Gávea

Corrida Maluca: teve de tudo na vitória de Olympic Impact no GP João Borges Filho

(Foto: Site JCB por Sylvio Rondinelli)

Uma dupla exata que pagou R$ 415,50 para cada real apostado dá o tom do que foi a principal prova de hoje (02) no Hipódromo da Gávea, o Grande Prêmio João Borges Filho (G2), preparatória para o Grande Prêmio Brasil (G1). 

Para quem esperava um embate entre Pimper's Paradise, George Washington e Adu Dhabi, teve que se contentar em ver o Stud Habeas Corpus vencer sua primeira vitória clássica com Olympic Impact. E teve mais, na dupla Galaxy Runner, que estava devendo uma boa atuação há algum tempo. E os favoritos? É o que a gente conta apartir de agora. 

Com um campo de animais fundistas, era esperado que Olympic Impact ou American Dream corressem na ponta, já que o estilo dos demais competidores era o de correr acomodado na primeira parte do percurso. Porém, como ninguém se apresentou para pontear a prova, em um ritmo extremamente lento Galaxy Runner assumiu a primeira colocação. 

Quem o vigiava em segundo era Pimper's Paradise, que costumeiramente corre mais atrás, principalmente nos 2.400 metros. Contudo, com a grama pesada ninguém estava querendo se arriscar a florear na frente ou correr para uma atropelada longa.

Chegando aos 1.600 metros finais, o jóquei de American Reason decidiu ir para cima do representante do Haras Sweet Carol, que hoje se apresentou de antolhos. Em terceiro muito perto corria Pimper's Paradise, com He's Gold, Olympic Impact, Abu Dhabi, George Washington e Mstraubarry. A diferença do primeiro para o último não chegava a seis corpos. 

E se você acha que Galaxy Runner correndo de ponta é estranho, não perde por esperar o que vai acontecer. O "Derby Winner" atropelador Abu Dhabi hoje estava novamente com um jóquei diferente, já que Valdinei Gil encontra-se lesionado e Maykel Mesquita não foi muito bem na última. 

O jovem Will Xavier, piloto dele hoje, deve ter pensado: "já que ninguém vai, vou eu tomar a ponta e ganhar o páreo aqui". Dando uma partida em Abu Dhabi na seta dos 1.300 metros finais e tirando três corpos dos rivais na primeira colocação. Essa atitude mudou o ritmo da prova e deixou os demais jóqueis meio perdidos, com Pimper's Paradise e He's Gold indo atrás do ponteiro. 

Assim, os demais animais também adiantaram suas partidas lá para a metade da grande curva, afinal, ninguém queria deixar os favoritos "sumirem" na frente. Entraram à reta Abu Dhabi e He's Gold, com Pimper's Paradise ficando no "meio do sanduíche". Depois vinham Amercan Reason, George Washington e, os dois que estavam na ponta na primeira passagem pelo disco - Galaxy Runner e Olympic Impact, sobravam para a sexta e sétima colocações respectivamente. 

Dali em diante começou a briga entre Pimper's Paradise, o grande favorito e Abu Dhabi, a segunda força da prova. Porém, muito bem trazido por Acedenir Gulart, Galaxy Runner encontrou passagem e veio brigar com os dois. Pelo meio de raia vinha George Washington tentando embalar, enquanto mais por fora, Olympic Impact começava uma atropelada até então improvável. 

Nos 100 metros finais Galaxy Runner livrou cabeça de vantagem para Pimper's Paradise, o que já seria uma grande "zebra". Entretanto, o que ninguém imaginava aconteceu. Ao invés da atropelada de George Washington pelo externo de raia, quem surgiu foi Olympic Impact, que no último pulo desbancou o pensionista de Adelcio Menegolo - e também grande parte das poules deste páreo. 

Na terceira colocação, bem próximo, finalizou Pimper's Paradise. Depois chegaram George Washington e He's Gold. O - agora - "ponteador" Abu Dhabi chegou na sexta colocação, com American Reason e Mstraubarry, este com uma reta muito esquisita, com o jóquei trazendo-o pela baliza 49, chegaram a seguir. 

Filho de Redattore e Our Charm (Spend A Buck), Olympic Impact é de criação do Haras Regina e de propriedade do Stud Habeas Corpus. Foi pilotado pelo ótimo Henderson Fernandes e apresentado pela "máquina" Luis Esteves. O tempo foi de 2'35"82 para os 2.400 metros na pista de grama pesada. 

Dupla brilhou também na milha: 

Tem uma dupla brilhando intensamente no Hipódromo da Gávea. Quando os apostadores veem no programa Luis Esteves e Henderson Fernandes no mesmo cavalo, já começam a apostar sem olhar para o retrospecto. E se foi assim no Grade Prêmio João Borges Filho (G2) com Olympic Impact, o mesmo aconteceu nno Grande Prêmio Mario de Azevedo Ribeiro (G3). 

Ultimate Warrior nem de perto era o principal nome da prova, contudo, com uma ótima atuação conseguiu assumir a ponta nos metros finais. O favorito Olympic Icecream ainda tentou levar a terceira consecutiva, porém não alcançou o representante do Haras Mabruk.

 

Filho de Quick Road e Coupole (Tsunami Slew), deixou a seguir Vale-Brinde, Don Bizarro e Guaruman. Como dito acima, foi pilotado por Henderson Fernandes e apresentad por Luis Esteves, assinalando 1'37"92 para os 1.600 metros na pista de grama pesada. 

ASSISTA O PROGRAMA TURFE NA CIDADE DESTE DOMINGO: