Lambrequim

A cidade, o Brasil e o mundo observados de cima de uma araucária

Publicidade
Lambrequim

Os lindos jardins de Curitiba

Como estão os quintais da minha cidade e o coração de seus moradores

condomínios fechados
todos cercados
de arames elétricos

meio metro de grama,
pavor quilométrico

mais medo brotando
que os frutos de antes

cercas cortantes,
guaritas armadas,
quintal resguardado
de vidas mal vindas:

o pijama listrado,
o que não tem,
só tem fome,
cada vez mais,
aqui, agora,
fica lá fora

longe, na periferia,
na margem, nos confins

deus me livre
da liberdade
que nunca tive,
de que me esqueço
e que me nego,
ao outro e a mim

no lugar, aceitamos:
as cercas,
arames,
voltagem,
armas,

coragem?

não, coragem, não.

porque coragem falta,
porque pra coragem
precisa amar.

a palavra coragem
vem de coração
e amor também falta.

e a falta de amor
faz o medo imperar

menos sim, mais não
negar, negar e negar
por medo de perder
por medo do outro

por medo,
prefiro o anel

que levem o dedo
que levem a alma
que levem o carinho

mas dentro da cerca
faço de aço
e chumbo
meu ninho

eu, meu anel e meu medo
e essa teia de arame que teço

é tão difícil ver?

desde o começo,
o campo de concentração
de menos sim e mais não
tá virado do avesso

DESTAQUES DOS EDITORES