Entrelinhas do Jogo

Opinião e análise do futebol paranaense

Publicidade
Entrelinhas do Jogo

Pablo e Ricardo Oliveira dividem a “artilharia aérea” do Brasileirão

Pablo e Ricardo Oliveira dividem a “artilharia aérea” do Brasileirão
Pablo: quatro gols de cabeça no Brasileirão (Foto: Geraldo Bubniak)

O atacante Pablo, 26 anos, e o centroavante Ricardo Oliveira, 38 anos, dividem a “artilharia aérea” do Campeonato Brasileiro 2018. Os dois são os jogadores que mais marcaram gols de cabeça na competição: quatro cada. 

Pablo depende mais desse tipo de jogada para disputar a artilharia. Dos oito gols na competição, quatro foram de cabeça e quatro com o pé direito.

Ricardo Oliveira tem dez gols no torneio: quatro de cabeça, três de pé direito e três com a canhota. O centroavante do Galo foi mais eficiente nesse tipo de jogada. Só precisou de 13 finalizações de cabeça para anotar os quatro gols na jogada aérea. Pablo tentou 20 cabeceios para chegar aos mesmos quatro gols pelo alto.

MAIS GOLS DE CABEÇA

1º Pablo (Atlético-PR) e Ricardo Oliveira (Atlético-MG).......4

2º Quinze jogadores...............................................................2

 

MAIS FINALIZAÇÕES DE CABEÇA

1º Pablo (Atlético-PR)..........................................20

2º Damião (Inter)...............................................19

10º Ricardo Oliveira (Atlético-MG)..................13

 

GOLS DE CABEÇA

1º Atlético.........................................................9

2º Inter, Cruzeiro e Atlético-MG....................8

...

20º Paraná e Vasco........................................2

 

FINALIZAÇÕES DE CABEÇA

Média por jogo

1º Inter................................3,0

...

13º Atlético..........................2,0

...

20º Vitória..........................1,5

O JOGO AÉREO
Pablo colocou o Atlético Paranaense na liderança do ranking de gols de cabeça do Brasileirão, com o total de nove. Os outros gols desse tipo foram marcados por Zé Ivaldo (1), Marcelo Cirino (1), Paulo André (1), Raphael Veiga (1) e Thiago Heleno (1).

A EVOLUÇÃO
Pablo foi goleador nas categorias de base. Marcou dez gols na tradicional Taça BH de 2011. Naquele mesmo ano, acabou promovido ao profissional. Disputou quatro jogos no Brasileirão daquele ano e não marcou gols. Era o ano do rebaixamento e o atacante teve dificuldade para se encontrar naquela bagunçada equipe. Depois de ser usado como lateral, volante, meia e extremo, Pablo só teve duas grandes chances como centroavante no profissional: no Brasileirão 2016 e agora em 2018. E assumiu a artilharia da equipe nas duas ocasiões.

Em 2016, mesmo com André Lima e Walter no elenco, Pablo terminou como artilheiro do Atlético no Brasileirão, com nove gols em 33 jogos. André Lima fez cinco gols em 26 partidas naquela edição e Walter, três em 19. 

Agora, no Brasileirão 2018, Pablo é novamente o artilheiro, com oito gols em 23 jogos.

MAIS QUE UM CENTROAVANTE
E Pablo não contribui para o Atlético apenas com gols. Sua maior qualidade, na verdade, é tentar participar de todas as fases do jogo. Sem a bola, tem uma aplicação invejável, lutando para recuperar a posse. Com a bola, tem movimentação inteligente e abre espaços para a infiltração dos demais jogadores. Também sabe jogar como “pivô” e preparar a jogada. Já deu 27 passes para finalizações dos colegas nesse Brasileirão 2018.

DESTAQUES DOS EDITORES