Cinema

Oscar recria ‘duelo’ entre Jane Campion e Spielberg

(Foto: Divulgação)

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou ontem os indicados ao Oscar 2022. ‘Ataque dos Cães’ foi o campeão de indicações, 12 ao todo, seguido de ‘Duna’ (10), ‘Belfast’ (7) e ‘Amor, Sublime Amor’ (7). Mas a disputa tende a ficar entre ‘Ataque dos Cães’, de Jane Campion, e ‘Amor, Sublime Amor’, de Steven Spielberg. O que recria um duelo ocorrido no Oscar de 1994.

Em 1993, Spielberg lançou ‘A Lista de Schindler’ e Jane Campion fez ‘O Piano’. Na ocasião, a diretora neozelandesa era menos conhecida. Spielberg, por sua vez, havia sido preterido algumas vezes no Oscar em anos anteriores, mesmo tendo feito filmes mais relevantes que os vencedores – para citar só um exemplo: ‘Caçadores da Arca Perdida’, o primeiro filme do herói Indiana Jones, perdeu para ‘Carruagens de Fogo’, do qual apenas a música é conhecida. Naquele ano de 1994 (a premiação é sempre no ano seguinte ao lançamento do filme), dadas todas as circunstâncias que envolvem o prêmio, não havia como não dar a Spielberg os Oscars de melhor filme e diretor por ‘Schindler’. De fato, ele ganhou. Jane Campion levou o de roteiro.

Desta vez, Jane Campion larga na frente com ‘Ataque dos Cães’, um western com nenhuma ação (e, curiosamente, filmado na Nova Zelândia). Ela recebeu três indicações: melhor filme (é uma das produtoras), melhor diretora e melhor roteiro adaptado. ‘Amor, Sublime Amor’, uma refilmagem do musical clássico de 1961, levou sete indicações, sendo duas para Spielberg como melhor diretor e melhor filme (ele é produtor).

‘Ataque dos Cães’ e ‘Amor, Sublime Amor’ estão entre os 10 indicados ao prêmio máximo do Sindicato dos Produtores (PGA), um dos termômetros do Oscar – a premiação sairá no dia 19 de março. E ambos foram os vencedores do Globo de Ouro (outro termômetro do Oscar) em suas respectivas categorias: Melhor Filme Dramático e Melhor Filme Musical ou Comédia.

‘Duna’, apesar das 10 indicações, tende a ficar apenas com os prêmios técnicos, como Melhores Efeitos Visuais, Melhor Som ou Melhor Montagem. E ‘Belfast’ deve consagrar Kenneth Branagh apenas como autor do Melhor Roteiro Original — a história é autobiográfica. Os outros correm por fora.

Uma surpresa entre os indicados ao melhor filme é o japonês ‘Drive My Car’. Contudo, desta vez, são pequenas as chances de repetir o feito do sul-coreano ‘Parasita’, que levou o Oscar de melhor filme em 2020.

Principal prêmio do cinema internacional, o Oscar volta a ter um apresentador neste ano e será realizado no Dolby Theatre, em Los Angeles (EUA), no dia 27 de março. Esta é a 94ª edição do prêmio da Academia.

Brasil

‘Deserto Particular’ foi escolhido pelo Brasil para representar o país na categoria melhor filme internacional, mas o longa de Aly Muritiba não passou pela primeira fase da seleção, em dezembro. Já o curta ‘Seiva Bruta’ não conseguiu passar de fase e não levou nenhuma indicação à estatueta.

TODOS OS INDICADOS AO OSCAR

MELHOR FILME
‘Belfast’
‘No Ritmo do Coração’
‘Não Olhe Para Cima’
‘Drive My Car’
‘Duna’
‘King Richard: Criando Campeãs’
‘Licorice Pizza’
‘O Beco do Pesadelo’
‘Ataque dos Cães’
‘Amor, Sublime Amor’

MELHOR ATRIZ
Jessica Chastain, por ‘The Eyes of Tammy Faye’
Olivia Colman, por ‘A Filha Perdida’
Penélope Cruz, por ‘Mães Paralelas’
Nicole Kidman, por ‘Apresentando os Ricardos’
Kristen Stewart, por ‘Spencer’

MELHOR ATOR
Javier Bardem, por ‘Apresentando os Ricardos’
Benedict Cumberbatch, por ‘Ataque dos Cães’
Andrew Garfield, por ‘Tick, Tick... Boom!’
Will Smith, por ‘King Richard: Criando Campeãs’
Denzel Washington, por ‘A Tragédia de Macbeth’

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE
Jessie Buckley, em A Filha Perdida’
Ariana DeBose, em Amor, Sublime Amor’
Judi Dench, em Belfast’
Kirsten Dunst, em Ataque dos Cães’
Aunjanue Ellis, por ‘King Richard: Criando Campeãs’

MELHOR ATOR COADJUVANTE
Ciarán Hinds, por ‘Belfast’
Troy Kotsur, por ‘No Ritmo do Coração’
Jesse Plemons, por ‘Ataque dos Cães’
J.K. Simmons, por ‘Apresentando os Ricardos’
Kodi Smit-McPhee, por ‘Ataque dos Cães’

MELHOR DIREÇÃO
Kenneth Branagh, por ‘Belfast’
Ryûsuke Hamaguchi, por ‘Drive My Car’
Paul Thomas Anderson, por ‘Licorice Pizza’
Jane Campion, por ‘Ataque dos Cães’
Steven Spielberg, por ‘Amor, Sublime Amor’

MELHOR FILME INTERNACIONAL
‘Drive My Car (Japão)’
‘Flee (Dinamarca)’
‘A Mão de Deus (Itália)’
‘Lunana: A Yak in the Classroom (Butão)’
‘The Worst Person in the World (Noruega)’

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO
Siân Heder, por ‘No Ritmo do Coração’
R. Hamaguchi & Takamasa Oe, por ‘Drive My Car’
Jon Spaiths, Denis Villeneuve & Eric Roth, por ‘Duna’
Maggie Gyllenhaal, por ‘A Filha Perdida’
Jane Campion, por ‘Ataque dos Cães’

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL
Kenneth Branagh, por ‘Belfast’
Adam McKay, por ‘Não Olhe Para Cima’
Zach Baylin, por ‘King Richard: Criando Campeãs’
Paul Thomas Anderson, por ‘Licorice Pizza’
Eskil Vogt & Joachim Trier, por ‘The Worst Person in the World’

MELHOR FIGURINO
Jenny Beavan, por ‘Cruella’
Massimo Cantini Parrini & Jacqueline Durran, por ‘Cyrano’
Jacqueline West & Robert Morgan, por ‘Duna’
Luis Sequeira, por ‘O Beco do Pesadelo’
Paul Tazewell, por ‘Amor, Sublime Amor’

MELHOR TRILHA ORIGINAL
Nicholas Britell, por ‘Não Olhe Para Cima’
Hans Zimmer, por ‘Duna’
Germaine Franco, por ‘Encanto’
Alberto Iglesias, por ‘Mães Paralelas’
Jonny Greenwood, por ‘Ataque dos Cães’

MELHOR ANIMAÇÃO
‘Encanto’
‘Flee’
‘Luca’
‘A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas’
‘Raya e o Último Dragão’

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO
‘Affairs of the Art’
‘Bestia’
‘Boxballet’
‘Robin Robin’
‘The Windshield Wiper’

MELHOR CURTA EM LIVE-ACTION
‘Ala Kachuu Take and Run’
‘The Dress’
‘The Long Goodbye’
‘On My Mind’
‘Please Hold’

MELHOR DOCUMENTÁRIO
‘Ascension’
‘Attica’
‘Flee’
‘Summer of Soul (... ou Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada)’
‘Writing with Fire’

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM
‘Audible’
‘Lead Me Home’
‘The Queen of Basketball’
‘Three Songs for Ben Azir’
‘When We Were Bullies’

MELHOR FOTOGRAFIA
Greig Fraser, por ‘Duna’
Dan Lautsen, por ‘O Beco do Pesadelo’
Ari Wegner, por ‘Ataque dos Cães’
Bruno Delbonnel, por ‘A Tragédia de Macbeth’
Janusz Kominski, por ‘Amor, Sublime Amor’

MELHOR MONTAGEM
‘Hank Corwin, por ‘Não Olhe Para Cima’
‘Joe Walker, por ‘Duna’
‘Pamela Martin, por ‘King Richard: Criando Campeãs’
‘Peter Sciberras, por ‘Ataque dos Cães’
‘Myron Kerstein & Andrew Weisblum, por ‘Tick, Tick... Boom!’

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM
‘Um Príncipe em Nova York 2’
‘Cruella’
‘Duna’
‘The Eyes of Tammy Faye’
‘Casa Gucci’

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL
Be Alive King Richard: Criando Campeãs’
Dos Oruguitas Encanto’
Down to Joy Belfast’
No Time to Die 007 Sem Tempo Para Morrer’
Somehow You Do Four Good Days’

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Patrick Vermette, por ‘Duna’
Tamara Deverell, por ‘O Beco do Pesadelo’
Grant Major, por ‘Ataque dos Cães’
Stefan Decbant, por ‘A Tragédia de Macbeth’
Adam Stockhausen, por ‘Amor, Sublime Amor’

MELHORES EFEITOS ESPECIAIS
‘Duna’
‘Free Guy: Assumindo o Controle’
‘007 Sem Tempo Para Morrer’
‘Shang-Chi e a Lenda dos 10 Anéis.’
‘Homem-Aranha: Sem Volta para Casa’

MELHOR SOM
‘Belfast’
‘Duna’
‘007 Sem Tempo Para Morrer’
‘Ataque dos Cães’
‘Amor, Sublime Amor’