• Férias

    Maritaca lança novos programas, sendo uma opção para as crianças nas férias escolares

    Maritaca lança novos programas, sendo uma opção para as crianças nas férias escolares

    O podcast Maritaca está com sete novos programas, sendo que os dois primeiros já estão no ar. Até março, todos os demais programas estarão disponíveis, reunindo contações de histórias, músicas, brincadeiras, dicas de livros, entre outros atrativos para as crianças, que assim podem ter uma opção de qualidade para animar as férias. Além de entreter, o Maritaca tem um caráter lúdico e educativo.

    Por ser um podcast (programa de rádio que pode ser acessado pelo ouvinte quando ele quiser), valoriza os recursos sonoros, estimulando a imaginação. Para conferir, basta acessar o site www.programamaritaca.com.br ou baixar o aplicativo do Maritaca, disponível para Android e iOS.

    Programas temáticos
    Desde seu surgimento, o Maritaca dedica cada programa a um determinado tema. O primeiro desta nova série chama-se “Diferente” e nele a multiartista, produtora cultural e atriz Mariana Piza (idealizadora do Maritaca) dá asas a sua personagem Maritoca, que conduz o programa, mostrando para as crianças como as pessoas podem ser diversas, cada uma com suas diferenças que as tornam únicas.

    O programa começa explicando para as crianças sobre o que são as impressões digitais nas pontas de seus dedos, e que todas são diferentes. Segue com a uma história sobre um personagem chamado Gil Gigante, que de repente começou a crescer muito e teve que lidar com esta mudança da melhor forma possível. As músicas também foram escolhidas de acordo com o tema, podendo ser composições infantis propriamente ditas (como “Só Eu Sou Eu”, de Marcelo Jeneci e as Fadas Magrinhas, composta para a Vila Sésamo) ou músicas para todas as idades, mas que lidam com a temática para despertar a atenção das crianças (“Tem Pouca Diferença”, de Jackson do Pandeiro, que apresenta um clássico para as novas gerações). Sem contar que na hora da brincadeira, são feitas charadas clássicas do que começa com “qual a diferença entre...” e o ouvinte tem três segundos para adivinhar.

    Um ponto notável do programa é a participação de diversas crianças, que dão suas opiniões e visões de mundo para os contos e músicas apresentadas. “Elas complementam a história”, afirma Mariana Piza. “A discussão das crianças em volta do tema mostra que o universo da história pode ser visto por outros ângulos”, completa. Em “Diferente”, nada menos do que 11 crianças expõem suas opiniões e impressões.

    A inteligência da criança é valorizada
    Maritaca oferece entretenimento de qualidade, respeita a infância e não subestima a inteligência dos pequenos. O programa surgiu em 2016, e já naquele ano recebeu o prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) na categoria de Melhor Produção de Entretenimento em Rádio.

    O Maritaca chegou a ser apontado por uma conceituada pesquisadora da área de Educação como uma maneira de desenvolver o interesse pela leitura e abrir passagem para a alfabetização. “Contar ou ouvir histórias desenvolve a memória discursiva afetiva da criança”, afirma Idmea Semeghini-Siqueira, Professora Sênior da Faculdade de Educação da USP. “Essa atividade, que propicia a constituição de letramento (literacia) emergente, lúdico e original, fará com que a criança se aproxime da história e depois dos livros e da leitura individual, abrindo caminho para a alfabetização”, completa.

    Os sete novos programas são realizados com patrocínio da transportadora Garbuio por meio do Proac – Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo. Para que o Maritaca possa continuar sempre com programas novos, está em andamento uma campanha de financiamento coletivo (crowdfunding) em que os interessados podem contribuir com valores mensais para assim assegurar a produção dos programas. São vários valores, com recompensas diversas. Para conferir, basta acessar www.catarse.me/maritaca.

    Serviço:
    website:
    www.programamaritaca.com.br

    Maritaca nas redes sociais:
    www.youtube.com/programamaritaca
    www.facebook.com/programamaritaca
    www.instagram.com/programamaritaca/

    App gratuito nas lojas de aplicativos:
    Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.goodbarber.maritaca
    iOS (Apple): https://itunes.apple.com/br/app/maritaca/id1315648851?mt=8&uo=4

    Campanha de financiamento coletivo (crowfunding)
    www.catarse.me/maritaca

  • Lazer em janeiro

    Colônias de Férias em Curitiba se diversificam: de brincadeiras à terapia. Veja dez opções

    Colônias de Férias em Curitiba se diversificam: de brincadeiras à terapia. Veja dez opções
    Colônia de Férias na Casa Poppins já teve início: diversão até fevereiro (Foto: Franklin de Freitas)

    Muitos pais voltam a trabalhar após o recesso de fim de ano e não sabem o que fazer com as crianças no período de folga escolar. As colônias de férias viram a solução e há opções diversificadas em Curitiba, tanto nas atividades, quanto nos preços. Tem atividade física radical, como escaladas, brincadeiras, terapêutica, musical e muito mais. As atividades do Sesc Paço em Curitiba começam hoje com a oficina de Linguagem de programação.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Boa pedida

    Curtas de animação infantil encerram ano na Cinemateca e no Cine Guarani

    Curtas de animação infantil encerram ano na Cinemateca e no Cine Guarani
    (Foto: Divulgação)

    A Cinemateca de Curitiba e o Cine Guarani (Portão Cultural) encerram o ano com uma programação especial, com exibição de curtas-metragens e longas de animação, voltados ao público infantil.

    As sessões acontecem de quinta-feira (19/12) a domingo (22/12), com entrada franca.

    Na Cinemateca são 14 curtas, exibidos sempre às 14h30.

    Também vai até domingo no Cine Guarani a programação Férias no Guarani, com duas sessões durante a semana, às 15h e 17h. No sábado e domingo (21 e 22), tem sessão única às 15h.

    Confira a programação
    CINEMATECA
    Rua. Pres. Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco

    21/12 – 14h30

    Isabel e o Cachorro Flautista
    (BR, 2004, ficção, 14’) Direção: Christian Saghaard
    Elenco: Júlia Freitas. Isabel mora na praia e tem uma ligação especial com o mar. No dia da festa de Iemanjá, um cachorro pega a flauta de Isabel e foge, mergulhando no mar. Isabel mergulha atrás dele, e a aventura continua até os dois chegarem numa cidade submersa: São Paulo.

    O Tamanho que Não Cai Bem
    (BR, 2001, animação, 9’) Direção: Tadao Miaqui
    O que acontece quando um anão se apaixona por uma mulher gigante? Muita coisa, provando que na paixão não existem tamanhos.

    Alma Carioca – Um Choro de Menino
    (BR, 2002, animação, 5’) Direção: William Côgo
    História de um menino que vive na zona portuária do Rio de Janeiro na década de 20 e testemunha o surgimento do Choro, quando encontra os grandes mestres pioneiros desse estilo puramente carioca.

    Disfarce Explosivo
    (BR, 2000, animação, 7’) Direção: Mário Galindo
    Juca Piau cria galinhas em seu pequeno sítio para vender na vila próxima. Um dia, duas delas se recusam ser vendidas usando vários disfarces para enganar Juca Piau.

    O Nordestino e o Toque de sua Lamparina
    (BR, 1998, animação, 8’) Direção: Ítalo Maia
    Retrata a vida sofrida do sertanejo do Brasil, mostrando seus sonhos, fantasias e criatividade ao encontrar uma lamparina mágica.

    Mitos do Mondo: Como Surgiu a Noite?
    (BR, 2005, animação, 6’) Direção: Andrés Lieban
    Baseado em um mito de criação dos índios brasileiros, esta animação nos leva à idade dos sonhos, onde os objetos tinham vida e onde a noite vivia aprisionada em um coco que pertencia à Cobra Grande – uma terrível feiticeira.

    Historietas Assombradas (Para Crianças Malcriadas)
    (BR, 2005, animação, 15’) Direção: Victor-Hugo Borges
    Três histórias que sua avó não contou, senão você ia fazer xixi na cama.

    20 e 22/12, 14h30

    Ele
    (BR, 2007, animação, 13’)
    Direção de 150 alunos da rede municipal de ensino de fundamental de Vitória – ES.
    A animação produzida por crianças de Vitória conta a infância do compositor Noel Rosa no bairro de Vila Isabel, no Rio de Janeiro, desde seu primeiro contato com a música até o sucesso nas rádios.

    O Natal do burrinho
    (BR, 1984, animação, 5’) Direção de Otto Guerra
    O filme conta a vida triste e solitária de um burrinho que vive no deserto e que um dia oferece ajuda a um casal de peregrinos. Esse encontro muda para sempre sua vida.

    Peixe frito
    (BR, 2005, animação, 19’) Direção de Ricardo Podestá
    Um avô ensina o seu neto a pescar e a partir daí, peixes, gaivotas e anzóis se misturam em uma verídica estória de pescador.

    Pajerama
    (BR, 2008, animação, 9’) Direção de Leonardo Cadaval
    Um índio é pego numa torrente de experiências estranhas, revelando mistérios de tempo e espaço.

    Ícarus
    (BR, 2007, animação, 10’) Direção de Victor Hugo Borges
    Ícarus é um garoto de 4 anos que vive em uma grande cidade e se sente muito só, pois seus pais trabalham muito.

    Rua das Tulipas
    (BR, 2007, animação, 10’, livre) Direção de Alê Camargo
    Acostumado a criar soluções para todos os moradores da Rua das Tulipas, um grande inventor – depois de ver a felicidade de todos os seus vizinhos – descobre que ainda falta fazer uma pessoa feliz…

    Frankstein Punk
    (BR, 1986, animação, 12’, livre) Direção de Cao Hamburger e Eliana Fonseca
    Frank nasce ao som de Singing in the rain e, a partir daí, seu destino é caminhar em busca da felicidade, sem entender que isso o levaria a assustar as pessoas.

    Classificação: Livre
    Ingresso: Gratuito

    CINE GUARANI
    Av. República Argentina, 3430 – Portão Cultural

    17 a 20/12

    15h – O PALHAÇO
    (BR, 2011, drama/aventura. 90’, 10 anos) Direção: Selton Mello
    Elenco: Paulo José, Selton Mello, Larissa Manoela. Benjamim e Valdemar formam a divertida dupla de palhaços Pangaré e Puro Sangue. Mas Benjamin decide deixar o circo e mergulhar numa nova aventura para realizar um grande sonho.

    17h – BILLI PIG
    (BR, 2012, comédia, 95’, 12 anos) Direção: José Eduardo Belmonte
    Elenco: Selton Mello, Grazi Massafera, Milton Gonçalves. A aspirante a atriz Marinalva começa a ter sonhos e a conversar com seu porco de brinquedo, Billi, que a encoraja a se separar do marido, Wanderley, por acreditar que ele não a ajuda a lutar por seu sonho.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Boa pedida

    Cine Guarani programa sessões especiais gratuitas nas férias escolares

    Cine Guarani programa sessões especiais gratuitas nas férias escolares
    (Foto: Divulgação)


    O Cine Guarani prepara uma programação gratuita para o público infantil e infanto-juvenil, durante o período de recesso escolar, no evento “Sessão Livre – Férias no Cine Guarani”. Quatro filmes nacionais do acervo da Cinemateca – nos gêneros da comédia, aventura e fantasia – foram escolhidos para serem exibidos até 22 de dezembro, com sessões às 15h e 17h.

    O longa “31 Minutos”, de Alvaro Díaz e Pedro Peirano, inicia, neste domingo (8), às 15h, a programação especial de filmes. “31 Minutos” conta a história de Juanín, um produtor do noticiário de fantoches que é sequestrado e aprisionado no castelo da malvada Cachirula.

    Os filmes “Eu e meu Guarda-chuva”, de Tony Valenzioni; “Billi Pig”, de José Eduardo Belmonte; e o aclamado “O Palhaço”, de Selton Mello completam a “Sessão Livre – Férias do Cine Guarani”.

    Confira toda a programação de filmes:

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Boa pedida

    Museu da Vida comemora 5 anos neste domingo com festa para as crianças

    Museu da Vida comemora 5 anos neste domingo com festa para as crianças
    (Foto: Divulgação)

    Domingo (8) é dia de festa no Museu da Vida, que completa cinco anos. Das 10 às 17 horas, a festa terá brincadeiras nos brinquedos infláveis e pescaria do boneco de neve, camarim de de pintura e brincadeiras de estátua, morto vivo e torta na cara. A maioria das brincadeiras é gratuita. Nos brinquedos inflàveis, a organização pede a colaboração de um valor espontâneo para ajudar a manutenção do lugar. 

    Não se esqueçam de levar roupas extras, porque vão rolar brincadeiras com água e torta na cara.  A Entrada e estacionamentos são gratuitos.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Boa pedida para as férias

    Pizzaria com temática inspirada em super heróis inaugura em Curitiba

    Pizzaria com temática inspirada em super heróis inaugura em Curitiba
    (Foto: Divulgação)

    Imagine uma pizzaria que vai além de servir pizzas, que tem como máxima oferecer uma experiência pra lá de divertida: fazer você se sentir em uma história em quadrinhos. Essa é a Liga dos Heróis Pizzaria que inaugura nesta quarta (4), no bairro Hugo Lange, em Curitiba. A casa é toda inspirada em heróis e heroínas. Logo que se entra, o cliente se depara com um cenário que remete aos famosos gibis: é colorido, divertido, recheado de coisas que chamam a atenção como um boneco gigante do Dr. Caos, um super vilão pendurado no teto. Mas as surpresas vão além, quem serve as pizzas são garçons usando fantasias de diferentes personagens, entre eles, Homem Aranha, Mulher Maravilha, Capitão América e os personagens exclusivos da casa Velox e Merri Starr, criados pelo cartunista Rodrigo Arraya. Todos já estão sendo apresentados ao público nas redes sociais do empreendimento.

     

    “Pensei em montar algo que fugisse do comum, que oferecesse um momento diferente para os clientes”, explica Fernanda Polichuk Vendramin, proprietária do lugar. Ao todo são 600 metros quadrados divididos em quatro pisos – Salão 1, Salão 2, Terraço e Garagem - em ambientes assinados pela arquiteta Viviane Bush, que comportam um total de 144 pessoas. O espaço inclui duas áreas kids, uma com vídeo game, ipads, kid play, cama elástica, campinho de futebol e basquete e outro com desenho para pintar, piscina de bolinhas, mini cozinha, mini mercado, cabaninha e mega blocos. Ambos com monitoria assistida em todos os dias de funcionamento.

     

    O menu de pizzas contempla uma carta com mais de 40 opções salgadas e doces assinadas pelo consultor especialista em pizzas, Isaias Soares, que criou sabores exclusivos a partir da ideia dos heróis protagonistas do lugar: Velox (abobrinha com queijo), Merri Starr (coração de alcachofra, palmito e azeitonas) e a super curiosa e misteriosa, Dr. Caos, que os clientes só saberão do que é feita quando ela for servida. O formato é rodízio, abre de terça a domingo das 18h30 às 23h30, e custa R$ 39,90 dia de semana e R$ 49,90 final de semana e feriado por pessoa, criança de 5 a 10 anos acompanhadas de um adulto paga meia, criança de 0 a 4 não paga e o espaço kids tem taxa única de R$ 8 com tempo livre em quaisquer dias.

     

    A nova casa fica na Rua Padre Germano Mayer, 2195 e para acompanhar as novidades e as histórias em quadrinhos do lugar é só acessar as redes sociais @ligadosheroispizzaria. Reservas pelo 41 3319 0803.

     

    Serviço

    O que: Liga dos Heróis Pizzaria

    Onde: Rua Padre Germano Mayer, 2195

    Funcionamento: terça a domingo das 18h30 às 23h30

    Quanto: R$ 39,90 dia de semana e R$ 49,90 final de semana e feriado por pessoa, criança de 5 a 10 anos acompanhadas de um adulto paga meia, criança de 0 a 4 não paga. Espaço kids tem taxa única de R$ 8 com tempo livre em quaisquer dias.

    Informações: 41 3319 0803 ou @ligadosheroispizzaria

  • Dica

    Biblioteca tem programação de férias em dezembro. E o melhor: gratuita

    Biblioteca tem programação de férias em dezembro. E o melhor: gratuita
    (Foto: Amarildo Henning)

    A Biblioteca Pública do Paraná (BPP) preparou uma programação especial para o mês de dezembro, com diversas atrações natalinas e atividades infantis. Uma minitemporada de corais e novas edições dos projetos Cine Pipoca e Piquenique Literário são os destaques da agenda, que ainda inclui exposições, oficinas, lançamentos de livros, exibições de filmes e peças teatrais. Todas as atividades são gratuitas.

    A programação infantil começa nesta quarta-feira (04), às 14h30, com a exibição da animação nacional O Menino e o Mundo, no projeto Cine Pipoca. No dia 7, a partir das 10 horas, as crianças aprendem a jogar RPG e card games em mais uma edição do Sábado Lúdico. No dia 12, a Praça 29 de Março recebe mais um Piquenique Literário, com contação de histórias e atividades ao ar livre conduzidas pela equipe da BPP.

    NATAL NA BPP - A minitemporada de corais — outra tradição de dezembro na biblioteca — começa no dia 16, com a apresentação do Coral Paraná, às 17 horas. No dia seguinte, no mesmo horário, é a vez do grupo da OAB cantar no hall térreo. O encerramento acontece em 19 de dezembro, às 17h30, com a participação do Cantateca, mantido pela BPP desde 2013 e formado por crianças e adolescentes.

    Criada em 1992 pela ONG Universidade Livre do Artesanato e Cultura Popular do Paraná (Uniart), a exposição itinerante de minipresépios chega pela primeira vez à Biblioteca no dia 5. São cerca de 100 peças, confeccionadas com os mais diversos tipos de materiais, como vidros, lacres de latinhas, giz, casca de ovo, conchas, lâmpadas, sucata, moedas, fios, cápsulas de remédios e sementes. A mostra fica em cartaz no hall térreo até o dia 20.

    GINCANA - A tradicional Gincana da Leitura, promovida em janeiro, homenageia nesta edição a escritora Clarice Lispector, que completaria 100 anos em 2020. Durante todo o mês, as crianças participam de uma série de atividades envolvendo a palavra, o livro e a leitura, individualmente e em grupo. A maratona termina com um evento de premiação e entrega de certificados. As inscrições já estão abertas pelo e-mail infantilbpp@bpp.pr.gov.br.

    Programação cultural de dezembro – BBP

    Mostra de Minipresépios da Uniart
    De 5 a 20, no hall térreo

    71 Anos da Declaração Universal: Direitos Humanos para Todas e Todos - Eventos da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho
    Exposição fotográfica
    De 3 a 6, no hall térreo

    Lançamento do livro Pratos do Brasil
    Dia 7, às 10h, no hall térreo

    Exposição Tempo de Viver - 35 anos do Caee Natalie Barraga
    De 13 a 19, no hall térreo

    Temporada de Corais
    Dia 16: Coral Paraná (17h)
    Dia 17: Coral da OAB (17h)
    Dia 19: Cantateca (17h30)
    Sempre no hall térreo

    Exibição do documentário O Dirigível
    Dia 17, às 14h, 16h e 18h, no auditório
    A última sessão será seguida de um bate-papo com os realizadores

    INFANTIL
    Hora do Conto
    De segunda a sexta, às 11h e 15h (aos sábados, somente às 11h)
    4 a 10/12 - Uma História Atrapalhada, de Gianni Rodari
    11 a 20/12 - Os Sete Novelos: Um Conto de Kwanzaa, de Angela Shelf Medearis

    Oficinas de Trabalhos Manuais
    De segunda a sexta, às 11h15 e 15h15 (aos sábados, somente às 11h15)
    4 a 10/12 - Caderno artesanal de histórias
    11 a 20/12 - Gravura em isopor: fazendo um cartão de Natal

    Cine Pipoca
    O Menino e o Mundo
    Dia 4, às 14h30, no auditório

    Sábado Lúdico
    Dia 7, às 10h, na Seção Infantil

    Piquenique Literário
    Dia 12, às 10h, na Praça 29 de Março

    Espetáculo Magia, a Ordem do Dia!
    Grupo de teatro Entre Livros
    Dia 14, às 11h, no auditório

    SEÇÃO BRAILLE
    Campeonato de Xadrez para Pessoas com Deficiência Visual
    Dia 7, às 8h30, na Seção Braille

    Lançamento do livro Olhares de Moêma, de Moêma Espínola Araújo
    Dia 6, às 17h30, no hall térreo

  • Gratuito

    Programa Guritiba leva brincadeiras, pipoca e algodão doce para o MON neste sábado

    Programa Guritiba leva brincadeiras, pipoca e algodão doce para o MON neste sábado
    (Foto: Divulgação)

    O Programa Guritiba realiza a última ação da edição 2019 com programação aberta ao público, no Museu Oscar Niemeyer. Com atividades recreativas, brincadeiras, pinturas temáticas,e distribuição de pipoca e algodão doce, o evento contará com espetáculo repleto de números circenses para toda a família. A atividade vai marcar o fim das ações do Programa Guritiba em 2019.

    A produtora do projeto, Carol Scabora, explica que a ideia do evento é comemorar o sucesso do Programa Guritiba, que promove a inclusão do público infantil de áreas periféricas a atrações artísticas. “A intenção é trazer não só o público geral para conhecer o programa, mas retornar famílias que já foram impactadas, buscando a formação do espectador através de um dos braços do projeto”, afirma.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Dilema

    Meu filho repetiu de ano na escola, e agora? Especialista dá dicas

    Meu filho repetiu de ano na escola, e agora? Especialista dá dicas
    (Foto: Sumaia Vilela / Agência Brasil)

    Segundo o Unicef, cerca de 3,5 milhões de alunos reprovaram ou abandonaram a escola em 2018. O estudo, divulgado recentemente em parceria do Instituto Claro, analisou o Censo Escolar 2018 e mostrou que esse número reflete a realidade, principalmente, dos anos finais da Educação Básica, no Ensino Médio. Saber como lidar com a notícia de repetência escolar do filho não é uma tarefa fácil e exige atenção dos pais para a tomada de decisão que diz respeito ao próximo ano letivo.
    Para Tania Fontolan, educadora e diretora do Programa Semente – metodologia que desenvolve a aprendizagem socioemocional em escolas brasileiras – a repetência escolar é o resultado final de um processo que aconteceu durante todo o ano, e o primeiro passo após a notícia é analisar qual a razão que levou à reprovação. “Foi uma dificuldade de aprendizagem? Foi uma incompatibilidade entre determinadas características cognitivas desse aluno e o modelo de ensino da escola? Foi o resultado de um processo de pouca dedicação? ”, questiona.


    Entender o que levou à reprovação mostra o que faltou no ensino e na aprendizagem do aluno no decorrer do ano e, dependendo da razão, a postura da família deve ser diferente. “Se o aluno se dedicou, mas obteve notas ruins, a razão pode ter sido dificuldades reais de aprendizagem. Neste caso, vale pedir uma reconsideração na escola pensando no próximo ano como uma nova oportunidade. Se a reprovação for por conta da incompatibilidade cognitiva entre aluno e escola, a sugestão é mudar de instituição. Se a razão for falta de dedicação, os pais precisam tentar mostrar como más decisões, - não estudar, por exemplo - têm consequências”, ressalta Tania.
    O ideal é que os pais saibam cobrar esforço e empenho do filho, e não resultado. “Às vezes a nota 5 de um aluno vale mais do que a nota 9 do outro”, diz a diretora do Programa Semente. “A questão do empenho é crucial. Porque ninguém é bom em tudo o que faz, mas com dedicação, esforço e perseverança, é possível alcançar o seu máximo. ”
    A persistência é uma das habilidades ensinadas no Programa Semente. Ao aprender como ter foco, os alunos adquirem mais autonomia e consciência sobre o esforço para alcançar os objetivos. “A reprovação às vezes surge por uma falta de avaliação de consequência. A família não deve tentar reverter a repetência se o aluno de fato não se empenhou”.
    Meninos reprovam mais - Quando se trata dos meninos, por exemplo, a atenção deve ser ainda maior. De acordo com a pesquisa do Unicef, os meninos têm 64% mais chance de repetirem de ano do que meninas. Segundo Tania Fontolan, as meninas amadurecem mais cedo cognitiva e neurologicamente e isso reflete em sua auto-percepção e exteriorização de seus medos e dificuldades. Por isso pedem ajuda com mais facilidade. Já os meninos, geralmente, apresentam mais dificuldade em falar sobre suas próprias emoções, o que, às vezes, gera uma barreira para que ele consiga externar suas dificuldades.
    “As meninas desenvolvem a perseverança de um jeito mais responsável e antes dos meninos; além disso, há um pensamento de que se o menino for focado e centrado, ele será o ‘bobo’, o ‘nerd’. Então por vezes, considera-se mais natural que ele ‘bagunce’, que jogue futebol e vá bem nos esportes e não se empenhe nas disciplinas obrigatórias na escola, esse pensamento cultural precisa ser mudado”, conclui Tania.

  • Lúdico

    Livro infantil gratuito conta história do Brasil pela comida

    Livro infantil gratuito conta história do Brasil pela comida
    (Foto: Lucas Amorim)

    Apresentando a culinária brasileira para crianças – de todas as idades! –, o livro “Pratos do Brasil” chega a sua segunda edição. Com distribuição gratuita, a publicação teve sua primeira edição esgotada e agora, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, será relançada. Passeando pelas influências presentes na culinária e cultura brasileiras, as autoras Liana Leão e Luciana Patrícia de Morais percorrem trechos da história do Brasil de um jeito diferente: apresentam curiosidades, resgatam flora e fauna e ainda ensinam os leitores a reproduzir alguns pratos tradicionais do nosso país.

    A segunda edição do livro faz parte do projeto Revelando os Pratos do Brasil, que além da revisão e reimpressão da publicação, também realizou oficinas de culinária para pacientes do Hospital Pequeno Príncipe. Proposto por José Álvaro Carneiro, diretor corporativo do Complexo Pequeno Príncipe, o projeto teve início em junho de 2019 e também irá alcançar algumas escolas públicas de Curitiba e Região, com rodas de leitura e distribuição de livros. “A primeira edição do livro foi um sucesso e é com alegria que estamos promovendo a segunda. Partilhar – de forma gratuita – com crianças e adolescentes um texto tão sensível sobre nossa cultura é uma emoção que transforma”, declara o proponente.



    Para a autora Luciana Patrícia, que assina o texto junto de Liana Leão, a comida revela um pouco de alma: “Falar da nossa culinária é falar da nossa cultura. O que comemos e como comemos é fruto das nossas relações, do ambiente que nos cerca, de como aprendemos a “ser gente”. Falar da nossa comida é falar sobre quem somos”.

    O lançamento da segunda edição será no dia 07 de dezembro, sábado, às 10h, na Biblioteca Pública do Paraná (Rua Cândido Lopes, 133) e contará com a presença das autoras, da ilustradora e do organizador. No evento de lançamento, os exemplares serão distribuídos gratuitamente.


    SERVIÇO

    Pratos do Brasil: culinária brasileira para crianças
    Dia 07/12/2019 (sábado), às 10h
    Rua Cândido Lopes, 133 – Curitiba/PR
    Evento gratuito com distribuição de exemplares
    Classificação livre
    Saiba mais: www.facebook.com/revelandoospratosdobrasil
    Instagram: @relevandopratosdobrasil


    Sobre o projeto - O projeto Revelando Os Pratos do Brasil é viabilizado pelo Ministério da Cidadania, com patrocínio das empresas: Veirano e Advogados, Lojas Milium, Frameport, Deal Digital, Foroni, Vaccinar e Tintas Verginia

    Sobre a instituição beneficiada - Há 100 anos, o Hospital Pequeno Príncipe – maior hospital pediátrico do Brasil, localizado em Curitiba – transforma a vida de crianças e adolescentes de todo país. Instituição filantrópica, com até 70% da sua capacidade de atendimento destinada ao SUS, destaca-se pelo cuidado integral, com excelência técnica e atendimento humanizado. É referência em 32 especialidades, entre elas Oncologia, Ortopedia, Cardiologia e Doenças Raras, e procedimentos de alta complexidade, como transplantes. Precursor de políticas públicas, foi pioneiro na inclusão da família em tempo integral e em reconhecer educação e cultura como direitos fundamentais das crianças e adolescentes dentro do ambiente hospitalar. Além disso, é um tradicional centro formador de pediatras no Brasil, trabalhando em sinergia com assistência (hospital), ensino (Faculdades Pequeno Príncipe) e pesquisa (Instituto de Pesquisa Pelé Pequeno Príncipe) que juntos, formam o Complexo Pequeno Príncipe.

  • Novo produto

    Que tal um livro com a história do seu filho? Startup curitibana faz por até R$ 490

    Que tal um livro com a história do seu filho? Startup curitibana faz por até R$ 490
    (Foto: Divulgação)

    Já pensou escrever seu próprio livro, na qual você e sua família são os personagens e ficar documentado por gerações? Essa é a proposta da Yuniq Editora, startup que está lançando no mercado editorial uma nova forma de contar histórias. De maneira lúdica, a ideia principal é a personalização das histórias com detalhes da vida de cada pessoa para serem contadas para crianças.


    Com conteúdo personalizado e páginas bem coloridas, a coleção “Histórias únicas para contar” é composta por três livros. O primeiro título é “Bem-vindo (a) ao mundo”, que conta a história de como os pais se conheceram até a chegada da criança em suas vidas. O segundo título da coleção é “O dia que te conheci” – que fala do momento único do nascimento da criança e de suas experiências neste momento. E, o terceiro livro, que ainda está em fase de produção, serão os avós que irão contar a história da família para os netos.

    Com uma carreira consolidada como executiva em multinacionais, Ana Paula Camargo é a idealizadora do projeto, junto com o designer Marcelo Oliveira. “Quando minha filha era criança, eu e meu marido tínhamos o hábito de contar histórias para ela na cama, na hora de dormir. Uma noite, ela me pediu para contar uma história nova e não quis acender a luz para pegar um livro. Tentei lembrar alguma que ela ainda não conhecesse e então me veio a ideia de contar a história de como eu e meu marido tínhamos nos conhecido. Assim, surgiu a ideia do projeto”, revela Ana Paula.

    Com artes inspiradas em grandes pintores, como, por exemplo, Monet e Van Gogh, que ajudam a ressaltar a ideia do imaginário infantil, os livros resgatam com carinho as biografias familiares, que, muitas vezes, se perdem entre as gerações. A partir de uma história padrão, escrita por Ana Paula Camargo, o usuário personaliza em uma plataforma online parte do texto e 100% das imagens, preenchendo um questionário, contando sua história que será única. Além de ser um presente original, o livro será uma experiência cheia de emoção para o autor e sua família. “Serão muitos momentos especiais, desde a hora que você começar a relembrar sua história, separar as imagens, a chegada do livro em sua casa e, claro, todas às vezes que for lido e relido por alguém”, explica a autora.

    O prazo de entrega dos livros são de 15 dias úteis, após o preenchimento de todas as informações na plataforma. Os preços variam entre R$ 240 e R$ 490. Para conhecer mais sobre a Yuniq Editora e a coleção de livros infantis personalizáveis, acesse www.yuniqeditora.com.br ou envie um e-mail para yuniqeditora@gmail.com. Mais informações pelo (41)99994-2619.

    Sobre a autora – Ana Paula Camargo é formada em Comunicação, com especialização em Planejamento & Gestão de Negócios e Gestão Estratégica de Pessoas, especialista em Lean Manufacturing. Com mais de 25 anos de experiência nas áreas de Comunicação, Indústria, Lean Manufacturing e Recursos Humanos, atuou como executiva em empresas de serviços, produtos de consumo de massa, B2B no setor ferroviário e automotivo. Também é ativista do protagonismo feminino há mais de 10 anos. Atualmente é responsável por Human Power, em Jupter - um hub de startups, mentora e speaker e, mais recentemente, fundou a Yuniq Editora, empresa dedicada a contar histórias únicas para crianças em livros personalizáveis.

  • Para os pequenos

    Uma noite no MON para crianças terá mais uma edição em novembro. Saiba tudo

    Uma noite no MON para crianças terá mais uma edição em novembro. Saiba tudo
    (Foto: Maita Franco)



    O Museu Oscar Niemeyer (MON) realiza em novembro duas edições do projeto Uma Noite no MON, atividade exclusiva para o público de 7 a 10 anos, que vivencia uma experiência única dentro do museu. A segunda data será no próximo sábado, dia 30.

    A programação, intensa e diversificada, inicia com a recepção das crianças feita pela personagem Mika. Após, as crianças conhecem uma das salas da Bienal de Curitiba e participam em seguida de uma dinâmica na qual aprendem a técnica de light painting. Em seguida, outras duas oficinas ensinam técnicas de desenho em máscaras de dormir e dinâmicas corporais.

    Depois de uma pausa para o lanche, mais atividades lúdicas são oferecidas, como oficina de confecção de móbile, contação de histórias, brincadeiras, festa de encerramento, entre outras surpresas que garantem uma noite inesquecível.

    Metade das vagas é oferecida gratuitamente para crianças atendidas por instituições assistenciais indicadas pela 2ª Vice Presidência do Tribunal de Justiça do Paraná, consolidando a parceria entre MON e TJPR. Os ingressos custam R$ 120,00.

    Sobre o MON
    O Museu Oscar Niemeyer (MON) pertence ao Estado do Paraná e abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional nas áreas de artes visuais, arquitetura e design, além da mais significativa coleção de arte asiática da América Latina. No total, o acervo conta com aproximadamente 7 mil peças, mantidas num espaço superior a 35 mil metros quadrados de área construída, sendo 17 mil metros quadrados de área para exposições, o que torna o MON o maior museu de arte da América Latina.

    Serviço Uma noite no MON:
    Data: 23 e 30/11, sábados.
    Horário: das 17h30 às 22h30.
    Inscrições: a venda na bilheteria do MON – terça a domingo, das 10h às 18h (últimas vagas).
    Faixa etária: 7 a 10 anos.
    Valor: R$ 120 por criança.
    Capacidade: 30 vagas para dia para o público pagante.
    Informações pelo telefone: (41) 3350-4468, ou na bilheteria do MON.

    FOTOS PARA DIVULGAÇÃO*

  • Programe-se

    Neste fim de semana, ainda tem uma espetacular mostra de artes para crianças

    Neste fim de semana, ainda tem uma espetacular mostra de artes para crianças
    (Foto: Divulgação)

    A quarta edição da Espetacular – Mostra de Artes para Crianças, com atrações nacionais e internacionais, continua até o próximo domingo (24). Uma das maiores mostras de artes para crianças do Brasil, a Espetacular oferece teatro, circo, dança, performance, música, artes visuais e literatura. As apresentações acontecem em diferentes espaços da cidade de Curitiba e com a maior parte da programação gratuita.

     Entre os convidados está o espetáculo “Flou!”, do espanhol radicado em São Paulo, Ieltxu Ortueta, que fará sua apresentação no Museu Oscar Niemeyer. FLOU! é uma performance interativa para crianças pequenas (0 a 8 anos) que, sentadas ao redor de uma grande folha branca assistem e participam da criação ao vivo de um grande desenho. Os rabiscos dançantes e as tintas vão tomando vida e dialogam com o performer para que “alguns desenhos depois” surjam outros desenhos recortados feitos em experiências anteriores.

     Com curadoria assinada por Fatima Ortiz (Curitiba), Bebe de Soares (Alemanha), Michele Rolim (Porto Alegre) e pela coordenadora do projeto Michele Menezes, “a Espetacular recebeu mais de 250 projetos interessados em participar do evento, que a cada ano se fortalece como um espaço pensado para estimular nas crianças o conhecimento e o gosto pelas artes e se firma como importante para a cidade, para o Estado e para o país. Muitos artistas da cidade entraram como parceiros e isso é tão importante quanto a própria realização do projeto. Ver como a sociedade, artistas, instituições e profissionais, inclusive de outras áreas, toparam e se engajaram é sinal inequívoco do quanto consideram a mostra relevante”, observa.

     A Mostra Espetacular nasceu em 2015 e recentemente foi convidada a integrar a FIBRA (Rede de Festivais Internacionais brasileiros para crianças e jovens), que reúne os maiores festivais internacionais para este público do país e que articula o desenvolvimento, financiamentos e intercâmbios internacionais. A Espetacular também fechou uma importante parceria com a Amazonas Network, agenciadora internacional, sediada na Alemanha, coprodutora do FITA Chile, que é responsável pela curadoria internacional do projeto.

     

    A programação completa está disponível no site da mostra www.espetacular.com.br.

    22/11
    17H HAPPY HOUR DA PRODUÇÃO (Evento fechado)
    FABRIKA
    Encontro de produtores e produtoras que produzem festivais e mostras para crianças de Curitiba.

    23/11
    9:45H PERCURSOS AFETIVOS
    SAÍDA: BOSQUE DO PAPA/ CHEGADA PARQUE SÃO LOURENÇO
    CADU CINELLI (CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS/ RIO DE JANEIRO-CURITIBA)

    10:30- 12H RÁDIO ATALALAIA + PAULA BAQUE
    PARQUE SÃO LOURENÇO
    FILHAS DA FRUTA (PALHAÇARIA; TEATRO/ CURITIBA)

    15-18H BAILINHO BOM
    ÓPERA ARTE (ÓPERA DE ARAME)
    UM BAILE BOM (DANÇA; MÚSICA/ CURITIBA)

    17H (ATÉ AS 8H DO DIA 24) UMA NOITE NA BIBLIOTECA
    OS IRMÃOS VIAJANTES (atração integra a Noite na Biblioteca)
    CONDE BALTAZAR (ARTES VISUAIS; LITERATURA/CURITIBA)
    BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ
    (DANÇA; MÚSICA; CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS; TEATRO; DESENHO; PINTURA)

    24/11
    10H MATINE CINE PASSEIO (FILME A DEFINIR)

    16H FLOU!
    MUSEU OSCAR NIEMEYER (VÃO)

  • Saúde

    A escola do seu filho está preparada para receber uma criança com alergia alimentar?

    A escola do seu filho está preparada para receber uma criança com alergia alimentar?
    (Foto: Divulgação)

    No Brasil faltam estatísticas, mas os números parecem se assemelhar a dados internacionais quando o assunto é alergia alimentar. Cerca de 8% das crianças, com até dois anos de idade sofrem dessa condição.


    A alergia alimentar quando não diagnosticada e tratada adequadamente pode trazer diversos impactos negativos, inclusive o déficit nutricional. Especialistas apontam que o tempo de remissão das alergias alimentares está se tornando mais prolongado. O bullying é outra dificuldade que as crianças com alergia alimentar enfrentam, principalmente dentro do ambiente escolar.

    Conscientizar para educar – para diminuir esses números, a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI), a Danone Nutricia, divisão de nutrição especializada da Danone, e a OAK - empresa da área de educação e cultura, estão à frente de um projeto que visa conscientizar e construir um caminho de capacitação das escolas públicas e privadas sobre a questão da alergia alimentar. Vinte escolas já começaram a receber as principais condutas e o projeto final será comunicado no início de 2020, com implementação prevista para este período, momento em que será confirmada a primeira instituição a receber a consultoria das três empresas envolvidas.
    O presidente da ASBAI, Dr. Flavio Sano, diz que a Associação tem a responsabilidade de oferecer a informação médica de credibilidade a todos, incluindo as escolas. “Muitas das reações alérgicas alimentares ocorrem dentro da escola. Por isso, precisamos e queremos levar esse projeto adiante, para que a família se sinta mais segura no momento da criança sair de casa e não ser exposta a possíveis riscos de contaminação pelo alimento ao qual ela tem alergia”, enfatiza, Dr. Sano

    A Dra. Renata Cocco, Coordenadora do Departamento Científico de Alergia Alimentar da ASBAI, conta que, nos últimos 10 anos, cresceu muito os casos da doença. O leite continua na dianteira como sendo um dos principais alérgenos. “Porém, estamos presenciando um crescimento significativo de reações alérgicas a amendoim e castanhas, o que era raro no Brasil”, chama atenção Dra. Renata.

    Para Vivian Novaes, Gerente de Marketing da Danone Nutricia, “esse encontro superou as nossas expectativas em todos os sentidos, primeiramente pela aceitação por partedas escolas sobre o tema alergias alimentares, outro ponto que nos chamou a atenção foi o interesse genuíno em desenvolver ações conjuntas em prol desta causa. Os projetos apresentados durante o workshop nos surpreenderam positivamente, estamos muito confiantes de que temos material suficiente para os próximos estágios do projeto.”

    O Diretor Científico da ASBAI, Dr. Dirceu Solé, enfatizou a importância do projeto para que todos que convivam com a criança estejam preparados. “Antes de sermos alergistas, somos pediatras e queremos e podemos aprofundar as questões que envolvem as alergias com a sociedade, incluindo as escolas”, comentou.

  • Rádio

    Conheça o podcast que incentiva as brincadeiras

    Conheça o podcast que incentiva as brincadeiras
    (Foto: Divulgação)

     Uma forma de comemorar a vida e as boas lembranças da infância é por meio das brincadeiras. No Programa Maritaca, podcast de áudio com contação de histórias, músicas e brincadeiras, que gira em torno do universo infantil por meio da audição, tem episódios que contam sobre as diversas brincadeiras infantis, formas de começar uma brincadeira, jogos regionais e necessidade de brincar para crescer e se desenvolver.

    No posdcast do aplicativo ou no site https://www.programamaritaca.com.br/brincadeira, a multiartista e criadora do Maritaca, Mariana Piza (Maritoca), convida educadores, pais e responsáveis a ouvir os episódios sobre as brincadeiras para despertar a criatividade do adulto e da criança para o ‘brincar’. Nesses programas, o ouvinte tem dicas de pesquisadores, brincantes e educadores com as brincadeiras tradicionais para as crianças.

    De acordo com Mariana Piza, essa é uma ótima forma de passar mais tempo de qualidade com os pequenos, justamente no mês das crianças, em que o Brasil comemora o universo infantil e suas peculiaridades. “Quando um adulto incentiva o brincar junto aos pequenos, cresce a ligação afetiva entre os dois e aumenta a capacidade de desenvolvimento da criança, devido à sua autoconfiança. Por isso, a importância de comemorar o mês das crianças e dedicar uma parte do tempo com qualidade para os pequenos e sua diversão”, explica.


    Serviço:
    Baixe gratuitamente na loja de aplicativo
    Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.goodbarber.maritaca
    Apple: https://itunes.apple.com/br/app/maritaca/id1315648851?mt=8&uo=4

  • Boa pedida

    Crianças poderão participar de cursos da Oficina de Música nas férias

    Crianças poderão participar de cursos da Oficina de Música nas férias
    (Foto: Luiz Costa/SMCS)

     A 37ª Oficina de Música de Curitiba vai oferecer aulas gratuitas de musicalização para crianças e adolescentes no período das férias. O evento, programado para acontecer de 15 a 26 de janeiro, conta com cerca de 90 vagas em nove regionais administrativas.

    As aulas fazem parte do Programa MusicaR e acontecerão no período da tarde, das 14h às 17h. São vagas destinadas a crianças de 10 a 15 anos que ainda não frequentam aulas regulares do programa durante o ano.

    O MusicaR oferece musicalização, coro infanto-juvenil, flauta doce, percussão corporal e grupo instrumental. Ângela Sasse, coordenadora pedagógica do MusicaR, reforça o conceito amplo e potencialmente transformador do projeto.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Cultura

    Quatro programas culturais para a criançada em Curitiba no feriadão

    Quatro programas culturais para a criançada em Curitiba no feriadão
    (Foto: Reprodução)

    Bita

    Para alegria da criançada, tem show do Bita no domingo, às 17 horas no Teatro Bom Jesus ( Rua 24 De Maio, 135 – Centro). Desta vez, o espetáculo é ´Dentro do Mundo Lá Fora`. A atração vai reforçar a mensagem que é a essência do fenômeno infantil: o incentivo às brincadeiras ao ar livre, estar em contato com outras crianças e viver momentos de alegria, carinho e diversão. Ingressos a R$ 35 - meia| R$ 70 – inteira.

    ´O Jardim Das Virtudes`

    O` Jardim Das Virtudes` é um espetáculo de formas animadas desenvolvido para estimular na criança e no adulto a prática do bem e a prática da verdade como fundamento de todas as ações durante a vida. A peça conta a história de Clarinha, uma menina em idade escolar, dona de um cachorrinho muito peralta chamado Pingo e de seu avô. No domingo (17), a partir das 11 horas, no Teatro do Piá, no Palacete Wolf
    Entrada gratuita.

    Fafá conta histórias no MON

    A Página Distribuidora de Livros vai levar a Fafá pra contar histórias no domingo (17), na I Feira Literária! Vai ser às 14h, no MON - Museu Oscar Niemeyer, entrada gratuita. A programação está demais!! Mais informações: https://www.institutodommiguel.com/festa-literaria

    ´Voou, Amor Leve´ no Teatro Botica

    ´Voou, Amor leve´, musical com teatro de animação para crianças, é atração nos dias 15, 16 e 17, às 13h, 15h e 17h no Teatro de Bonecos Dr. Botica, no Shopping Estação.  Ingressos na Bilheteria do Teatro ou em aloingressos Voou é um musical com teatro de bonecos e animação para crianças de todas as idades, que conta duas histórias de amor entre seres que voam e humanos, duas abordagens sobre um amor transgressor. A primeira história que contamos é O menino que caçava borboletas, nela, um menino desejava ter uma borboleta por sua beleza. Contudo, a impossibilidade de tê-la o levou a descobrir a beleza das lagartas. É também uma espécie de “mini-tratado” sobre estética, sobre o ato de olhar e transformar o que se olha; uma discussão sobre o status de beleza. 

  • Emocionante

    Hospital de Curitiba lança vídeo que mostra o mundo de um prematuro na incubadora; assista

    Hospital de Curitiba lança vídeo que mostra o mundo de um prematuro na incubadora; assista
    (Foto: Reprodução)

    Para chamar à atenção para o novembro roxo, que tem o Dia Internacional da Prematuridade, 17 de novembro, o Hospital Nossa Senhora das Graças, de Curitiba, lança o vídeo “Diário de um Prematuro”.

    Divulgado nas redes sociais do hospital, o vídeo tem a finalidade de mostrar a força dos prematuros na luta pela vida e os cuidados recebidos em uma uti neonatal. As cenas são narradas com a voz de uma criança, demonstrando o sentimento do prematuro, como o momento que eles mais gostam – como a hora do banho, a visita dos familiares e o carinho da equipe de atendimento, até os mais difíceis – como o momento do pic, da sonda para se alimentar, entre outros.

    Clique aqui para ler esse post completo.

  • Opinião

    Dramalhão, Especial, Clone, Fantasma. Que tipo de pai ou mãe é você?

    Dramalhão, Especial, Clone, Fantasma. Que tipo de pai ou mãe é você?
    (Foto: Divulgação)

    Teóricos da educação, sobretudo os norte-americanos, têm produzido vasto conteúdo sobre o comportamento de pais, mães e responsáveis de todo o mundo; muitas dessas análises derivam na construção de perfis a partir da resposta que as famílias dão às demandas de diferentes gerações de crianças. Nos últimos anos, as classificações dos especialistas foram de famílias ao ar livre – que enfatizam a importância da liberdade e da independência da criança – até os chamados helicópteros ou cortadores de grama, que assumem a responsabilidade pelos sucessos e fracassos da criança, desenvolvendo um comportamento controlador e protetor; são os que tiram os obstáculos da frente e evitam que os filhos possam enfrentar qualquer tipo de desconforto.


    A análise de pensadores da educação que refletem sobre o papel das famílias no processo educacional, sobretudo das novas gerações, não chega a ser uma novidade, como também não é inédito que rotulações surjam para classificar e caricaturar comportamentos e formas de exercer a paternidade. Entretanto, acredito que seja importante criar um canal de diálogo permanente entre pais e professores; um espaço para reflexão franca e que traga uma perspectiva propositiva dos caminhos possíveis para preparar nossos filhos para as demandas do século XXI.


    Como pai de quatro filhos, mestre em Educação pela Universidade de Stanford e cofundador da Geekie – empresa que se tornou referência no país em educação com apoio da tecnologia e inovação – tenho acompanhado polêmicas envolvendo, sobretudo, pais superprotetores e ultracontroladores. Diante das classificações feitas pelos professores – e com base na minha experiência pessoal e profissional –, acredito que esses comportamentos descritos são reais, por mais duros ou exagerados que possam parecer em um primeiro momento. Na minha visão, o olhar atento dos educadores capturou a realidade vivenciada em muitas escolas. Entretanto, é importante que esse "diagnóstico" possa almejar a autorreflexão e o diálogo.


    O primeiro perfil descrito pelos professores é o Dramalhão, ou seja, aquele (pais ou responsáveis) que transforma qualquer incidente escolar corriqueiro em um épico – mesmo os que não contaram com a participação do próprio filho. Ele repete a mesma história para a escola inteira e somente se sente satisfeito quando o caso se transforma em uma novela mexicana. Nesse cenário há um agravante: o uso incorreto das redes sociais, os famosos grupos de whatsapp dos pais. O Dramalhão utiliza esse meio para transformar um problema específico do filho em algo coletivo; o objetivo é contaminar os demais pais ou responsáveis e envolvê-los em questões que não são de cunho coletivo.

    O tipo Especial tem certeza que, no mundo, não há criança mais importante, singular, inteligente e incrível que os próprios filhos; para ele sempre há um motivo para que a criança possa chegar atrasada ou descumprir regras, ou seja, agir acima do bem e do mal. Segundo a classificação, essas famílias acreditam que os filhos não têm culpa de nada. Em diversas ocasiões, mesmo sabendo sobre a culpabilidade da criança ou adolescente, passam por cima de fatos e ensinam, indiretamente, que não existe consequência; que uma atitude certa ou errada não provoca reações. E, nem precisamos detalhar o tamanho do dano que esse comportamento e ensinamento traz à esse filho na vida adulta.

    Sem fronteiras é o que envia mensagens diárias aos professores para checar algo – em horários inconvenientes, claro! Não percebe que passa dos limites e não usa o bom senso.

    Na categoria Clone estão os pais ou responsáveis que estão em todos os lugares: são os últimos a deixar o portão e os primeiros a chegar; estão presentes nas reuniões e não deixam a criança fazer nada sozinha.

    Os Superprotetores dispensam apresentações, mas vale dizer que para eles, o filho ou a filha nunca apronta; qualquer eventual comportamento inadequado é culpa das outras crianças.

    Por último, os pais ou responsável Fantasma – embora o nome esteja nos documentos da criança, nunca apareceu; uma ausência, aliás que impacta no desempenho escolar do filho.

    Na minha percepção, o contexto da escola contemporânea – e a relação das famílias com essa realidade – explica o fortalecimento desses perfis de pais ou responsáveis e o olhar crítico dos educadores. Penso que o atrito velado entre docentes e famílias, sobretudo as protetoras e controladoras, têm nos colocado distante da criação de uma “sociedade educacional”.

    Ao fortalecer uma comunidade escolar – um grupo de indivíduos com vínculos e objetivos comuns – é possível construir uma nova lógica de aprendizado. Esse senso de comunidade traz a ideia de construção coletiva da educação, fazendo com que pais, estudantes, educadores e empresas dialoguem; encontrem soluções juntos; sejam corresponsáveis pela educação dos estudantes. A escola precisa ser um lugar de interação, conversa, troca de ideias, cooperação, enriquecimento cultural e aprendizado. Precisamos tornar o que hoje está invisível em visível. As relações estão enfraquecidas, tornando-se necessário criar um espaço para construir uma solução em conjunto.


    Uma reflexão que faço é que a grande ambição dos pais é que os filhos sejam automotivados, porque o futuro demanda a iniciativa e motivação para sermos aprendizes constantes, independente da área profissional seguida. Não temos outro jeito de aprender a tomar decisões complexas se não tomando decisões complexas. Na escola, em um ambiente de fomento ao diálogo, devemos incentivar o desenvolvimento dessa habilidade. Esse deve ser um lugar seguro onde o estudante aprenda a tomar decisões e a arcar com a responsabilidade delas – sem correr grandes riscos; em um ambiente controlado. O erro deve fazer parte do processo de aprendizado e não ter consequência irreversível dentro desse ambiente. A escola deve ser um simulador da vida real.

    Penso que, no Fundamental I, os pais têm um papel de gestor da vida escolar dos filhos; quando eles vão para o Fundamental II, no final dessa jornada escolar, como pais devemos nos empenhar em ensinar como nossos filhos podem desenvolver a autonomia, automotivação, autodisciplina, autoconsciência. O nosso papel – como pais ou responsáveis – deve evoluir de gestor para ser um consultor; precisamos criar pontes para que nossos filhos venham nos consultar quando forem demandados a tomar decisões importantes; a nossa tarefa é criar uma relação de confiança, de proximidade e de abertura para que eles nos enxerguem como parceiros.

    Na escola, o diálogo, a proximidade e o vínculo devem fazer com que haja um ambiente seguro de incentivo ao estudante; traz a tolerância ao erro, desenvolve a determinação, persistência e garra para que o estudante possa lidar de maneira saudável com o processo de aprendizagem. Hoje, a escola muitas vezes ainda está distante de ser um ambiente de colaboração; o estudante por vezes está sozinho; as famílias não possuem informações tangíveis sobre os processos educacionais e desafios enfrentados pelo filho ou filha; o professor está em uma jornada solitária, dando aulas em várias escolas e sem tempo de estabelecer vínculos; o coordenador vive uma rotina sobrecarregada e de cobranças. Ou seja, cada um está imerso no próprio cotidiano, sendo que a escola deveria ser por essência um lugar de colaboração e de corresponsabilidade em prol de um objetivo maior – o desenvolvimento das pessoas. Estamos perdendo uma oportunidade gigantesca de ensinar nossos filhos em um ambiente seguro, onde podemos tornar presente alguns aprendizados que são importantes para a vida futura: a capacidade de tomar decisões complexas; resolver impasses com diálogo; o erro é tolerado e parte do processo de aprendizagem contínua para a vida toda.

    Quando lançamos luz a essas particularidades e reforçamos essa noção de corresponsabilidade, todos podem brilhar juntos e colaborar para criar um lugar de encontro, no qual todos estarão unidos em uma comunidade escolar de fato.

    | Claudio Sassaki é mestre em Educação pela Stanford University e cofundador da Geekie, empresa referência em educação com apoio de inovação no Brasil e no mundo.

  • Boa pedida

    ´Monstronário´, o dicionário divertido de monstrinhos brasileiros é lançado em Curitiba

    ´Monstronário´, o dicionário divertido de monstrinhos brasileiros é lançado em Curitiba
    (Foto: Reprodução)

    A Estrela Cultural, editora que vem prestigiando a autoria nacional e revelando escritores nacionais da literatura infantil, lança em Curitiba a obra Monstronário – Monstros e assombrações do Brasil de A a Z, escrita pela jornalista Lúcia Tulchinski, com ilustração de Alexandre Carvalho.

    Cheia de histórias e características de seres fantásticos, a obra apresenta de forma bem-humorada, a ficha técnica dos diversos personagens do folclore nacional em ordem alfabética, o que ajuda os pequenos leitores a se familiarizarem com as letras e a cultura nacional. Você não quer ficar de fora dessa, né? Então, anota aí: o lançamento será dia 9 de novembro (sábado), das 16 horas às 19h na Livraria da Vila, Pátio Batel Curitiba. O evento contará com a presença da autora para uma tarde de sessão de autógrafos e bate-papo.

    Monstronário – Monstros e assombrações do Brasil de A a Z apresenta seres como Bicho-Papão, Tutu Marambá, Pisadeira, Quibungo e Lobisomem. Nas 37 páginas da obra, eles desfilam seus adoráveis trejeitos assustadores de forma lúdica e divertida. Definitivamente, Monstronário possui um repertório único, no qual o fantástico convive com o popular, traduzindo de maneira dinâmica, para os pequenos, nossa imensa riqueza cultural.

    Ficha técnica:
    Título: Monstronário – Monstros e assombrações do Brasil de A a Z
    Indicação: A partir de 6 anos
    Autoria: Lúcia Tulchinski
    Ilustração: Alexandre Carvalho
    Temas transversais: Folclore
    ISBN: 978-85-45559-67-2
    Páginas: 84
    Preço: 49,90

Quem faz o blog

DESTAQUES DOS EDITORES