como assessor do deputado Alexandre Curi (PMDB) e gravitando politicamente em torno da família Curi. A previsão dessa raposa é sinistra. Se levar a cabo esse projeto, Pier Petruzziello  vai passar por um vexame político. Vai fazer pouquíssimos votos, não vai se eleger e vai perder o apoio e a amizade de Alexandre e da família Curi. A conclusão é de que o vereador faria bem em reavaliar seu projeto. Enquanto é tempo.

Kátia Dittrich está com os dias contados na Câmara de Curitiba

4 dezembro, 2017 às 07:00  |  por Fernando Tupan

kátia dittrich

Os advogados da vereadora Kátia Dittrich entregaram as alegações finais do processo em que a parlamentar poderá perder o mandato. A comissão processante é formada por Osias Moraes (PRB), Cristiano Santos (PV) e Toninho da Farmácia (PDT).  O relator tem até o dia 8 de dezembro para apresentar o parecer. Na próxima semana, Dittrich ficará sabendo se a tendência é a cassação ou não. As evidências são fortes e uma gravação derruba todos os argumentos e desculpas soltas nos últimos meses. Para perder o mandato, são necessários votos de pelo menos dois terços dos integrantes da casa legislativa – 26 votos.

Câmara de Curitiba, R$ 300 mil de prêmio na hora da aposentadoria

30 novembro, 2017 às 09:00  |  por Fernando Tupan

Do Fábio Campana

Sabe aquela licença de três meses de trabalho a cada cinco anos trabalhados que os funcionários públicos têm direito? Pois, pois, na Câmara de Vereadores, desde 2012 ela pode ser trocada por indenização na hora da aposentadoria. O valor não é baixo. Dos 68 funcionários que se aposentaram desde então, a média foi de R$ 202 mil para cada um, com exceção de 17 casos que passaram de R$ 300 mil. Um bom negócio para o aposentado, mas caro aos cofres: em cinco anos as indenizações custaram R$ 14 milhões.

Jorge Samek vai para o voto em 2018

30 novembro, 2017 às 08:00  |  por Fernando Tupan

Jorge Samek

O ex-presidente da Itaipu Binacional, Jorge Samek (PT), esteve no início da semana na Câmara Municipal de Curitiba. No Palácio Rio Branco confidenciou aos mais chegados que analisa disputar a próxima eleição. Ainda não sabe se irá tentar uma cadeira à Assembleia Legislativa do Paraná ou à Câmara Federal. Samek vem conversando com a base e ex-assessores que estiveram com ele nos últimos anos. Todos querem que ele novamente enfrente as urnas. (Foto: Chico Camargo/CMC)

Câmara de Curitiba pode aprovar patrulhamento ideológico nas Escolas

29 novembro, 2017 às 09:00  |  por Fernando Tupan

Osias Moraes

O projeto de lei dos vereadores Ezequias Barros (PRP), Osias Moraes (PRB) e Thiago Ferro (PSDB) que estabelece o “Programa Escola Sem Partido” é uma tentativa de censurar a difusão do pensamento político. A iniciativa tenta levar os alunos para um novo período de patrulhamento ideológico e de submissão religiosa, onde a liberdade de expressão e o compartilhamento de ideias são pecados capitais. O conhecimento é essencial para o desenvolvimento da criança e para aprender que os radicalismos da direita ou da esquerda não levam a lugar nenhum. É proibido proibir. A ditadura militar foi para as chamas do inferno há muito tempo, onde a proposta do trio deve acabar. Mesmo porque dois dos três parlamentares, Ferro e Moraes (foto), estão sendo investigados pelo Ministério Público do Paraná, suspeitos de improbidade administrativa ou de contratação de fantasma no gabinete. Tenho certeza que o curitibano acredita que dupla, antes de apresentar qualquer proposição para reprimir, deveria voltar aos bancos escolares para aprender ética. O que se vê é aquela velha história: faço o que digo, mas não faça o que faço.

Câmara de Curitiba não quer ser bem fiscalizada

28 novembro, 2017 às 07:00  |  por Fernando Tupan

Thiago Ferro

Thiago Ferro

Os vereadores da Comissão de Economia da Câmara Municipal de Curitiba, presidida pelo investigado pelo Ministério Público do Paraná, Thiago Ferro (PSDB), não querem ninguém gabaritado na Controladoria, órgão fiscalizador quanto à execução dos recursos públicos. Na semana passada os parlamentares selecionaram dois servidores dos quatro inscritos. Por incrível que pareça, a única com formação na área financeira, foi desclassificada; Pelo jeito para evitar uma efetiva fiscalização, já que trabalha na área há anos e por ter todas as qualidades que o cargo exige. O cargo é uma espécie de Primeiro Ministro e o mandato é de quatro anos. Uma das finalistas é uma assistente social, com uma pós em controladoria, sem intimidade com as planilhas de números. A outra finalista também não é do setor. Está lotada nas comissões temáticas.

MP-PR investiga 16 vereadores da Câmara de Curitiba

27 novembro, 2017 às 08:00  |  por Fernando Tupan

Rogério Campos

Rogério Campos

Não será surpresa caso a Câmara Municipal de Curitiba inocente Kátia Dittrich (SD). Atualmente, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) investiga 16 parlamentares da 17ª Legislatura. Alguns nomes são conhecidos. Além de Dittrich estão encrencados: Thiago Ferro (PSDB), Osias Moraes (PRB), Rogério Campos (PSC) e Geovane Fernandes (PTB). O blog ainda não teve acesso aos outros nomes porque as investigações correm em segredo de Justiça. Dos 16, 13 são averiguados por retenções de salários (pedágio para os comissionados serem contratos) e por manterem servidores fantasmas; um por evolução patrimonial incompatível com os ganhos e três por motivos diversos. A procuradora, Angela Calixto, é responsável pelo processo aberto contra a vereadora do Solidariedade. Nas próximas semanas ou no início do próximo ano podem acontecer prisões no melhor estilo Lava Jato.