Bem Radical

Publicidade
Música

Trilha da semana: Blind Pigs - Suor, Cerveja e Sangue

Fabiano, guitarrista do Blind Pigs, que infelizmente faleceu em 2015
Fabiano, guitarrista do Blind Pigs, que infelizmente faleceu em 2015 (Foto: Divulgação Blind Pigs)

Quem disse que para ser a trilha da semana dos rolês de skate e surfe precisa ser algum álbum recente? Na "Trilha da Semana" do Bem Radical escolhemos um som que se tornou atemporal, a banda punk paulista Blind Pigs, que encerrou suas atividades em 2016. 

O início foi como o de outras de bandas que surgiram nos anos 90. Muita fita cassete distribuída, ensaios que mais pareciam festas e bastante correria para divulgar o som. E foi assim que a demo tape "Sweet Fury" chegou às mãos de um ex-baterista do Bad Religion, banda que é um ícone mundial do punk rock.

Jay Ziskrout, que garimpava bandas da América Latina para o seu selo "Grita", recebeu a demo tape do Blind Pigs e levou-a para os Estados Unidos com centenas de outras. Lá mostrou para o pessoal da Epitaph Records, gravadora que ele trabalhava. 

A gravadora californiana não lançou os paulistas, mas devido a uma parcecia com a Paradoxx Music, conseguiu indicá-los. Este selo - que foi muito forte nos anos 90 - acabou lançando o álbum "São Paulo Chaos", um verdadeiro clássico.

Depois de estourarem no meio underground, o Blind Pigs foi lançando álbuns, um melhor que o outro. "The Punks Are Alright" e "Blind Pigs" se tornaram verdadeiros sucessos do gênero, fazendo com que diversas faixas virassem hinos. 

Ainda vieram os álbuns "Porcos Cegos - Heróis ou Rebeldes" e "Capitânea" antes do fim prematuro da banda. Mas fazemos questão de deixar este álbum ao vivo, "Suor, Cerveja e Sangue" para que todos possam sentir o que era a performance deles ao vivo. 

Nesta gravação o Blind Pigs contava com Henrike Baliú nos vocais, Christian "Gordo" Targa nos backings e guitarra, Fabiano "Punk da Pedreira" também nos backings e guitarra, Mauro no baixo e Kleber na bateria. 

Um som insano, que marca a vida de quem gosta de letras coerentes de protesto, guitarras agressivas, melodia muito boa e atitude, o que falta para esta nova geração. Enfim, um som mais que especial reunindo grandes clássicos da banda. 

São 22 faixas unindo sucessos dos três primeiros álbuns do Blind Pigs. O início do show já mostra o que era a banda, em uma sequência espetacular e empolgante que conta com "Amanhã Não Vai Mudar", "Homem Sem Pátria" e "Fuzis e Refrões". 

Ainda neste ao vivo temos os clássicos "Verão em 68", "Lost Cause", "O Idiota", "Sweet Fury", "Avenida São João" e muito mais. Vale muito a pena ouvir!

Quem faz o blog

Leopoldo Scremin é jornalista, acompanha, pratica e cobre esportes radicais há cinco anos.

Publicidade

Plantão de Notícias

Mais notícias

DESTAQUES DOS EDITORES