Plantão de polícia

Noticiário policial produzido pela equipe do Portal Bem Paraná

Publicidade
Plantão de polícia

PM apreende em Curitiba 20 mil comprimidos de ecstasy que podem valer até R$ 1 milhão

PM apreende em Curitiba 20 mil comprimidos de ecstasy que podem valer até R$ 1 milhão
Na foto apreensão de 27 mil comprimidos de ecstasy apreendidos em 2016 pela PMPR (Foto: PMPR)

Em uma casa no bairro Capão da Imbuia, em Curitiba, os policiais militares da Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM) do 20º Batalhão de Polícia Militar, encontraram diversos sacos com comprimidos de ecstasy que totalizaram 20 mil unidades. A droga foi encontrada após uma abordagem de rotina na noite de quinta-feira (13). Um rapaz foi preso. Segundo a unidade, o montante apreendido pode chegar a R$ 1 milhão.

“Essa apreensão é um reflexo do empenho diuturno dos nossos policiais. Temos intensificado as operações em toda a área do 20º Batalhão com pontos de bloqueio, patrulhamento ostensivo e operações de saturação para inibir a criminalidade e neutralizar o tráfico de drogas”, explicou o comandante do 20º Batalhão, tenente-coronel Mario Henrique do Carmo.

PATRULHAMENTO - De acordo com informações do batalhão, os policiais militares estavam em patrulhamento pela Rua Zorayde Mandelle, quando avistaram um rapaz em um veículo se comportando de maneira suspeita. Ao ser feita a abordagem foi encontrada uma embalagem com 200 comprimidos de ecstasy.

Em continuidade à ação, os policiais militares foram até a residência do suspeito e, ao procederem a vistoria, encontraram mais sacos com ecstasy, com cerca de 20 mil comprimidos, além de 300 gramas de maconha, 93 pontos de LSD e R$ 506,40 em dinheiro. O homem e as drogas foram entregues à Central de Flagrantes.

O tenente-coronel Carmo explica que cada comprimido de ecstasy pode valer entre R$ 25,00 e R$ 50,00, dependendo da pureza da substância. “A quantidade apreendida no Capão da Imbuia pode chegar a valer R$ 1 milhão, com certeza foi um duro golpe ao tráfico de drogas que contribuiu para a redução da circulação e do uso dessa droga”, explicou.

POLICIAMENTO – Segundo o tenente-coronel, o trabalho da unidade tem se calcado em aplicação estratégica de equipes da Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM), da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), com a atuação do Setor de Inteligência para identificar pontos onde há cometimento de crimes para a ação ostensiva da Polícia Militar.

DESTAQUES DOS EDITORES