Arquivos da categoria: Restaurantes no Rio de Janeiro

Roberta Sudbrack

2 janeiro, 2011 às 23:48  |  por Jussara Voss

O post era para ser sobre o jantar no restaurante da Roberta Sudbrack, só que mudo o rumo porque estava pensando na posse da Dilma Roussef. Foi emocionante. Não dá para negar, mesmo ela sendo do Partido dos Trabalhadores, o PT de tantas decepções nos últimos anos. Mas, “o Rio de Janeiro continua lindo, o Rio de Janeiro continua sendo…” ,  volto ao tema inicial correndo, festejando o reencontro com o talento de uma das mais respeitadas chefs do país, isso emociona de fato e eu fico sem fala. Roberta, batalhadora, disciplinada e obcecada pela comida autêntica, tem conquistado admiradores. Impossível não se render aos sabores e cheiros da sua cozinha.  Acompanhada por familiares, que confiaram, no escuro, na minha escolha, sem saber o que encontrariam, entramos na casinha laranja no Jardim Botânico.  Eu teria pedido o menu-degustação de oito pratos e rezaria por agrados e surpresas, aliás, ficaria só com as pequenas porções de iguarias, dispensando até os pratos mais tradicionais, mas chegamos a um consenso à mesa, escolhendo o roteiro de cinco, com apenas uma exceção para um pedido de três pratos.

Começou o serviço e junto vieram as exclamações. O pão de queijo que derretia na boca parecendo um suflê e a manteiga com o pão da casa provocaram gemidos contidos. E assim continuamos abençoados e agraciados com  a delicada surpresa de uma porção de curau com caviar, palet e uma farinha de banana, o ingrediente eleito para ser estudado por ela em 2010.  Botei olho grande na flor de abobrinha, mas era preciso escolher uma entrada apenas e eu queria provar a “lichia com foie gras em geleia de Tokaji”, já que eu me atrevi a fazer essa receita em casa. Esqueci de pegar o cardápio impresso, mas não os sabores e com a ajuda do twitter descrevo: paleta de cordeiro assada por seis horas em baixa temperatura, ovo caipira com praliné de farinha de milho, ravióli de ossobuco de vitelo Maison e a “Sudvitrola” bombando e ajudando a emocionar. Destaque também para os sabores das ervas e brotos. E teve mais: lattecotto, em versão natalina, sublime. O requinte de um leve creme embalado por belas e saborosas frutas vermelhas selou a noite, que ainda teve queijo, eu gostaria de mais compota de laranja kinkan, brigadeiro de colher e variações imperdíveis de doce de leite. Poesia pura. Ave Sudbrack! Amém!

Alô Rio de Janeiro
Aquele Abraço!
Meu caminho pelo mundo
Eu mesmo traço
Sudbrack já me ensinou
A cozinhar
Quem sabe de tudo é ela
Aquele abraço!
Todos os cozinheiros da casinha laranja
Aquele abraço!
Espero você em Curitiba
Aquele abraço!
P.S. Pra quem não sabe, eu já testei quase todas as receitas da chef do livro Uma Chef, um Palácio.

Balanço do Rio de Janeiro

13 abril, 2009 às 16:09  |  por Jussara Voss

Já estava esquecendo de comentar a viagem ao Rio de Janeiro no final de março. Foi uma passagem rápida, porém intensa, e não pude evitar alguns abusos, heresias?, como tomar sorvete de manhã, por exemplo, para provar um pouco de tudo, uma vez que não visitava a cidade havia alguns anos. Apesar de ter tido um gostinho da comida da chef Roberta Sudbrack na refeição que os participantes do T&D, o “teacher and dinner”, prepararam depois da aula, pois as receitas são dela, fiquei muito triste por não ficar no dia seguinte e jantar no seu restaurante. Perdi também o almoço no Aconchego Carioca, já famoso pela qualidade da comida, porque precisava voltar. Mesmo assim, consegui comer bacalhau no famoso restaurante Antiquarius, um dos mais tradicionais do Rio, provar outros sabores dos sorvetes Mil Frutas, comprar chocolate no Aquim e provar o prato do dia no bistrô da família, experimentar a comidinha do Garcia & Rodrigues, inclusive o financier, o doce de amêndoas da casa, e ainda comer uns peixinhos no Sushi Leblon. Se considerar que não ando com muita disposição, acho que me esforcei bastante e tive uma amostra, pequena, porém, boa da gastronomia carioca. Ainda deu tempo de passar na ótima Livraria da Travessa e só não andei no calçadão da praia porque choveu. Nunca descanso quando viajo, a programação sempre é intensa, pois quero aproveitar tudo, mania esquisita, eu sei. Ia esquecendo, consegui assistir “Avenida Q”. Meu roteiro ainda incluía Chez Anne, na Gávea, e Envídia, ah, e uma passadinha no Lontra, o bar do lindíssimo hotel Fasano, aí acho que dei sorte, colegas do curso me falaram que o novo bar do Copa está mil vezes melhor, pelo menos para quem já passou dos 35 anos. A localização do hotel no Leblon, dica de uma amiga, ajudou a cumprir o roteiro apertado, andei a pé por ali porque todos esses lugares de que falei ficam no bairro, ou nas redondezas. A Joyce Pascowitch do Glamurama merece o crédito também. Meus mais sinceros agradecimentos. Bom, preciso contar que almocei às 18h, tomei sorvete de manhã, como já disse, comi sushi de madrugada… Veja mais sobre o Rio aí embaixo.


Onde ir no Rio

13 abril, 2009 às 15:52  |  por Jussara Voss

Roberta Sudbrack sempre. Estando lá, não deixe de conhecer a “casinha laranja à beira do canal” – onde a chef expressa todo o seu amor pela arte da gastronomia.

Garcia & Rodrigues

13 abril, 2009 às 15:49  |  por Jussara Voss

Virou moda tomar café no Garcia & Rodrigues, dizem que a mesa de pães e doces é maravilhosa, uma amiga falou que anda “meio caidinha”, como não provei fica a dúvida. Fazer compras ou almoçar também é uma ótima opção. Outro ponto charmoso e bacana para um lanche é Talho Capixaba, um antigo açougue, agora bem mais sofisticado. Dei uma passadinha lá também. Você pode montar seu sanduíche na hora escolhendo os produtos no balcão.

Garcia & Rodrigues

O prato com o peixe do dia e polenta cremosa estava ótimo. O doce “financier” provou porque é famoso, madeleine e café: delícias.

Aquim

13 abril, 2009 às 15:40  |  por Jussara Voss

Aquim é um caso à parte, a loja é linda. Fui também ao bistrô que fica na mesma rua, quase em frente. Uma graça de lugar, com comida gostosa. Gostei das opções combinadas com diferentes preços no almoço: entrada e prato principal; prato principal e sobremesa; entrada, prato principal e sobremesa; entrada, prato principal, sobremesa, taça de vinho e água. Uma sugestão para os restaurantes daqui. A foto é do livro de receitas da família.

Tartar de salmão fresco e defumado com ervas e vinagre de tomate.

Truta grelhada com risoto de amêndoas.

Macarron de avelã e café com financier.

A casa é pequena e charmosa. No cardápio da noite eu teria escolhido: mini-queijo quente com manteiga de trufas; filé de cherne com farofa amarela e purê de feijão branco; cavaquinha com melaço de romã. Volto.

Sushi Leblon

13 abril, 2009 às 15:34  |  por Jussara Voss

Que tristeza, como, quase sempre, sou moderada no comer e beber, é claro que não consegui experimentar tudo o que eu gostaria. Dei uma expiada no cardápio e fui possuída por “desejos e vontades”, imaginei que conseguiria voltar e não consegui. Fui de robata de vieira, que eu adoro, e, apenas, dois pares de sushi. Enguia: maravilhosa; e agulhão, muito bom, depois fiquei em dúvida se não seria o peixe-prego, não sei, a textura era diferente. O Sushi Leblon é um dos primeiros restaurantes japoneses da cidade, é badalado e bonito. Mais de 20 anos no mesmo local.

Sushi Leblon: tem até um cardápio do especialista espanhol Ricardo Sanz, além do da casa, que oferece ótima comida e tem sempre gente bonita.

Antiquarius

13 abril, 2009 às 15:25  |  por Jussara Voss

Local tradicional, com decoração imponente. Lembrou o Botafumeiro, em Barcelona, cheio de detalhes. O cardápio é antigo e apresenta pratos fartos. Aceitei a indicação de um amigo, “tem que ir ao Antiquarius do Rio”, intimou.

Com tantas opções na cidade, acho que não foi uma boa escolha, meu bacalhau veio pálido e sem sal. Não surpreendeu, não é para quem vai atrás de emoções. É clássico. Um dos maîtres, são nove para 90 lugares, disse que teria me indicado outro, mas eu fui da sugestão do dia… Acho que foi azar com o bacalhau.

As sobremesas são maravilhosas. A  bandeja de “prata” de doces portugueses é uma atração.

Queijo da Serra e bolinho de bacalhau no couvert também é demais.

O bom é que funciona direto, eu almocei quase às seis da tarde. É um clássico. Não achei o site. Rua Aristides Espínola,19. Leblon. Telefone 21 2294-1049.

Licor de amêndoa amarga: “afago” delicioso.

Pastel de Belém no café.

Detalhes até no banheiro.