Bem Radical

Publicidade
#Surfe

Brasileiros vencem QS 3000 e Pro Junior (assista)

João Chianca" recebendo o cheque de U$ 15 mil do QS 3000
João Chianca" recebendo o cheque de U$ 15 mil do QS 3000 (Foto: Divulgação WSL por NicolásDiaz)

O Brasil venceu dois dos quatro campeonatos que aconteceram no Heroes de Mayo Iquique 2019, no Chile. João "Chumbinho" Chianca e Leo Casal venceram o QS 3000 e Pro Junior, respectivamente. A espanhola Nadia Erostarbe e a havaiana Gabriela Bryan venceram o QS 1500 e o Pro Junior feminino. 

João Chianca foi sensacional em sua última bateria, que decidia o título. Enfrentando o australiano Dean Bowen, o brasileiro que reside em Saquarema bateu todos os recordes do torneio. 

Primeiro com a maior nota do campeonato, 9.57. Depois, com mais algumas ondas surfadas chegou aos U$ 15 mil de prêmo ao totaçizar 17.74 pontos. Com a vitória João agora é o novo líder do sul-americano da WSL South America. 

"Foi incrível vencer aqui e não tenho nem palavras para descrever o que estou sentindo nesse momento. É a minha primeira vitória no QS, estou muito feliz e quero comemorar muito esse título", disse João Chianca. "Meu amigo já tinha me falado para não ser ansioso, que era para eu ser inteligente pra esperar as melhores ondas, porque minhas pranchas estão boas, meu surfe também e que era pra me divertir, então foi o que tentei fazer. Eu conversei com meu pai também e ele me disse pra garantir primeiro uma boa pontuação, antes de tentar fazer aéreos e eu acertei um ali muito bom, porque estava confiante pra fazer qualquer coisa."

Com esta vitória, João "Chumbinho" Chianca deu uma subida muito importante no WSL Qualifying Series, que rende uma vaga na elite de 2020. Ele era o 149° colocado no ranking e subiu para 36°, estando a duas posições do "top 34" classificatório. 

"Era um sonho distante liderar o ranking sul-americano”, confessou João Chianca. "A gente fica tão longe disso, com a cabeça nos eventos mais importantes do QS, no CT, com tanta coisa acontecendo, então liderar o ranking sul-americano está sendo um bônus pra mim. Estou amarradão também por entrar na briga pelas vagas do QS e quero manter essa pegada nos próximos eventos. Se Deus quiser uma classificação para o CT será fantástico, mas sei que tem muito a trabalhar ainda para isso e o melhor é manter os pés no chão, sem sonhar muito."

Outro brasileiro que virou líder foi Léo Casal, que ao derrotar o conterrâneo Lucas Vicente assumiu a primeira colocação do ranking sul-americano Pro Junior. A final foi insana, com os dois brasileiros trocando notas e consequentemente a primeira colocação. 

Depois de ficar por algumas vezes atrás, Casal acertou uma ondaça de direita, conseguindo 6.17, melhor nota desta bateria. Lucas ainda tentou reagir, mas nos minutos finais Casal novamente surfou uma onda de mais de 6 pontos para sacramentar a vitória. 

"Eu cresci junto com o Lucas (Vicente) e para mim ele é um dos melhores surfistas, sempre treinei olhando para ele como um ídolo, seguindo os passos dele e só em estar com ele na final já foi um grande momento na minha carreira", disse Leo Casal. "Sair com a vitória numa bateria tão disputada assim com ele, foi muito emocionante e estou muito feliz. Um dos meus focos esse ano é conquistar uma vaga pro Mundial Pro Junior da WSL e agora é ir para as próximas etapas confiante para conseguir outros bons resultados para isso."

O jovem de apenas 14 anos tomou a liderança do paulista Daniel Adisaka. No entanto, Casal não irá disputar a próxima etapa do Pro Junior, que acontece no Ceará. Como já está no Chile, Léo Casal decidiu disputar o QS 3000 de  El Gringo, em Arica. Os dois eventos acontecem na mesma semana. 

Quem faz o blog

Leopoldo Scremin é jornalista, acompanha, pratica e cobre esportes radicais há cinco anos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES