Solidariedade

Policiais pedalam 500 Km em prol da Doação de Medula Óssea

Nesta sexta-feira (09/10) um grupo formado por 4 Policiais Militares saíra de Curitiba rumo a Cianorte.  O Objetivo é percorrer os 500 Km do trajeto em apenas 03 dias, um grande feito no que diz respeito ao esporte, porém, como eles mesmo dizem, todos podem fazer algo tão grandioso quanto eles, basta se cadastrar como doador de medula óssea e assim ajudar a salvar a vida de alguém.

O Grupo pertence a equipe “Bala Sports” que a muitos anos promove  solidariedade através do esporte, os integrantes dessa cicloviagem ( Silvana, Vieira, Juliana e Medeiros) possuem grande experiência em desafios como este, buscando sempre unir o esporte com ações sociais. Além disso, o grupo contará com um veículo de apoio onde outros 02 policiais da reserva estarão prestando todo o auxílio necessário durante e trajeto.

O Objetivo é difundir o Cadastro Nacional De Doadores de Medula Óssea (REDOME), ação extremamente necessária para possibilitar que muitas pessoas doentes possam ter expandida sua esperança através da localização de alguém que seja compatível. Infelizmente a proporção de encontrar um doador é de 1 a cada 100.000 (cem mil), por isso é tão importante que mais pessoas procurem um Banco De Sangue para realizar o cadastro no REDOME.

Você pode fazer parte dessa Cicloviagem, basta tornar-se um novo doador! Para ajudar ainda mais o grupo pede que se faça uma postagem ou comentário nas redes sociais (Facebook e Instagram utilizando a Hashtag  #pedalandopelavida para difundir ainda mais essa idéia.

O grupo também alerta que diferentemente de um doador de sangue o doador de medula não precisa ir periodicamente até o banco de sangue, sendo que inicialmente é APENAS UM CADASTRO com a coleta de uma pequena amostra de sangue, os dados são armazenados no REDOME que possuí inclusive interligação com sistemas internacionais, assim, quando alguém compatível for encontrado o contato é feito, para então ser realizado o procedimento de doação.

Alguns mitos também devem ser extintos com relação a doação, alerta o grupo, o transplante de medula óssea NÃO é uma cirurgia, sendo apenas uma transfusão venosa do material coletado, o doador pode voltar às atividades diárias rapidamente e o procedimento não envolve nenhum tipo de procedimento dolorido como raspagem de coluna como erroneamente muitas pessoas acham, o que acaba inibindo o cadastramento.

Os doadores precisam ter entre 18 e 55 anos de idade, não podem ter doenças infecciosas, câncer ou deficiências no sistema imunológico, em caso de dúvidas consulte o Banco de Sangue.

Apoie essa causa, seja um doador #pedalandopelavida

(fonte: Assessoria)