• 23/07/2018

    Tragédia anunciada.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    A cada jogo perdido vão asfixiando as pretensões dos torcedores que imaginavam campanhas pelo menos razoáveis. Ledo engano. Quando falo aos afeccionados do futebol paranaense , desculpe a franquesa, acho com razão, afinal, o barco que remam os dirigentes do Atlético, Coritiba e Paraná, está a deriva. Profundamente lamentável. Com essa fragilidade técnica, e que se adonou da própria inércia dos clubes, contemplando erros e mais erros nas contratações, o que se pode constatar de momento é que poderemos estar acompanhando  uma tragédia anunciada.

    Pensem bem. Como encontrar motivos positivos em que o verdão paranaense terá que ganhar nos jogos restante entorno de 42 pontos, sim, pela necessidade da soma de 60% de toda a campanha. Frize-se que estão faltando 22 rodadas ( 66 pontos à serem disputados). Matemáticamente é possível, mas, jogando como está como ganhará 13 jogos?  Nos casos do Atlético e Paraná Clube, a soma de pontos para permanência na Série A, chega a 46 pontos. Muito bem. Mas, com as campanhas mal resolvidas, onde estão faltanto 25 rodadas, praticamente serão necessários 50% dos pontos a serem disputados. O que vocês acham?  

    O time que salvou a lavoura na rodada rodada passada, Paraná Clube, mesmo que tenha sido a duras penas, ganhou do América Mineiro (1x0), em Vila Capanema, e com isso tentando se salvar da rabeira desse certame que anda muito complicado para os paranaenses. Mesmo que some 13 pontos nesse momento, afinal, ao faltarem 5 rodadas para virada do turno serão necessários mais pontos para se chegar ao número mágico de média do 1º turno, de 23 pontos. Tudo , é claro, pelo mal começo nesse campeonato brasileiro.

    Já o Atlético Paranaense, clube com melhor condição administrativa e financeira, perdeu, ontem,.para o Cruzeiro e foi de virada (2x1), para o mesmo Cruzeiro, que no início de semana já o havia desclassificado para sequência da Copa do Brasil. Portanto, em se tratando de posicionamento na tábua de classficação, está o Furacão na penúltima posição contando somente com 10 pontos. Destaco, também, que sua situação é bem pior que a do tricolor da Vila. 

    Outra drama tem sido comentar o Coritiba nesta Série B, que agora deu, também, para não ganhar em casa, pois, seu reduto de soma de pontos sempre foi o Couto Pereira. Imaginem os senhores, a decepção da torcida, sobretudo, vencia o São Bento em 2x0, e quase perde se não fosse um erro de arbitragem, e foi do bandeirinha,  que anulou um gol do adversário, quando o atacante estava normal no lance. Lamentável esse empate (2x2) colocando a equipe em 9º lugar. Agora, não será com o atual técnico, Eduardo Batista, que o coxa vai subir. Erra demais.

    Lembre-se que : O melhor da vida é sua história.

     

     

      

  • 19/07/2018

    Passa o tempo e nenhuma perspectiva.

    Quem tem acompanhado o programa de esportes, pela CBN 670 Am de Curitiba, ao lado de outros companheiros, devem notar que o nosso relato do atual estágio que vivem os times da nossa capital  tem muito haver  pelas péssimas gestões administrativas. É sabido que Coritiba e Paraná Clube estão emergidos até as tampas com suas dívidas, mas, o torcedor quer mais é saber de melhoras. No caso do Atlético Paranaense, claro, o resumo é bem diferente, afinal, tem em seu comando administrativo uma ideologia de conseguir jogadores baratos para depois vender no mercado internacional. Sim, é claro, quanto a isso nem se discute, pois, é o Furacão o time que melhor negócio faz nesse âmbito esportivo, mas, também, fica devendo em campo com as várias trocas de jogadores e de comandos técnicos, deixando o torcedor à ver navios.

    Se focarmos com bastante rigor, minha gente, o Coritiba não subirá nessa temporada; o Paraná Clube retorna a Série B e o Atlético à lutar por sobrevivencia na Série A. É  ou não é esse o momento da maior crise técnica das equipes tradicionais da nossa cidade, pois, vejo o Coritiba em 9º lugar prestes a cair mais ainda na tabela, um Atlético que está na Zona do Rebaixamento e o Paraná Clube que, ontem, perdeu mais uma (1 x 0 ), foi em Salvador contra o Vitória, ostentando "galhardamente" um anti-penúltimo lugar na tabela classificatória.

    Com a paralização do campeonato brasileiro devido as datas da Copa do Mundo, as equipes ficaram treinando para intensificar o conhecimento dos seus técnicos. Foram mais de 30 dias, e o que pude constatar é que de nada valeram os treinos, sobretudo, se não existe a técnica refinada na parte dos jogadores. Com isso os técnicos jogam os erros aos jogadores dizendo à mídia que o elenco não tem qualidade e quando não, criticam os clubes pela falta de condições para as contratações. Engraçado que essas figuras quando assinam o contrato não reclamam de nada.

    A rodada efetivamente de retorno do campeonato brasileiro começou na noite passada com vários jogos espalhados pelo país. Inicialmente, vi Ceará x sport, jogo muito ruím que foi vencido pelo time cearense (1 x 0 ).  No Maracanã, com quase 60 mil espectadores, o São Paulo ganhou do Flamengo (1x0), enquanto na Arena Itaquera, o Corinthians passou pelo Botafogo (2 x 0 ). Pelo mesmo resultado, em Porto Alegre, o Gremio venceu o Galo Mineiro.

    Pude constatar que várias contratações aconteceram com as principais equipes brasileiras. É o tal negócio, onde a divisão financeira é um absurdo pela diferença de uns 80% , com as agremiaçõesde menor porte que disputam o mesmo campeonato. Portanto, sem viver de ilusão, o que posso esperar das equipes da nossa capital se não há um dinheiro extra ou mesmo capacidade de onde buscar jogadores?

    Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

     

     

      

     

  • 17/07/2018

    Batista, um engenheiro de obras prontas.

    Se fosse por um outro momento porque não dizer que o empate teria sido um bom negócio. Acontece que o tempo passou e determinações foram demoradas para se ajeitarem e o Atlético Paranaense está voltando, de Belo Horizonte, com o empate por 1 x 1 , ficando fora da sequência da Copa do Brasil. Como o regulamento desse torneio é representado por jogos em mata-mata, e tendo o Furacão perdido o primeiro jogo em casa (2 x 1 ), com isso seguirá em frente o Cruzeiro das Alterosas, mesmo que esse não tenha jogado um bom futebol.

    Depois da demora em mandar embora o ex-técnico, Frrnando Diniz, esse resultado de desclassificação é o primeiro problema que por certo o Atlético terá pela frente. Com um novo comando, e mesmo que já estivesse no clube e agora integrado ao time principa, Tiago Nunes, terá pouco tempo para se utilizar d e sua intuição para acomodar problemas que estarão com certeza  por perto, melhor dizendo, colocar em campo os que devam estar melhores. No jogo de ontem, a impressão é que a defesa já esteve bem melhor, sem aquela loucurada de girar o time em campo. 

    Amanhã, o Paraná Clube,voltará a jogar no Brasileirão/2018, e será, em Salvador, contra o irregular time do Vitória que anda mal das pernas. Depois do resultado favorável no amistoso contra o River Plate, de Montividéo, o técnico, Micale, que já havia montado o esquema para esse jogo, teve contra si um problema disciplinar de última horas, ainda mal contado, do zagueiro Cleber Reis. No mínimo alguma proposta deva ter chegadp para esse rapaz.

    O que havíamos antecipado aos amigos, eis que o Coritiba, nesse momento está localizado em 8º lugar na tabela de classificação, da Série B. Tudo porque a equipe ainda não ganhou um jogo fora, Como só voltará a jogar no sábado, em casa, contra a time do São Bento, e com os jogos marcados para o dia de hoje nesse início da 16ª rodada, poderá piorar mais ainda na classificação. Minha gente, parece uma tristeza sem fim. Até fiquei sabendo que alguns torcedores já estiveram, no CT de Quatro Barras, fazendo exigencias de melhoras do time em campo. 

    É de se perguntar o que estão fazendo o diretor de futebol, Augusto e toda a Comissão Técnica e mais de 30 profissionais no departamento esportivo, e olha que não estou incluindo jogadores do elenco. Muito povo para pouca reciprocídade. Quero expressar, também, meu descontentamento com o técnico, Eduardo Batista, mais parecendo um engenheiro de obras prontas, afinal, ainda não conseguiu ter um time organizado em campo.

    Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

  • 16/07/2018

    "Habemos" campeão mundial de futebol; a França.

    As apostas foram numa proporção maior que apontavam o selecionado francês como vencedor dessa Copa do Mundo/Rússia/2018, e que na verdade, aconteceu, com o placar favorável de 4x2 contra uma equipe, a Croácia, que mostrou muita competência ao longo desse certame jogando com muita alma e consideração ao país. Se o equipe francesa demonstrou, sim, muita qualidade técnica dos seus excelentes jogadores, destacando Pogba, Kanté, Varese, Griesmann e Mbappé, do lado dos croatas tivemos em Modric o grande nome desse mundial, que comandou sua equipe até essas finais, quando este país teve que se submeter a participar de 3 prorrogações e penalidades máximas.

    Tomando por base os comentários de diversos profissionais, que estiveram nessa cobertura jornalística, que tudo transcorreu na mais alta qualidade de atendimento as diversas especialidades nessa cobertura, fazendo coro na organização dos estádios, e principalmente, no valor humano, pois, os russos tão bem souberam mostrar amabilidade mesmo com a intensidade na dificuldade de se expressar pelo conhecimento linguístico.

    Desse rescaldo visto pelas imagens televisivas ficou constatado que a Rússia é um país bonito, grande em sua extensão e que agora terá com certeza outras milhares de pessoas que estarão à visitá-la. Sabíamos nos que o lado reticente e ditatorial na história política desse país nunca foi visto com simpatia por outras nações, contudo, ganhará a preferência futura de muita gente. Quanto ao futebol ficou a mostra que os grandes já não são tão grandes e os pequenos não tão pequenos, pois, a globalização fez crescer as informações e o mercado aberto para todas as nações.

    Agora, reunir os cacos e esperar que haja mais humildade e que as pessoas que interagem no esporte brasileiro sintam a necessidade de melhoras.  sobretudo, não só no esporte bretão, como, também em outras especialidades, afinal, ainda continuaremos sendo o maior conquistador de títulos mundias e  que se estenderá por mais 4 anos.  

    Depois de vividas todas as emoções de mais um mundial de futebol voltamos a respirar nossas ares com as decisões, Copas do Brasil, Sulamericana, Libertadores e o Brasileirão/2018. Portanto, logo mais à noite, Cruzeiro x Atlético Paranaense, no Mineirão às 20 horas, valendo Copa do Brasil, e ao longo da semana uma dezena de jogos que serão realizados em todo o nosso país. Fico na torcida que exemplos trazidos nesse evento mundial possa mexer com a sensibilidade e voltarmos a ser respeitado.

    Lembre-se que: O melhor da vida é sua história. 

      

  • 13/07/2018

    Pesquisa mostra 80% de simpatia ao croatas.

    De repente o mundo se virou contra o jogador , Neymar Júnior, após a derrocada brasileira em campos russos. Como sei que ele acompanha as redes sociais com toda certeza deva estar pensando porque tudo em cima da sua pessoa. A verdade é que a cultura do desportista brasileiro é sempre encontrar um patinho feio quando passa a não entender o efeito negativo de uma disputa. Outrora aconteceu com o goleiro, Barbosa, que após o gol do atacante uruguaio, Giglia, e que determinou a vitória da Celeste Olímpica, em pleno Maracanã nos idos de 1950, claro, entendido como uma catástrofe por tudo que a equipe brasileira vinha como favorito, jogou essa figura esportiva ao ostracismo. Tempos pude ouvir um pronunciamento do goleiro que ele ia morrer com esse estigma, e como aconteceu de verdade.

    Outra lembrança? Na Copa na Itália/1990, com uma derrota, também, inesperada e foi contra os argentinos, crucificaram o meio campo, Dunga, classificando por longo tempo como a Era Dunga, numa nítida demonstração de considerá-lo o boi de piranha . Mesmo que  Dunga tenha conseguido o título mundial 4 anos, após, nem isso o tirou do roteiro das críticas. E outras lembranças mais poderia estar verbalizando, como algumas endereçadas, também, ao próprio comando esportivo brasileiro.

    Contudo, mesmo que deva fazer correções em seu comportamento, o que o Neymar deveria pensar mais é como sair de uma situação desagradável que leva o mundo todo a fazer pilhérias e deboches quanto a suas atitudes em campo. Agora, também lamento, as considerações feitas ao excelente jogador brasileiro, concordando em parte, expondo de forma permanente sua vida pessoal.

    A partir de segunda feira os clubes do futebol brasileiro estarão correndo atrás da bola com jogos constantes para recuperaraem as datas devido o mundial de futebol. Não bastasse o brasileirão outros eventos paralelos estarão na prateleira como a Copa do Brasil e Sulamericana. Depois de tantas dias de descanso e treinamentos  não dará para ouvir reclamações que jogadores estarão cansados. Para o futebol de nossa capital a preocupação será maior ainda , pois, serão necessárias muitas vitórias.

    Já deu para perceber que 80% ou mais estarão torcendo para a Seleção da Croácia nessa decisão do próximo domingo, em Moscou, quando jogará contra a França que vem praticando um futebol mais vistoso. se levarmos em consideração a luta dos croatas nas prorrogações e penalidades máximas. O cansaço será maior da equipe do meia, Modric, que vem jogando uma barbaridade.

    Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.     

     

     

     

     

  • 11/07/2018

    Sintetizando os clubes de futebol da capital.

    Asseguro, amigos, que preocupações internas dos clubes da nossa capital, Coritiba, Paraná Clube e Atlético Paranaense, estão refletidas nos noticiários esportivos que ampliam as dificuldades  no curso dessa temporada nacional, principalmente, nos campeonatos brasileiros, Série A e B. Com o término do Mundial de Futebol/2018, na Rússia, com o retorno a partir da próxima semana é que saberemos se os dias parados, em virtude do calendário internacional, tenham sido benéficos para os paranistas e atleticanos, isto porque, o Coritiba que vem jogando a Série B, até agora nada fez de produtivo.

    Para quem está fora da nossa fronteira pode parecer cedo o que estou afiançando, mas é real o panorama que se instalou em nossos clubes. Se olharem, nesse momento, a tábua de classificação verão um Atlético com 9 pontos e Paraná Clube que soma 10, antes do reinício do brasileirão. Portanto, tomando por base que já tivemos 12 rodadas, a média é insignificante, pincipalmente, pelas permanências dessas equipes à Série A do próximo ano.

    Quanto ao Coritiba, que precisa a todo custo voltar a Série A, em 2019, a situação é também desesperadora, sobretudo, porque o alviverde paranaense jogou 15 partidas , onde conquistou 23 pontos, tendo a média de 51%, quando a necessidade é de no mínimo 60%. Agora, vamos ao que interessa, como um time de futebol quer chegar a pontuação maior se até agora não ganhou uma partida sequer jogando fora dos seus domínios ?  Claro, um absurdo, e mais ainda, um descontrole tecnico na equipe com jogadores sem a mínima condição tendo a comissão esportiva a necessidade de mudar constantemente o time.

    Analisando esse pacote, também, verificamos uma falta de diálogo entre os dirigentes e conselheiros dos clubes, evidenciando o fato que tem faltado humildade para os atuais personagens. É sabido que no Atlético, o poderoso chefão, Petráglia, que não liga por nada o que vem externamente, toca o barco como fosse o dono do clube sua propriedade particular. Por sua intolerância, e fraquesa dos componentes diretivos que só dizem amém, deixou a equipe em campo se debatendo e não fosse alguns opositores e mesmo a imprensa, ficaria o ex- técnico ,Diniz,  que estava levando a agremiação para o buraco.

    No Paraná Clube, a situação que é incômoda, não é diferente, tendo a agravante do problema financeiro que se arrasta algum tempo. Desculpe, não gostaria de preconizar, mas a situação paranista em permanecer na série principal brasileira, logo será definida com os próximos jogos. É aquela máxima da necessidade de recueprar pontos. Exemplo: tendo que chegar a média do primeiro turno para não cair,  serão necessários 23 pontos, a recuperação em 7 jogos para a virada do turno  então, terá que ganhar 13 pontos em 21 que serão disputados. Se fugir desses números agravará o segundo turno. 

    Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

  • 10/07/2018

    Alto custo deixou o rádio fora dessa cobertura.

    Sou de um tempo em que as coberturas esportivas internacionais, principalmente, com o produto Seleção Brasileira de Futebol, que exportava qualidade e prestígio viajando por vários lugares desse mundo, de Deus, tinha ao lado as principais emissoras de rádio do país que acompanhavam, e de forma costumeira, qualquer que fosse o intuito da presença importante do futebol brasileiro. Comento esse fato, afinal, estive desde 1975 até ano passado, em mais de 90 viagens internacionais, e muitas delas com o selecionado nacional. Confesso que era uma festa estar com grandes astros do rádio esportivo de todo país numa confraternização simpática e que tinha um efeito extraordinário. 

    Por que comento isso, claro, seria uma boa pergunta e de fácil explicação. Agora, o que se nota é uma extravagância de imagens e conceitos facilitados pela televisão. O que outrora dominava o rádio com sua qualidade de observação aos fatos pela facilidade dos seus profissionais que buscavam argumentos e retóricas, agora, a impressão que esse mundial, na Rússia, nos vem passando é que o veículo que nasceu forte e que tinha a paixão dos ouvintes nas transmissões mais eloquentes, ficou para trás.

    Com os altos custos que hoje se aproximam a loucura para uma cobertura radiofônica ficou fora da própria sintonia dos empresários das emissoras de rádio. Imaginem, os senhores, viajavam para qualquer cobertura em torno de 17 emissoras desde o norte ao sul do país e cada estado com suas características. Várias eram as vozes que espalhavam em nosso continente, e que nos dias de hoje com o atual estágio financeiro, estão caladas. Portanto, a briga ficou televisiva. Como lutar com a força do dinheiro estrangeiro que praticamente se adonou dessas coberturas. Vemos as empresas como a Globo, Fox, Sportv, com uma programação de 24 horas, jogando imagens e conteúdos de todos os cantos.

    Passou com isso a não interessar aos donos das estações pelo alto custo na compra de direitos- via transmissão rádio. Contudo temos algumas emissoras brasileiras tentando brigar com as imgens, penso que devam ser umas seis, mas, que pelo tamanho do investimento mandaram poucos profissionais, sendo as transmissões localizados nos estúdios das emissoras via off-tube.

    O duro mesmo é viver a expectativa de resultados. Paga-se uma fortuna à uma cobertura gigantesca e no caso quando o selecionado volta para casa, e com antecedência, deixa a todos com a impressão que estarão falando para ninguém, afinal, o sentimento de derrota dificulta a audiência. Não que seja contra, sobretudo, porque estou contando somente o lado de quem viveu essas emoções, mas, como efeito televisivo foi um show com as imagens vindas de um país considerado reticente e ditatorial. Quem vai ganhar muito será a própria Rússia que abriu suas portas para que todos pudessem notar a beleza desse país.  

    Lembre-se que: Que o melhor da vida é sua história.

     

     

     

     

     

     

      

  • 09/07/2018

    Se o futebol fracassou quem não pode é o nosso povo. Coragem para mudar.

    Algumas copas deixaram o povo brasileiro triste, exemplificando as de 1982 (Espanha) e 1986 (México), onde a nossa seleção tinha grandes jogadores e poucos deles jogavam fora do país. Passo essa lembrança aos senhores pelo atual momento que vive o futebol brasileiro, Sem querer justificar, mas apontando problemas, entendo que deveria voltar nossa tradição futebolística no prumo. Sem um comando (CBF), onde seus últimos presidentes foram considerados corruptos e fugitivos da lei, e a inércia que tomou conta dos clubes que se desorientaram em suas contas e projetos administrativos, são constatações do caminho que tomou esse esporte que nasceu grande em nosso país.

    Na verdade, de uns tempo a essa parte e que desestimulou muito o próprio torcedor, é o momento, também, do nosso pais. Assombrados com o amplo noticiário dos desmandos políticos, somados as roubalheiras, assuntos que vemos e ouvimos diariamente nos veículos de comunicações, o povo já cansado dessas falcatruas, sinto o distanciamento, também, do pouco caso que os atuais jogadores que servem o selecionado nacional distantes de uma realidade que converge nosso país. Portanto, o torcedor brasileiro prova que não é mais aquele ufanista a ponto de não se entristecer com essa desclassificação em gramados russos.

    Calejados, e tendo a sua frente várias frentes de informações, são as redes sociais , o povo vem construíndo uma nova ideia de sintonia com aquilo que representa o certo em nosso território. Outrora, como ninguém sabia das verdades escondidas, hoje, nada passa e os próprios veículos de comunicações não podem ficar alheios,pois, estão atentos a manifestação pública. A ordem agora é resolver o problema que é o pais para tirar do caminho os sem amor à patria. Quem pesquisa sabe que os que hoje governam e tem poderes estão aflitos, pois, a tendência é de uma mudança radical.

    O azar dessa gente é que o futebol brasileiro, que antes era considerado vitórioso, aquele que facilitava a vida dos parasitas, não temos mais, e a ordem agora é ir para cima nessa próxima eleição. Não vejo outro caminho que não seja devolver à nos a certeza que o país vai reagir. 

    Portanto, meus amigos leitores, o futebol que nos encantava ficou atrasado com o tempo, mas o Brasil-Pàtria, tem que ser resoluto, forte, disciplinado, pois, não vejo outro via à trilhar, sobretudo, porque já passamos do tempo.

    Lembre-se que:  O melhor da vida é sua história.

     

     

     

  • 06/07/2018

    Opinião antecipada do jogo Brasil x Bélgica.

    Como de costume gosto de fazer comentários pela Rádio CBN 670 AM, de Curitiba, de forma antecipada, pois, acredito que aí é que está exposto o profissional que vive com a tendência dos erros e acertos nos fatos que poderão acontecer. É evidente que essa postura faz o comentarista tomar certos cuidados, por que falar por falar e sem a devida propriedade, é bem difícil jogar nessa loteria. Então, antes da realização do jogo da Seleção Brasileira de Futebol x Bélgica, hoje em Kazam, às 15 horas, horário de Brasilia, partida essa valendo a classificação para as 4ª de final, exponho minha observação antecipada com a premissa que muitos colocam uma certa dose de intranquilidade quanto ao resultado final.

    Vendo o lado da tradição nos 5 títulos conquistados, em mundiais, da equipe canarinha, contra um bom momento de um selecionado ( Bélgica ) que terá uma grande oportunidade de mostrar sua competência, alguns ítens devem ser explorados por aquilo que estou prevendo nesse espetáculo. Sem elencar, vamos por partes, posso iniciar dizendo que o melhor do nosso adversário tem sido seu ataque realizador e que conta com boa proteção da sua meia cancha. Entre eles estão o atacante, Lukaku e o meia Hazard. Muito bem. Sem o futebol do volante, Casemiro, pelo cartão, entrará nesse jogo o paranaense, Fernandinho, dizem até que não será esse um problema antecipado ao técnico, Tite. Pode ser.

    Quando o a Bélgica passou pelo Japão, e foi de virada, notei alguns probemas defensivos dessa equipe que em alguns momentos jogou de forma lenta. Nessa partida os belgas jogaram com um sistema 3-5-2, facilitados pela maneira do jogar dos japoneses que chegavam somente com bolas dominadas. Paro por aqui, pois, concentra-se nessa área de atuação da equipe brasileira, seu maior potencial, com os atacantes, William, Felipe Coutinho, Gabriel Jesus e o brilhante, Neymar. Portanto, se os belgas forem para o jogo, é claro que precisarão ir para ganhar, os espaços defensivos que serão deixados por esse sistema 3-5-2, darão as facilidades á Neymar e William , para trafegarem por esse setor, e com isso, descontrolando toda parelha de beques.

    Onde estaria o problema brasileiro? . Vamos lá pelo meu ponto de vista. Um deles a entrado do ala, Marcelo. Incrível, entender que o melhor do mundo nessa área poderá ser o ponto fraco da equipe brasileira. Claro, é conhecimento de todos que o Marcelo não é lateral de ofício e os belgas serão rápidos pelos cantos, pois, aproveitarão bolas alçadas dentro da grande área brasileira. Quanto ao Fagner, diria ser bem diferente, pois, marca melhor, mas, o único problema é ser um jogador de baixa estatura para saltar com os adversários. Apostaria no lateral, Filipe Luis, afinal, e mais marcador.

    Outro detalhe e agora pode ser tático que o técnico, Tite, fará com essa entrada do Marcelo, será no caso melhorar seu condão ofensivo. Diria como sugestão de pauta: fazer o Marcelo andar pelo lado esquerdo para  liberar o Neymar para jogar junto ao Gabriel Jesus. Então só se for por esse aspeco,ou seja, fazer o Neymar jogar nas costas dos volante belgas. Desculpe, acho que fiz minha obrigação, pois, falar depois, é chover no molhado. Finalizando esse papo : mesmo aceitando serem os belgas um time muito bem dirigido preconizo a maior força coletiva dos brasileiros, sobretudo, ficar torcendo que marquem por zona e não busquem muitas faltas.  

    Lembre-se que : O melhor da vida é sua história.

     

     

     

     

     

     

  • 03/07/2018

    Papelão do técnico, Osório. Se perdeu com a derrota.

    O técnico colombiano, Juan Carlos Osório, agora, dirigindo a seleção mexicana, fez declarações que só o prejudicaram, após, a derrota que sofreu perante o futebol brasileiro. Estranho uma pessoa perder a cabeça da maneira como se dirigiu ofendendo ao excepcional jogador, Neymar, dizendo que futebol é para homens. Foi uma burrice estonteante esse seu procedimento, afinal, esteve trabalhando em nosso futebol, mais propriamente no time do São Paulo, e que na verdade não deixou saudades. Querer justificar a derrota ao dizer que aquele pisão do jogador mexicano, Luyan, não tenha sido proposital  e que tenha sido  muito mais uma encenação do atleta brasileiro, é de dar dó. Tenho pena de você, Osório, afinal, trocastes jogadores sem a devida necessidade na partida e viu a equipe brasileira deslanchar.

    Com critério e também com muita intuição, o técnico brasileiro, Tite, demonstrou autoridade no comando do time brasileiro, quando teve que pensar nos retorno dos alas , Danilo e Marcelo. Simplesmente, foi pelo caminho certo em não desmontar uma defesa que precisaria marcar mais do que apoiar. e com isso, mais sólido ficou a time,  As trocas, Casemiro pelo cartão e a entrada do Fernandinho, somados com o cansaço do meia Paulino pelo Firmino, aliás, onde todas esperavam pela saída do atacante, Gabriel Jesus, que na verdade foi mais útil na marcação a esquerda do selecionado. 

    Agora, 4ª de final, jogando em Kazan, contra a Bélgica. Muitos na verdade estavam torcendo para o Japão, que depois de estar ganhando por 2x0, sofreu a virada, do bom time belga. Diria, uma presunção minha, que será melhor para Neymar e Cia, afinal, o time belga tem uma presença mais ofensiva, onde tem demostrado nesse mundial, mas, em compensação sua zaga e desequilibrada.

    No dia de hoje, também, saberemos quem passará de Suécia e Suiça como também, Colombia x Inglaterra. A partir daí a cobra vai fumar. 

    Fiquei muito feliz com a presença de quase 150 pessoas no salão Milano, Restaurante Madalosso, por conta de mais um jantar da Confraria Amigos da Bola. Confesso até me surpreendi, afinal, estavamos mudando de local, mas, como sempre, a primeira segunda feira de cada mês está reservada para os queridos amigos que participam com muito entusiasmo.

    Lembre-se que: O melhor da vida é sua história.

     

     

     

     

     

     

     

     

DESTAQUES DOS EDITORES