Cinema

‘Casa Gucci’ traz reviravoltas, traições, morte e grande elenco

Jared Leto, Al Pacino, Lady Gaga, Adam Driver e Jemery Irons
Jared Leto, Al Pacino, Lady Gaga, Adam Driver e Jemery Irons (Foto: Divulgação)

Histórias de crimes reais sempre atraem a atenção das pessoas. Por isso, acabam gerando grandes histórias para o cinema – principalmente nas mãos de um grande diretor e com um grande elenco. É o caso de ‘Casa Gucci’, que estreia nesta quinta-feira (25) em Curitiba, sob a direção de Ridley Scott (de ‘Alien’, ‘Blade Runner’ e ‘Gladiador’) e com nomes como Lady Gaga, Al Pacino, Jeremy Irons e Jared Leto – todos já vencedores de Oscar – além de Adam Driver (que ao menos já foi indicado).

‘Casa Gucci’ traz a história do assassinato de Maurizio Gucci, um dos diretores da famosa grife Gucci. O crime, ocorrido nos anos 90, chocou o mundo por ter sido encomendado por Patrizia Reggiani, ex-mulher dele.

Maurizio (Adam Driver), um tipo desligado, tímido e desajeitado, é filho de Rodolfo Gucci (Jeremy Irons), que, em parceria com seu irmão e sócio, Aldo Gucci (Al Pacino), comanda a poderosa grife que leva seu sobrenome. Aldo ainda é pai de Paolo (Jared Leto), também imerso nesse universo da moda e do poder. Maurizio, ao contrário, não parece sintonizado com o mundo dos grandes negócios. E, quando é fisgado pela desinibida Patrizia Reggiani (Lady Gaga), acaba deserdado. Ele até acaba indo trabalhar com o pai da moça, Reggiani (Vincent Regiotta), que tem uma empresa de transportes, e diz que nunca fora tão feliz agora, depois que “desceu” de classe social. Mas Patrizia tem outros planos, bastante mais altos e arriscados.

O filme de Ridley Scott traz rivalidades entre classes sociais, reviravoltas, traições de todo tipo, estratégias nebulosas e golpes abaixo da linha da cintura, chegando a um assassinato. Curioso como os protagonistas do mundo da alta moda volta e meia se comportam como vilões cheios de clichês. Mas às vezes parece ser assim mesmo. Afinal, o filme é baseado em fatos reais, narrados no livro ‘Casa Gucci’, de Sara Gay Forden, cujo subtítulo é emblemático: “Uma história de glamour, ganância, loucura e morte”.