por Fernando Francischini

Pedofilia

Qual a verdadeira face do mal?

Já houve um tempo em que era possível reconhecer um criminoso pela aparência, função ou por onde ele andava ou vivia. Hoje, se você ainda acredita nisso, posso te garantir que está vivendo em uma bolha de inocência.

No início deste mês, vivenciamos dois casos extremamente chocantes envolvendo pedofilia e abuso sexual com protagonistas que não deveriam estar em nosso “radar”.

O primeiro caso aconteceu em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A polícia encontrou uma das maiores redes de pornografia vista em todo o país na casa de um advogado bem sucedido. Foram encontrados mais de 300 mil vídeos e fotos de crianças em situação de abuso sexual.

Mais de 900 mil minutos de crianças sendo abusadas das mais diferentes formas possíveis.

O advogado fazia parte do conselho de ética da OAB no Rio de Janeiro e utilizava o computador da Ordem para fazer os downloads e compartilhamentos dos conteúdos.

Na mesma semana, também no Rio de Janeiro, vizinhos denunciaram o estupro de uma criança de 12 anos na zona oeste, na casa de um outro advogado de 58 anos. Na residência, foi encontrado um acervo com mais de 8 mil itens nazistas e armas. O homem foi preso em flagrante e encontrado pelos policiais enquanto navegava em um site de pornografia infantil.

Ainda segundo as denúncias, o predador havia praticado os mesmos atos com outras crianças. O pai de uma das vítimas foi à delegacia e disse que o filho foi forçado a entrar na casa do abusador onde tiveram atos sexuais.

Segundo a Safernet Brasil, de janeiro a abril de 2021 foram denunciadas mais de 15 mil páginas relacionadas com pornografia infantil. Um crescimento de 33,45%.

Um dos maiores problemas dos conteúdos pornográficos de crianças é o fato de que, cada uma delas sofreu abuso sexual para a produção daquilo, fora as ameaças e torturas.

A violência sexual pode gerar sequelas e traumas para toda a vida, tanto nas questões físicas quanto nas questões psicológicas e emocionais. A vítima tem o seu corpo e mente violados e, por isso, após o abuso, pode passar a ter sintomas físicos e psicológicos e desenvolver transtornos como ansiedade e depressão. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, além de ser um crime contra a humanidade, a violência sexual é uma questão de saúde pública de escala global.

É mais do que necessário que promovemos novas políticas públicas para a proteção das nossas crianças, a fiscalização e o combate à pedofilia. Além disso, é preciso endurecer as leis relacionadas a crimes como este e oferecer ferramentas eficientes para cortar o mal pela raiz.

Não se engane! Pedófilos muitas vezes não são como aqueles que vemos em filmes e seriados e podem estar mais perto do que você imagina, exercendo funções e com comportamentos que servem como disfarce para a verdadeira face do mal. Esteja alerta e mantenha um diálogo sobre o tema com seus filhos.

Ilustração: BBC