• 11/09/2018

    'Quem fez coisa errada tem que ser punido', diz Ratinho Jr sobre prisão de Richa

    'Quem fez coisa errada tem que ser punido', diz Ratinho Jr sobre prisão de Richa
    (Foto: Rodrigo Félix Leal/divulgação)

    O candidato do PSD ao governo do Estado, deputado licenciado Ratinho Júnior, divulgou hoje nota após a prisão do ex-governador e candidato ao Senado, Beto Richa (PSDB), na operação “Rádio Patrulha”, que investiga desvios no programa “Patrulha do Campo” nas rodovias do Estado, dizendo que “quem fez coisa errada tem que ser punido”.

    "O ocupante de cargo público tem que ser responsabilizado por seus atos. Quem fez coisa errada tem que ser punido. A Justiça está atuando com isenção e é isso que nós esperamos", alegou ele, que foi secretário do Desenvolvimento Urbano nas duas gestões de Beto Richa no governo.

    Ratinho também publicou texto nas redes sociais sobre o assunto. “Para mim, honestidade é uma obrigação de todo ser humano. Mais ainda na vida pública. Tenho orgulho de estar na vida pública há 17 anos, sem ter nenhuma obra ou ação questionada pelas autoridades”, argumentou.

    Em entrevista, ele voltou a afirmar que defende a investigação. “Cada um é responsável pelas suas atitudes. Defendemos qualquer tipo de investigação. É importante para o nosso Estado e para o Brasil. As pessoas não aguentam mais desvio de conduta. Obviamente não tenho a vocação para juiz e nem é minha função fazer qualquer tipo de julgamento. Mas tendo a investigação, que a Justiça seja cumprida”, alegou.

  • 11/09/2018

    Após prisão de Richa, Cida diz que 'cada um responde pelos seus atos'

    Após prisão de Richa, Cida diz que 'cada um responde pelos seus atos'
    (Foto: divulgação)

    Após a prisão do ex-governador Beto Richa (PSDB), hoje, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), na operação “Rádio Patrulha”, que investiga desvios no programa “Patrulha do Campo” nas rodovias do Estado, a governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti (PP), divulgou nota o qual afirma que “cada um tem que responder pelos seus atos”. “Eu estou tranquila, em paz, fazendo o meu trabalho. Cuidando do estado e também como candidata levando a minha mensagem à população do Paraná”, disse Cida Borghetti em entrevista a rádio Independência de Cascavel.

    Cida disse ainda que assumiu o Estado, criou a Divisão de Combate à Corrupção que tem autonomia e apoio para trabalhar. "A divisão tem total autonomia para desenvolver esse trabalho, ou seja, receber as denúncias e investigar. Eu não compactuo com nenhuma forma de desvio de conduta e com a corrupção que imperou nos últimos anos no País.”, afirmou.

    "Eu peço a população que nos ajude, através do disque denúncia 181 ou do 0800 41 11 13. Repito: eu não compactuo com nenhum desvio de conduta. Tenho falado sempre desde o dia que assumi o governo há quatro meses. Inclusive hoje, a Divisão de Combate à Corrupção também está fazendo uma grande operação, de empresas que fraudaram contratos licitatórios", alegou a governadora.

  • 10/09/2018

    Cida aparece 'passando o café' em visita à professora no horário eleitoral; assista

    Cida aparece 'passando o café' em visita à professora no horário eleitoral; assista
    (Foto: reprodução/You tube)

    Depois de gravar e divulgar vídeo no qual aparecia se preparando para o primeiro debate entre os candidatos ao governo, em 16 de agosto, cozinhando uma massa para a família, a governadora e candidata à reeleição, Cida Borghetti (PP), voltou hoje a explorar seus dotes domésticos e culinários na campanha eleitoral. No programa exibido no início da tarde, Cida apareceu visitando uma professora moradora da colônia Santa Maria, em Piraquara (região metropolitana de Curitiba) para falar sobre educação. No vídeo, a governadora passa o café enquanto conversa sobre educação com a professora Maria Ferreira, que conta ter ficado 30 anos na profissão. 

    No programa, Cida afirma ser uma "governadora do diálogo" e que "a educação é a oportunidade das crianças" para o futuro. A propaganda também destaca que ela assumiu o compromisso de aumentar os salários das merendeiras das escolas públicas estaduais antes de chegar ao governo, em abril, e cumpriu o compromisso. 

    A governadora promete ainda ampliar os serviços da "caderneta digital" para os pais acompanharem o desempenho de seus filhos nas escolas pelo celular. Notas, ocorrências, recados dos professores e avisos de faltas seriam algumas das informações que eles poderão acessar, segundo a candidata. 

    Assista abaixo o programa: 

     

  • 10/09/2018

    Justiça Eleitoral proíbe guarda-sóis de Ratinho Junior

    Justiça Eleitoral proíbe guarda-sóis de Ratinho Junior
    (Foto: Divulgação )

    A juíza Graciene Lemos, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), proibiu em decisão de domingo (9) que o candidato Ratinho Junior (PSD) use guarda-sóis para divulgação da sua campanha eleitoral. Na propaganda, considerada irregular, a juíza acatou a representação com pedido de limar da coligação Paraná Decide, da candidata à reeleição Cida Borghetti (PP). 

    Leia mais

  • 10/09/2018

    Justiça Eleitoral proíbe que Cida associe apoio de Greca a integração de ônibus

    Justiça Eleitoral proíbe que Cida associe apoio de Greca a integração de ônibus
    (Foto: Daniel Castellano/SMCS)

    Uma liminar obtida na Justiça Eleitoral pela coligação do candidato ao governo Ratinho Junior (PSD) proíbe a partir desta segunda-feira (10) que a integração das linhas de ônibus do transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba seja associada ao apoio do prefeito Rafael Greca (PMN) à candidata Cida Borghetti (PP) à reeleição. A juíza Graciane Lemos também determinou que a prefeitura não divulgue propaganda institucional sobre o assunto, sob pena de multa de R$ 100 mil. 

    Leia mais

  • 10/09/2018

    Em reunião com taxistas, Ratinho Jr diz que 'agente público não precisa de carro oficial'

    Em reunião com taxistas, Ratinho Jr diz que 'agente público não precisa de carro oficial'
    (Foto: Rodrigo Félix Leal)

    Em encontro com representantes dos 10 mil taxistas de Curitiba, no final de semana, o candidato do PSD ao governo do Estado, deputado estadual licenciado Ratinho Júnior disse que pretende diminuir a frota de veículos do Estado usada por agentes públicos e fazer parceria com os taxistas para o transporte dos servidores. Segundo ele, o projeto, nomeado de "GOVTÁXI" movimentará, só na capital, 20% dos táxis, e trará economia para os cofres públicos.

    “A frota de veículos no Estado atualmente é de 22 mil carros e, por ano, são gastos na manutenção destes automóveis, R$ 60 milhões. Vamos reduzir consideravelmente este número, utilizando o serviço de táxi. Secretário e diretor não precisam de carro oficial, podem andar de táxi. Vamos seguir o exemplo do Ministério do Planejamento em Brasília que implantou este sistema e, em um ano, conseguiu economizar R$ 5 milhões”, defendeu Ratinho Junior.

  • 10/09/2018

    Rejeitado por Bolsonaro, Ogier Buchi insiste em candidatura

    Rejeitado por Bolsonaro, Ogier Buchi insiste em candidatura
    (Foto: Valquir Aureliano)

    O advogado Ogier Buchi (PSL), de 66 anos, sofreu um revés em sua segunda candidatura ao governo do Estado após o presidenciável de seu partido, Jairo Bolsonaro (PSL), declarar apoio à candidatura de Ratinho Junior (PSD). Em seguida, um dia depois do prazo final para registro no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), uma nota da Executiva Nacional da legenda dizia que a candidatura própria no Estado não era “conveniente” neste momento. No Paraná, o PSL tem como principal liderança o deputado federal Fernando Francischini, visto como o principal responsável por articular a retirada de Ogier da jogada. 

    Leia a entrevista completa do candidato aqui

  • 09/09/2018

    Em primeiro programa após ataque a Bolsonaro, Alvaro e Alckmin condenam violência

    Em primeiro programa após ataque a Bolsonaro, Alvaro e Alckmin condenam violência
    (Foto: reprodução/You tube)

    No primeiro dia do programa eleitoral após o ataque ao candidato Jair Bolsonaro, a maioria dos presidenciáveis não se referiu sábado (8) ao episódio.

    Os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB) e Alvaro Dias (Podemos) trataram diretamente da agressão a Bolsonaro, na tarde de quinta-feira, em Juiz de Fora (MG). Ambos manifestaram solidariedade e condenaram a violência.

    Alckmim apelou para a pacificação do país e disse que o Brasil "está estarrecido com o ato de violência contra o candidato Jair Bolsonaro".

    O tucano condenou a violência, argumentando que esse é o pior caminho e que o ódio cresceu com o PT.

    "É preciso ter serenidade para separar as coisas. Uma coisa é um atentado a um candidato, ato vil e covarde contra ele e qualquer ser humano. Outra coisa é não deixar que esse acontecimento nos impeça para olhar com cuidado para os problemas do Brasil", afirmou.

    Diferença de ideias devem ser respeitadas, diz Alckmin

    O candidato do PSDB disse que o ataque a Bolsonaro mostra que é necessário construir "uma nova nação, que respeite as diferenças de ideias, partidos, gênero, religião, as diferenças de opinião".

    Para Alckmin, esse novo país deve permitir que as pessoas vivam sem medo, além de dar oportunidades no lugar de exclusão e paz no lugar de guerra. "Não é na bala e nem na faca que vamos construir essa nação. É no diálogo, na experiência, na serenidade e no respeito", afirmou.

    Alvaro Dias abriu o programa desejando pronto restabelecimento ao candidato do PSL. Ele disse que construiu sua vida pública combatendo "a corrupção, as mordomias e os vagabundos, mas indignação e raiva são coisas bem diferentes".

    Para ele, o ódio não vai construir um país melhor. "Eu sempre soube que não é na faca, nem na bala que vamos resolver os problemas", argumentou.

    O programa de Bolsonaro veiculou imagens do candidato e uma narração dizendo que a população está orando por ele, usando a hashtag #FORÇAJAIR.

    O anúncio é encerrado com uma fala do candidato: "Deus acima de todos".

    Assista os vídeos: 

     

     

  • 09/09/2018

    Cida promete ampliar integração do transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana

    Cida promete ampliar integração do transporte coletivo de Curitiba e região metropolitana
    (Foto: reprodução/You tube)

    A governadora e candidata à reeleição Cida Borghetti (Coligação PP-PSDB-PTB-PROS-PMB-PMN-DEM) garantiu,em encontro com lideranças de São José dos Pinhais (região metropolitana de Curitiba), os investimentos necessários do governo do Estado para apoiar a reintegração do transporte coletivo entre Curitiba e RMC.

    “A reintegração vai garantir aos usuários destas linhas de ônibus uma redução no custo e maior rapidez de deslocamento até o destino desejado. Uma ação fundamental para que pais e mães garantam mais tempo de convívio com a família”, afirmou. 

    De acordo com a governadora, já há estudos em andamento para reintegrar 29  conexões metropolitanas, como a retomada recente da linha Barreirinha/São José dos Pinhais. “Nós não somos de prometer nada. Venho aqui conversar e escutar a população e firmar com compromisso da reintegração”, disse.  

    Estão em estudos novas linhas de integração nos municípios de Piraquara, Fazenda Rio Grande, Mandirituba, Quitandinha, Campo Largo, Colombo, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul e Araucária.

    Hoje o transporte metropolitano atende diariamente 205 mil pessoas em 19 municípios da Grande Curitiba, sendo que 73% delas utilizam a Rede Integrada de Transporte (RIT). Cerca de 450 mil passageiros, são transportados, entre ida e volta, segundo Cida.

    A candidata lembrou que, com o apoio do governo do Estado, desde 2017, sete linhas foram reintegradas e voltaram a fazer parte da rotina dos usuários de Curitiba e região. A mais recente é a Cachoeira/ Caiuá que voltou a circular neste mês de agosto (25/08).

    Segundo ela, já são mais de 60 mil usuários beneficiados entre as linhas Colombo/CIC, Araucária/CIC, Angélica/CIC, PUC/Fazenda Rio Grande, Roça Grande/Santa Cândida e Quatro Barras/Santa Cândida.

    O subsídio que o governo do Estado oferece ao transporte coletivo da RMC será mantido, prometeu Cida. Em julho, a governadora repassou R$ 71 milhões do governo estadual para a prefeitura de Curitiba e esse recurso garante a manutenção da tarifa em R$ 4,25 e possibilita o avanço nos estudos para a ampliação da integração. Além disso, de acordo com a prefeitura será possível renovar a frota.

  • 06/09/2018

    Francischini pede investigação sobre "autoria intelectual" de atentado contra Bolsonaro

    Francischini pede investigação sobre
    (Foto: reprodução/You tube)

    O líder do PSL na Câmara, Fernando Francischini, do Paraná, afirmou em nota que vai entrar com representação na Polícia Federal requerendo uma investigação para constatar se há uma autoria intelectual por trás do atentado contra o deputado e candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL-RJ), ocorrido na tarde desta quinta-feira. O candidato à presidência foi atingido por uma facada no abdômen, em Juiz de Fora, Minas Gerais. 

    Leia a declaração no Bem Paraná

DESTAQUES DOS EDITORES